Casa > Fantasia > Clássicos > Childrens > As viagens do doutor Dolittle Reveja

As viagens do doutor Dolittle

The Voyages of Doctor Dolittle
Por Hugh Lofting Michael Hague,
Avaliações: 30 | Classificação geral: média
Excelente
7
Boa
10
Média
11
Mau
1
Horrível
1
O deliciosamente excêntrico Doutor Dolittle, tornado imortal na tela pelo talentoso Rex Harrison, continua sendo um favorito entre gerações de crianças desde que ele estreou em um romance anterior, A História do Doutor Dolittle. Dolittle, o médico independente assume um novo assistente, Tommy Stubbins. A história é

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Hosbein Latouf

As Viagens do Doutor Dolittle (Doutor Dolittle, # 2), Hugh Lofting

The Voyages of Doctor Dolittle foi o segundo dos livros de Doctor Dolittle de Hugh Lofting a serem publicados, lançado em 1922. Tem quase cinco vezes o tempo que seu antecessor e o estilo de escrita são lançados em um público mais maduro.

O escopo do romance é vasto; está dividido em seis partes e as ilustrações também são mais sofisticadas. Ganhou a Medalha Newbery em 1923. Tommy Stubbins, o narrador da história, encontra um esquilo ferido por um falcão, para que o mexilhão o informe para obter ajuda do doutor Dolittle.

Tommy vai a Mathew Mugg para descobrir onde mora o médico, que diz que o médico pode falar a língua dos animais para que eles vão para sua casa, mas descobrem que ele partiu em uma viagem e é guardado pelo cachorro Jip.

Mais tarde, o Doutor chega em casa para conhecer Tommy e cuida de seu esquilo, depois explica quando Tommy vê uma estranha criatura de peixe em sua casa que é uma Wiff-Waff e está tentando aprender a linguagem do marisco, mas eventualmente ele a interrompe, pois é muito difícil estude.

Inesperadamente, a Polinésia aparece em Puddleby, da África, que informa ao médico que Bumpo está estudando em Bullford. Tommy recebe o médico, com a ajuda de Poynesia, para ensinar-lhe as línguas dos animais. Depois que a Polinésia ensina a Tommy a linguagem dos animais, para que ele possa entender Jip e Dub-Dub, Chee-Chee vem da África disfarçado de mulher e conta sobre sua viagem a Puddleby.

O médico então pega um navio chamado Curlew e pensa em levar Tommy, Polinésia e Luke, o Eremita. Eles descobrem pelo cão do eremita, Bob, que ele foi enviado para a prisão por assassinato, mas Bob é uma testemunha. Quando o tribunal está em andamento, o médico prova ao juiz que ele pode conversar com animais, quando isso é resolvido, ele traduz o nome de Bob. história para o inglês. Quando a história termina, os juízes concluem que o eremita é inocente. . . .

عنوانها: سفرهای دکتر دولیتل, سفر, نویسنده: هیو لافتینگ, تاریخنخستین خوانش روز بیست واستمالمالتالمسالالالتسلمات

عنوان: سفرهای دکتر دولیتل جلد 2 از 12; نویسنده: هیو لافتینگ; مترجم: محمد قصاع; تهران, محراب قلم, 1385; در 376 ص, مصور; شابک 9643233642; عنوان دیگر: سفر; موضوع: داستانهای مصور کودکان از نویسندگان انگلیس - Sábado 20

نقل از متن: سال‌هاپیش ، پزشکی بود که «دولیتل» ، صدایش می‌کردند. Clique aqui e faça o login para obter mais informações. Clique aqui para obter mais informações. .پی ا............................................................ نام کامل دکتر قصه «جان دولیتل طبیب» بود. کلمهٔ «طبیب» نشان‌دهندهٔ آنست اه او یک پزشک درست e حسابی بوده است. مردی بسیار باهوش که بیماران بسیاری را درمان کرده است. دکتر دولیتل ، در شهری بسیار کوچک ، به نام: «پادلبی» ، زندگی می‌کرد. همه ی اهالی شهر او را می‌شناختند. گذشته از اینها شناختنش خیلیهم آسان بود. دکتر ، مردی بلند قامت بود ،ه همواره کلاهی بلندبر سر می‌گذاشت. با آن کلاه ، قدش بلندتر هم به نظر می‌رسید. همچنین کت بلند و مشکی رنگی با جیب‌های ژؤف به تن می‌کرد. Clique aqui para obter mais informações: Clique aqui para obter mais informações: هرگاه او در خیابان اصلی گام می‌زد مردم با انگشت او را نشان می‌دادند و می‌گفتند: «ببینید! آن دکتر است که می‌رود. واقعاً مرد باهوش و دانایی است. » بچه‌ ها دنبال او می‌دویدند e با خنده و شادی از وی سؤال می‌پرسیدند درتر هم ممشش بم رسشهایانیه پهای‌ منان مای‌ ما مای‌ مآ مه مه مهی‌ مآ پ مپ پ مپ مه پ مآ پ آ آ آ ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Quinton Mikelsen

