Casa > Clássicos > Ficção > Literatura > Nosso amigo em comum Reveja

Nosso amigo em comum

Our Mutual Friend
Por Charles Dickens
Avaliações: 27 | Classificação geral: Boa
Excelente
15
Boa
9
Média
2
Mau
0
Horrível
1
Uma obra-prima satírica sobre o fascínio e o perigo do dinheiro, Our Mutual Friend gira em torno da herança de uma pilha de poeira onde os ricos jogam o lixo. Quando o corpo de John Harmon, o esperado herdeiro dos montes de poeira, é encontrado no Tamisa, a sorte muda de mãos surpreendentemente, elevando-se a novos patamares, Noddy Boffin, um funcionário baixo, mas gentil que se torna o Dustman Dourado.

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Libbey Duenes


Embora não seja exatamente o mesmo daqueles grandes trabalhos tardios Bleak House e Little Dorrit, este último romance completo de Charles Dickens tem muito a recomendá-lo. É particularmente memorável por seu simbolismo, pela maneira como usa uma série de "montes de poeira" (enormes pilhas heterogêneas de lixo, principalmente de cinzas e cinzas, esperando serem recicladas como tijolos) pertencentes ao "Dustman Dourado" para representar grandes fortunas , sua estéril e avareza, e seus efeitos nocivos em uma sociedade cada vez mais louca por dinheiro.

Ele também contém - como todos os Dickens - uma série de cenas vívidas e personagens memoráveis: vislumbres angustiantes da vida noturna à beira-rio contrastada com maravilhosas cenas em quadrinhos de nouveau riche exibição, um par particularmente cruel de trapaceiros casados, um jovem advogado e dândi ambíguo que acaba sendo algo como um herói e (talvez um pedido de desculpas tardio por Fagin) um agiota goy mau que usa um judeu gentil como fachada.

Uma das razões pelas quais esse romance ganhou popularidade durante o século passado é que ele é o mais próximo que Dickens chega de uma meta-ficção. A leitura e as interpretações de vários textos - exemplificadas pela leitura oral de Silas Wegg de Gibbon Declínio e queda para o analfabeto Noddy Boffin, e suas discussões subseqüentes - é uma metáfora importante aqui.
Comentário deixado em 05/18/2020
Philo Dollyhigh

Eu ouvi isso pela primeira vez em áudio. E eu sei!!! Não devo fazer isso com os livros da primeira vez, porque não consigo compreender o áudio na primeira leitura. Eu já tenho o livro na minha lista de desejos da Amazon.

Mas! Eu não conseguia parar de ouvi-lo porque o medidor (Simon Vance) era incrível! Sua voz era perfeita para o livro. Também tenho na minha lista de desejos audível? Ele recebe todas as estrelas.

Agora, espero que minha releitura traga isso até 5 estrelas quando eu puder usar meu cérebro!

Apenas mais um livro que eu nunca teria lido se não fosse por Goodreads, amigos e desafios!

Mel ❤️

Comentário deixado em 05/18/2020
Diana Guitto

Bem, bem, bem, meus queridos Dickens!

Está na hora da minha carta de Natal para você, que eu imponho ao seu espírito impotente como um Marley não tão morto quanto um rabo de cavalo, por favor?

Sem surpresa, mostro minha inconsistência consistente dizendo ao meu filho que este é meu Dickens favorito. Ainda me preocupo em justificar minha escolha, suspeitando que ela será substituída no momento em que eu assuma Little Dorrit ou The Pickwick Papers?

Sim, eu me importo em elaborar. Por um lado, eu aprendi com Dickens e líderes mundiais contemporâneos que você deve declarar seus casos mais tristes como verdades absolutas e permanecer calmo se seus amigos descobrirem avaliações "antigas", também conhecidas como "falsas", que dizem exatamente o oposto do seu atual. opinião. Apenas tenha paciência comigo, desde que Nosso Amigo Mútuo seja o meu eterno favorito.

Por que, então, repete a semelhança de Marley, mas não tão morta?

Porque:

Vemos uma peça na peça, na qual um Buffon interpreta Scrooge com mais convicção do que o próprio Scrooge jamais pôde, e com um resultado visível na mudança de coração em uma pequena alma mercenária perdida. Aplausos de pé, Boffin - eu estava tão brava com você, que teria estrangulado você no palco!

Porque:

Há uma mensagem social embutida na história, falando por aqueles que são sistematicamente maltratados pela chamada Voz da Sociedade (oh, aquele mal coaxar - ninguém o imita tão bem quanto Dickens!). Se seu coração não sente o triste monólogo de Riah, descrevendo a realidade anti-semita de sua vida, ou a turbulência interna auto-examinadora de Bella, que percebe que ela não está à venda, então eu não sei ...

Se você não rir em voz alta do The Chase ou roer as unhas durante o (s) assassinato (s) (pois há vários por onde escolher, mesmo que muito poucos sejam realmente fatais) ou durante a aparição de The Will (s) ) (pois existem vários, embora nenhum deles seja seguido adequadamente pelos personagens obstinados e obstinados), então eu não sei ...

Se você não se apaixona impotente pelos personagens menores notoriamente adoráveis ​​de Dickens, como Miss Wren e Mr Sloppy, ou mesmo THE VENEERINGS (não falamos sobre os Lammles depois de seu grande sucesso!), Então eu não conhecer...

A única coisa que separa a magnífica narrativa de Dickens da vida real é seu hábito reconfortante de açoitar os vilões e enfiar os heróis no final! Você pode confiar nisso - é uma tradição!

E me deixa ao ponto por que acho tão gratificante ler Dickens em dezembro: se você passa um mês, quase 800 páginas cheias, com o Sr. Fledgeby, e você sente que ele se parece com todos aqueles verdadeiros hipócritas odiosos que encenando a sociedade como um violino enquanto desfruta de sua própria misoginia, anti-semitismo e poder maligno geral, você se entrega à justiça poética de seu tratamento no final - como uma queda metafórica para todos aqueles que se destacam na vilania, ou Weggery, e não terra em um monte de lixo por si mesmos.

Assim, o mesmo procedimento que todos os anos, meu caro Dickens, agradeço gentilmente pela esplêndida empresa. Lágrimas foram derramadas, principalmente por causa do riso, e o coração às vezes parecia apertado, principalmente por compaixão e raiva, e o que mais posso esperar de um livro?

Nada, meu querido amigo, e eu permaneço seu 'humilde (não competindo com Urias, é claro!)

O leitor afetuoso
Comentário deixado em 05/18/2020
Godwin Bruckmeier

Nosso amigo em comum (em dois volumes), Charles Dickens
Our Mutual Friend, escrito nos anos de 1864 a 65, é o último romance concluído por Charles Dickens e é um de seus trabalhos mais sofisticados, combinando sátira selvagem com análise social. Nos capítulos iniciais, um corpo é encontrado no Tamisa e identificado como o de John Harmon, um jovem que retornou recentemente a Londres para receber sua herança. Se ele estivesse vivo, a vontade de seu pai exigiria que ele se casasse com Bella Wilfer, uma linda garota mercenária que ele nunca conhecera.

Data do documento: پانزدهم ماه ژوئن سال 1992 میلادی
عنوان: دوست مشترک ما - دورۀ دوجلدی; نویسنده: چارلز دیکنز; مترجم: عبدالحسین شریفیان; تهران, نگاه, 1369; در دو جلد, 1031 ص; چاپ جلد دوم 1370; موضوع: داستانهای نویسندگان بریتانیایی - سده 19 م

داستان کتاب درباره زندگی مرد جوانی به نام «جان هارمون» است که به تازگی از سفری دور به لندن بازگشته, تا ارثیه کلانی که از سوی پدرش برای او به جا مانده را تصاحب کند. در این میان تنهادو مشکل هست: یکینپه پدرش شرط برخورداری از ارثیه را ازدواج او با دخترب به نامالر پرا »پ ه ، ، ، ی ، ، ، ، ، ، ، ، ، ، ،ه و دیگری اینکه خبر مرگ «جان هارمون» زودتر از خودش به لندن میرسد. جسد فردی که لباسهای او را به سرقت برده در رودخانه «تیمز» دد میشود ، و هویت وی را به اشتباههمناشردالهرات بدالهرات بالهرات بالهرات بالهرات بالهرات بارات بارات بارات Clique aqui para ler mais. و به این ترتیب فرصت ویژه ای در اختیار «جان» قرار میگیرد, تا بی آنکه شناسایی شود, با «بلا ویلفر», و وارثان پدرش از نزدیک آشنا شده, و اثر مرگ خود را بر زندگی دیگران بسنجد. به راستی هم این مرگ, و رسیدن پول هنگفت به خانواده «بافین», سرنوشت افراد زیادی را تحت تاثیر قرار میدهد و ماجراهای بسیاری را در گوشه و کنار شهر لندن سبب میشود ...; ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Blackwell Lampley

Ao completar Nosso amigo em comum, Acredito que posso ter acabado de ler o melhor livro escrito no idioma inglês. Alguém poderia argumentar que a prosa de Austen em seu romance Emma é mais perfeito; mas a trama e os personagens de Dickens em Nosso amigo em comum é requintado. Nosso amigo em comum rivaliza com Tolstoi Guerra e Paz em amplitude, escopo, escala e número de caracteres; mas enquanto Guerra e Paz avança majestosamente de maneira linear; Nosso amigo em comum, como o "Circumlocution Office" de Dickens (Little Dorrit) prossegue em forma de circuito, balançando e tecendo, expondo seus mistérios e delícias, um por um, como descascar as camadas de uma cebola.

In Nosso amigo em comum, Dickens mergulha as profundezas escuras e profundas da alma da humanidade com a criação e ações de alguns dos vilões mais horríveis da ficção. Ao mesmo tempo, Dickens equilibra a escuridão e a depravação do romance à medida que nos encontramos e nos apaixonamos por alguns dos santos e almas mais gentis, nobres e de boa índole que já enfeitaram as páginas de seus romances. Não se pode deixar de ficar completamente encantado com a pequena Jenny Wren (“minhas costas estão ruins e minhas pernas estão esquisitas”), e as lindas Bella Wilfur e Lizzie Hexam e a gentil Betty Higdon. É preciso admirar e respeitar a firmeza e a natureza resoluta de John Rokesmith, Eugene Wrayburn e Mortimer Lightwood. Não se pode deixar de rir e sorrir diante da bondade cômica de Nosso amigo em comum santos: os Boffins, Sr. Twemlow, Wilfur "Rumty" e Sr. Riah. Depois, há a multidão na ambiguidade cinzenta entre claro e escuro; os folheados e os de "Podsnappery" como os Lammles. Mas é o mal grotesco dos vilões do romance que faz os bons personagens brilharem tanto. Há "Weggery", uma dose horrível de "Fascination" Fledgeby, tudo horrivelmente misturado com "Rogue" Riderhood e o próprio Príncipe Negro - Bradley Headstone.

