Casa > Ficção > Rússia > Clássicos > E Quiet Flows the Don Reveja

E Quiet Flows the Don

And Quiet Flows the Don
Por Mikhail Sholokhov
Avaliações: 30 | Classificação geral: Boa
Excelente
14
Boa
10
Média
2
Mau
2
Horrível
2
E Quiet Flows the Don ou Quietly Flows the Don (Тихий Дон, lit. "The Quiet Don") é um romance épico de quatro volumes do escritor russo Mikhail Aleksandrovich Sholokhov. Os primeiros três volumes foram escritos de 4 a '1 e publicados na revista soviética de outubro de 1925. O quarto volume foi concluído em 32. A tradução em inglês dos primeiros três volumes apareceu sob este

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Nelda Zecca

Tiknii Don = Quietly Flows the Don: um romance em quatro livros, Mikhail Sholokhov
E Quiet Flows the Don ou Quietly Flows the Don ou Quiet Don, é um romance épico em quatro volumes do escritor russo Mikhail Aleksandrovich Sholokhov. Os três primeiros volumes foram escritos de 1925 a 1932 e publicados na revista soviética Oktyabr em 1928-1932, e o quarto volume foi concluído em 1940. A tradução em inglês dos três primeiros volumes apareceu sob esse título em 1934. O romance é considerado uma das obras mais significativas da literatura russa no século XX. Ele descreve as vidas e lutas de Don Cossacks durante a Primeira Guerra Mundial, a Revolução Russa e a Guerra Civil Russa. Em 20, Sholokhov recebeu o Prêmio Nobel de Literatura por este romance.

Data de nascimento: 1980 Data de nascimento: XNUMX
عنوان: دن‌ آرام - جلد اول e دوم از دوره یهار جلدی ؛ میخائیل شولوخوف مترجم: احمد شاملو ،تمران ، املران ، املران 1379نت

نخستین بار برگردان روانشاد «به آذین» را خواندم, سپس نسخه ای به زبان انگلیسی, که نام مترجمش یادم نمانده است, سپس باز هم برگردان روانشاد احمد شاملو را خواندم. هر سه برایم گوارا بودند. اما درباره ی داستان دن آرام و ترجمه ها: برگردان نخست را روانشاد «محمود اعتمادزاده (به آذین)» انجام داده, سپس جناب «منوچهر بیگدلی خمسه» آن را ترجمه کردند, و پس آنگاه بود که روانشاد «احمد شاملو» نیز دن آرام را به فارسی برگرداندندتت بماند یادگار. روانشاد شاملو از روی ترجمه فرانسوی: آنتوان وی‌تز از رمان را به فارسی برگردانده‌ است. جناب «ایرج کابلی» در مقابله با نسخه ی روسی با روانشاد شاملو همکاری داشته‌ است. و اما داستان: دن آرام داستانی ست درباره ی کازاکهای (قزاقهای) ساکن دن, و شرح زندگی یک خانواده کازاک به نام «ملخوف», در زمان صلح, و در سالهای سرنوشتساز جنگ اول جهانی, انقلاب ماه اکتبر سال 1917 میلادی روسیه, و در یک جنگداخلی تلخ است. البته قهرمانان و نقش آفرینان داستان ، همانند رمان: «جنگ و صلح» تولستوی ، بسیار هستند. Clique aqui para obter mais informações sobre o produto. گریگوری شخصیتی شجاع, جنگاور e خستگی‌ ناپذیر است, که در تمام رویدادهای بزرگ تاریخی زمان خویش حا‌ر, حاضري. او هرگز نمی‌داند چرا می‌جنگد. آیا علیه آلمان‌ها می‌جنگد ، یا علیه بلشویکها؟ در جستجویعدالت ،اهی با سرخ‌ها ارتباط برقرار می‌کند ، و گاه به سراغ سفیدها می‌رود. (سرخ: لقب کمونیست‌ها و سفید: عنوان طرفداران امپراتوری) بوده است. او عاشق روسیه‌ است ، اما از تزار نفرت دارد. او دولتی سوسیالیستی می‌خواهد به شرطی که مالکیت کازاک‌هابر زمین را دست نخورده باقی گذارد. تجربیات سیاسی و نظامی گریگوری, که به خاطر رخدادها و مشکلات جنگ اول جهانی, و انقلاب روسیه, به دست آورده, در پس داستان عشق شورانگیز و غمانگیز وی رنگ میبازند. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Kaliope Lageschulte

Тихий Дон = Tiknii Don = E Quiet Flows the Don Vol. 1, Mikhail Sholokhov
E Quiet Flows the Don ou Quietly Flows the Don (Quiet Don) é um romance épico em quatro volumes do escritor russo Mikhail Alexandrovich Sholokhov. Os três primeiros volumes foram escritos de 1925 a 1932 e publicados na revista soviética Oktyabr em 1928-1932, e o quarto volume foi concluído em 1940. A tradução em inglês dos três primeiros volumes apareceu sob esse título em 1934. O romance trata de a vida dos cossacos que vivem no vale do rio Don durante o início do século 20, provavelmente por volta de 1912, pouco antes da Primeira Guerra Mundial. O enredo gira em torno da família Melekhov de Tatarsk, que são descendentes de um cossaco que, para o horror de muitos, levaram um cativo turco como esposa durante a Guerra da Crimeia. Ela é acusada de bruxaria pelos vizinhos supersticiosos de Melekhov, que tentam matá-la, mas são brigados pelo marido. Seus descendentes, o filho e os netos, que são os protagonistas da história, são frequentemente apelidados de "turcos". No entanto, eles comandam uma grande quantidade de respeito entre as pessoas em Tatarsk. O segundo filho mais velho, Grigori Panteleevich Melekhov, é um jovem soldado promissor que se apaixona por Aksinia, esposa de Stepan Astakhov, amigo da família. Stepan a bate regularmente e não há amor entre eles. O romance e fuga de Grigori e Aksinia suscitam uma disputa entre o marido e a família dele. O resultado desse romance é o foco da trama, bem como as iminentes Guerras Mundiais e Civis, que elegem os melhores jovens cossacos para o que serão as duas mais sangrentas guerras da Rússia. A ação se move para a frente austro-húngara, onde Grigory acaba salvando a vida de Stepan, mas isso não acaba com a disputa. Grigory, por insistência de seu pai, se casa com Natalya, mas ainda ama Aksinia. O livro trata não apenas das lutas e do sofrimento dos cossacos, mas também da própria paisagem, que é vividamente trazida à vida. Há também muitas canções folclóricas referenciadas ao longo do romance.