Minha mãe leu este livro para meu irmão e para mim quando éramos crianças na década de 1960. Lembro-me de amar a história e, principalmente, estar apaixonado pela capacidade do Dr. Dolittle de conversar com os animais. Tornou-se controverso na década de 1970, quando o retrato dos personagens africanos era considerado ofensivo e racista. A versão que reli recentemente é a versão levemente editada pelos McKissacks para remover as descrições e ilustrações ofensivas. No entanto, não remove o retrato bastante ofensivo dos nativos americanos como pessoas infantis que nem sequer têm fogo e são civilizadas com felicidade por Dolittle até o ponto de total dependência. No entanto, as aventuras de Dolittle com o povo nativo de uma ilha flutuante consistem em grande parte das viagens do título do livro, tornando bastante difícil editá-las sem encurtar e alterar significativamente o livro. E, é claro, a atitude colonialista em relação aos povos nativos era muito endêmica aos tempos e que estamos apenas agora finalmente começando a mudar. Apesar desse aspecto preocupante, ainda encontrei o mesmo prazer que tive quando criança na representação do médico que podia conversar com animais e na descrição de sua casa e jardim repletos de animais. Gostei especialmente (e me esqueci) da descrição do Dr. Dolittle como um homenzinho gordo e engraçado. Infelizmente, o filme musical com Rex Harrison que saiu durante a minha infância substituiu uma imagem muito diferente do médico em minha memória. Fiquei muito angustiado, no entanto, com as muitas cenas do Dr. Dolittle cozinhando e comendo alegremente salsichas e bacon enquanto estava cercado por seus amigos animais falantes (incluindo um porco!). Certamente, se alguma coisa fosse fazer um vegetariano, seria a capacidade de realmente se comunicar com os animais! E mesmo se alguém fosse bárbaro o suficiente para ainda comer (primos) de seus amigos, certamente teria a cortesia de fazê-lo fora da vista desses amigos e não tê-los participando da própria culinária e servir da refeição! Além do consumo angustiante de carne de animal, eu gostei de visitar novamente o Dr. Dolittle e seus amigos nas duas ou três primeiras seções do livro. Hoje, eu teria dificuldade em lê-lo em voz alta para crianças pequenas devido ao retrato de nativos americanos, embora isso possa levar a discussões muito interessantes quando lidas com crianças mais velhas. Como muitos dos livros de Newbery da primeira década, no entanto, acho que precisa ser contextualizado para crianças modernas - um livro de ensino melhor do que um livro de prazer.
Comentário deixado em 05/18/2020
Blanca Herreravega

Em meados dos 20 anos, ao reler este livro, percebi que John Dolittle era meu principal modelo na vida, e isso não mudou. Compassivo, obsessivo-compulsivo, amante de animais, cientista brilhante, linguista talentoso, viajante itinerante, dono de uma lareira onde você pode sentar para brindar coisas em paus, um buscador da verdade cruzado e campeão do perdedor (sem trocadilhos e trocadilhos) ) - todos nós não devemos aspirar a essas coisas? Eu li todos os livros da série e possuo várias cópias de várias. *suspiro*
Comentário deixado em 05/18/2020
Chlori Demora

As agora controversas "Viagens do Doutor Doolittle" talvez não se dessem bem com muitas crianças modernas, mesmo com obras de arte atualizadas e a remoção de passagens que não são de computadores, pois são um pouco antiquadas e demoradas. No entanto, gostei muito do estilo e algumas das passagens de Lofting foram escritas com muito bom gosto. Esta é uma gloriosa aventura antiquada, completa com locais exóticos, aliados de animais, naufrágios, guerras indianas e até um caracol gigante! Mas o melhor de tudo é o nosso herói, John Doolittle, uma das criações mais gentis e atenciosas da literatura - sem mencionar que ele pode conversar com animais, o que também o torna um dos mais legais! ; -> Dou ao livro quatro estrelas por seu personagem e o espírito do trabalho, embora tenha achado algumas partes um pouco demoradas ou parecendo desconectadas do arco maior da história.

Eu estava determinado a ler a versão completa e não editada, com toda a sua "controvérsia" - incluindo as obras de arte de Lofting. Eu não era um verdadeiro fã da obra de arte e os esboços em preto e branco provavelmente também não atrairiam muitas crianças - também, as representações dos índios e dos africanos podiam ser vistas como depreciativas, se alguém estivesse inclinado a procurar o pior; no entanto, acho que até o próprio Doolittle parecia excessivamente exagerado, por isso duvido que a intenção de Lofting fosse racista quando, digamos, ele fez o nariz do índio um pouco grande ou os lábios do africano um pouco gordurosos. No entanto, leitores sensíveis desejarão tomar nota.

Em termos da história em si, eu realmente acredito que Lofting queria harmonia entre todas as raças - além disso, entre todos os seres vivos. John Doolittle é gentil com as crianças e trata nosso jovem narrador Stubbins como adulto, com o devido respeito. A flecha longa indiana é considerada por Doolittle um dos maiores naturalistas que já existiram. Doolittle envolve a ajuda de animais - amigos de longa data e novos conhecidos - para trazer justiça e paz em várias situações. A meu ver, Doolittle é, acima de tudo, um herói e um modelo exemplar.

Ao abordar as alegações de racismo na história, peço aos leitores que se lembrem da época em que foi escrita e considerem como as visões progressivas de Lofting receberam o tempo. Isso não é desculpa para o ocasional sentido de superioridade que escorre pela história de tempos em tempos, especialmente na parte final com os índios. Não posso dar detalhes sem revelar a história, mas encorajo os leitores a lembrarem-se de se avaliar quando avaliam John Doolittle. A questão da raça à parte, quantos de nós já ofereceram nossas opiniões (mesmo quando não foram solicitados!) Ou viram o comportamento de nossos amigos ou até de estranhos como inferior ao nosso próprio modo de viver ou ver o mundo? Mesmo quando acreditamos que estamos agindo com um senso de compaixão ou consideração, podemos não estar nos espalhando injustamente em torno de nossas visões de julgamento superior / inferior e julgador se, talvez, sugerimos que eles tentem mais ou menos, porque isso funcionou tão bem para nós? Sim, talvez o idolatrado Doolittle dos índios e suas idéias refletissem sombras do imperialismo britânico ou supremacia branca; ou talvez Lofting significasse simplesmente que John Doolittle fosse um membro extraordinariamente sábio e compassivo da humanidade para quem os outros procurariam orientação - como, aparentemente, fazemos hoje com nossos líderes.