Da caneta de Dickens, Nosso amigo em comum cai sobre as páginas impressas como pinceladas na tela da maior pintura de um velho mestre. Nosso amigo em comum descreve o frescor e a crueza das emoções humanas em todas as suas formas correspondentes, incluindo: alegria e felicidade, dor e tristeza, raiva e ódio e amor e ternura. Como olhar muito de perto uma pintura de Hieronymous Bosch, temos um fascínio quase macabro ao seguirmos os personagens do romance através dos estágios da vida - vida, morte, renascimento e até ressurreição. Os papéis e responsabilidades principais também são trocados; com os filhos "educando" os pais, os desfavorecidos ajudando os mais favorecidos e os pobres enriquecendo os ricos.

In Nosso amigo em comum as coisas nunca são como parecem ou deveriam ser. Em alguns níveis, Nosso amigo em comum é o romance ou mistério de detetive por excelência; mas é realmente mais uma série de mistérios aninhados dentro de um mistério maior. O leitor deve prestar muita atenção aos mínimos detalhes, pois tudo realmente se reúne na marcha para a grande e mais satisfatória conclusão. No entanto, apesar de tudo, há um tema abrangente e unificador, um fio que liga todos - o rio Tamisa. O Tamisa é a fonte da vida, da morte, do renascimento e até da ressurreição; infecta e purifica; é a fonte da depravação, horror, esperança e prosperidade. O rio está sempre lá, avançando incansavelmente, carregando o flotsam e o jetsam, e as esperanças e desejos dos personagens do romance e até dos do leitor. Tudo o que posso dizer, ao virar a última página com um suspiro, é que este é um romance para as idades; e um que eu visitarei e revisitarei; partindo novamente em meu pequeno barco no rio de Nosso amigo em comum.
Comentário deixado em 05/18/2020
Fonsie Clarey



Alguém familiarizado com LOST entende de onde eu venho, mas caso você esteja preso debaixo de uma pedra e nunca tenha assistido ao programa (olhando para você, Josiah) acima queque a imagem é o personagem, Desmond Hume. Nosso Amigo Mútuo está associado a ele no programa - é o livro que ele afirma que vai ler antes de morrer e descobrimos mais tarde que ele nomeou seu barco - espere por ele - Nosso Amigo Mútuo.

Com isso dito, essa conexão com LOST é absolutamente não a razão pela qual eu decidi ler este livro. Pelo menos não é o inteiro razão. Na verdade, eu pretendo ler alguns Dickens há um tempo e acho que esse é um bom lugar para começar de novo. É também o último romance completo de Dickens, que, de alguma maneira mórbida, me atraiu quando decidi pegá-lo. Então lá estamos nós. (Não machucou isso sex-pot Desmond Hume também brincou com ele, o que eu tenho certeza que tem um significado mais profundo do que eu sou capaz de compreender agora.)



Com todas as referências a Lost, Our Mutual Friend foi fantástico. Eu não quero ouvir as lágrimas de ninguém (olhando para você, Rhonda) sobre como Dickens é chato, e OMG, ele escreve para paaaaages sem realmente dizer nada ... Todos vocês estão errados (respeitosamente). Ah, claro, entendi. Há muitas palavras e muitas páginas e, com certeza, parece que ele não está realmente chegando a lugar algum, mas esse é o seu gênio. E, bem, eu gosto de grandes livros e não posso mentir.

Esse é o Dickens mais sombrio que eu li até agora, e me pergunto o quanto isso tem a ver com o fato de ele ser mais velho quando o escreveu (já na casa dos 50 anos), provavelmente estava gastando muito tempo contemplando sua vida e o fato de ele nunca ter conseguido o carro esportivo que sempre desejou tinha uma fístula anorretal (ahem, um tipo diferente das fístulas com as quais lidamos, Rhonda), e assim por diante. Ele provavelmente era apenas um velho traficante naquele momento. Tenho certeza que ele teve que lidar com muitas pessoas dizendo o tempo todo: "Por que você não pode escrever uma boa história sobre o doce Oliver Twist novamente? Ele era tão querido". Tem que haver muita pressão. É como Arthur Conan Doyle não ser capaz de parar de escrever sobre Sherlock Holmes. Ou JK Rowling não ser capaz de parar de escrever sobre aquele irritante Harry Potter.

Portanto, este livro é mais sombrio, mas também é sobre dinheiro. Ao contrário de outros livros que tratam amplamente da falta de dinheiro, este livro realmente se concentra nas pessoas com dinheiro. Isso leva a uma dinâmica diferente dos seus outros livros.

Existem muitos personagens efêmeros, mas todos são personagens muito bem escritos. (Nota: a Wikipedia faz referência a 19 personagens principais e 16 personagens secundários.) Jenny Wren é provavelmente os personagens mais fascinantes da história literária, por exemplo, mas eu provavelmente poderia tagarelar sobre todo mundo também. Pelo visto Henry James teve um problema com os personagens não serem realistas ou algo assim. Seja como for, Hank, chupe. Ninguém se importa com o que você pensa e está com ciúmes.

A única reclamação real que tenho é o pai de Bella, que é referido como "querubim" várias vezes em várias páginas. O livro tem quase 1,000 páginas. São muitas palavras. Isso mostra que Dickens era um especialista em palavras. Um muito bom nisso. Você não conseguiu encontrar outra coisa além de "querubim", Chuck? Alguém comprou um dicionário de sinônimos para esse homem!

O posfácio da minha edição foi ótimo e realmente tocou nos problemas que as pessoas têm com o livro, como o bom e velho Hank James lá em cima, chamando os personagens de irreais e de merda. Isso foi intencional. A coisa toda é intencional. Do começo ao fim, Dickens sabia o que estava fazendo e tudo significa alguma coisa e ... OMG Assim como os criadores de LOST!

Mas o ponto principal é - e essa resenha certamente não faz justiça ao livro - Nosso Amigo Mútuo provavelmente se classifica como meu Dickens favorito, que anteriormente era, não sei, Grandes Expectativas ou alguma coisa. Minha desculpa é simplesmente que eu não conhecia melhor. E Seu Yumminess Desmond Hume nem estava preso naquela ilha quando li Great Expectations pela primeira vez.

Comentário deixado em 05/18/2020
Batruk Rukhar

Charles Dickens é um dos meus autores favoritos e li vários livros dele. E até agora, David Copperfield tornou-se o meu favorito. Mas nenhum dos trabalhos de Dickens chegou aos cinco primeiros até agora. Eu digo até agora, por Nosso amigo em comum compensa fortemente a exclusão.

Este é o último trabalho completo de Dickens e li que esse trabalho é muito criticado por ser "menos dickensiano". Provavelmente há verdade nisso, pois, embora tematicamente confie nos comentários sociais e preserve sua inteligência, sátira e senso crítico, Dickens partiu de sua zona confortável e estabelecida para um nível amadurecido, completo e elevado. Embora possa não apelar para aqueles que preferiram o estilo "dickensiano" estabelecido, da minha parte, achei realmente incrível e fascinante. É realmente uma pena que Dickens não tenha completado mais trabalhos depois disso, pois eu amei essa nova mudança em Dickens e adoraria ver seu progresso.

O dinheiro desempenha um papel importante Nosso amigo em comum portanto, pode-se dizer facilmente que esse é o tema principal. Um homem finge sua própria morte para evitar uma herança montada em uma noiva e a noiva, decepcionada, procura outro jogo de dinheiro. Depois, há um candidato a fortuna e um aventureiro cuja decepção um do outro os une em casamento apenas para aprender sua própria decepção. No entanto, juntos, eles se unem e planejam (sem muito sucesso) para avançar em sua posição financeira. Depois, há também o emprestador de dinheiro cristão ganancioso e corrupto, que se esconde no casaco de um judeu gentil e que ele representa para o mundo como sendo o principal, enquanto na realidade ele é seu empregado.

O amor é igualmente um tema forte aqui. Não estando satisfeito em criar uma história de amor para expor sobre o tema, Dickens tece duas belas e diferentes histórias de amor. Eu disse que eles são diferentes, pois enquanto em um a influência masculina realiza milagres para resgatar e elevar moralmente seu amor, na outra, a influência feminina realiza um milagre semelhante para salvar e elevar moralmente seu amor de querer saber sem rumo. Para ser sincero e honesto, esse tema foi o que me anexou diretamente ao livro. As histórias em si, juntamente com a escrita apaixonada, emocional e sentimental, traz duas histórias de amor clássicas deliciosas e, sem dúvida, as melhores de Dickens que li até agora. E para aumentar o fascínio, Dickens usa um vilão ciumento e maníaco que quase transformaria uma história de amor em tragédia.

Diferença de classe é outro tema importante. Dickens expôs esse tema através de uma das histórias de amor. O amor e a admiração de um advogado por uma garota da classe trabalhadora são controlados pela diferença em seu status social. E quando, independentemente desse obstáculo, sua união é finalmente feita, Dickens expressa a "voz da sociedade" e seu desejo de votar em condenação.

Dickens também aborda a identidade equivocada, um pouco sobre o mistério e a discriminação (tratamento de Feldgeby com Riah), tornando o romance tematicamente rico.

O comentário social é uma característica fixa de todo o trabalho de Dickens, e não há exceção aqui. Usando uma variedade maior de caracteres, Dickens trabalha com a hipocrisia da classe alta, o engano da classe baixa e a salvação da classe média. Dickens viu e acreditou que o futuro da Inglaterra estava nas mãos da crescente classe média. O casamento de Eugene com Lizzie, apesar da classe baixa e da decisão de John Harmon de usar sua nova riqueza para o benefício daqueles infelizes, mas merecedores, homens coloca fé na classe média para elevar a Inglaterra social e economicamente.

E todos esses temas são expostos e tramas envolventes são criadas com o uso de um conjunto de caracteres extremamente interessantes. Aqui também, Dickens está em novidade ao introduzir mais de um herói e heroína. E, curiosamente, há mais de um vilão também. Quase todos os personagens são interessantes à sua maneira. Mas meu interesse foi muito cativado por uma heroína (Lizzie Hexam) e um vilão (Bradley Headstone).

Os escritos de Dickens aqui são absolutamente lindos. É rico, fascinante, dramático e completo. Fiquei totalmente impressionado com a habilidade de escrever de Dickens, pois neste trabalho a maior parte de sua sátira ele alcançou figurativamente. É absolutamente incrível.