تاریخ نخستین خوانش: روز هشتم ماهمارس سال 1977 میلادی
عنوان: دن‌ آرام - جلد اول از چهار جلد نویسنده: میخائیل شولوخوف ؛ مترجم: م.ا. به آذین; تهران, نیل, 1344, چاپ دیگر: 1363; چاپ دیگر: تهران, دادار, 1381; شابک: دوره: 9647294549; شابک جلد نخست: 9647294506; چاپ دیگر: تهران, فردوس, 1384; چاپ دوم 1388; چاپ سوم 1391: موضوع: داستانهای جنگ جهانگیر نخست از نویسندگان روسیه شوروی - 20 م
عنوان: دن آرام در چهار جلد; نویسنده: میخائیل شولوخوف; مترجم: منوچهر بیگدلی خمسه, تهران, گلشائی, 1368; چاپ دیگر: تهران, نگارستان کتاب, 1387; شابک دوره: 9789648155754; شابک جلد 1: 9789648155761
Todos os direitos reservados.
:ن1391 د‌1800؛9789642201655 اXNUMX

نخستین جلد از چهارگانه «شولوخوف» ، در سه بخش نوشته شده. کتابی که قرار است روزگار مردمان «دن» را ، در زمان روسیه تزاری ، روابط شخصی ، زندگی روستاییا، و بالگ ، ه ه هه ه هه ه ه هه ه ه ه ههه بخش اول دوم کتاب, به روابط م ردازد, و بخش سوم, ،ه فاجعه بارترین بخش کتاب است مربوط بهاجن اج. تصویرسازی شخصیتها به ویژه: «گریگوری», «آکسینیا» و «ناتالیا», با یک روند منطقی, در بخش نخست کتاب شکل گرفته, ولی در ادامه, ضعف شخصیت پردازی, به چشم میآید. بخش جنگ نیز از مشکل روایی رنج میبرد, که بیشتر شبیه یک گزارش است, تا داستان, اگر این بخش از رمان, با اثر «تولستوی» که عنوانش «جنگ و صلح» است, مقایسه شود ضعف کار بیشتر هویدا میشود. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Haggerty Zadrozny

Tiknii Don = Quiet Flows the Don: um romance em quatro livros, Mikhail Sholokhov
E Quiet Flows the Don ou Quietly Flows the Don (Тихий Дон, literalmente "Quiet Don") é um romance épico em quatro volumes do escritor russo Mikhail Aleksandrovich Sholokhov. Os três primeiros volumes foram escritos de 1925 a 1932 e publicados na revista soviética Oktyabr em 1928-1932, e o quarto volume foi concluído em 1940. A tradução em inglês dos três primeiros volumes apareceu sob esse título em 1934.
عنوانها: دن آرام - چهار جلدی; دن در دریا آرام میگیرد; دن آرام - چهار جلد در دو مجلد; نویسنده: میخائیل شولوخوف; تاریخ نخستین خوانش: روز هشتم ماه مارس سال 1977 میلادی
عنوان: دن آرام - چهار جلدی e نویسنده: میخائیل شولوخوف ؛ مترجم: م.ا. به آذین (محمود اعتمادزاده); تهران, نیل, 1344; در چهار جلد; چاپ دوم 1356; چاپ دیگر: 1363; چاپ دیگر: 1381 در چهار جلد و 1760 ص; شابک دوره: 9647294549; چاپ دیگر: تهران, فردوس; 1388 ؛
Nome do navio: 9789643204099 Nome do navio: Nome do navio: داستان جنگهای داخلی روسیه e انقلاب در روسیه قرن 20
Nome do navio: دن آرام - چهار جلد در دو مجلد e نویسنده: میخائیل شولوخوف مترجم: احمد شاملو تهران شمازل
عنوان: دن آرام - چهار جلد در دو مجلد e نویسنده: میخائیل شولوخوف e مترجم: منوچهر بددلی خهران ئی تهران ئی تهران
Nome: دن در دریا یرام میگیرد مترجم: اسماعیل قهرمانی پور, تهران سمیر ، 1391 ؛ در 1800 ص ؛ شابک: 9789642201655
:ده: خانواده ملخوف ، اولاد «پروکوفی ملخوف (مه له خوف)» گریگوری دومین فرزند و دومین سسر و آخرین پسر خانواده‌ است. او دلباخته ی زن همسایه به نام: آکسیانامی‌شود. آکسیانا, که از شوهری تندخو و بدرفتار خود «استپان آستاخوف», بیزار است, متقابلا به گریگوری دل میبازد, و با او رابطه برقرار میکند. وقتی پدر گریگوری, به رابطه ی نامشروع این دو پی میبرد, به اجبار گریگوری را, به ازدواج با دختری پاکدامن, به نام: «ناتالیا», وامیدارد; ولی گریگوری دل در گرو عشق آکسیانا دارد, و با زن قانونی خود, به سردی برخورد می‌کند. آنگاه وقت ننمی‌رسد, که گریگوری کار در مزرعه را رها ننا و به خدمت نیروهای نظامی روسیه ی اعزامش. Clique aqui para obter mais informações. Clique aqui para obter mais informações. با پیروزی اولیه نیروهای شورشی و ارتش سفید, ژنرالهای سفید, گریگوری را به مناسبت سواد کمش از فرماندهی لشکر (ژنرالی - بدون درجه), به ستوانی (درجه ای که پیشتر داشت) تنزل میدهند, و گریگوری میپذیرد. Clique aqui para obter mais informações sobre os direitos de importação e as taxas de importação. Clique aqui para obter mais informações. حوادث ، موافق نیروهای شورشی ، و ارتش سفید نیست. آنها در برابر کمونیست‌هاشکست می‌خورند و عقب می‌نشینند ، و فرماندهانشان می‌گریزند. گریگوری وقتی میبیند سفیدها و سرخها چگونه اسیران یکدیگر را که هموطن هم هستند میکشند, دلزده و دلخسته عزم خانه و کاشانه میکند. گریگوری به خانه ی‌آیی‌آید در حالیکه پدرش, مادرش, برادرش, زن برادرش, پدرزنش, و همسر قانونی ادرامسسسننسانانسسسسنناساندالالالالالالالالالالالالالالالالالالانوالالالانوا،اناندانالال والمانونی اشرات Clique aqui para obter mais informações. اما غافل از اینکه همولایتی, و دوست سابقش: «میخائیل کاشه ووی», که از ابتدا به سرخها پیوسته, و هوادار متعصب و سرسخت کمونیستها شده بود, و خواهر او را نیز به زنی گرفته, و در منزل آنها ساکن شده بود - قصد دارد او رابه این خاطر که ضدانقلابی است دستگیر e از بین ببرد. گریگوری می‌گریزد و چندماه با سسته‌ ای یاغی همگام می‌شود. Clique aqui para obter mais informações sobre os direitos de importação e de propriedade para terceiros e para terceiros (incluindo informações sobre a conta e o endereço de e-mail do usuário). محمدردد (زندگی آرام) می‌رود. آکسیانادر این راه توسط نگهبانانسرخ کشته می‌شود و گریگوری او را دفن می‌کند و از آنجا می‌رود. گریگوری که همه چیزش را باخته‌ است e به خانه برمیگردد ، و درمی‌یابد ههددتاش نیز از بیماری جان سپرده‌ است. گریگوری اس از آن ، به ابادیمزرعه خویش می‌پردازد و زمان می‌گذرد و سسرش میشاتکا ازدواج مسندا،الدرای‌راپ م اردالتالتردالتالقراخ ‌ مرردا‌ م‌ردا، م‌ردخ،ت ‌ مخراخ ‌ مرراخ ‌ مرردخ زمان می‌گذرد ولی دن همچنان آرام به مسیر خود به سوی دریا ادامه می‌دهد. ... هر سه برایم گوارا بودند. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Aprile Tucholski