Pessoalmente, acho que seria uma pena descartar toda a sabedoria do livro de Lofting e a gentileza e compaixão do Dr. Doolittle, escolhendo interpretar alguns aspectos sob uma luz negativa. Talvez esteja lá - ou talvez estejamos impondo demais à Lofting com base em algumas das transgressões de outras pessoas ... Quando você embarca na viagem com o Dr. Doolittle, terá que escolher se deseja ver o vidro como Meio vazio ou meio cheio.
Comentário deixado em 05/18/2020
Sidky Delicat

Portanto, não considero essas resenhas como um relatório de livro; pessoas suficientes resumem o livro para que você entenda o essencial. O que direi é que o livro tem insensibilidades de linguagem e cultura, como muitos livros de gerações anteriores. No entanto, ao ler este texto para as crianças, editei a linguagem e usei as referências culturais, especialmente as touradas na Espanha e os "índios" como trampolim para discussões com meus filhos sobre como os tempos mudaram e como não pense da mesma maneira ou escreva da mesma maneira. Curiosamente, ele também levantou uma discussão (com crianças de 6 e 9 anos) sobre o imperialismo inglês. Se usado dessa maneira, o livro é uma excelente história de aventura E um excelente ponto de partida para conversas detalhadas. Ah, e meus 6 anos de idade aprenderam o significado de OBSTREPEROUS e concluíram que ele também era obstinado, com base na definição do Kindle enquanto eu lia. Tornando a versão Kindle deste livro MUITO útil, LOL!
Comentário deixado em 05/18/2020
Tench Ehiginator

Eu amo este livro, O Doutor e o jovem Tommy, e a maneira extravagante de Animals torna este livro infantil uma alegria de ler, as descrições de todos os lugares e personagens fazem você se sentir como se fossem deles.

Quem não ama o doutor Dolittle! Se você gostou do começo, vai adorar! Pois sempre há risadas e sessões de vida, e quem não gosta de levar animais
Comentário deixado em 05/18/2020
Leyes Monrow

Se você é como eu e não gostou do filme de Rex Harrison e não gosta de histórias de animais, muito menos de animais que podem conversar com um homem, você pode se surpreender ao descobrir que pode realmente gostar deste livro. Eu fiz; Surpreendentemente, surpreendi - e você tem que admitir que é muito para superar quando esse é o resumo do livro!

Este foi o primeiro livro a receber um vencedor do Newbery Award. Publicado em 1922, foi um enorme sucesso e foi traduzido para mais de uma dúzia de idiomas e vendeu milhões de cópias. Era tão popular que doze livros sobre o doutor Dolittle foram escritos.

O estilo de escrever é ótimo, a história é aventureira, os animais não são desagradáveis ​​e os personagens têm momentos muito risíveis. Espero que você tente!

#geografia #global

Limpeza:

Palavras ruins das crianças
Obscenidades e substituições leves - 5 incidentes: estúpido
Chamada de nome - 6 incidentes: sal velho idiota, estúpido, louting pesado, diabinho, rufiões feios
"Primeiro, ele os chamou de uma longa série de nomes: covardes, mocassins, ladrões, vagabundos, coisas boas, valentões e outros enfeites."
Profanações Religiosas - 37 Incidentes: Bondade, Gracioso, meu bem-aventurado, Bondade sabe, espero bondade, pelo amor de Deus, Senhor nos preserve, oh Senhor, Senhor, Deus, Deus, Deus, graças aos céus, Deus sabe

Religioso e sobrenatural - 2 incidentes: os nativos “a princípio eram todos de joelhos e adorando o fogo”. Mais uma vez, os nativos pensam que o fogo é "mágico".

Relacionados a romances - 4 incidentes: as mulheres na multidão enlouquecem com o médico e lhe mandam beijos, chamam de amor, etc. Menciona um rei que tem cento e vinte esposas. A palavra "peito" é usada - no peito de um pássaro. A palavra "mama" é usada para peito.

Atitudes / desobediência - 1 incidente: um garoto pensa em jogar os sapatos com raiva, mas pensa melhor.

Tópicos de conversa - 10 incidentes: um homem fuma cachimbo e menciona cerveja. A palavra "galo" é usada para significar um galo. "Ele diz que você foi assistir a uma luta premiada e sentou-se jogando cartas por dinheiro".
Um homem tem tatuagens por todo o braço. Um pássaro falante jura baixinho para si mesma. Uma observação sobre o canibalismo, embora muito provavelmente tenha dito em tom de brincadeira. Duas pessoas (assistentes do médico) fazem uma aposta paralela no doutor Dolittle para ganhar dinheiro com comida. Referência evolutiva: "Nós pousamos animais [referindo-se a humanos] ... somos incapazes de respirar debaixo d'água." Referência evolucionária: “Ele pertence a eras passadas quando as baleias eram animais terrestres e tudo mais.” Os nativos dizem que pensavam que um certo homem era um diabo.

Parent Takeaway
Uma história de aventura divertida e envolvente, com moral e propriedade.

** Gosta das minhas críticas? Então você deve me seguir! Porque eu tenho centenas mais como este. A cada revisão, forneço um Relatório de Limpeza, mencionando qualquer conteúdo censurável que me depare, para que os pais e / ou leitores conscientes (como eu) possam determinar com antecedência se desejam ler um livro ou não. As surpresas de conteúdo são super irritantes, especialmente quando você tem mais de 100 páginas, então aqui está minha tentativa de ajudá-lo a evitar isso!