Nosso amigo em comum é sem dúvida o melhor dos Dickens que li até agora. E apesar de ter lido apenas metade de seu trabalho, duvido que o lugar que esse trabalho ocupou em meu coração possa ser substituído por outro. David Copperfield era o meu mais amado até agora, mas não mais. Estou realmente feliz que Dickens tenha produzido um trabalho tão bom, embora sua jornada literária tenha sido cortada antes que sua mente elevada e a escrita pudessem produzir outro trabalho concluído. No entanto, por produzir este belo trabalho que eu adoraria pelo resto da minha vida, sou eternamente grato a ele.
Comentário deixado em 05/18/2020
Mathias Teuscher

Dinheiro. Lucre imundo. O amor ao dinheiro pode ser a raiz de todo mal, mas o dinheiro, quer você goste ou não que Dickens nos diz, também é Nosso amigo em comum.

Nada perde o olho penetrante e penetrante de Dickens. Neste romance final concluído, ele é mais astuto, mais amargo e mais brilhantemente sardônico. Não temos mais o tom de postura e hectoring dos romances anteriores, mas um estilo de escrita muito mais sutil. Dickens aprimorou suas habilidades com perfeição, usando seu sarcasmo e inteligência para entreter-se nas situações mais sombrias e tecendo uma narrativa complexa de histórias interligadas nas quais o desenlace é quase perfeito.

Dinheiro. Ganância e avareza. Astúcia e artifício. Duplicidade e decepção. Todas essas e muitas outras maneiras de adquirir essa mercadoria desejável estão aqui. Dickens tece suas palavras para nos contar essa verdade e, como sempre, aprendemos isso através de seu retrato de personagens irresistíveis. Com um floreio da caneta, ele começa ...

Vemos Jesse "Gaffer" Hexam, um "Ave de rapina", arrastando o rio Tamisa, sujo e fétido, na calada da noite. O que ele pode estar procurando através de todo esse lodo e gosma, através do “Escória acumulada da humanidade ... lavada de terrenos mais altos, como tantos esgotos morais”? Gaffer Hexam está procurando por corpos mortos e em decomposição; para aqueles pobres afogados infelizes dos quais ele agora pode tirar qualquer coisa de qualquer valor, antes de entregar o corpo às autoridades competentes. De qualquer maneira, uma profissão de arrepiar os cabelos e que aterroriza sua filha Lizzie, que rema no barco para ele. Assim, o romance se abre, definindo o tom com uma imagem difícil de esquecer.

Do mais baixo ao mais baixo, passamos para uma imagem muito diferente: o cintilante pináculo da sociedade. Estamos presentes em um elegante jantar oferecido por dois de seus membros mais recentes, os Folheados, que têm tudo "Farelo novo". Esses parvenus superficiais estão destinados a impressionar a todos: Nicodemos e Henrietta Boffin, a Reverenda e a Sra. Milvey, os Podsnaps et al. Aqui está o senhor John Podsnap satisfeito: "O Sr. Podsnap foi bom em fazer e ficou muito alto na opinião do Sr. Podsnap". Acredita-se que ele seja baseado no amigo e biógrafo de Dickens, John Forster. Como Podsnap é complacente, pomposo e cheio de fanfarronice, apesar de sua "Boa mulher" de esposa, espera-se que Forster nunca acreditei nisso: ele certamente nunca o reconheceu. Lady Tippins lidera esse grupo distinto. O Sr. e a Sra. Folheado ostentam conscientemente seu bom gosto, sua riqueza e sua posição. Eles são realmente bem nomeados; o próprio modo de vida deles é uma fachada.

O gênio de Dickens é tal que ele abrange exemplos de todos os aspectos da sociedade. Esses dois exemplos demonstram suas observações perspicazes dos mais básicos aos mais respeitados do país. Ele também nos mostra muitas paradas no meio. Há Silas Wegg, se entregando a pequenas fraudes, mas também fantasiando sobre os esquemas ultrajantes que ele deve realizar, embora quando o encontremos, ele tenha apenas uma pequena barraca de rua e seu conteúdo escasso. Dickens também nos apresenta trapaceiros comuns, como Roger “Rogue” Riderhood, outro personagem sagaz que automaticamente transforma todas as situações em seu proveito. Ou o agiota ganancioso e corrupto, "Fascinação" Fledgeby: “A pior média existente, com um único par de pernas”. Ele é um dos vilões mais improváveis ​​desde Christopher Casby, o proprietário de "Bleeding Heart Yard" em Little Dorrit, mostrando externamente uma maneira fácil e gentil, mas nos bastidores fazendo com que alguém fizesse seu trabalho sujo. Todo bon mot perfeito da caneta de Dickens é garantido, enquanto rastreamos o trabalho desonesto da mente desses bandidos, e cada passo em direção à sua degradação moral e às vezes literal. Somos dominados pelas maquinações e trabalhos de suas tramas e os seguimos com horror crescente.

E também nos deliciamos com algumas das passagens mais engraçadas dos romances de Dickens, descrevendo os aristocratas altos e poderosos, e os da periferia, como o bastante confuso, mas bem-intencionado e gentil Melvin Twemlow, com seus cabelos "ovais": "Permitir que seus cabelos fiquem na vertical", que é cultivado por sua conexão com lorde Snigsworth. Os fraudadores mais hilariantes de todos os seus escritos, certamente, são dois escaladores sociais: a classe média contra artistas Alfred e Sophronia Lammle. Cada um deste casal mais charmoso (ver spoiler)[casou-se com o outro na crença equivocada de que eram ricos (ocultar spoiler)]. Um casal tão traiçoeiro; merecendo um ao outro! Há muitas brincadeiras por toda parte, e muitas tentativas de subir a escada social e de adquirir dinheiro e status, não importa quem possa ser punido e sofrer como resultado. É um negócio sujo, com certeza.

Às vezes, a sujeira se torna literal e não é mais uma mera metáfora. A imagem central do romance, em torno da qual todos esses personagens deliciosos realizam suas danças grotescas, é a de três imensas dustheaps, ou o que chamaríamos de dicas de lixo. Eles são a fonte de grande parte da tão procurada riqueza.

Aquisição e avareza, em seguida, e o desejo por dinheiro, está aqui em todas as suas formas e é um tema constante através deste romance complexo. O ponto principal da história é o Tártaro antigo Herança de Julius Harmon, que ele legou a um John Harmon. Mas John Harmon foi identificado como afogado no rio. Para complicar as coisas, tinha sido uma condição da herança que John Harmon se casasse com Bella Wilfer, a quem ele nunca conhecera. A história gira em torno de muitas pessoas que arrancam dinheiro e que cada uma acredita que a herança deve ser deles.

Não só é Nosso amigo em comum preocupado com as várias maneiras nefastas de adquirir esse dinheiro sujo, mas também com sujeira, sujeira, decomposição e poeira. Tudo chega ao pó, no final. Um personagem procura incessantemente por uma das coberturas noturnas com uma lâmpada, na esperança secreta de encontrar papelada relacionada à herança. O rio Tamisa constantemente vomita seus tesouros decadentes - e recebe o mesmo. Corpos e morte. Outra imagem permanente é do parasita social Silas Wegg, com sua perna de madeira, fazendo amizade com um taxidermista, Venus, que tem montes de partes do corpo e criaturas empalhadas em sua loja mal iluminada. Silas Wegg está tentando rastrear a perna que ele amputou, a fim de contemplá-la, enquanto ele trama e planeja desonestamente seus planos diabólicos.

Charles Dickens sempre se interessara pelo mórbido e pelo macabro. Muito do seu humor mais sombrio se passa nos cemitérios, e sua ficção é repleta de cenas assustadoras de fantasmas e espíritos. A maioria dos caracteres em Nosso amigo em comum ganhar a vida no mundo a partir de sobras e rejeições humanas; mesmo para os próprios corpos. Dickens era um bom amigo de Edgar Allan Poe, e em Nosso amigo em comum pode-se ver como os dois poderiam sustentar essa amizade. No entanto, há uma mudança decidida na ênfase. Neste 14º romance, há poucos traços da frivolidade juvenil que caracterizou seus primeiros trabalhos. Longe está a exuberância e entusiasmo pela vida. O que poderia ter motivado essa mudança? É, talvez, "o Inimitável" começando a ter um senso de sua própria mortalidade?

Nosso amigo em comum, embora muito longo, é muito bem plotado em 4 "livros", intitulados: “A Taça e o Lábio”, “Aves da Pena”, “Uma Longa Pista” e "Uma virada". Dickens estava cheio de dúvidas, que ele confidenciou a seu amigo John Forster. Seu ritmo de escrita estava diminuindo e ele estava começando a se sentir mal. Ele reverteu para apenas 19 parcelas mensais, entre maio de 1864 e novembro de 1865, com a última sendo de comprimento duplo. E ele permaneceu extremamente preocupado com dinheiro.

O pai de Charles Dickens, John, era um cavalheiro pródigo, que foi preso pela primeira vez por dívidas quando o jovem Charles tinha apenas 12 anos de idade. Ele continuou tendo problemas financeiros ao longo dos anos, tendo que vender todos os seus bens domésticos para pagar cobradores de dívidas e passar outros períodos na prisão de Marshalsea. Como consequência, Charles Dickens foi forçado a tomar consciência da importância do dinheiro desde muito cedo. Ele chamou o pai: "Um oportunista jovial sem senso de dinheiro". Ao longo de sua vida adulta, Charles Dickens teve que sustentar seus pais em seus hábitos extravagantes, além de sua própria casa, sua esposa e seus muitos filhos. Ele também apoiou sua amante, Nelly Ternan, e sua mãe por vários anos. Ele continuava tendo dificuldades com questões de direitos autorais de seus romances, pois havia muitas cópias piratas de seus livros. Ele teve que financiar suas próprias publicações, suas próprias produções teatrais, suas próprias turnês mundiais de suas performances de leitura e suas próprias obras de caridade. Seus romances costumam se preocupar com dinheiro, mas talvez não seja surpreendente que, neste último, o dinheiro esteja ainda mais no topo de sua mente. Com a pressão de sua enorme carga de trabalho pesando em sua mente, ele ignorou os avisos de amigos e médicos. Ele estava ainda mais consciente de que o relógio estava correndo? Ele tinha uma vaga vaga de que essa seria sua última chance de criar o romance perfeito?