E Quiet Flows the Don: Parte 2 de 2 (E Quiet Flows the Don # 3-4), Mikhail Sholokhov
Tiknii Don = Quietly Flows the Don: um romance em quatro livros
E Quiet Flows the Don ou Quietly Flows the Don ou Quiet Don, é um romance épico em quatro volumes do escritor russo Mikhail Aleksandrovich Sholokhov. Os três primeiros volumes foram escritos de 1925 a 1932 e publicados na revista soviética Oktyabr em 1928-1932, e o quarto volume foi concluído em 1940. A tradução em inglês dos três primeiros volumes apareceu sob esse título em 1934. O romance é considerado uma das obras mais significativas da literatura russa no século XX. Ele descreve as vidas e lutas de Don Cossacks durante a Primeira Guerra Mundial, a Revolução Russa e a Guerra Civil Russa. Em 20, Sholokhov recebeu o Prêmio Nobel de Literatura por este romance.
Data de nascimento: 1980 Data de nascimento: XNUMX
تاریخ خوانش: ماه اکتبر سال 1984 میلادی
Nome do navio: دن‌ آرام / جلد سوّم چهارم ؛ میخائیل شولوخوف مترجم: احمد شاملو تهران ا انتشارات مارات بالمارات بالمارات
نخستین بار برگردان روانشاد «به آذین» را خواندم, سپس نسخه ای به زبان انگلیسی, که نام مترجمش یادم نمانده است, سپس باز هم برگردان روانشاد احمد شاملو را خواندم. هر سه برایم گوارا بودند. اما درباره ی داستان دن آرام و ترجمه ها: برگردان نخست را روانشاد محمود اعتمادزاده (به آذین) انجام داده, سپس جناب منوچهر بیگدلی خمسه آن را ترجمه کردند و پس آنگاه بود که روانشاد احمد شاملو نیز دن آرام را به فارسی برگرداندند تا بماند یادگار . روانشاد شاملو از روی ترجمه فرانسوی: آنتوان وی‌تز ، رمان را به فارسی برگردانده‌ است. جناب ایرج کابلی در مقابله با نسخه روسی, با روانشاد شاملو همکاری داشته‌ است. و اما داستان: دن آرام داستانی ست درباره ی کازاکهای (قزاقهای) ساکن دن, و شرح زندگی یک خانواده کازاک به نام «ملخوف», در زمان صلح, و در سالهای سرنوشتساز جنگ اول جهانی, انقلاب ماه اکتبر سال 1917 میلادی روسیه, و در یک جنگداخلی تلخ است. البته قهرمانان و نقش آفرینان داستان ، همانند رمان: «جنگووصلح» تولستوی ، بسیار هستند. Clique aqui para obter mais informações: «»ریگوری» گریگوری شخصیتی شجاع, جنگاور e خستگی‌ ناپذیر است, که در تمام رویدادهای بزرگ تاریخی زمان خویش حاحرس. او هرگز نمی‌داند چرا می‌جنگد. آیا علیه آلمان‌ها می‌جنگد ، یا علیه بلشویکها؟ در جستجویعدالت ،اهی با سرخ‌ها ارتباط برقرار می‌کند ، و گاه به سراغ سفیدها می‌رود. (سرخ: لقب کمونیست‌ها و سفید: عنوان طرفداران امپراتوری). او عاشق روسیه‌ است ، اما از تزار نفرت دارد. او دولتی سوسیالیستی می‌خواهد به شرطی که مالکیت کازاک‌هابر زمین را دست نخورده باقی گذارد. تجربیات سیاسی و نظامی گریگوری, که به خاطر رخدادها و مشکلات جنگ اول جهانی, و انقلاب روسیه, به دست آورده, در پس داستان عشق شورانگیز و غمانگیز وی رنگ میبازند. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Hinkle Busler

Inicialmente, pensei que ler isso levaria mais de um mês, mas de alguma forma eu consegui balançar sua cara russa. Não é segredo que esses volumes russos geralmente podem ser densos, cheios de centenas de caracteres (com vários nomes diferentes) fazendo coisas em ambientes altamente detalhados, onde coisas como uma folha de grama ou uma pedra no rio de alguma forma conseguem ser um caracterizam-se por cinquenta páginas ou mais. Os romances russos são sombrios e frios, assim como a terra de onde vieram. Muitos dos autores tinham barbas, até as mulheres autoras! (Ou então eu gosto de imaginar.)



(Sholokhov, infelizmente, não tinha barba. A certa altura, ele tinha bigode, mas isso dificilmente conta.)

Silêncio Fluxos o Don não é excepção na terra dos romances russos escuros e frios. Este livro tem circunferência, bebê. O Don do título refere-se ao Don River e certamente é um personagem do livro. Tem atitude e aparentemente emoções. (Ok, na realidade? A atitude e as emoções dos personagens humanos são refletidas no movimento do rio. É tudo muito literário, sim. Simbólico e merda.)

A história começa no início do século 20, antes da Primeira Guerra Mundial e tudo, e gira em torno de um Cossaco família. Eu mencionei que havia muitos personagens? Havia. De acordo com a Lista de Personagens no início do livro (a que me referi regularmente), existem 32 personagens principais, 53 Pessoas Históricas, incluindo alguns nomes conhecidos como Stalin, Lenin e Trotsky. Eu sou péssima em matemática, mas sei que o total geral chega a 85 caracteres. (E talvez mais do que a Lista de Personagens não ache necessário mencionar?)



(Isso é um cossaco. Burly, certo?)

Então esse cara Sholokhov. Ele era fã de Tolstoi, o que eu acho que é bastante evidente em Silêncio Fluxos o Don. Eu diria que Sholokhov escreveu este livro com Guerra e Paz em mente. Gostar Guerra e Paz, Silêncio Fluxos o Don é sobre guerra - embora, em vez de focar na invasão francesa da Rússia, como no Tolstoi, a história de Soholokhov girasse em torno do início da Primeira Guerra Mundial e da Guerra Civil Russa. Também há períodos de "paz" nos dois livros, momentos de inatividade nos quais vemos um lampejo de vida em casa - as mulheres, as crianças, as fazendas - embora a política nunca pareça sair dessas páginas. Este é um romance com carga política, e as políticas pessoais de Sholokhov estão em todas as páginas. (Isso pode fique entediado, obrigado por perguntar.)

Mas estou feliz por ler isso. No que diz respeito aos russos, Sholokhov é um assunto sobre o qual não ouvi falar muito. Aparentemente, ele e Aleksandr Solzhenitsyn teve alguns problemas que eu acho interessantes. Quero dizer, Solzhenitsyn parecia que ele poderia chutar alguns traseiros. (Ou pelo menos sufocar pessoas até a morte em sua barba.) Não posso dizer que Sholokhov era tão bom quanto seus antepassados ​​como Tolstoi, ou mesmo alguns que vieram um pouco mais tarde, como Solzhenitsyn. Mas uma boa contribuição para a literatura russa e uma boa leitura sólida, no entanto.
Comentário deixado em 05/18/2020
Cressida Kabid

em 1965 Mikhail Sholokhov foi agraciado com o Prêmio Nobel de Literatura por E Quiet Flows the Don. Trata-se de um longo romance sobre o povo cossaco, que abrange um período que começa no final da Guerra Russo-Turca de 1877-1878, durante a Primeira Guerra Mundial, a Revolução Russa e a Guerra Civil Russa.

