Casa > Clássicos > Ficção > Romance > La Dame aux Camélias Reveja

La Dame aux Camélias

Por Alexandre Dumas filho David Coward,
Avaliações: 29 | Classificação geral: média
Excelente
7
Boa
16
Média
4
Mau
2
Horrível
0
Uma das maiores histórias de amor de todos os tempos, este romance fascinou gerações de leitores. O retrato sutil e comovente de Dumas de uma mulher apaixonada é baseado em seu próprio caso de amor com uma das cortesãs mais desejáveis ​​de Paris. Esta é uma tradução completamente nova encomendada para os clássicos do mundo.

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Tumer Mancias

La Dame aux camélias = A Senhora das Camélias, Alexandre Dumas fils
A Dama das Camélias, é um romance de Alexandre Dumas (Filho), publicado pela primeira vez em 1848 e posteriormente adaptado por Dumas para o palco. Escrito por Alexandre Dumas (Filho) (1824 a 1895), aos 23 anos, e publicado pela primeira vez em 1848, The Lady of the Camellias é um romance semi-autobiográfico baseado no breve caso de amor do autor com uma cortesã, Marie Duplessis. Situado na França do século XIX, o romance conta a trágica história de amor entre as personagens fictícias Marguerite Gautier, uma demimondaine ou cortesã que sofre de consumo, e Armand Duval, um jovem burguês. Marguerite é 'a dama das camélias' porque usa uma camélia vermelha quando está menstruada e indisponível para fazer amor e uma camélia branca quando está disponível para seus amantes. Armand se apaixona por Marguerite e, finalmente, se torna sua amante. Ele a convence a deixar sua vida como cortesã e a morar com ele no campo. Essa existência idílica é interrompida pelo pai de Armand, que, preocupado com o escândalo criado pelo relacionamento ilícito, e com medo de destruir as chances de casamento da irmã de Armand, convence Marguerite a sair. Até a morte de Marguerite, Armand acredita que ela o deixou por outro homem. A morte de Marguerite é descrita como uma agonia interminável, durante a qual Marguerite, abandonada por todos, lamenta o que poderia ter sido. ...

تاریخ نخستین خوانش: ماه فوریه سال 1982 میلادی
عنوان: مادام کاملیا e نویسنده: الکساندر دوما سسر مترجم: علیقلی بختیاری ؛ 1318 هجری قمریددالداندالالالالالالالالالالالالالالالالام
:نو :ک،م :نم:::::::::::::::::::::::::::::: 240 1392 237 9789642575824 XNUMX XNUMX XNUMX
Pontos de referência: Estados Unidos da América: Estados Unidos da América
عنوان: مادام کاملیا e نویسنده: الکساندر دوما سسر مترجم: محمد مجلسی, تهران, دنیای, نو یرا،, ی 1382 ر 305 ، 1388
عنوان: مادام کاملیا; نویسنده: الکساندر دوما پسر; مترجم: احمد شهیدی; تهران, سمیر - قصه پرداز, 1383; در 284 ص; تهران, دبیر, 1386; شابک: 9789646552586; چاپ سوم 1389;
عنوان: مادام کاملیا e نویسنده: الکساندر دوما سسر مترجم: سحر ددایتی فر ؛ تهران ، قاصدص صبا وهگم

مادام کاملیا ماجرای عشق, جوان از خانواده ای با اصل و نسب, به نام: «مارگریت» از طریق ارتباطمداوم بامردان والدار ، شهرتو ثروتی اندوخته ؛ اما مهربانیهاب مشادانوچآ چشمدانایگگگگ «ششمدانایگچ« «چد خانواده پسر ،ه متوجه این وصلت شرمگینانه میشوند باعث جدایی «مروان» و مارگاریت »میشردة «آرمان» هم در اثر این شکست, به زندگی بی بند و باری تن میدهد و ...; مارگریت نیز احساس میکند, که ضروری است, این عشق را از افرادی که با آنها رفت و آمد میکند, دور نگاه دارد, و میل تازه ای به پاکی و خلوت گزینی در او زاده میشود. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Huai Meethu

O que acontece com a garota bonita que negocia com ela procura por dinheiro quando termina o prazo de validade? Então ela tem que esperar que o homem que sempre a amou gaste tanto o dinheiro que precisa, apesar de sua constante rejeição quando estava no topo do jogo, e o julgou pobre demais para fornecer a ela os luxos que ela sentia direito.