Os caracteres em Nosso amigo em comum são multifatoriais e complexos. Ainda temos os extremos que amamos: os heróis e os vilões, mas eles são muito mais sutis. Temos estudos detalhados de culpa, horror, obsessão e avareza. Podemos até reconhecer personagens de romances iniciais que são expandidos e desenvolvidos em indivíduos muito mais realistas. O retrato antipático dos judeus de Fagin, que Dickens havia passado a vida inteira arrependendo, é gloriosamente rebuscado e amplificado para o gentil e inteligente Sr. Riah, um dos personagens principais do romance. Bill Sykes, o inconsciente (ver spoiler)[assassino (ocultar spoiler)] de Oliver Twist, fornece a base em Nosso amigo em comum por uma das descrições mais convincentes que eu já li, de um personagem governado por suas paixões, Bradley Headstone. Confesso que chorei por esse homem problemático, sujeito como Edward "Monks" Leeford, em Oliver Twist ataques epiléticos; de capacidades limitadas, mas tentando melhorar a si mesmo, mas propenso a humores escuros incontroláveis.

Você não encontrará o filho perfeitamente bom Oliver, com suas maneiras impossivelmente bem faladas aqui, mas encontrará bondade, bondade e muito sacrifício. Um casal delicioso são os Boffins. Noddy “O Dustman dourado” em particular, tem muitas camadas para sua personalidade. Talvez eles sejam o produto final aperfeiçoado dos irmãos Cheeryble de Dickens, de Nicholas Nickleby, baseados em um par real de irmãos que eram benfeitores.

Também esqueça as fêmeas dóceis ou unidimensionais das primeiras histórias. Little Nell é sempre trabalhador e bom, talvez quase perfeito demais, como é Kate Nickleby. Até Dora Copperfield permanece bonita e sem noção, mas principalmente nesses romances do meio, Dickens começa a explorar mais. Mercy Pecksniff, uma jovem mimada em Martin Chuzzlewit, ganha sabedoria através de sua experiência e tem uma pitada de arrependimento até o final. Em Nosso amigo em comum a sirigaita mercenária, a jovem Bella Wilfer, é um desenvolvimento completo da Mercy - ou talvez até Estelle, de "Grandes Expectativas" (uma personagem que talvez seja baseada na vida real Nelly Ternan). Ela não continua sendo a desdenhosa personagem mimada, sacudindo a cabeça e anunciando: "Eu sou tão mercenário" totalmente focado em "Dinheiro, dinheiro, dinheiro e o que dinheiro pode ganhar com a vida" como somos apresentados a ela, mas tem uma jornada de transformação. Talvez ela não seja uma heroína verdadeiramente moderna, já que os ideais vitorianos para uma jovem eram muito diferentes dos contemporâneos, e as opiniões de Dickens eram muito decididas. No entanto, Dickens nos apresenta uma história paralela alternativa à de Bella, com Lizzie Hexam.

Lizzie é uma heroína para este século; forte, decidido e inteligente. Desde sua timidez no início, ela desenvolve-se em iniciativa e determinação. Uma peça próxima ao final espelha inteligentemente o episódio de abertura, e nisso ela demonstra grande coragem e mostra suas cores verdadeiras. Não dê ouvidos àqueles que afirmam que as fêmeas de Dickens simperam; que ele não pode escrever mulheres fortes. Pense na senhorita Havisham em "Grandes Expectativas". Pense na mademoiselle Hortense, empregada de Lady Dedlock em Casa desolada, ou do termagrante vingativo e sedento de sangue de uma Tricoteuse, Madame Thérèse Defarge, em "Um conto de duas cidades". Há uma infinidade de outros. Pense também nas boas mulheres fortes, Betsey Trotwood, na tia engenhosa, porém mal-humorada de David Copperfield, ou na nobre e determinada Lizzie Hexam, e na “Criatura áspera e honesta” Betty Higden, outra mulher pobre deste romance que vive com medo de ser enviada para a casa de trabalho, ou mesmo de receber caridade, e faz esforços extraordinários para evitá-la.

É abundantemente claro que as caricaturas de Dickens, que antes eram simples em seus primeiros escritos, se tornam cada vez mais completas à medida que traçamos os romances, e agora são reveladas em cores gloriosas. E ao contrário de muitos romances vitorianos, com um personagem principal claro e apenas alguns de apoio, os personagens de Nosso amigo em comum empurrão e clama por nossa atenção: uma multidão inteira deles. Apenas um punhado deles foi mencionado aqui. Meu favorito pessoal é Jenny Wren, uma diminuta costureira de bonecas cujo nome verdadeiro é Fanny Cleaver. Com seus dedos hábeis, imaginação animada e indústria dedicada, ela ganha a vida, apesar de sua coluna deformada e dificuldades físicas. Ela é inteligente e, com os olhos afiados, é frequentemente a única que vê as coisas como realmente são. Minha teoria é que ela desenvolveu a partir da senhorita Mowcher, a manicure anã, em David Copperfield. Jenny Wren é um farol de luz nessa escuridão sombria, com suas estranhas fantasias e visões de "Milhas de flores"e chamando "Venha e esteja morto". A criação desse personagem permitiu a Dickens incluir muitos paralelos espirituais e alusões a contos de fadas nessas passagens.

A ação está centrada no rio Tamisa e, em particular, na estalagem chamada “Seis carregadores da Irmandade Jolly”, de propriedade de Miss Abbey Potterson, que é um linchador para toda a comunidade ribeirinha. Na verdade, você ainda pode visitar este pub, que agora é chamado "As uvas". Está situado como descrito na doca de Londres; de fato, o romance inteiro gira em torno desse local. Mas existem muitos outros personagens importantes: Mortimer Lightwood e Eugene Wrayburn, um jovem advogado e um jovem advogado, entregando-se a uma réplica brilhante igual à inteligência de Oscar Wilde. A indolência indolente de Eugene Wrayburn poderia vir diretamente da boca de Lord Henry Wotton, de Wilde, em "O retrato de Dorian Gray". Outras pequenas histórias entram e saem; a de Miss Peecher, tão tragicamente apaixonada por outra pessoa que não compartilha seus pensamentos românticos. Ou a do misterioso John Rokesmith. Ou o que da "Sombrio" assistente de Mortimer Lightwood, Young Blight? O que dizer da tímida e inocente Giorgiana Podsnap, ou Charley Hexam, ou Riderhood Agradável "Possuidor do que é coloquialmente chamado de olho giratório" ou George Sampson, antigo amante de Bella e Lavinia ... todos têm suas próprias histórias para contar.

Lemos trechos de grande absurdo, que podem fazer o leitor rir alto de prazer, mas agora nos são apresentados por um mestre de seu ofício. Há o rosto de querubim "Rumty" Wilfer, pai de Bella e Lavinia, e marido sofredor da mãe: uma mulher altiva, descontente e mártir. Ou Sloppy, de inteligência limitada, mas muito disposto a ajudar Betty Higden. Ou os ingênuos e mundanos Boffinses mencionados acima, que estão tão cheios de otimismo em usar sua herança para o bem. As cenas absurdas em que "Noddy" Boffin paga o astuto Silas Wegg para ler para ele, tão ansioso que ele se torne um cavalheiro instruído, são realmente hilariantes para ler. Cada interlúdio cômico é cuidadosamente colocado, de modo que, após sermos totalmente carregados por mistério ou horror, ou por um episódio intrigante de paixão e drama, somos recompensados ​​por uma cena de cameo brincalhão. A estrutura é quase perfeita.

Seu romance anterior Casa desolada também foi um romance complexo com muitos fios entrelaçados. Também nessa, é difícil dizer qual é a história principal, pois as subparcelas ameaçam sobrecarregar o que parece ser seu tema central. Em Nosso amigo em comumDickens levou isso ainda mais longe. É possível ler quase metade do livro e sentir que existem vários romances aqui, como é a tapeçaria apresentada. Pessoalmente, sinto que essa maneira de escrever um romance de foco múltiplo é inovadora. Qual é o tema principal ou o enredo principal? Haverá de fato um principal? Talvez não. Existe mesmo um personagem principal? Em Martin Chuzzlewit descobrimos que o personagem principal não é, afinal, aquele a quem o título se refere, mas seu nome. De uma maneira não diferente, o personagem principal deste romance é obscurecido, um blefe duplo e duplo.

Existem tantos disfarces neste romance. Alguns personagens literalmente se escondem atrás de seus véus, como Lady Tippins. Outros se escondem atrás de uma personalidade assumida ou de um papel assumido. Outros por trás de um nome ou profissão. As crianças podem ser forçadas a assumir o papel de pais. O romance está cheio de máscaras e hipocracias negativas: personagens escondendo sua verdadeira natureza.

Mas todas as vertentes acabam se unindo, e de tal maneira que é essencialmente Dickens. Os bons personagens, em geral, alcançam a felicidade, e os maus recebem suas sobremesas justas. Todos os personagens se movem em torno de suas várias estratégias, mas há muitos casos em que um personagem egoísta tem uma experiência de transformação da vida e conserta seus caminhos da maneira mais satisfatória. Até o título do romance pode ser um disfarce. É dinheiro que é Nosso amigo em comum? Ou é simplesmente, afinal, o personagem referido perto do começo? Ou poderia ser o rio Tamisa, amigo - ou inimigo - para tantos.

Dickens gostava de seus finais felizes e, mesmo em um romance tão sombrio, ele nos sorria. É triste que ele nunca tenha tido um final tão feliz para si mesmo. Na minha opinião, ele era um homem que vivia fora do seu tempo e, por qualquer motivo, vivia uma mentira. Tendo deixado sua esposa Catherine e levado todos, exceto um de seus filhos, ele ainda professava endossar os valores da vida familiar vitoriana, colocando publicamente a culpa em seus ombros inocentes. No entanto, dois terços desse romance, ele mostrou uma coragem notável, no desastre de Stapleford Rail, em 9 de junho de 1865. Charles Dickens estava viajando com Nelly Ternan e sua mãe quando o desastre ocorreu. Ele corajosamente saiu do seu compartimento pela janela e depois se certificou de que os ternanos estavam a salvo. Depois disso, ele cuidou do maior número possível de vítimas, dando-lhes conhaque e água. Alguns deveriam morrer na presença dele.

Somente após a chegada de um trem de emergência para Londres, ele voltou à carruagem para pegar o manuscrito em que estava trabalhando - a próxima parte de Nosso amigo em comum. Que herói! Mas seu filho relatou que ele nunca se recuperou completamente e não viajaria de trem por opção própria. A experiência teve seu preço. Charles Dickens morreria cinco anos depois do acidente.

Uma paixão não reconhecida, a morte provavelmente de uma criança nascida em segredo e o fardo esmagador de anos de trabalho e excesso de trabalho; correndo para manter todas as bolas no ar, fizera de Dickens um homem exausto, talvez destruído pela culpa e pela decepção. É de admirar que seu romance final fique tão amargurado?