A versão audível em inglês do E Quiet Flows the Don tem 13 horas, unresumida, lida por Stefan Rudnicki, mas é apenas a primeiro dos quatro volumes do livro. Os três volumes a seguir, aqui apresentados em ordem, são intitulados O Don flui para o mar, Solo virgem revolvido e Colheita no Don. O primeiro volume, que é o máximo que cheguei e reviso aqui, termina durante a Primeira Guerra Mundial.

Três coisas se destacam e tornaram o romance especial para mim.

Eu gosto muito do estilo de prosa do autor. Vou fornecer uma citação:

“E sobre a vila passaram os dias, passando pela noite; as semanas passavam, os meses se arrastavam, o vento uivava e, envolto em um tom de outono translúcido, translúcido e azul esverdeado, o Don corria tranqüilamente para o mar.


Gosto das palavras que o autor escolhe. A linguagem não é florida, é simples e forte. Abrange uma corrente de sentimentos. O autor fala da terra, do rio, do vento e do povo cossaco. Ele presta atenção ao básico - como a sujeira absorve o orvalho, o uivo do vento, as cores, a majestade e a beleza elementar das estepes e do rio.

Assim como ele magnificamente desenha a paisagem, ele captura a essência do povo cossaco - sua paixão, sua natureza de sangue quente e seu espírito turbulento. O senso de pertencer a um grupo. Eu li os cossacos em muitos livros, mas sei que os conheço. Esta é a segunda razão pela qual eu gosto muito deste livro.

Minha apreciação da prosa deve-se em parte ao tradutor do livro, Stephen Garry.

Em terceiro lugar, como o autor constrói o romance é bem feito. Sendo essencialmente um grupo de pessoas, e não indivíduos particulares, ele vincula muitos a alguns personagens centrais, com a família Melekhov de Tatarsk no centro. Tatarsk é uma vila do vale do rio Don. A família é composta pelo pai, mãe, dois filhos e uma filha, que é o caçula. O filho mais velho é casado. O filho mais novo, Grigori Melekhov *, é o principal protagonista da história. Ele ama a esposa do filho em uma família vizinha. Isso é um escândalo na vila. Não é para ser aceito. Ele é alternadamente gargalhado e desprezado e depois empurrado para o casamento. Sua esposa o ama, mas ele não a ama. Não se pode negar o que se sente. Acima de tudo, os cossacos são um povo emocional.

Vou dar apenas um exemplo de como os muitos, muitos personagens e diversas histórias se conectam a Grigore. Ele está em guerra, na Primeira Guerra Mundial, e está na cavalaria. Cavalos estão galopando, sabres e lanças voam. Somos apresentados a um novo personagem, um jovem recruta cossaco recém-recrutado, um estudante de matemática. Ele está escrevendo um diário. Ele está apaixonado ... ele está decepcionado e depois morre. Seu caderno está nas mãos de Grigori. Ao jogar nesse novo personagem, os leitores recebem outra figura, outro cossaco, outro soldado da guerra. Com esta pequena história, humor e tristeza se juntam. Isso me fez primeiro sorrir e depois suspirar. A multidão de indivíduos ligados aos poucos personagens centrais permite que os leitores compreendam os cossacos como um grupo, como um povo, como um todo, composto de diferentes tipos de personalidade, pessoas de diferentes idades e experiências. O autor faz isso muito bem; ele sabe o que colocar e o que deixar de fora.

Stefan Rudnicki narra o audiolivro. Eu gosto muito de como ele lê, então quatro estrelas para a narração. Ele fala claramente e com força. Ele mantém um bom ritmo. Sua pronúncia de nomes russos permite distinguir facilmente um do outro.

Espero que os três volumes restantes em breve estejam disponíveis no Audible e espero que eles também sejam lidos por Stefan Rudnicki.


* Dizem que Grigori Melekhov se baseia em duas pessoas reais, dois líderes anti-bolcheviques do Alto Don.
Comentário deixado em 05/18/2020
Longtin Grotheer

Como escrever uma resenha do livro favorito de todos? Alguém corre o risco de cometer um dos dois erros: pode-se ignorar falhas e elogiar demais, a ponto de jorrar; ou, pode-se tentar ser crítico demais na tentativa de ser imparcial e, assim, vender o trabalho a descoberto.

Quiet Flows the Don, de Mikhail Sholokhov (essa é a edição inglesa completa e completa de Tikhii Don, "The Quiet Don" no original russo) não é um livro fácil de ler. Não é algo para quem tem atenção limitada e / ou nenhum conhecimento de história. E, embora seja um romance de guerra, enfaticamente não é para quem procura ação.

A Guerra Civil Russa foi um dos eventos mais marcantes da história. Este não é o lugar para discutir seus efeitos, mas duas coisas devem ser lembradas: primeiro, se não tivesse acontecido, o século XX teria sido quase totalmente diferente em todos os aspectos; e, em segundo lugar, a vitória dos bolcheviques na guerra estava longe de ser garantida. À medida que a guerra progredia, o Exército Vermelho não tinha apenas que lutar contra os brancos, mas contra anarquistas, formações de bandidos variados e cossacos rebeldes, que trocaram de lado várias vezes quando a maré dos eventos tomou conta deles.

O livro é a história de um desses cossacos, e das mulheres que ele ama, e as lutas pelas quais ele passa.

Grigorii Melekhov é um jovem cossaco no vale do Don pouco antes do início da Primeira Guerra Mundial. Ele ama Aksinia, a esposa de outro cossaco, e isso resulta em tanta luta e tumulto que seu pai o força a casar com outra mulher, Natalya, que é tão doce e gentil quanto Aksinia é impetuosa e determinada. Finalmente, Aksinia e Grigorii fogem juntos e encontram emprego na mansão de um rico proprietário de terras, onde podem encontrar um pouco de felicidade.

Mas a guerra chega, a Primeira Guerra Mundial, e o czar ordena os cossacos à frente. Grigorii é enviado para a frente austro-húngara e, pela primeira vez, mata homens em combate. Enquanto isso, enquanto a guerra se arrasta, a autocracia czarista começa a entrar em colapso sob o peso de sua própria corrupção, e as massas começam a se levantar em protesto.

Os cossacos de Don não estavam diretamente envolvidos na derrubada da monarquia, e as notícias só chegaram a eles mais tarde, causando ansiedade mais do que qualquer coisa. Afinal, apesar de terem sido rotineiramente usados ​​como bucha de canhão pelos czares, eles eram histórica e quase organicamente parte do aparato czarista e não podiam imaginar a vida sob nenhum outro sistema. No entanto, eles não tiveram exatamente uma escolha no assunto, e logo as marés da Guerra Civil os inundaram.