E espero que ele não se importe que ela diga que o ama apenas agora que está desesperada. Também não se importa com a doença que devastou seu corpo e destruiu sua beleza, colocando-a fora do trabalho e perdendo-lhe o lugar dourado na sociedade e a inveja, se não o respeito, das mulheres que nunca deixou de dominar?

Ser imprudente acompanha o trabalho de prostituta? Será que nenhum deles pensou em colocar alguma coisa? Ou isso é apenas um artifício literário dos autores masculinos que procuravam entreter ao invés de esclarecer?

Parece ser uma preocupação dos autores franceses, a mulher bonita que usou seus olhares para ganhar estatura social e riqueza, mas no final caiu e conseguiu sua virgindade como a prostituta que ela era merecida. O livro era muito bom e semelhante ao de Zola Nana de muitas maneiras, embora fossem bons contadores de histórias, nem Dumas Papa nem Dumas Fils estavam na liga de Zola.

Reescrito 23 nov 2019
Comentário deixado em 05/18/2020
Cinda Penfold

"Uma vez eu tive um cachorrinho que costumava me olhar com olhos tristes quando tossia: ele era a única criatura viva que eu já amei."

Photobucket
Comentário deixado em 05/18/2020
Philippe Nham

Eu nunca pensei que iria amar tanto um livro com um tema como esse. Mas eu amei. Essa história de amor linda e de partir o coração. Verdadeiramente triste e realista. Eu achei o estilo de escrever realmente fascinante, nem um pouco austero ao contrário. É muito fácil de ler. A maneira como a história é construída, em retrocesso, me deixou incrivelmente curioso para descobrir mais sobre essa história. A cena no cemitério onde Armando vê o cadáver de Margarita é uma das mais poderosas da literatura. Surpreendente e horripilante. Os personagens? Uau! A maneira como o autor analisa seus delitos, pensamentos e sentimentos faz com que você pense que são pessoas reais e, embora essa história diga respeito a situações difíceis de serem encontradas hoje em dia, as deduções filosóficas podem ser aplicadas hoje. citações de sempre.
Comentário deixado em 05/18/2020
Lello Zaharchuk

Eu gostaria que as pessoas ainda pudessem se expressar da maneira que fazem nos clássicos.
Depois que consegui alguns capítulos, eu realmente não consegui largar este livro, o que é incomum para mim, para o gênero. A história é tão destruidora de emoções e vida que deve ser por isso que atrai o coração de tantas pessoas. É tudo tão cru.
Gostei da escolha do autor de transformá-lo em uma história contada por Armond após o fato, para que ele estivesse se lembrando exatamente, mas pudesse ver tudo em uma visão geral, no começo, e o que e como as coisas estavam levando ao fim. Ele não estava preso no meio da emoção em algum lugar.
Eu adorava que não fosse simples e doce, mas o amor, o ciúme, a raiva, o medo e a angústia são todos enrolados e disparados.
Li algo que falava sobre como as pessoas estavam preocupadas, na época, de que isso promoveria o modo de vida da "mulher mantida" ou dos homens que as procuravam. O narrador (e, portanto, o autor) é muito cuidadoso ao explicar que não acredita que esse seja um comportamento típico, mas que era uma mulher muito excepcional. Achei isso divertido e desejo que, se houvesse "mau", que o "mau" de nossos dias fosse tão bonito e limpo quanto o "mau" deles.
Comentário deixado em 05/18/2020
Michal Husser

A edição clássica do romance de oxford world disse na introdução que "nunca foi um romance para o qual pessoas de bom gosto e discernimento pudessem confessar entusiasmo total".

Por mais que eu não goste de Oxford por essa declaração muito pretensiosa e franca; Não posso discordar totalmente.

Agora, definitivamente não sou uma pessoa de bom gosto e discernimento ou o que isso possa significar. Tudo o que sei é que quando leio coisas assim: - Não sou seu escravo, seu cachorro? Faça comigo o que quiser. Leve-me, eu sou seu."

Então eu quero vomitar. Certamente não é o meu tipo de romance. É uma história bastante simples, com um excesso excessivo de sentimentos e doçuras. Ele também tem um amor que eu não suporto.