Ainda assim, que legado ele deixou para nós. Obrigado, Sr. Charles Dickens. Fico feliz por você, que seu trabalho final foi sua maior obra.
Comentário deixado em 05/18/2020
Foss Colchado

John Harmon é encontrado morto no poluído rio Tâmisa, um de muitos, mas espere um minuto, já que ele é o personagem principal do livro, este seria um romance muito curto (tem 800 páginas!). Não se preocupem, senhoras e senhores, é claro que não são realmente ele, o corpo identificado como John e considerado uma vítima de assassinato era um amigo e Harmon é herdeiro de sua propriedade rica e cruel, mas o avarento que se afastou de seu filho fez uma fortuna. o negócio da poeira (eles fazem tijolos). John teve que se casar com uma mulher que ele não vê desde a infância, Bella Wilfer, a fim de recuperar sua herança quando ele estava legalmente vivo, então ele esperou reivindicar seu direito de primogenitura com impaciência ... As coisas se tornam mais complicadas quando Harmon se disfarça, não uma, mas uma. dois homens diferentes, John Rokesmith e Julius Handford. No entanto, apesar de todos os esforços, o improvável Sr. Noddy Boffin, um funcionário pobre, mas gentil, de seu falecido empregador, o Sr. Harmon, o original, eventualmente o herda. John Harmon se torna Rokesmith, consegue um emprego como secretário de "The Golden Dustman", Boffin, um servo em sua própria mansão, meio triste e divertido ao mesmo tempo. O analfabeto, também contrata Silas Wegg com uma perna de pau, para ler para o Sr. e a Sra. Boffin. Silas escolhe o longo, longo eu disse "O declínio e a queda do Império Romano". Ninguém segue a vida desses romanos antigos como o ex-funcionário de bom coração, ele fica preocupado com a segurança deles nas eras falecidas atrás. Wegg também está sempre planejando ficar rico (inveja os opulentos) legalmente ou não. Como Bella Wilfer, sua intenção
noiva de uma vez, uma mulher bonita de uma família sem dinheiro chega a morar na casa em uma situação embaraçosa, obviamente, Harmon havia alugado um quarto na casa de seus pais, onde a conhecera. Ele oferece a Bella seu amor, mas ela só quer se casar com um homem próspero ironicamente. As coisas se tornam interessantes quando Wegg encontra outra vontade, que diz que se o filho de Harmon, John, estiver morto ou não cumprir as instruções da vontade, todos iriam para o estado. Chantageando Boffin, Silas pensa finalmente, ele alcançará a terra prometida ... Este romance do sempre superior Charles Dickens dá ao público leitor outro vislumbre de seu mundo, um lugar que ninguém mais pode descrever, mas o escritor que sua visão olha para as pessoas e eles ganham vida, não apenas palavras ... eles respiram e lutam como todo o resto da humanidade.
Comentário deixado em 05/18/2020
JoAnne Zeto

Se você já leu Charles Dickens, saberá que suas linhas de enredo, personagens e artifícios literários são inumeráveis ​​e, para meu pensamento, Nosso Amigo Mútuo pode empregar mais desses que qualquer outro de seus romances que li. No começo, isso tornava o fio um pouco mais difícil de manter emaranhado, mas no final, serviu seus propósitos lindamente.

Existem, para seu entretenimento, duas grandes histórias de amor, um impostor misterioso, um assassino ou dois, alguns homens de ocupação nefasta, dois arenques vermelhos e vários indivíduos maltratados, mas eternamente bons. Jenny Wren é uma personagem maravilhosa, juntamente com o judeu Riah, que ajuda a reparar o caráter maligno de Fagin em Oliver Twist. Betty Higden é um excelente exemplo dos pobres dignos, e os Boffins são um casal inesquecível. Eu estava particularmente interessado em Lizzie Hexam e Eugene Wrayburn, uma parte da trama que era menos fácil de prever do que algumas outras. Ambas as histórias de amor são cativantes, e os meandros e cruzamentos coincidentes de cada um dos personagens com os outros é magistral. Este é um trabalho posterior, e a maturidade do controle da escrita e da trama é óbvia.

Depois, há apenas a sabedoria irrefutável do Sr. Dickens:
E esse é outro feitiço contra o qual o derramamento de sangue se esforça para sempre em vão. Existem cinquenta portas pelas quais a descoberta pode entrar. Com infinitas dores e astúcia, ele bloqueia e tranca quarenta e nove deles, e não consegue ver o quinquagésimo bem aberto.

Sr. Dickens, que seja assim!

Não é um assunto incomum para Dickens, ele lida com a situação dos pobres e com os métodos inadequados para aliviá-la, e o faz com destreza e com o toque certo de sentimento.
Pois quando temos coisas que, com um enorme tesouro à disposição para aliviar os pobres, os melhores dos pobres detestam nossas misericórdias, escondem suas cabeças de nós e nos envergonham, morrendo de fome no meio de nós. é um passe impossível de prosperidade, impossível de continuidade. Pode não ser tão escrito no Evangelho segundo Podsnappery, você pode não encontrar essas palavras para o texto de um sermão, nas Devoluções da Junta Comercial; mas eles têm sido a verdade desde que os fundamentos do universo foram lançados, e serão a verdade até que os fundamentos do universo sejam abalados pelo Construtor.

Nossa sociedade moderna ainda não luta com como ajudar as pessoas a se levantarem sem prejudicar seu valor aos seus próprios olhos? Ainda não temos um sistema que crie uma barreira de classe e, com a assistência que oferecemos, às vezes assegura que as pessoas permaneçam e estejam sempre cientes de que sua classe não é a “nossa” classe?

Existem quase tantos temas quanto personagens. O dinheiro, sua influência e suas propriedades corrompedoras, é um, mas, como a Bíblia nos diz, é o “amor ao dinheiro” que é “a raiz de todo mal” e Dickens deixa claro que é a falha das pessoas e não a própria riqueza que é censurável. Há o tema principal da divisão de classes e a insensibilidade das escolhas feitas por nenhuma outra razão senão a de que uma pessoa faz parte de uma classe ou de outra. Há o significado de amizade e lealdade, a importância da verdade e da ética e o valor da confiança nos relacionamentos, incluindo, mas não se limitando, ao casamento. Há traição, mas também há firmeza e desejo de muitos desses personagens de superar a basicidade de seus mundos e superar moralmente suas condições.

Havia algumas seções que se arrastavam, mas, na maioria das vezes, eu estava com pena do público original, que foi forçado a esperar a próxima edição para descobrir o que estava para acontecer e não podia seguir adiante, pois me senti inclinado a Faz.

O romance é bastante longo, com mais de 800 páginas, mas li durante três meses e gostei imensamente. Estou fazendo algum progresso em direção ao meu objetivo de ler TODAS as obras de Dickens. Em seguida é Nicholas Nickleby, e se é tão agradável para mim como este, ficarei muito feliz.
Comentário deixado em 05/18/2020
Cayla Timchula

Antes de Goodreads, antes da Internet (também conhecida como idade das trevas), mantive uma lista de livros lidos e finalmente os adicionei aqui. Nessa lista está o nosso amigo em comum. O título está bem ali, na minha letra. Então eu devo ter lido. Como tem 900 páginas, você pensaria que eu me lembraria disso, mas eu não. Na verdade, eu pensava que esse era o Big Dickens que ainda não tinha lido e estava guardando para um dia chuvoso ou 90 dias chuvosos. Agora, me pergunto se eu não estava sóbrio quando o adicionei à minha lista de leitura de livros, e fiz isso apenas para mexer com a mente do meu eu futuro, ou seja, agora, e me fazer pensar que tenho Alzheimer incipiente. Porque eu faria isso? Por que eu caí com o meu eu futuro? O que o presente me fez no passado? Ou talvez seja porque meu cérebro agora está cheio e, para abrir espaço para um fato novo, tenho que esquecer um fato antigo. Nesse caso, fico feliz por ter esquecido algo tão insignificante quanto ler um livro de 900 páginas, em vez de dizer o endereço da minha mãe ou o nome da empresa em que trabalho.
A classificação de cinco estrelas é puramente sentimental, Dickens era um gênio.
Comentário deixado em 05/18/2020
Ruthanne Mccool

Melhor ler Dickens em corridas de uma semana - os leitores serializados, sem a ajuda do Wiki ou de recapitulações da trama, terão que convocar os poderes heróicos de recordar, geralmente o recurso dos devoradores de livros vitorianos. Quão torturante ser posto em risco por meses quanto ao enigma da identidade de John Rokesmith, pensar no vagabundo Wegg arruinando o doce e velho Sr. Boffin. Talvez agora, no final da minha leitura de Monster Dickens, seja pertinente perguntar a esses romances - folhetos do dia, entretenimento moralmente instrucional ou obras de arte? Resposta: todos os três e mais. Esses são omnovéis que desafiam o desprezo. Em seu último trabalho concluído antes de um longo período sabático, Dickens mais uma vez se esquiva de um tema antigo: a corrupção do dinheiro, como ele se infiltra na sociedade e envenena tudo. Não que Chaz fosse um anticapitalista furioso, muito pelo contrário, mas não faz sentido ser milionário se você se comportar como uma criança mimada guardando todos os doces. Em uma época que precisa muito de ficção moral forte (me dói dizer, mas é verdade), essa mensagem ainda precisa ser perfurada na cabeça dos dinheiros do mundo livre. Nosso amigo em comum é uma canção de cisne brilhante (completa) de Chaz, cheia de tramas e subtramas coletivamente cativantes, e algumas pessoas mais complexas do que o habitual (Wrayburn e Headstone) e seu habitual domínio de prosa vívido, marcante e compassivo. Adeus, grande Chaz!
Comentário deixado em 05/18/2020
Curnin Labaro

O dinheiro tem uma maneira de fazer ficção excelente, ainda mais poderosa e terrível. No começo eu realmente não entendi Nosso amigo em comum e até pensei que era um pouco chato pessoalmente, mas é o tipo de história que você não pode contar e fica muito melhor. Ele tem muitos temas, mas seu ponto forte é que ele pode mudar de engraçado para sombrio em um instante repentino, mantendo-o atraente e surpreendente até o fim.
Comentário deixado em 05/18/2020
Alleen Arvie

[sotto italiano]

Até agora, meu favorito entre os livros de Dickens; isso me fez querer ler todos (por ordem de escrita, por que não?).
Faz você rir, faz você pensar, faz você se mover. E isso faz você pensar. E isso faz você admirar.
E isso desorienta você.