Muito além de não ser um livro para pessoas com problemas de atenção, este livro não é para os mais sensíveis; a Guerra Civil Russa foi uma das mais brutais da história, com ambos os lados (ou, para ser exato, todos os lados) massacrando rotineiramente prisioneiros e realizando o que hoje seria considerado crime de guerra. Nesta guerra, havia dois tipos de combatentes; alguém que foi ideologicamente guiado e lutou de um ou de outro lado, através da vitória ou derrota; e, por outro, o tipo de soldado que lutou não pela ideologia, mas em defesa de seu próprio grupo étnico e de seus interesses percebidos. Grigorii Melekhov era enfaticamente um dos últimos, e alternava entre os lados vermelho e branco conforme a sorte da guerra ditava.

Enquanto isso, as duas mulheres em sua vida, Natalya e Aksinia, vivem sob seu próprio tormento particular - Natalya, marcada por uma tentativa de suicídio, sua tentativa de fazer uma vida novamente com Grigorii sabotado pela guerra; e Aksinia, dividida entre o marido, a quem ela não ama e que não a ama, e Grigorii, cujo filho ela teve e que ela conhece está dividido entre ela e Natalya. É uma história de amor e também de guerra, e nessas circunstâncias o resultado não pode ser trágico.

A escrita, mesmo na tradução, é excelente, os personagens secundários brilhantemente gravados. Não é um livro que se possa ler e dizer para si mesmo: “Agora isso é uma coisa supérflua; alguém poderia simplesmente deletá-lo e nada seria perdido ”. Até o manobrista insignificante do proprietário de terras tem seu próprio lugar na narrativa, servindo para preencher a tela. E há um momento estranho em que se vê a esperança do futuro, como o alemão, a quem Grigorii faz prisioneiro no início do romance e depois solta, que aperta a mão e diz a ele: “Nas próximas guerras de classe estaremos no mesmo lado das barricadas, não vamos, camarada?

Uma das coisas mais importantes sobre o romance é o tratamento compreensivo dos brancos; embora escrito na URSS de Stalin por um autor de establishment, está tão longe de uma polêmica comunista quanto possível. O fato de ter ganho o Prêmio Stalin em 1941 é outra prova de algo que eu disse antes e direi novamente: a suposta perseguição de dissidência por Stalin é pelo menos parcialmente exagerada, não menos importante, por seus sucessores como Khrushchev para seus próprios objetivos políticos.

Quais são as falhas do livro? Além do fato de que é necessário pelo menos algum conhecimento prévio da Primeira Guerra Mundial e da Guerra Civil Russa, incluindo uma idéia da sociedade civil russa da época, em dois volumes grossos certamente não é algo a ser passado em uma sessão. Ao longo de quase uma década, o fluxo e refluxo de caracteres às vezes pode ser confuso, especialmente se alguém é iniciante na literatura russa e não consegue se lembrar de nomes russos.

Além disso, a única conclusão que se pode tirar deste livro é que, quando os irmãos brigam, ninguém vence. Até o vencedor perdeu o que valeu a pena lutar.

Completamente e absolutamente recomendado, para quem se importa.
Comentário deixado em 05/18/2020
Erda Mondale

Um dos melhores livros russos que eu já li. "Épico arrebatador" é algo clichê a dizer?

Um épico arrebatador.
Comentário deixado em 05/18/2020
Sandberg Heft

Em russo, a prosa mais lindamente escrita e original que eu já li, por uma milha. A linguagem é simplesmente deslumbrante e faz com que objetos inanimados pareçam tão vivos quanto a maioria dos personagens humanos em romances comuns. Seria uma tarefa monumental traduzi-lo para outros idiomas, eu suspeito ..

Além do idioma, é uma leitura épica sobre um povo muito interessante em um momento crucial da história da Rússia - cossacos durante a Revolução Russa. Ele descreve a vida de personagens comuns, mas ferozes e coloridos, tentando passar por um tsunami histórico impiedoso. Paixão, necessidade de liberdade, guerra civil que tudo consome, pessoas de grande espírito terreno que estão dispostas a suportar o sofrimento, mas não a submissão.

Comentário deixado em 05/18/2020
Nevil Cristaldi

Leitura fabulosa ...

... e agora, para uma visão irreverente e equilibrada, por meio de um filme de Rupert Everett (bateu no bichano): http://www.imdb.com/title/tt0384712/

Mea Culpa: veja essa linha acima do filme. NÃO! O filme é mais do que meu coração sincero poderia ter imaginado. Soberbo!

Se alguém me perguntasse qual é o melhor livro de todos os tempos, teria que ser esse.

Uma releitura de inverno está agora no topo da agenda.
Comentário deixado em 05/18/2020
Salvadore Klitsch

Um livro sobre a vida dos cossacos que se aproxima dos tempos da Primeira Guerra Mundial e da Revolução Russa. É um relato mais realista da vida rural que encontrei. Os personagens são complexos, com uma aspereza no comportamento visível e o autor escreve tão bem sobre Don e as áreas ao seu redor.
Comentário deixado em 05/18/2020
Veal Winchenbach

Estava tudo bem. Não deveria ter sido 554 páginas ...

A primeira seção ("Paz") chamou minha atenção porque nunca havia lido descrições do velho estilo de vida cossaco antes. Foi legal ver a vida cotidiana deles por um tempo (especialmente como um grupo étnico e social distinto dos camponeses russos). No entanto, nas seções posteriores, o livro residia fortemente nos acontecimentos desta região da vila. Isso é problemático por alguns motivos. 1) já obtivemos todas essas informações na primeira seção. 2) Ele rompe / tira os eventos muito mais interessantes que abordarei em um segundo. 3) Eu realmente não me importei com a minúcia desses personagens depois de um tempo. Seu drama romântico, drama familiar, etc. me entediaram.

A segunda seção ("Guerra") é provavelmente a melhor. Neste, os cossacos são enviados para combater austríacos / alemães. As representações de guerra neste livro são consistentemente boas. Isso também é interessante porque é onde entra o realismo socialista, enquanto o bolchevismo se arrasta pelas fileiras militares. Também fica longe da aldeia natal mais do que os capítulos subsequentes.

A próxima seção ("Revolução") é fortemente socialista, o que foi muito divertido. Há uma razão pela qual a adaptação operística disso ganhou um prêmio de Stalin. Realmente faz você simpatizar com os bolseiros de uma maneira convincente, não descaradamente propagandística. Esta seção e a subsequente também são interessantes, pois representam uma série de eventos históricos reais familiares a qualquer estudioso da história da Rússia. No entanto, passamos muito tempo nessa vila tediosa neste capítulo.

A última seção ("Guerra Civil") foi legal porque, como no capítulo anterior, utiliza o diálogo entre uma variedade de personagens para dar ao leitor uma amostra legal de todo o leque de interesses políticos ativos no período da guerra civil. Há muito tempo na Vila aqui, mas a ação realmente acontece lá dessa vez, em vez de apenas pescar e dormir por aí. Boas cenas de batalha e eventos históricos. Isso arrasta embora.