Então, siga-me ou faça um amigo aqui no GoodReads! Você verá minhas atualizações enquanto leio e saberá quais livros estou gostando e o que não estou terminando e por quê. Você também poderá utilizar minha biblioteca para pesquisar títulos e verificar se o livro que você está pensando em ler a seguir tem algum conteúdo censurável ou não. De palavrões, a romance, a más atitudes (em livros infantis), eu cubro tudo!
Comentário deixado em 05/18/2020
Ioyal Hoise

Li isso recentemente para minha sobrinha de 7 anos de idade, depois de tê-lo lido quando criança. Já tínhamos lido The Story of Doctor Doolittle, que acho que ela pode ter preferido; Eu gostei mais deste, com certeza. Nos primeiros capítulos (que ela achava muito sombrios), você pode ver que Lofting colocou mais nas descrições, que são mais líricas do que o primeiro livro superficial. A trama ainda é episódica, mas as subparcelas contínuas - os esforços do médico para encontrar Long Arrow e aprender a linguagem do marisco - unem tudo muito mais bem do que o primeiro livro.

O bom doutor, para quem lê hoje, tem muitas noções progressistas - sua oposição às touradas, por exemplo -, mas também enormes pontos cegos que me fizeram estremecer. Toda a sua atitude em relação aos povos nativos da Ilha dos Macacos-Aranha é tão condescendentemente paternalista e, essencialmente, provincial que faz minha cabeça girar. Minha sobrinha realmente riu do horror do Doctor e Stubbins quando eles receberam peixe cru para comer. "Eles não gostam de sushi?" ela disse. Apesar do fato explícito no texto de que o conhecimento médico de Long Arrow está muito além da ciência européia, o médico insiste que os Popsipetels vivem de acordo com as noções inglesas de higiene do século XIX. É uma estranha contradição que ele pretenda levar esse remédio indígena para a Europa, enquanto impõe remédios europeus aos Popsipetels. Na verdade, se você decidir ler dessa maneira, poderá argumentar que isso torna o Doutor mais interessante - Lofting (ou pelo menos Tommy Stubbins) claramente pretende que ele seja perfeito, e essas falhas aprofundam um pouco seu personagem. Também é interessante que a Polinésia, o papagaio antigo e sem sentido, chame o Doutor em alguma besteira. Claro, é impossível escapar do fato de que Lofting escreveu os ilhéus do Macaco Aranha, exceto por Long Arrow, exatamente como o tipo de sociedade infantil pela qual o Doutor os leva.

Apesar de tudo isso, ainda existem muitos incidentes e episódios divertidos - o julgamento, a história do peixe, o naufrágio e, claro, a imagem misteriosamente bonita do Grande Caracol do Mar de Vidro - que me mantiveram interessado e minha sobrinha entretida. Acho que ela preferiria um pouco mais os animais. Minha voz na Polinésia conseguiu um treino, mas nós dois frequentemente esquecemos que Jip e Chee-Chee estavam lá. Não tenho certeza se leremos todo o resto, mas, na tradição do surrealmente adorável Great Glass Sea Snail, acho que pelo menos leremos aquele em que o Doutor montará uma mariposa gigante na lua.
Comentário deixado em 05/18/2020
Angadresma Weith

Adorei este livro quando criança, ainda o amo agora e quero continuar lendo a série. Se eu tivesse tempo. Lembra-me muitos dos vinte e um balões!

(Leia isto para a minha aula Newbery.)

Como sequência, eu realmente apreciei que Lofting reservou um tempo para nos apresentar seu novo personagem, Stubbins, antes de nos trazer de volta ao Doctor. Eu li o primeiro livro quando criança, mas sinceramente, nem me lembro (ou que este livro era uma sequela) até fazer uma pesquisa sobre os 8 primeiros vencedores do Newbery. A força disso para as pessoas que leram os livros em ordem é que Stubbins se torna um personagem muito mais viável para eles - o livro não é mais sobre John Dolittle, é sobre seu relacionamento com Tommy Stubbins. A introdução do personagem de Stubbins diz a crianças de todas as idades, inclusive eu, que é possível descobrir e seguir sonhos que você nem sabia que tinha. É claro que existem alguns sinais reveladores dos tempos em que o livro foi escrito - o macaco sendo capaz de passar como negro e viajar com segurança, o negro viajando com eles como chef e os índios vermelhos incapazes de cuidar de si mesmos adequadamente e exigir a assistência de John Dolittle, o poderoso, civilizado e forte salvador White Man. Mas realmente ... este foi um livro incrível de se ler. Se eu tivesse tempo, voltaria e leria todas as aventuras de John Dolittle. Talvez eu faça um projeto mensal - leia um Dolittle! Um colega meu adora absolutamente tudo o Dolittle e está convencido de que as edições não devem ser feitas para PC, porque são indicativas da época em que Lofting as escreveu. Como ela diz, "[o príncipe Bumpo] é bem-educado, o que para a época dele era inédito e considerado fantasia - um africano negro recebendo uma educação européia como se fosse humano ou algo assim". Hoje, o livro mantém seu peso e mérito principalmente como leitura em voz alta - por causa dos possíveis problemas com a correção política, acho que seria melhor para uma criança ler em voz alta com um adulto.