A meio caminho, você fica menos desorientado. Entretanto, entretanto, você passou a amar o Sr. e a Sra. Boffin.

Então, o tema central parece se tornar a corrupção - ou o risco de corrupção, o medo e o encanto da corrupção - que o dinheiro traz consigo. Então o Sr. Boffin se torna um monstro, mas ...

[Eu marquei cidade, cidades: e a cidade é Londres, é claro. Com um começo inesquecível à noite no Tamisa, e muitos passeios notáveis ​​pela cidade, e uma importância central, como já Um Conto de Duas Cidades, para a área de Inns of Court].






Tra quelli che ho letto finora, o meu preferido de Dickens. Anzi, uma dirla tutta, é o qui que mi fatto venire la folle idea di leggerli tutti, a partair dall'inizio.

Si ride, pensa, ci si commuove, si ammira, ci simanda.

Ah, e ci si disorienta, anche.

Chegam cerca de um mês, e são desorientados. Ma intanto si é sviluppata uma certa paixão por Mr. e Mrs. Boffin.

Adicione o tema central da tela dividindo a correção - ou o risco da correção, o timore e o fascino da correção - que indicam a porta.
E quindi Mr. Boffin diventa un mostro, ma ...

[Città: Londra, obviamente. Memorabile l'inizio notturno sul Tamigi].

(Que tal uma tradução italiana que normaliza um trópico no estilo de Dickens, usando as passagens aéreas, as passagens irônicas, etc.). Era minha vez capitular com uma tradução de Persuasão de Jane Austen: deixe em italiano um clássico da literatura inglesa, em inglês, e dirija-se ao confronto com a original sembrava Proust, com subordinado em massa, frasi complesse, incastonate nell'altra ...

Misteri).
Comentário deixado em 05/18/2020
Dix Beachy

estrelas 3.5

SPOILERS!


O que aprendi com este livro (em nenhuma ordem específica):

1. Você pode usar o mesmo adjetivo 19 vezes em um capítulo curto para descrever um único personagem e ainda ser considerado um grande estilista literário. Sim, entendi, Sr. Dickens: o pai adorável de Bella é CHERUBIC.

2. É perfeitamente aceitável enganar sua futura esposa e até casar com ela sob uma identidade assumida, com o nobre propósito de determinar seu valor moral.

3. Quando estiver convencido de que ela não é interesseira, ela poderá ser informada de sua verdadeira identidade como o único herdeiro de um lixeiro rico.

4. Ela, é claro, tendo sido estabelecida como uma pessoa de alta posição moral, aceitaria as notícias com perfeita equanimidade, mesmo tendo a persuasão mercenária pouco antes de concordar em se casar com você.

5. É perfeitamente possível que uma beleza mercenária obstinada seja reformada através do exemplo de outros cujos personagens foram degradados pela aquisição repentina de riqueza.

6. Um lixeiro mal alfabetizado e aposentado, sem experiência de atuação, pode agir de forma convincente neste exemplo.

7. A noção da abelha como modelo de diligência é superestimada. Nós, como bípedes, devemos objetar, em princípio, ser constantemente referidos a insetos e outras criaturas quadrúpedes. Como seres humanos, não podemos ser obrigados a modelar nosso comportamento nos comportamentos da abelha, do cachorro, da aranha ou do camelo.

8. Uma das razões mais importantes para isso, é o fato inegável de que um camelo tem vários estômagos para se divertir, enquanto nós, humanos pobres, temos apenas um.

9. Uma das melhores maneiras de educar-se é ouvir o Declínio e a Queda do Império Romano sendo lidos por um vendedor de baladas de rua de uma perna. Assim, podemos aprender sobre personagens históricos fascinantes como Polly Beeious (uma virgem romana e, portanto, não pode ser discutida em companhia educada), Commodious (um imperador que não é digno de suas origens inglesas) e Bully Sawyers, também conhecido como Belisarius, um grande líder militar .

10. Se você precisar amputar sua perna, sempre poderá vendê-la ao Sr. Venus, um homem de ossos cuja coleção inclui bebês hindus, africanos e ingleses (articulados) preservados, um cavalheiro francês, ossos humanos (“cautelosos”), aves mumificadas e cutículas secas.

MAS SERIAMENTE,

A parte mais divertida do livro para mim é quando Dickens está sendo causticamente engraçado. A leitura do Sr. Boffin sobre o Declínio e Queda do Império Romano, a recitação seca do Sr. Venus de seu inventário macabro e o argumento de Wrayburn contra a abelha me fizeram rir. A sátira social com as facetas de escalada social e obcecada por dinheiro, Podsnaps et al é picante e afiada, e talvez tão relevante hoje quanto na era vitoriana. A trama é intrincada, mas habilmente tecida, com quase nenhuma coincidência improvável que estraga seus outros trabalhos, como A Tale of Two Cities. A evocação do Tamisa e os personagens marginais que vivem do seu fluxo e refluxo é imediata e pungente: podemos ver e cheirar palpavelmente o grande rio, as tabernas dos marinheiros e as ruas lamacentas onde vivem os Hexams e os Cavaleiros. O rio é uma metáfora para o crescimento e a deterioração, e os personagens mais interessantes são aqueles que estão associados a ele. Na verdade, acho o elenco coadjuvante mais interessante do que os principais personagens. Eu realmente não entendo quem são Wrayburn e Rokesmith / Harmon, além das características que eles recebem para apoiar seus papéis na trama. Bradley Headstone é um dispositivo de plotagem unidimensional. Bella recebe mais personalidade do que a habitual heroína de Dickens, santa e sofredora, mas sua transformação repentina parece dificilmente credível, assim como seu romance com Rokesmith / Harmon. O contraste entre a sátira sombria e a conclusão do conto de fadas é chocante, e às vezes o ritmo da história é tão lento quanto a corrente carregada de lodo do Tamisa. E eu estava extremamente tentada a jogar o livro na parede toda vez que Dickens chama o pai de Bella de 'querubim' - é como uma síndrome literária de Tourette.

Um saco misto para mim, e se não fosse o enredo melodramático de A e os principais personagens sem graça, deveria ter sido um sólido quatro estrelas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Stovall Tasse

Tenho a sorte de não ter pedido os romances de Dickens quando criança nem ter sido obrigado a escrever sobre eles na universidade. Eu os encontrei corretamente na meia-idade e os reli com enorme prazer desde então. Nosso amigo em comum pode não ser seu maior romance, mas, de certa forma, é o mais convincente. Do parágrafo inicial, as imagens sombrias saem diretamente da página e entram na sua imaginação visual e, como ilustradora, considero irresistível: a noite de outono se aproximando, o barquinho louco flutuando no imundo Tâmisa, a jovem forte e forte os remos e um homem grisalho e esfarrapado, seu pai, ocupando-se com algo rebocado na água atrás deles. Você está de alguma maneira na narrativa antes que se perceba que é um corpo afogado. Eles estão no trabalho da noite como catadores do rio.

Você é transportado para a casa iluminada e altamente envernizada do Nouveau riche Veneerings, onde tudo, incluindo seus amigos, é novo e cheio de reflexões duras. Talvez, se Dickens vivesse no século 20, ele poderia ter se tornado um grande cineasta.

Até seus admiradores ardentes podem admitir que algumas de suas heroínas são quase boas demais para ser verdade. Frequentemente sofrem por serem ultrajados por pais fracos e imaturos, aceitando o fardo com lealdade inflexível. As duas heroínas fortes de Our Mutual Friend, Lizzie Hexam e Bella Wilfer, são mais humanas.

Lugares como a moradia desorganizada na margem do rio, a casa super mobiliada dos Boffins ou a bizarra loja de taxidermistas de Venus - cheia de criaturas grotescas de pelúcia e partes humanas mumificadas, onde Wegg chama em busca de sua perna amputada - são todos meticulosamente descrito.

Marcus Stone, o pintor da narrativa, foi contratado para fazer as primeiras ilustrações do livro. Segundo todos os relatos, Dickens era um autor exigente para se trabalhar. Sua grande parceria com Hablot K Browne, conhecida como Phiz, terminou. Dickens decidiu que precisava de uma nova interpretação e Phiz, como a Sra. Dickens, foi descartada.

Infelizmente, as gravuras de madeira de Stone não conseguiram capturar a atmosfera sombria e dramática. Dois poderosos elementos opostos dominam: a água turva do Tamisa e a montanha montanhosa do norte de Londres, composta de cinzas das grades da cidade. Ambos são penteados por catadores pobres, na esperança de encontrar algumas colheitas das quais possam ganhar a vida. Ambos mantêm segredos cruciais para o enredo. No rio, no clímax do romance, dois homens, Bradley Headstone e o vilão Riderhood, lutam até a morte pelo açude. Seus corpos afogados são encontrados na lama por trás dos portões.

Que ilustrador não ficaria tentado pelo desafio de Nosso Amigo Mútuo? Mas acho que vou ficar com as fotos na minha cabeça. Eles são mais vívidos do que qualquer outro na página.
Comentário deixado em 05/18/2020
Purcell Adema

4 estrelas.


Demorei muito tempo por causa do fato de que certas palavras podem ficar mais tristes. Não precisa refletir exatamente a situação. Mais uma vez, são apenas palavras.

???
Comentário deixado em 05/18/2020
Elisabet Tamulis

Eu li pela primeira vez Nosso amigo em comum quando eu tinha treze anos, e concordei com cinco estrelas no Goodreads com base na minha memória daquela primeira leitura. Sempre me lembrei disso como meu romance favorito de Charles Dickens, e ainda sou fortemente dessa opinião. Se eu pudesse conceder mais cinco estrelas, eu o faria. Esta é uma obra-prima clássica.

Foram escritas várias análises literárias sobre este livro ao longo de décadas, e eu não poderia competir com aqueles que escreveram antes de mim. Afinal, a Literatura Inglesa foi o único nível de GCE O que eu falhei. O níveis são os exames que costumamos fazer no Reino Unido aos dezesseis anos de idade.

Em vez disso, vou apenas dizer o que penso do meu coração e da minha cabeça.

Primeiro de tudo, o maravilhoso uso do idioma inglês empregado por Dickens e a extensão do vocabulário me surpreenderam e são uma lição para todos nós.

Em segundo lugar, a construção do personagem de todos os personagens, e seu desenvolvimento ao longo da história, é tão forte que é possível visualizar todos eles e começar a imaginar como eles estão pensando e interagindo. É muito difícil entender quem são os personagens principais, pois parece que existem mais de uma dúzia de diretores. Eu acho que isso é ótimo.