Basicamente, este livro teria sido ótimo se tivesse metade do comprimento, focado menos na vila e enfatizando os outros pontos fortes que mencionei (guerra, socialismo, eventos históricos, fatores culturais da vida dos cossacos e bolchevismo). Eu nunca li "Guerra e paz", mas sinto que a comparação não é adequada.
Comentário deixado em 05/18/2020
Querida Ashmin

Portanto, este livro como um livro ... está se tornando tão difícil de ler literatura como apenas obras de arte e não como artigos de uma cultura. Este livro parece ter muita história e contexto em torno de sua criação e publicação. O livro real pode apenas sugerir a cultura das pessoas exibidas em suas páginas. Todas as idéias conflitantes que os personagens representam apenas sugerem a complexidade da época.

Sholokhov era um cossaco e ele escreveu um livro sobre cossacos. Por que isso de repente é tão complicado? Tem sido contestado se ele escreveu isso: algumas pessoas dizem sim e outras não. As tensões em torno do Prêmio Nobel durante a década em que este livro ganhou apenas destacam quanta discussão envolveu os livros daquela década. Havia muitas obras-primas publicadas durante esta década e este livro venceu alguns dos grandes nomes.

No começo, eu li isso apenas como um livro, nada mais. Tentei não considerar a história ou o contexto social durante a leitura. Como uma obra de ficção, é uma ótima história sobre uma região e pessoas que eu conheço muito pouco, que têm uma cultura cheia de beleza e singularidade. No meio da leitura, isso me levou a explorar um pouco da história deles, no que eles acreditam e um forte desejo de ler livros de autores da Europa Oriental. Sua mitologia, música, dança, crenças e comida são todas intrigantes para mim e este livro apenas as apresentou a mim.

No entanto, este livro não celebra sua cultura, na verdade não. Em algumas passagens, a escrita canta imagens da natureza que devem ter sido impregnadas na cultura cossaca. Algumas das ações do personagem mostram que são ferozmente protetores de uma cultura sendo atacada por outra. Talvez este livro possa apenas destacar quão complexa é a cultura e quão difícil é para um autor compactar uma cultura viva em uma página.

Esta é uma descrição precisa deste livro? Os cossacos honraram suas tradições e foi sua música que os trouxe de volta para casa. Idéias conflitantes são o que as separou quando precisavam permanecer unificadas. Quanto da história foi alterada para complementar a história ou aderir aos censores quando foi publicada? Quais partes da cultura não podem ser traduzidas para o inglês? Quantos outros lados estão na história? Algum deles está correto?

Uma observação sobre a tradução, colada em nosso bate-papo sobre isso no grupo russo:
"Com a tradução de Daglish, você pode acompanhar onde estão as pessoas da tradução de Garry, olhando para a cópia gratuita on-line aqui https://archive.org/stream/in.ernet.d... para referência. A numeração das páginas parece diferente da edição Garry [Vintage / Modern Penguin Classics], mas os cabeçalhos dos capítulos e o detalhamento da cópia gratuita do Garry ainda devem ser os mesmos.

Sim. A tradução de Daglish tem todo o trabalho, incluindo o chamado The Don Flows Home to the Sea. Estou planejando ler o livro inteiro (versão Daglish). Sholokhov chama o livro inteiro, incluindo todos os volumes juntos, Тихий Дон, o que significa simplesmente Quiet Don "
Comentário deixado em 05/18/2020
Jobina Oertel

Este é um livro realmente estranho - está dividido em quatro partes. Os dois primeiros são brilhantes e resistentes descrições da vida camponesa em paz e guerra. A terceira parte vê a estrutura do romance em colapso à medida que a Revolução Russa ocorre. Sholokov foi claramente obrigado a incorporar muita teoria marxista e o tom se torna bastante abstrato. A parte final vê um retorno ao campo e um final inconclusivo.

A única progressão consistente neste romance é o papel e o tratamento das mulheres. Nos capítulos iniciais, as mulheres são espancadas e até linchadas para feitiçaria. No final, eles participam da revolução como soldados ao lado dos homens.
Comentário deixado em 05/18/2020
Leese Pardey

Um grande romance épico russo sobre a vida das pessoas comuns em tempos de turbulência, uma história sobre paz, guerra, vida e morte!

Uma obra-prima absoluta escrita em um idioma excelente!

Um Prêmio Nobel bem merecido!
Comentário deixado em 05/18/2020
Fontana Crist

Esses russos certamente sabem escrever um romance! Livro incrível - incrivelmente moderno, dado quando foi escrito - quase feminista em alguns lugares. Os personagens são tão reais, falhos, humanos e irritantes - enredo como o Don, grosso e implacável ... Um livro com o poder de fazer você pensar de maneira diferente sobre as coisas da sua própria vida (o que é obviamente muito diferente da vida num cossaco aldeia ou regimento). Difícil imaginar que ele tenha escrito algo tão 'in' em seu tempo, mas também tão atemporal ...
Estou lendo o próximo 'O Don volta para o mar' no meu próximo conjunto de longos vôos.
Comentário deixado em 05/18/2020
Pearlman Vanloan

Muito complexo, aprendi mais sobre a Rússia neste livro do que qualquer outra coisa que li. Apesar de ser muito anti-russo naquela época, eu adorei.
Comentário deixado em 05/18/2020
Melba Altes

Muito tarde da noite, cheguei ao final deste livro épico único. O tesouro da literatura russa, concedido pelo prêmio Nobel, merece totalmente ser considerado um dos melhores romances do século XX.
Começa com o primeiro livro, descrevendo uma vida pacífica de várias famílias cossacas e Sholokhov coloca duas pessoas na frente e no centro da história: Grigori e Aksinia. Tudo o que posso dizer é que estou apaixonado pelos dois. Dois personagens realistas incríveis, falhos, apaixonados, lógicos, às vezes ilógicos. Eles realmente fazem as coisas que as pessoas reais poderiam fazer em seus lugares. O primeiro do quarteto de livros é sobre a vida, introduzindo a vida normal como era antes da Guerra ser afetada. De longe, é o meu livro mais amado de quatro deles.
O segundo livro se afasta tanto do primeiro que você realmente está fazendo a pergunta. Espere, é a continuação? Sim, ele é. O tema principal desta parte é a Primeira Guerra Mundial e o crescente poder soviético. Sholokhov nos mostra Grigori no meio dos eventos. Ele está mostrando como a revolução aconteceu na mente de soldados cansados ​​morrendo no campo. Aqui eu tive um pequeno problema, mas depois de ler o livro inteiro, acho que o autor fez certo ao compartilhar apenas algumas cenas com Aksinia no centro.
O terceiro livro é sobre a Guerra Civil. O desenvolvimento do personagem de Grigori é avassalador. Nós ficamos mais sábios com ele, ele é maduro, podemos ver que ele era um garoto no começo, mas agora ele é um homem tão viril.
O quarto livro é sobre lutar por sua própria vida. Antes que o protagonista lutasse por ambos os lados, hesitando, vindo de um lado para o outro. Mas agora ele quer apenas estar vivo, viver com os entes queridos, se afastar de todos esses problemas do mundo.