A origem do Dolittle é absolutamente incrível - as cartas que Lofting escreveu para seus filhos, em vez de lhes escrever histórias de terror da guerra ... depois, as crianças exigindo fotos para acompanhar as aventuras. As informações sobre essa criação devem ser incluídas em todos os volumes - acho que as crianças gostariam de saber sobre isso!
Comentário deixado em 05/18/2020
Peta Barajos

Este é um livro complicado de avaliar, e eu quase gostaria de poder dar duas classificações. Um seria para a história geral, que era tão boa, se não melhor que a primeira. Eu daria quatro estrelas, porque, mais uma vez, gostei do caráter do doutor Dolittle e da maneira como ele manifestou o impulso e a observação de um cientista, além da compaixão de um amante de animais. Desta vez, pensei especialmente que desta vez era bom tê-lo descrito por outro personagem, em vez de simplesmente ler sobre uma narrativa em terceira pessoa. Vê-lo através dos olhos de outra pessoa ajuda a torná-lo verdadeiramente maior que a vida. Mais uma vez, diverti-me com os elementos fantásticos da história, mesmo quando eles eram um pouco tolos, bem como com as diferentes maneiras pelas quais a habilidade do médico de conversar com animais ajudou os outros, bem como a tripulação de sua viagem.

Por outro lado, isso foi escrito em outra época e mostra. Tenho certeza de que existem versões atualizadas e modernas deste livro que não são tão ofensivas quanto esta, lançadas nos anos 50, mas é isso que tenho que revisar porque é o que a biblioteca tinha. Ele usa termos como "índios vermelhos" para descrever os nativos da América do Sul, refere-se à África como um "país" mais de uma vez e até contém algumas palavras em n. Só posso supor que versões mais recentes tenham editado coisas assim (considerando que eu li uma versão moderna do primeiro livro que não parecia tão ofensiva), mas infelizmente existem outros elementos da história que eu não imagino pode ser editado com tanta facilidade - é mais uma "atitude geral" - por exemplo, esse grupo específico de nativos da América do Sul era aparentemente tão ignorante que eles não descobriram fogo até que o doutor Dolittle e sua equipe os esclareceram.

Então ... não tenho certeza se / quando vou ler isso para uma criança, mas se o fizer, vou querer obter uma cópia atualizada e ter uma conversa sobre o retrato dos povos indígenas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Cecile Linssens

Este foi o primeiro livro que li - e o começo do meu fascínio enraizado pela literatura. Foi-me dada pelo meu primo favorito quando eu estava na 5ª série, sem saber que, de alguma forma, isso mudaria meus divertimentos e diversões infantis tediosamente invariáveis ​​durante esse período. Você acha que eu perdi minha infância? Não. Em vez disso, acho que meus amigos de infância foram aqueles que perderam essa experiência fantástica.

Eu tenho tanta inveja de Tommy Stubbins desde o primeiro dia. Quem não iria? Ele conheceu o médico, viajou com ele, aprendeu coisas incríveis sobre os animais, suas línguas e natureza - muito longe do que as crianças de sua idade aprendem na época. O médico, por outro lado, sempre foi meu personagem favorito - ele é inteligente, carinhoso, corajoso, mas bobo e engraçado às vezes. A festa deles consistia em um papagaio inteligente, um cachorro e um macaco em uma viagem para a Ilha Spidermonkey - eu sonhava em ter essa companhia e viajar para aquele lugar fictício em minhas reflexões. E a minha parte favorita: a experiência deles de conhecer o Grande Caracol do Mar de Vidro e andar em sua concha transparente, onde você pode ter a experiência maravilhosa de ver a beleza e a grandeza do mar abaixo, o que é tão fascinante se você fosse uma testemunha .

No entanto, houve alguns problemas em relação ao livro. Dizia-se que a descrição dos nativos na Ilha dos Macacos-Aranha era racista. Eu, por outro lado, nunca encontrei nenhuma ofensiva em relação a isso, mas talvez fosse apenas eu. No entanto, gostei muito do livro A história do Dr. Dolittle- o primeiro livro da sequência, que li mais tarde. Além disso, eu estou dando este 4 de 5 estrelas.

-----

4/14/14

Não posso deixar de reler o livro antes de entregá-lo a um amigo. Muito melhor na 2ª vez. Viva para 5 estrelas! : D
Comentário deixado em 05/18/2020
Giamo Niedermayer

* Não é apropriado para a sala de aula moderna devido a estereótipos desenfreados e atitudes colonialistas gerais.

Se este livro não é para crianças, para quem é? Pessoas que tentam concluir a lista de vencedores do Newbery ou pessoas que gostam de ler literatura mais antiga e que têm idade suficiente para entender por que grandes partes disso são inadequadas.

Obviamente, essas coisas são muito importantes e não consigo me imaginar recomendando este livro para crianças. No entanto, se não fosse por todo esse lixo, seria uma espécie de história de aventura simplista com animais que as crianças provavelmente gostariam. O personagem Dolittle de Lofting estava um pouco à frente de seu tempo no departamento de direitos dos animais, opondo-se às touradas e à manutenção de leões em pequenas gaiolas.

Além disso, enquanto praticamente todas as minorias estão imersas no estereótipo, você deve gostar delas. Eu acho que é por isso que eu ainda dei três estrelas. Deixei o livro com a impressão de que Lofting realmente gostava do povo indígena e africano em seu livro; infelizmente, ele era um colonialista o tempo todo e parecia que ele estava sendo elogioso. A intenção é importante para mim, mesmo que não mude o fato de que você não pode recomendar este livro para crianças.

Pelo lado positivo, terminei cedo e entrei no meu próximo livro da Newbery 5 dias antes do previsto. Espero que esse seja melhor.