Então eu diria que todos deveriam ler este livro pelo menos duas vezes. Conhecer as conclusões não estraga a leitura. Eu havia me esquecido muito, mas sabia aonde estávamos indo, apesar de já fazer mais de quatro décadas desde que o li pela primeira vez. De fato, a segunda leitura é melhor que a primeira, porque eu entendi mais por que as conclusões foram alcançadas enquanto eu caminhava. Vou ler definitivamente Nosso amigo em comum novamente em breve.

As complexas tramas entrelaçadas são maravilhosas, e eu recomendo este livro a todos e a todos. É um volume muito grosso, concordou, mas cada palavra é uma jóia em um tesouro de jóias.
Comentário deixado em 05/18/2020
Kopaz Vaccarello

A reler com a Dickens Fellowship de Nova Orleans: Em uma de nossas reuniões, um palestrante disse que esse não era apenas o trabalho mais cínico de Dickens, mas também um conto de fadas. Por alguma razão, isso ajudou um dos membros que vinha lutando bastante com o romance.

Eu lutei com uma maneira de revisar esse romance complicado, pois qualquer maneira que eu pensasse conteria spoilers, especialmente meus pensamentos sobre por que Lizzie Hexam é um personagem que tem 'pernas'.

Então, vou apenas dizer:

Quando li isso pela primeira vez há muitos anos, senti simpatia por Bradley Headstone; desta vez eu não tinha nenhum.

Fiquei extremamente irritado com a reação de Bella quando ela está finalmente Disse a verdade. Tenho certeza de que me senti da mesma maneira na primeira vez que li.

Se você pensou que Dickens espetara a Sociedade em seus outros romances, 'ainda não viu nada'.

Jenny Wren continua sendo meu personagem favorito: "Não demore muito. Volte e esteja morto!"
Comentário deixado em 05/18/2020
Gemmell Lupold

"As melhores coisas do livro estão da melhor maneira antiga do autor. Elas têm a excelente qualidade de Dickens de ser algo que é pura farsa e, no entanto, não é superficial; uma farsa insondável - uma farsa que vai até as raízes do universo "(p.827 do prefácio original de Everyman por GK Chesterton)
Comentário deixado em 05/18/2020
Noak Deojay

Não sei se estava cansada ou se Dickens ficou nervoso, mas passei três páginas na noite passada pensando que estava lendo sobre o assunto. vida interior de uma mesa de jantar a família havia apelidado de "Twemlow".

O confuso de passagem: Havia uma mobília inocente de jantar, que usava rodízios fáceis e era mantida em um pátio de libré na Duke Street, Saint James's, quando não estava em uso, para quem os folheados eram fonte de confusão cega. O nome deste artigo era Twemlow. Sendo primo em primeiro grau de lorde Snigsworth, ele era requisitado com frequência e, em muitas casas, pode-se dizer que representa a mesa de jantar em seu estado normal. O Sr. e a Sra. Veneering, por exemplo, organizando um jantar, costumavam começar com Twemlow e depois colocavam folhas nele ou adicionavam convidados a ele. Às vezes, a mesa consistia em Twemlow e meia dúzia de folhas; às vezes, de Twemlow e uma dúzia de folhas; às vezes, Twemlow era arrancado ao máximo de vinte folhas. O Sr. e a Sra. Folheados em ocasiões de cerimônia se enfrentaram no centro do quadro e, portanto, o paralelo ainda se manteve; pois sempre acontecia que quanto mais Twemlow era puxado, mais ele se encontrava do centro e mais perto do aparador em uma extremidade da sala ou das cortinas das janelas na outra.

Pago pela palavra muito? Bônus por ponto e vírgula? De qualquer forma, as intenções de Dickens estão mais claras hoje: ele queria ter certeza de que o Constant Reader recebia a tabela de assentos dos folheados. Obrigado, Chuck. Obrigado.

Comentário deixado em 05/18/2020
Levy Denice

estrelas 3.5

A maneira como este livro começou me deu calafrios. Imagine uma noite escura em que uma jovem mulher está remando um barco no Tamisa, seu pai, um homem rude, dirigindo o barco enquanto ele procura na água escura por corpos afogados que ele pode roubar antes de amarrá-los ao barco e arrastá-los para o barco. costa para entregá-los às autoridades mediante taxa. A filha mantém o olhar desviado enquanto o pai se inclina sobre o barco e finalmente pega um corpo. Ele grita para ela observá-lo, seu rosto uma máscara congelada enquanto ela assiste tudo, e não pela primeira vez. Que começo!

Imagine a minha surpresa quando nada de muito empolgante aconteceu nas próximas 400 páginas. Eu tinha personagens saindo dos meus ouvidos, conversando, conversando, mas não sabia se ou por que eles poderiam ser importantes ou como eles se relacionavam com os eventos arrepiantes no início. Mas não era a primeira vez que eu lia Dickens, então eu sabia que tudo deveria se relacionar e que todos os personagens deveriam ser importantes quando o autor finalmente chegou a me dizer como. Eu só precisava ser paciente o suficiente para percorrer todas as palavras para ser recompensada. E eu estava, começando na metade do caminho e em diante, quando os personagens e suas ações começaram a se encaixar, se não se espalhando por todo o lugar em busca de dinheiro e do poder que isso lhes traria.

Os personagens são a parte melhor e mais memorável de qualquer romance de Dickens, com toda a sua peculiaridade e nomes estranhos: os Podsnaps, os folheados, Bradley Headstone, Pleasant Riderhood, Jenny Wren, Lizzie Hexam, Noddy Boffin, entre outros. livro. Mas essa história começa com o assassinato de um homem com o nome comum de John Harmon. Harmon veio a Londres para reivindicar sua herança de seu pai falecido e anteriormente afastado, uma condição da vontade de que ele primeiro se casasse com uma jovem bonita e mimada que ele nunca conhecera, para reivindicar riquezas. Mas, com Harmon assassinado, um empregado despretensioso do pai de Harmon seria o próximo na fila para herdar uma fortuna que poderia provar ser seu infortúnio.

Apesar de este romance ter sido escrito em 1865, Dickens o escreveu no que parecia um estilo muito moderno, com um começo chocante, e depois revirou e revirou a história que me fez pensar: "De jeito nenhum!" como ele trouxe tudo em volta do círculo completo. Mas não me propus a ler esse romance para esse tipo de emoção. Eu li para ver se Dickens se redimiria pelo que parecia um tom muito anti-semita em Oliver Twist, que eu nunca terminei por esse motivo. Ouvi dizer que ele havia propositalmente criado um maravilhoso personagem judeu neste livro como um pedido de desculpas à comunidade judaica. E ele se redimiu com o personagem Riah, mas não por causa da benevolência de Riah. Ele tinha suas falhas e fraquezas como qualquer outro homem, o que se tornou mais aparente durante um discurso incrível que ele fez perto do final do livro. Ele se repreendeu por comportamentos impróprios que não davam crédito a si ou aos outros de sua religião. Ele também falou dos perigos de usar qualquer indivíduo como representante de quem era seu povo, como uma desculpa para o ódio de um povo inteiro. Eu não esperava esse tipo de sabedoria nessa história sombria que teve menos alívio cômico do que muitos outros romances desse autor. Este livro é sobre corrupção na sociedade como a maioria de seus romances, mas também sobre a corrupção da alma quando as pessoas valorizam e perseguem as coisas erradas, prejudicando as que estão em seu caminho. Era o último romance completo de Dickens, o que o deixou particularmente triste quando se dirigiu ao leitor em um posfácio em que admitiu estar grato por ter vivido para terminar esse romance, tendo sofrido um acidente quase fatal recentemente.

Quero acrescentar que este livro tem personagens femininas fortes e admiráveis, muito mais do que alguns outros livros de Dickens que foram dominados por homens. Neste livro, o leitor observa muitas mulheres evoluindo e lutando por dignidade e controle sobre suas próprias vidas, tanto quanto possível durante esses tempos. E, curiosamente, existem quatro relacionamentos complexos de pai / filha, ajudando a levar a história adiante a uma conclusão memorável. Na verdade, quase todos os personagens deste romance evoluíram para melhor ou para pior em algo complexo e com nuances de personalidade e motivação.

Se apenas a primeira metade deste livro tivesse sido mais convincente e menos confusa, eu teria dado quatro estrelas aos grandes personagens que queriam o melhor da vida, mas nem sempre procurando obtê-lo da melhor maneira possível.
Comentário deixado em 05/18/2020
Gulick Dulichand

Novamente, com um livro de Dickens, lembro-me de uma música:

Dinheiro dinheiro dinheiro
Deve ser engraçado
No mundo do homem rico
Dinheiro dinheiro dinheiro
Sempre ensolarado
No mundo do homem rico
Aha aha
Todas as coisas que eu poderia fazer
Se eu tivesse um pouco de dinheiro
É o mundo de um homem rico
É o mundo de um homem rico

Dinheiro, Dinheiro, Dinheiro - Abba

Você não pode imaginar Bella, se ela viveu na década de 1970, cantando aquela música com gosto?

Então, eu me sento no final de uma longa jornada, não apenas nessa longa jornada em particular (é um grande livro), mas pelos mundos de Charles Dickens. Este é o último de seus romances completos e nunca mais poderei começar um desses livros sem ter conhecimento do que há na próxima colina ou na próxima curva. É agridoce.

O livro em si é uma tapeçaria incrivelmente complexa de subtramas e personagens.

Suponho que vai chover spoilers em breve, então é melhor colocar o ponto de verificação aqui. Remova todos os objetos de metal, incluindo o cinto e os sapatos, e coloque-os na bandeja antes de passar pelo detector de metais. (ver spoiler)[

John Harmon, também conhecido como Julius Handford, também conhecido como John Rokesmith, está, se alguém estiver, no centro da história. Imagino que descobrir sua morte oficialmente e, em seguida, decidir continuar com ela, era uma idéia muito mais original quando Charles a escreveu. Eu pensei que era interessante a rapidez com que nosso bom autor derramava o feijão no leitor. Tenho certeza que muitos teriam adivinhado quem Rokesmith realmente era muito antes da grande revelação, mas ele nem tentou. Eu não acho que isso realmente prejudicou o livro, apenas pareceu uma escolha usual. Eu gostei do John. Eu estava torcendo por ele.

A grande revelação, se houver, envolveu o Sr. e a Sra. Boffin descobrindo a verdadeira identidade de John, envolveu-se em uma longa e complexa falsificação, fingindo que o Sr. Boffin havia sido corrompido por sua riqueza, a fim de revelar o verdadeiro caráter de Bella. Isso foi feito também para ensinar uma lição a Bella e teve o benefício colateral de continuar amarrando o malvado Silas Wegg até o ponto satisfatório em que ele recebe sua última punição. A idéia de que Noddy Boffin inocente e sem sofisticação poderia ter convencido esse ato por um longo período de tempo parece a parte menos realista da história. Ainda assim, realismo implacável não é o que estou procurando em um romance de Charles Dickens. Eu li não-ficção para isso.