Eu recomendo este livro para os fãs de história, que querem olhar além, para quem procura uma boa história de amor e para quem quer conhecer a cultura russa por dentro.
Comentário deixado em 05/18/2020
Yun Fornerod

Encontrei uma tradução de Robert Daglish que foi revisada e editada por Brian Murphy. Esta edição foi publicada pela Carroll & Graf em 1996. O ISBN é: 0786703601. JM Dent a publicou no Reino Unido.
Eu estava querendo ler isso desde o colegial, quando meu pai ocasionalmente se referia a um grande livro que ele havia lido anos antes. Naquela época, a tradução em inglês do título era E QUIET FLOWS THE DON. Ele disse que se tratava de um soldado russo levado ao ponto de exaustão. Ele acrescentou que achava que as autoridades soviéticas haviam escorregado em propaganda porque, depois de seções de tremenda beleza, apareceria um absurdo castigo.
Em algum momento dos anos XNUMX, li um artigo de Alexander Solzhenitsyn, afirmando que esse romance foi realmente adulterado pelo governo soviético.
Sinto que a tradução e revisão de 96 restauraram parte do trabalho original do autor. Ainda não li a introdução, que descreverá o método do editor, mas estou ansioso por isso.
Comentário deixado em 05/18/2020
Maloy Blandshaw

E sobre a vila passaram os dias, passando pela noite; as semanas passavam, os meses se arrastavam, o vento uivava e, envidraçado com um tom de outono translúcido, translúcido e verde-esverdeado, o Don corria tranqüilamente para o mar.
*
Quando arrastada para fora de seu canal normal, a vida se espalha em inúmeros fluxos. É difícil prever o que seguirá em seu curso traiçoeiro e sinuoso. Onde hoje flui em águas rasas, como um riacho sobre bancos de areia, tão rasos que os cardumes são visíveis, amanhã fluirá rica e plenamente.
Comentário deixado em 05/18/2020
Pearce Bickleman

Mo Yan, o Prêmio Nobel de 2012 e principal apologista do regime comunista chinês, considera Mikhail Sholokhov como um dos grandes escritores do século XX. Na opinião de Yan, Sholokhov é o grande mestre em mostrar a enorme dificuldade de implantar uma visão de mundo verdadeiramente da classe trabalhadora em um país após uma revolução comunista. Deve-se familiarizar-se com Sholokhov não pela qualidade literária de sua obra, mas porque ele é representante de um grande fenômeno histórico que ainda está em andamento.

No entanto, de maneira alguma estou convencido de que "And Quiet Flows the Don", que geralmente é considerado sua obra-prima, é a melhor obra a ser lida para se familiarizar com esse gigante do gênero realismo social.

No Volume Um, Sholokhov leva 650 páginas para contar uma história que poderia muito bem ter sido contada em 150 páginas. Os personagens são todos bastante repulsivos. Os homens são brigões e estupradores. As mulheres são promíscuas rotineiramente atacando amantes sempre que seus maridos partem para prestar seu serviço militar ou realizar outros negócios fora de casa. Os membros piores de ambos os sexos estão altamente comprometidos com o status quo. Eles não são capazes nem dispostos a analisar sua sociedade em termos marxistas. Um proselitista comunista visitante praticamente não tem sucesso em elevar a consciência de classe. O Volume Um lembra muito o "La Terre" de Emile Zola, que também trata do tema da primitividade, brutalidade e toda estupidez generalizada da vida camponesa na Europa nos anos anteriores à Primeira Guerra Mundial. No entanto, ao lado de Zola, Sholokhov é muito sério e pedante.

"And Quiet Flows the Don" melhora após este sombrio Volume Um. Não obstante
Eu recomendaria a qualquer pessoa curiosa sobre Sholokhov que leia "Virgin Soil Upturned", que é um retrato fascinante da coletivização da agricultura ucraniana antes da Segunda Guerra Mundial. Os personagens são mais envolventes e o enredo é dramaticamente superior.
Comentário deixado em 05/18/2020
Mulligan Kaleohano

E Quiet Flows the Don por Mikhail Sholokhov é tecnicamente ficção, pois os personagens (exceto Lenin, embora ele tenha acabado de mencionar de passagem) não eram pessoas reais. O livro analisa a vida dos cossacos de Don - pessoas do sul da Rússia / ucranianas que vivem ao longo do rio Don - enquanto enfrentavam 8 anos de história russa particularmente cansativos envolvendo a Primeira Guerra Mundial, a Revolução Russa e a Guerra Civil Russa que se seguiu. .

Muitas vezes, quando você aprende história na escola, trata-se de eventos isolados, e raramente é do ponto de vista de alguém que não seja quem está no poder. O czar Nicolau e o fim prematuro e violento de sua família em 1918 são bem conhecidos, mas ver a tomada pelos bolcheviques do ponto de vista das classes média e baixa não é. Na verdade, é algo que abre os olhos - imagine ser um soldado lutando em uma guerra contra outros países enquanto seu próprio país está envolvido em uma guerra civil. Como você pode saber de que lado você está, muito menos querer arriscar sua vida na confusão?

Sholokhov é um comentário multifacetado sobre a vida russa no início do século XX. O foco está nos Melekhovs, uma família cossaca que vive em Tatarsk. Abrange tudo, desde seus namoros conjugais na vida civil até o tempo em guerra e ruminações sobre o clima político volátil. Muito abrangente, quase esmagadoramente, mas uma imagem clara de quão brutal e sem sentido a guerra pode ser para pessoas que, de outra forma, ficariam felizes vivendo suas vidas ao ritmo do Don e das estações do ano. 20 estrelas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Varion Haigwood

Finalmente estou livre.
Não estou me incomodando com uma revisão adequada. Este livro roubou bastante do meu tempo.
Comentário deixado em 05/18/2020
Durham Bowie

Impressionante!!!

Eu tenho lido muitas resenhas de que este livro de Sholokhov - o segundo Prêmio Nobel da Literatura Russo só pode ser comparado à "Guerra e Paz" de Tolstoi ... Eu me preparei para essa premissa, não porque é assustador, mas porque (depois de ler Guerra e paz, um dos meus quatro romances favoritos de todos os tempos), estou em um passeio inesquecível na montanha-russa literária - e Sholokhov não decepcionou !!! Como "Guerra e paz", este livro é enorme, ambicioso e exigente! Eu assisti até dois documentários sobre a Revolução Russa e procurei personagens reais incluídos neste livro como Kaledin e Kerensky. Como este livro é um "grande negócio" no mundo literário, fiz questão de realmente dar tempo para digerir completamente cada página. Dica: leia-o devagar, mas continuamente (diariamente / regularmente), o número de caracteres (sem mencionar os nomes russos intimidadores) pode ser confuso. Os capítulos da revolução e da guerra civil são complexos e muitas vezes (eu acho) rápidos e instáveis, mas mesmo assim uma leitura incrível!

Estrelas 5!
Comentário deixado em 05/18/2020
Mose Eichhorn

O enredo começa com a Guerra Mundial em uma pequena vila às margens do rio Don. Grigori Melekhov mora lá com sua família, que consiste em seus pais, irmã e um irmão casado.

Grigori está em um caso de amor com uma mulher casada chamada Aksinia. Seu marido Stephan está no exército. O povo tradicional não aprovava seu relacionamento e, por causa do pai de Grigori, Panteley, organiza seu filho para se casar com Natalya. Ela veio de uma família rica.

Grigori casou-se com ela, mas ele não estava feliz. Ela era uma esposa boa e leal, mas um pouco fria. Depois de alguns anos, Grigori voltou para Aksinia.