Comentário deixado em 05/18/2020
Mussman Wittie

Fiquei realmente surpreso com o quão bem este livro conseguiu manter minha atenção. Eu estava realmente esperando que acharia muito chato e teria que lutar por isso. Mas não foi esse o caso. Em vez disso, me vi lendo rapidamente, imaginando o que aconteceria. A única coisa que eu tinha contra esse livro era que parecia um pouco "simples" para um livro juvenil, mas acho que talvez seja porque eu sou muito mais velho que o público-alvo. Eu recomendaria este livro para crianças de 8 anos ou nessa faixa etária. Também fiquei um pouco consternado ao ler a introdução e descobrir que houve mudanças nesse livro por causa de "preconceitos raciais". Isso só me fez querer sair e encontrar o livro original. Não gosto quando as pessoas censuram meus livros por mim, sou perfeitamente capaz de julgar se um livro é ofensivo ou não. Agora estou bastante curioso para saber quais "pequenas mudanças" elas fizeram e como isso poderia ter afetado tanto o livro que eles acharam que precisavam mudar. Apesar de tudo, achei este livro bastante agradável, além de algumas idéias ou configurações ridículas de que gostei e provavelmente o recomendaria.

* Extraído do blog de resenhas de livros: http://reviewsatmse.blogspot.com/2009...
Comentário deixado em 05/18/2020
Lipcombe Ultsch

Proto-Peta, ambientalista e anticolonialista - se você apenas assistiu ao cinema, gosta de algo diferente (um toque radical?) Ao ler os livros. Viagem não é o melhor dos livros da Dolittle (embora tenha vencido o Newbery), mas certamente nunca é chato. 90 anos atrás, se você era um garoto de fazenda na pradaria do Kansas, o vento de inverno soprava do lado de fora, as aventuras de um veterinário que podia conversar com animais, suas viagens cheias de perigos e naufrágios e um de seus companheiros de confiança por nove anos menino velho - deve ter sido maravilhoso. Francamente, ainda é. Há uma passagem maravilhosamente distante em que o médico fala sobre a descoberta do Polo Norte muito antes de qualquer outra pessoa - mas os ursos polares o convencem a manter segredo, porque as pessoas vão estragar tudo. Os ursos polares estavam certos o tempo todo, não estavam?
Comentário deixado em 05/18/2020
Darill Ackman

Parte disso foi ótima, especialmente no primeiro semestre (muitos livros que tenho lido ultimamente têm ótimas primeiras metades e desaparecem a partir daí). Não posso deixar de sentir que teria sido um livro melhor se ele estivesse na Inglaterra - e então haveria muito menos daquele problema bagunçado de racismo - mas então não seria The Voyages, seria isto?...
Comentário deixado em 05/18/2020
Copland Regal

O vencedor do Newbery de 1923!

O que eu gostei sobre este livro:
Ao contrário do livro de 1922, este é um livro que eu acho que as crianças realmente gostariam. Você pode dizer que foi publicado em 1922, o idioma é um pouco arcaico, mas um bom livro infantil atrairá as crianças por muitos e muitos anos. Há partes engraçadas, muita aventura e animais falantes! O que há para não amar?

O que eu não gostei sobre este livro:
Na verdade não muito. Como mencionado anteriormente, o idioma é um pouco arcaico. Algumas palavras que podem ter sido aceitáveis ​​em 1922, que não são agora usadas (como a "palavra n"). Realmente não há muito para eu criticar.

Merecia o Newbery ?:
Sim definitivamente.

Por quê?:
Depois de ler The Story of Mankind (a escolha de 1922), isso foi refrescante. Foi bom ver o comitê escolhendo um livro que as crianças realmente gostariam de ler.

Penso que o fato de não haver livros da Newbery Honor em 1923 (havia cinco em 1922) mostra que ou não havia muito mais para escolher naquele ano ou que o Dr. Dolittle era uma escolha unânime. O único livro de nota de outras crianças que eu acho que foi publicado naquele ano é The Velveteen Rabbit, mas isso teria sido mais um candidato a Caldecott, se já existisse na época. Dr. Dolittle é uma ótima escolha para Newbery. Eu me pergunto se houve algum barulho por ele ser da Grã-Bretanha. As pessoas, que estavam reclamando de Neil Gaiman vencendo o Newbery, apesar de ele não ser um cidadão natural dos EUA, não fizeram o dever de casa muito bem.

Next Up: A fragata escura por Charles Hawes


Comentário deixado em 05/18/2020
Tomlin Burtschi

Aventuras fantásticas do jovem Tommy Stubbins, o incrível Doutor Dolittle e uma variedade de animais falantes. De muitas maneiras à frente de seu tempo (1922) em termos de direitos dos animais (o Doutor é firmemente contra leões e tigres em zoológicos, touradas e apanha de peixes para viver em um aquário) o livro tem momentos desconfortáveis ​​quando Lofting está escrevendo sobre seres humanos ao invés de animais. A maioria das versões de "A História do Doutor Dolittle" (que ainda não li) e as "Viagens" foram editadas e reescritas. Se os livros não são mais considerados adequados para crianças, tudo bem, mas higienizar um livro vencedor do Newbery para que ele se adapte melhor aos valores mais esclarecidos de um tempo posterior parece errado para mim. Apesar de todas as suas falhas, foi o que Lofting escreveu. Leia com seus filhos e discuta o quanto as coisas mudaram desde a década de 1920.
Comentário deixado em 05/18/2020
Myrtia Groth

Outro favorito da infância. Quando eu era pequena, eu realmente queria be Tommy Stubbins e vá com o bom médico. Joguei jogos do Dr. Dolittle e fantasiei. Isso me interessou em olhar a natureza e me surpreender com a beleza de tudo ao meu redor. Adorei este livro e todos os clássicos da Dolittle. Minhas cópias em brochura da infância desmoronaram e eu comprei e reli a série inteira em capa dura quando adulto. Eu li este livro pelo menos 10 vezes, e a última vez foi em 2006, em um par de dias de verão preguiçosos sob um dossel da floresta. Tem sido uma inspiração toda a minha vida, realmente.
Comentário deixado em 05/18/2020
Ranita Blatchford