No final, a longa e distorcida jornada que resultou no casamento de John e Bella é provavelmente o enredo central nesta história.

Na minha opinião, o segundo enredo mais importante envolve a longa e distorcida jornada que resultou no casamento de Lizzie Hexam e Eugene Wrayburn.

Suponho que Lizzie não teria sido considerado um personagem muito interessante por leitores que amam a complexidade. Lizzie é honesta e decente até o âmago. O tipo de pessoa pobre não criminosa da qual nunca ouvimos falar, porque nunca chama a atenção para si mesma. Eles são muito mais comuns do que muitas pessoas pensam. Não me importo se ela não é complexa, gostei dela e torci para que ela fosse feliz.

Eugene Wrayburn, como John Harmon, renasceu quase se afogando. Detecto um tema aquoso aqui. Na verdade, existem muitos temas aquosos neste livro, pois muitos deles ocorrem ao longo das margens de um rio. Os rios tendem a ser bem molhados. Eugene se torna uma pessoa melhor em seu confronto com um dos mais complexos e realmente ferrado de todos os vilões de Dickens.

Bradley Headstone, agora há um personagem complexo. Ele está estragado em tantos níveis que é difícil acompanhar todos eles. Lizzie não o rejeitou simplesmente porque não o amava. Quando Headstone propõe a ela, é uma das coisas mais assustadoras do livro. Ele poderia muito bem estar dizendo: "Ame-me ou então". Isso não é um amante, é um armazenador. O fato de ele ter estocado Eugene e não Lizzie era realmente apenas um detalhe. Eu acho que ele era apenas um cara antiquado, qualquer estoquista moderno que se preze teria perseguido a garota. Quando ele, junto com o malvado Cavaleiro Vampira, se afogou, foi um daqueles momentos satisfatórios de “dois pássaros com uma pedra”.

Eu me vi desejando ao Sr. Venus e Pleasant Riderhood uma vida longa e feliz juntos.

Os Lammles são hilários, dois trapaceiros que se enganaram. Enquanto eles seguiam para o pôr do sol, mais parecido com o nascer do sol, considerando a direção em que estavam indo, não pude deixar de sentir que, se alguma coisa acontecesse com Alfred, Sophronia poderia ser resgatável.

Quando penso no Sr. Riah, me pergunto se a comunidade judaica aceitou o pedido de desculpas por Fagin que ele representava.

Jenny Wren é um dos personagens mais maravilhosos e originais que Charles Dickens já inventou. Estou feliz por ter conhecido a costureira da boneca e me vi esperando que ela e Sloppy encontrassem felicidade juntos, ou pelo menos amizade.

Georgiana Podsnap precisava de alguém para amá-la e protegê-la. Ela me sentia como alguém que prosperaria nessas circunstâncias.

O Sr. e a Sra. Podsnap eram o epítome das profundezas e águas rasas de Podsnappery.

As facetas tinham uma faceta brilhante muito agradável, muito admirável, tenho certeza, ou assim diz a Voz da Sociedade. Será que Lady Tippins é essa voz?

Uma das minhas passagens favoritas deste livro envolve Lady Tippins. É o seguinte:

"Na manhã seguinte, aquela horrível velha Lady Tippins (relíquia do falecido Sir Thomas Tippins, cavaleiro por outra pessoa por Sua Majestade o rei George III, que, durante a cerimônia, teve o prazer de observar: 'O que, o que , o quê? Quem, quem, quem? Por que, por que, por quê? ') começa a ser tingido e envernizado para a ocasião interessante. Ela tem uma reputação de dar contas inteligentes das coisas e deve estar no início dessas pessoas, minha querida. Onde o chapéu e a cortina anunciados por seu nome, qualquer fragmento da mulher de verdade pode ser escondido, talvez seja conhecido por sua criada; mas você pode comprar tudo o que vê nela em Bond Street ; ou você pode escalpelá-la, descascá-la e raspar-la, e fazer duas Lady Tippinses dela, e ainda assim não penetrar no artigo genuíno.Ela tem um grande óculos de ouro, Lady Tippins, para examinar os procedimentos Se ela tivesse uma em cada olho, ela poderia manter a outra tampa caída e parecer mais uniforme. orm. Mas a juventude perene está em suas flores artificiais e sua lista de amantes está cheia ".

Eu me senti mal por Miss Peecher. Deve ter sido devastador para ela.

Eu me vi sem me importar com o que aconteceu com Charley Hexam depois que ele se separou de Headstone. Tenho certeza que ele acabou sendo tão respeitável quanto planejava. Não tenho dúvida de que Lizzie se importava. (ocultar spoiler)]

Em suma, foi outra bela jornada pelos reinos dickensianos. Em abundância, personagens fascinantes e excêntricos, tramas complexas que o levam a todos os lugares, mostrando a arrogância da classe média e a situação dos pobres. Foi um final adequado para a minha jornada pelos romances de Charles Dickens. Eu sinto que sou um homem melhor por isso.

Agora, devo dizer adeus a Oliver Twist, The Artful Dodger, Nancy, Nicholas Nickleby, Smike, Little Nell, Barnaby Rudge, Tom Pinch, Mark Tapley, Florence Dombey, Susan Nipper, David Copperfield, Clara Peggotty, Esther Summerson e John Jarndyce. Louisa Gradgrind, Arthur Clennam, Amy Dorrit, Lucie Manette, Pip, Joe Gargery, Estella, John Harmon, Bella Wilfer, Lizzie Hexam e todos os demais da vasta gama de personagens santos e vilões, sem mencionar apenas excêntricos , mas sempre memorável que povoam o mundo dickensiano. Adeus, pelo menos, até nos encontrarmos novamente. Nunca mais poderei encontrar todos vocês pela primeira vez.
Comentário deixado em 05/18/2020
Bekki Maggese

Um clássico e eu li isso pela primeira vez depois de assistir no filme. Charles Dickens é um escritor incrível e eu recomendo este livro altamente. Espero retornar e revisar este e outros livros lidos durante 2018 de maneira mais completa quando minha saúde melhorar.
Comentário deixado em 05/18/2020
Weiman Mombasa

Faz muitos anos que eu peguei este livro e, lendo-o agora, me perguntei se esse era o favorito de Samuel Beckett. Afinal, é o romance com três grandes pilhas de poeira em um quintal - que podem ou não conter objetos de valor - e um homem "literário" de uma perna e que os vasculha. (É certamente ecoado em 'Happy Days'). Além disso, há um jovem / velho, pequeno e aleijado fabricante de roupas para bonecas, e um personagem com um nome parecido com a morte que - à medida que sua raiva homicida aumenta - exibe explosões reais de sangue. (Um toque que David Cronenberg sem dúvida apreciaria). Em suma, este é um ótimo romance para os grotescos dickensianos. Embora isso seja Dickens puro e sem destreza, temos os bons e os maus. Sim, os grotescos são muito divertidos, mas belas moças são angelicais ou altivas como o inferno. Não há outras características que possam exibir.

A trama, de forma simples, vê um corpo morto retirado do Tamisa e as consequências dessa descoberta repercutindo em quase todos os estratos da sociedade.

'Our Mutual Friend' é uma leitura realmente inteligente e divertida, com muitas cenas fantásticas. Outros romances posteriores de Dickens, como 'Great Expectation' e 'Bleak House', eu amo de todo o coração e não hesitaria em dar-lhes cinco estrelas. Então, por que estou mais relutante com este? Bem no final, há um truque extraordinário e de tirar o fôlego, tão audacioso que praticamente conta como Deus ex machina. E é isso que rasga o tapete abaixo de muito do que foi antes, o que me irrita um pouco neste romance. Sem dúvida, este é um congestionamento de livros repleto de muitas cenas excelentes (e pode conter apenas mais assassinatos do que qualquer outro trabalho de Dickens), momentos memoráveis ​​e personagens melhores que a vida - então eu certamente recomendaria, embora haja melhores.

E só se pode supor - dado seu tratamento dos jantares promovidos pelos escalões superiores da sociedade - que Dickens foi tratado com alguma cautela após a publicação cada vez que foi a uma festa assim.



-------------------------------------------------- --------------------------------------------------

Bem, acho que tudo nas festas de aniversário me afetou. O fato de o público britânico estar todo vestido com casacos ou corpetes para festas de rua vitorianas em todas as ruas acima e abaixo da terra; os milhares de imitações de Charles Dickenses que agora vagam por Londres citando a obra do grande homem; e que nosso maior imitador vivo de Dickens - o senhor Simon Callow - fez sua missão percorrer todas as residências do Reino Unido e se apresentar pessoalmente a cada cidadão. Gostei muito de termos reaberto as casas de trabalho e todos nos revezamos para ir até lá e nos recusarmos a dar aos moleques mais mingau; enquanto aguardo ansiosamente aqueles fantasmas que vão me visitar amanhã à noite - estou pensando em consertar o erro dos meus caminhos há algum tempo.

Realmente foram seis semanas emocionantes e maravilhosamente literárias. E então, acho que é hora de eu fazer a minha parte e realmente ler alguns Dickens.
Comentário deixado em 05/18/2020
Frerichs Ellingham

O rosto branco do dia de inverno apareceu lentamente, velado em uma névoa gelada; e os navios sombrios no rio lentamente mudaram para substâncias negras; e o sol, vermelho-sangue nos pântanos orientais, atrás de mastros e pátios escuros, parecia cheio das ruínas de uma floresta que havia incendiado.

Sete meses de petiscos, a maioria desses grupos, todos se esforçaram seriamente para lembrar os personagens, recrutando a Wikipedia e relendo, com bastante frequência, capítulos inteiros. Fico feliz por ler isso, apesar de sentir que a maioria dos personagens vive em tramas como tantos pombos empoleirados acima da interestadual. Talvez eu esteja sendo ganancioso, mas queria alguma tensão entre o molar e o molecular, talvez como meus instintos prefiro a quantidade argumentativa, um assassinato de corvos assumindo o controle no campo de futebol deserto. Talvez eu queira mais luta e incerteza. Dito isto, Our Mutual Friend tem o exemplo de Bradley Headstone; existe um exemplo de potencial atualizado. Bem, a trama certamente se beneficiou. Sua plausibilidade deve ser deixada para os corvos mencionados anteriormente. Essa tarifa seria uma diversão.

Deixe um comentário para Nosso amigo em comum