Os primeiros apoiadores comunistas começaram a aparecer na vila e estavam lutando pela igualdade.

Grigori fugiu com Aksinia e eles trabalharam no campo de um oficial militar aposentado. Enquanto isso, Natayla deu à luz o filho de Grigori e exigiu que ele deixasse Aksinia e cuidasse deles. Grigori se recusou a fazê-lo, então Natalya tentou se matar.

A guerra começou e Grigori foi mobilizado para o exército. No começo, ele se sentiu mal com o assassinato e o sangue, mas logo ficou com ele. Ele foi ferido várias vezes e, por sua grande coragem, foi homenageado.

Logo depois que sua filha Tanya morreu de difteria. Aksinia estava sozinha e desesperada e, nessa condição, o filho do oficial aposentado a seduziu. Quando Grigori descobriu, ele terminou seu relacionamento com Aksinia. Depois disso, Grigori confrontou o filho do policial e decidiu voltar para a vila. Ele também voltou para Natalya.

A guerra começou e os militares ficaram insatisfeitos. Todo o mencionado tornou-se um bom território para a propaganda revolucionária se espalhar por toda a Rússia. Um bolchevique disse que a guerra contra os alemães se transformará em uma guerra civil. Enquanto isso, Natalya deu à luz um menino e uma menina.

O exército ficou cada vez mais cansado e, quando todos acreditavam que a guerra havia terminado, começou uma guerra civil. A revolução de outubro começou e Grigori se juntou aos bolcheviques. Sua honestidade tinha muito a ver com isso, porque ele queria combater a desigualdade e a injustiça. Mesmo que ele acredite em seus ideais, eles se separaram em breve.

Grigori foi atingido pelo assassinato de dois policiais do lado oposto. Eles foram mortos pelo líder do movimento revolucionário.

Quando voltou para casa, decidiu lutar contra os bolcheviques. Mas ele também não estava feliz porque ainda havia assassinatos em cada lado da guerra civil.

Enquanto isso, o filho do policial se casou e abandonou Aksinia. Ela voltou para o marido, Stephan, que foi libertado do cativeiro. Natalya estava grávida de novo e a criança era de Grigori, mas ela não queria estar grávida. Ela tentou terminar violentamente a gravidez e acabou morta.

Grigori foi desmobilizado e voltou para casa. Lá ele conheceu seu genro, que liderava a revolução bolchevique em sua aldeia.

Grigori se juntou a uma gangue, mas logo a abandonou e fugiu com Aksinia. Eles foram emboscados e Aksinia foi morto. Grigori foi destruído e, enquanto enterrava o corpo dela, percebeu como a vida é triste e injusta.

A história traz um evento histórico, uma revolução e um caso de amor apaixonado entre Grigori e Aksinia. O autor tentou nos mostrar uma fé triste em tempos de guerra. Este romance nos fala sobre a história, mas ao mesmo tempo leva uma jornada pela vida de um homem comum.
Comentário deixado em 05/18/2020
Parthenia Morrone

Decepcionante, e eu posso ter sido generoso com minhas 3 estrelas. (Para maior clareza, li a edição Penguin Modern Classics - ISBN 9780241284407, traduzida por Stephen Garry. Esclareço a edição porque suspeito que possa haver outras melhores por aí, mas não sei ao certo).

Este livro é ocasionalmente excelente e certamente captura a aleatoriedade de uma revolução e guerra civil em que as pessoas escolhem lados quase por acaso - e sofrem de acordo. O homem comum nunca teve realmente uma visão de que lado faria o que qualquer escolha era falha. Conta a história dos don cossacos - e geralmente é uma história bastante desagradável de pessoas desagradáveis ​​que fazem coisas ocasionalmente heróicas. Estupro e violência são lugares comuns. Vistas fanáticas são abundantes. Eu não gostei de nenhum dos personagens. Mas este é provavelmente um retrato realista da vida rústica em grande parte do mundo naquela época.

No entanto, acho que ocasionalmente há um grande livro lutando para se mostrar aqui.

O problema é que, em primeiro lugar, a tradução é ruim. Por exemplo, o tradutor fala de cavalos e comida "fumando", quando sou informado por minha esposa, um falante russo fluente, que o mesmo verbo poderia ter sido traduzido como "vapor". Chamar macarrão de "aletria" é ridículo e completamente fora do contexto cultural. Um costume em um casamento de dizer "amargo, amargo", que eu sei que é dito ao casal para fazê-los se beijar, não é explicado. A tradução literal como "amarga" está correta, mas é inútil para um falante nativo de inglês. Talvez algo como "adoce com um beijo" ou algo parecido. Existem muitos exemplos pequenos e similares que irritam e não prejudicam a história. Mas eu prefiro não ficar irritado enquanto leio!

O segundo problema é que a história não flui. Às vezes, parece dar enormes saltos aleatórios. Dado que este livro tem 566 páginas, embora com fonte bastante pequena e outras versões tenham mais de 1000, acho que isso pode ser abreviado. No entanto, isso não é declarado em nenhum lugar. Se for - o tradutor abreviou muito isso. Caso contrário, é um livro mal estruturado. Este é realmente o principal problema.

Portanto, se você conseguir percorrer várias centenas de páginas de prosa traduzida erroneamente, para algumas partes ocasionalmente excelentes e uma boa imagem da revolução em uma história um pouco aleatória - vá em frente. Mas então, talvez você esteja melhor procurando uma versão / tradução diferente, se houver uma por aí.
Comentário deixado em 05/18/2020
Noll Clarenbach

And Quiet Flows the Don, de Mikhail Sholokhov, é um excelente exame de como a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa impactaram os cossacos, vivendo ao longo do rio Don ao norte e entre os mares Negro e Cáspio (veja um mapa). O livro está dividido em três partes: paz, guerra e revolução. Eles correspondem aproximadamente aos períodos anteriores, durante e após a Primeira Guerra Mundial e contemplam a vida daqueles que vivem esses tumultuados eventos.

Em última análise, And Quiet Flows the Don é um romance do século 19, na medida em que pega grandes idéias e as coloca em um ambiente doméstico e vê como essa ideia, ou idéias, se desenvolve socialmente. Isso faz excepcionalmente bem.

Recomendado para qualquer pessoa interessada em literatura russa, cossacos e o impacto do comunismo e da revolução russa (1917-1922) na vida dos cossacos que vivem ao longo do rio Don, na Rússia.

Classificação: 5 de 5 estrelas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Docilla Kesterson

Na verdade, eu daria este livro de cinco a duas estrelas, porque algumas partes tiveram um impacto muito forte sobre mim, enquanto outras foram simplesmente chatas, ideológicas ou extremamente violentas. Até comecei outro livro enquanto estava lendo este livro, porque era demais em algum momento. Fico feliz por ter lido, mas não parece que estarei lendo as sequências no futuro próximo (a reputação das sequências não é tão boa assim). Uma coisa que gostei no romance foi como o autor descreve a situação das mulheres - ele é muito realista sobre o quão desesperado era ser uma mulher nesta sociedade.

Deixe um comentário para E Quiet Flows the Don