Este livro é delicioso! É o primeiro livro do Doutor Dolittle que eu li (embora seja o segundo, que não me causou nenhuma confusão) e estou ansioso para ler o resto! É uma aventura tão divertida e criativa. E eu adoro o próprio médico. Ele é uma Lufa-Lufa tão adorável. E os outros personagens também são fantásticos; especialmente a brilhante Polinésia. Eu realmente simplesmente adorei tudo sobre essa história.
Comentário deixado em 05/18/2020
Purvis Phinazee

Eu simplesmente não posso com o imperialismo racista inconsciente. Parado antes que a realidade pudesse se intrometer demais no reino das "memórias felizes da infância do filme musical".
Comentário deixado em 05/18/2020
Dyna Nuque

Eu estava um pouco hesitante em ler isso com minha filha de 9 anos, porque achei que ela poderia achar a linguagem um pouco arcaica e a trama lenta, dado seu amor por Harry Potter e os livros Fudge. Este tem sido o nosso "livro da manhã" nos últimos dois meses. Todas as manhãs, enquanto ela toma café da manhã e antes de o ônibus chegar, lemos por alguns minutos. É uma maneira agradável e descontraída de começar o dia, e eu gosto que isso faça com que nossa rotina matinal nos dias úteis pareça um pouco menos apressada e agitada.

Ela me surpreendeu, no entanto, e realmente parecia gostar disso. Era uma história boba e nada realista, que é uma das razões pelas quais acho que ela gostou. Quem não gostaria de poder conversar com um cachorro e ter um pato em casa? Indicativo dos tempos em que foi escrito, é bastante racista em sua narrativa da vida com os nativos, retratando-os como infantis e incompetentes, felizes por serem salvos pelo grande herói branco. Sei que alguns pais preferem não expor os filhos a isso, e posso entender o que eles querem, mas tento usar essas passagens como uma oportunidade de discussão se houver outras qualidades redentoras no livro. Eu acho que este livro tem essas qualidades redentoras. A estrutura e o vocabulário das frases são muito mais complicados do que os livros atuais direcionados a essa faixa etária, e o narrador tem um padrão incomum de fala, o que tornou essa leitura interessante.

Nós gostamos e como é um clássico, fico feliz que o tenhamos lido, mas provavelmente não nos incomodaremos com os outros livros da série Dr. Dolittle. Existem muitos outros bons livros para ler.
Comentário deixado em 05/18/2020
Marozik Lenius

Tenho boas lembranças de assistir a versão da Disney do Doutor Dolittle quando criança. A música é cativante e as aventuras foram tão grandiosas. Além disso, como seria legal conversar com os animais? Alguns anos atrás, minha irmã me presenteou com o livro, que foi quando percebi que nunca havia lido essa história clássica. Coloquei-o na minha estante para eventualmente ser lido e nunca cheguei a ele. Finalmente comecei a ler para os meus filhos como a história deles para dormir. Descobri mais os filmes de pessoas reais (como eu os chamo), se eles leram / ouviram o livro primeiro.
Então, terminamos o livro esta semana, e fiquei surpreso com muitas das diferenças entre livro e filme (isso não deveria ter me surpreendido direito). Quando fizemos nossa viagem semanal à biblioteca, ficamos muito empolgados ao encontrar o Doutor Dolittle da Disney nos esperando na seção de DVD.
Meus filhos ficaram tão cativados com o filme quanto eu. Eles até apontaram algumas coisas diferentes entre livro e filme - sim, eles estavam realmente me ouvindo ler! Estamos no meio do filme, já que é longo, mas estaremos terminando esta noite. Off para encontrar o grande Glass Sea Snail!
Comentário deixado em 05/18/2020
Kurtis Folino

Depois de ler este vencedor do Newbery, decidi que NENHUM da série Dolittle é mais apropriado para crianças. Embora você possa higienizar a linguagem racista com bastante facilidade, não é possível remover os sutis e insidiosos problemas do "salvador branco" inerentes a esse clássico.

E, como você não pode remover essas coisas, sinto que não há problema em ler as versões não higienizadas. Na verdade, eu recomendo. Eu sinto que este livro seria uma leitura incrível para discussão em uma aula de sociologia ou para um grupo de livros voltado para a sociologia, que gostaria de discutir em profundidade esses tipos de questões. A leitura do livro um, que é muito curta (é realmente mais uma história), é um pouco necessária para dar a você a história dos personagens. Este livro é um livro real, mais longo e mais detalhado. Leia-os juntos, juntamente com possivelmente uma não-ficção sobre o período e uma biografia do autor, e acho que lhe dará uma idéia contextual muito rica das atitudes da época e também de como as sociedades são moldadas. Como o passado influenciou como ainda pensamos hoje? Como podemos mudar isso?
Comentário deixado em 05/18/2020
Marvella Gaudier

Tommy Stubbins tem dez anos e pai de sapateiro. Ele mora em Puddleby, na Inglaterra. Um dia, ele encontra um esquilo ferido e é enviado ao Dr. Dolittle em busca de ajuda para curá-lo. Quando Tommy conhece o médico, ele descobre que pode conversar com animais. Tommy convence o Dr. Dolittle a contratá-lo como aprendiz e logo Stubbins também pode conversar com alguns dos animais. O médico está tentando aprender a língua dos mariscos, porque são algumas das criaturas mais antigas vivas. Os dois amigos e um príncipe africano partiram para encontrar Long Arrow, um naturalista que pode ajudá-los a encontrar um caracol gigante. No processo, eles salvam Long Arrow e seu povo, o médico é nomeado rei e eles passam anos em uma ilha flutuante.
Vi o filme antigo Dr. Dolittle e achei que este livro não seria tão bom. Fiquei surpreso por ter gostado muito dessa história. Não era algo que eu odiava largar, mas era bem divertido e bem escrito. Algumas das ciências mencionadas estão um pouco desatualizadas, mas no geral eu achei a história excelente.
Comentário deixado em 05/18/2020
Belier Paz

Meus filhos gostaram disso como uma leitura em voz alta, na maior parte. Essa é a única razão pela qual ela recebe duas estrelas, porque eu estava superando isso quando chegamos ao fim.