A história segue um jovem chamado Armand e a cortesã, Marguerite Gautier, por quem se apaixona loucamente. É claro que as complicações abundam em seu relacionamento, o que dificulta a união deles. Para Armand, isso tem a ver com o fato de que ele quer que ela seja sua amante, não apenas sua amante, o que seria consideravelmente ruim para sua imagem, já que ela é essencialmente uma prostituta de alta classe, mas Armand não se importa com isso porque sua loucamente obcecada e apaixonada por ela. Para Marguerite, é o fato de que ela não pode simplesmente desistir de sua vida extravagante por Armand, que não é tão rico. Ela gasta dinheiro tão estranhamente que está endividada, mesmo recebendo grandes quantidades de dinheiro de seus outros amantes.

Eu pensaria que se alguém dissesse que não pode amar você porque você não tem dinheiro suficiente para gastar com eles, saberia que é hora de seguir em frente. Mas isso não convence o herói apaixonado por ele estar apaixonado demais por ela. E por que motivo? Eu realmente não tenho idéia. Não há nada interessante nela. Ela parece egoísta. E não é como se Armand não percebesse que ela gasta dinheiro de forma imprudente. Ele mesmo diz, "Ela foi uma daquelas mulheres que nunca consideram as incontáveis ​​diversões das quais sua vida é feita pode ser um sério dreno financeiro". Armand também observa que ela tinha "os homens gastam mais em flores do que seria necessário para permitir que uma família inteira viva sem cuidados".

Talvez eu esteja interpretando mal a história. Sei que essa história pretendia torná-lo solidário com as cortesãs, mas só pensei em como essas cortesãs precisam lidar melhor com suas finanças e talvez traçar um plano orçamentário ao longo do caminho.
Comentário deixado em 05/18/2020
Bonilla Harvilchuck

A Dama das Camélias foi um dos maiores sucessos deste grande século. Este romance revelou o filho de Alexandre Dumas, que foi inspirado a escrever a história de Marie Duplessis. Verdi então faz uma ópera sublime, La Traviata. Armand Duval, portanto, se apaixona loucamente por Marguerite Gautier, uma das cortesãs mais famosas de Paris, à primeira vista. É apresentado a ela, ela zomba dele. Dois anos depois, eles se encontram e as lágrimas se derramam ao ver Armand tendo uma tosse terrível (Marguerite é consumista) chatear a jovem que então concorda em ser sua amante. Armand não tem dinheiro, ele terá que superar o ciúme que inspirou seus amantes como guarda da cortesã a manter seu luxo.
Apenas Marguerite acaba se apaixonando por ele realmente. Ela não sonha mais com apenas uma coisa: morar no campo, afastado do mundo, esse homem que a ama por si mesma e não proclamar em todos os lugares que ele tem uma amante bonita. Esta mulher mantida começa a vender tudo o que possui, caixas, carros, cavalos, jóias ... porque seu amante não tem dinheiro.
Então vem o pai de Armand. Este cavalheiro se opõe firmemente ao link. Que reputação dá a Armand e à família? Ele conheceu Margaret em segredo e implora que ela sacrifique seu amor pelo futuro de seu amante. Transformada pelo mês do romance, Margaret concorda com a nobreza e morre sozinha e com qualquer processo, morrendo sob a vingança de Armand, que acredita que ela o deixou para se dar ao luxo.
Comentário deixado em 05/18/2020
Vesta Colley

O filho de Alexandre Dumas, Dumas "fils" (fils significa "filho" em francês) certamente tinha muito a fazer. Seu pai, é claro, lançou uma longa sombra sobre ele e sua vida. Ele conseguiu escrever essa curta tragédia romântica que sobreviveu para se tornar um clássico francês e inspiração para filmes e óperas - A Dama das Camélias. É uma história maravilhosa e veloz e definitivamente diferencia seu estilo mais agitado e jovem do mais maduro e controlado de seu pai. Definitivamente vale a pena ler.
Comentário deixado em 05/18/2020
Witha Sahlberg

"Uma das maiores histórias de amor de todos os tempos ..."

Não é uma história de amor. É a história romantizada de um relacionamento muito disfuncional e perturbador entre Marguerite instável e Armand profundamente idiota e cruel.