Antes de tudo, lemos uma edição mais antiga da biblioteca que tinha MUITO material racista que eu precisava editar rapidamente. Tenho certeza de que isso não seria um problema com uma versão mais recente e resumida.

Segundo, foi bastante desconexo. Só para dar um exemplo, POR QUE Lucas, o Eremita, estava aqui?

Terceiro, cansei-me de toda a conversa sobre como o Doutor era incrível o tempo todo. Ficou um pouco ridículo e pregador. O objetivo da ação era muitas vezes exibir a virtude do médico, o que não era verdade no primeiro livro. E seu personagem não foi o único que sofreu: a Polinésia não foi nada além de mal-humorada e malvada. Mal-humorado faz parte de sua personagem, com certeza; mas era o ÚNICO aspecto de sua personalidade neste livro, e não havia motivo para gostar dela. Passarinho velho.

Gostei muito do primeiro livro com meus filhos; triste que este não foi tão bom.
Comentário deixado em 05/18/2020
Malvina Eutsey

Cuuute. É ridículo e absurdo, e todos os adjetivos nessa área. O ritmo foi rápido, e novos "oh queridos!" continuou se desenvolvendo. Penso que continuará a ser um livro que as crianças gostariam e deveriam gostar.
No entanto ... quando cheguei ao final, percebi que estava lendo uma versão editada. Fiquei com a impressão de que sou contra a censura de livros, mas depois de ler o original, prefiro a edição atualizada. As mudanças feitas foram relativamente sutis e não causam grande impacto no enredo. No entanto, certamente olhei mais negativamente para o Dr. Dolittle por chamar as palavras depreciativas do pessoal de Bumpo nos primeiros capítulos, e não gostei de como a Polinésia o tratava com altivez. Isso causa uma impressão de personagem muito diferente ao remover algumas palavras aqui e ali, surpreendentemente.
Eu mantenho minha revisão com a ressalva de que as pessoas mantêm a versão atualizada, embora isso pareça um pouco estranho para mim.
Comentário deixado em 05/18/2020
Christie Dettman

Gostei muito de ler "As viagens do Dr. Dolittle", a sequência de "A história do Dr. Dolittle". Não li "A história do Dr. Dolittle", mas acredito que não precisava. Em "The Voyages" (para abreviar), Hugh Lofting escreveu para que fosse a primeira aparição do Dr. Dolittle em um livro.
Este livro foi muito bem escrito e eu gostei de lê-lo, embora tenha sido escrito no início dos anos 1900 e baseado no século XIX. Hugh Lofting claramente tinha uma grande imaginação e também era um grande autor. Enquanto o personagem principal era um "jovem rapaz Tommy Stubbins", o foco principal parecia apontar para o Dr. Dolittle, e como ele pode FALAR COM ANIMAIS. Como eu fazia quando estava lendo o livro, me pego pensando se poderia falar com animais ou se poderia me juntar a Tommy e Dr. Dolittle. Hugh Lofting fez um excelente trabalho ao chamar a atenção dos leitores desde cedo, e por isso vou sugerir este livro para qualquer pessoa, não apenas para os leitores que gostam de animais.
Comentário deixado em 05/18/2020
Dulsea Bries

De longe, este livro e realmente a série Doctor Dolittle fizeram mais para cativar, excitar e engajar minha imaginação do que qualquer outro livro que eu lembro de ler quando menina. Ainda me imagino cavalgando pelo fundo do oceano na concha clara de um caracol do mar - observando o mar em toda a sua beleza ...

Em retrospecto, aprecio a compaixão que o livro incentivou as crianças a ter pelos animais e pelo ambiente - quase me fez vegetariano (quase).

E, finalmente, os filmes de Eddie Murphy são uma abominação para o nome desta série e, além da capacidade do médico de conversar com animais, nada tem a ver com essa maravilhosa série.

Esta é uma excelente opção se você estiver olhando para ler um livro em voz alta para os mais pequenos da sua vida.
Comentário deixado em 05/18/2020
Rehm Laundree

De longe, uma das minhas séries favoritas quando eu era jovem, os livros do Doutor Dolittle não se sustentam tão bem com o tempo. Estamos mais conscientes do racismo implícito nas caracterizações de africanos e indianos da América do Sul neste livro, e a tentativa de simplificar os livros para torná-los mais palatáveis ​​à atmosfera inclusiva de hoje não obtém completamente sucesso em seus próprios propósitos e prejudicam o romance. um todo. Mas o pior, enquanto a idéia central da série, de um homem que pode conversar com animais, permanece intrigante, nesse caso em particular, pelo menos, a execução parece um pouco chata, muito lenta para chegar à ação real. Também há um pouco de desvio de direção no título - as prometidas "Viagens" acabam sendo apenas uma viagem.
Comentário deixado em 05/18/2020
Napier Crellin

As crianças adoraram esse, mas eu pensei que estava tudo bem. Tem uma vibração muito Pippi das Meias Altas, mas não tão boa. Gostei muito da primeira metade do que da última, quando ele viajou. Gostei muito que os capítulos fossem tão curtos, o que significava que estava disposto a ler um ou dois capítulos todas as noites, em oposição a outros que lemos recentemente (olhando para você, Greenglass House), que exigia um bom compromisso de 30 a 40 minutos, o que não acontecia na maioria das noites escolares.

Deixe um comentário para As viagens do doutor Dolittle