Armand é de longe um dos narradores mais irritantes que já tive a infelicidade de ler. Ele nunca ama Marguerite: ao longo do livro, ele é obcecado pela idéia de possuir ela, que é completamente diferente. Ele "se apaixona" por seus segundos depois de vê-la pela primeira vez, embora ela não demonstre nenhuma qualidade agradável além de ser bonita. Pelo contrário, ela é até vaidosa, cruel e, no jantar, vulgar e infantil (joga a partição do piano do outro lado da sala porque ela não consegue acertar). Eu tive pena de Marguerite no final, mas apenas porque ela estava morrendo jovem, sozinha e com dores; durante a totalidade do livro, ela não faz nada além de mostrar uma personalidade instável, improvável e superficial.

No entanto, Armand é tão ruim: naquela primeira noite, ele proclama seu amor eterno por ela, apesar de apenas conhecê-la e realmente não saber nada sobre sua personalidade. Portanto, suas lágrimas fáceis e palavras de amor não têm literalmente nenhum valor - o amor aumenta com o tempo, e não da noite para o dia, e é precisamente a imaturidade dele que realmente os levou à sua destruição.

Mais tarde, o fato de ele não ter conseguido adivinhar que Marguerite havia se sacrificado ao se encontrar com o pai em segredo enquanto isso era tão, tão óbvio, óbvio, era enlouquecedor. Ele é um idiota ... e um malvado nisso.

A maneira como ele a tratou depois que ela o deixou é para onde foi ladeira abaixo para mim. Em vez de procurar uma explicação, em vez de se comunicar ou perdoar (novamente: ele deveria saber por que ela fez o que fez, isso era óbvio), ele ficou tão completamente psicótico com ela que eu não podia acreditar. Como você pode alegar amar tanto alguém, mas ter tanto prazer em tentar destruí-lo? Ele escolheu a única mulher que ele sabia que a machucaria mais; dormiu com ela por pura crueldade e organizou tudo para que Marguerite soubesse.

O prazer que ele sentia em causar sua dor em público, em humilhá-la, em saborear cada instante em que a via enfraquecer ou sair de uma festa, porque ela não suportava vê-los juntos, me enojou e eu fiquei com tanta raiva que ele continuou dizendo isso profundamente para baixo, ele ainda a amava. Não, imbecil. Você não e nunca o tem: não é assim que você trata alguém que ama.

Prudence foi o único personagem que já fez sentido em todo o livro, o único que entendeu as falhas enlouquecedoras de seus personagens, suas motivações e a profundidade (ou falta delas) de seus laços. Seus monólogos eram incrivelmente precisos e sempre fascinantes de ler - pena que ninguém se incomodasse em ouvi-la.

Toda a história do "amor" não era nada menos que abusiva. A única qualidade redentora do livro está na maneira excepcionalmente bela em que é escrito. A escrita de Dumas é piedosa e parece poesia. É envolvente, emocionante, bonito. Gostei muito de cada frase. A língua francesa é, neste livro, a sua melhor.
Comentário deixado em 05/18/2020
Teteak Cousar

estrelas 4.5

Esta é a história trágica da vida de uma cortesã, Marguerite Gautier (apelidada de Camille ou Senhora das Camélias por ela sempre carregando um buquê de flores), que, por sacrifício voluntário que nunca poderia recompensá-la em espécie, provou sua pureza do amor. Também é uma lamentável história apologética contada por Armand Duval, o homem que jurou amor por ela, mas a julgou com severidade, imprudência e a abandonou dolorosamente.

Na abertura da história, o narrador tem chances de leiloar os pertences de Camille, um processo que literalmente começou sobre seu corpo recém-morto. Não havia lamentações por sua morte, e agora entre os restos de uma mulher mantida, há apenas espectadores e caçadores de pechinchas. Camille realmente morreu sozinho. O narrador observa que "Marguerite era uma mulher bonita; mas, embora a vida de tais mulheres faça sensações suficientes, sua morte faz muito pouco. Sua morte, quando morrem jovens, é ouvida por todos os seus amantes no mesmo momento, pois em Paris quase todos os amantes de uma mulher conhecida são amigos ".

Ele conhece Armand Duval, que, atingido pela morte de Camille, relata seu caso de amor possessivo com a famosa cortesã e as circunstâncias que levaram à sua morte precoce.

Dumas pinta um retrato vívido da vida parisiense em 1847, de patronos jovens e velhos, cuja guarda de amantes era a norma, dos padrões duplos e esnobes da sociedade "decente".

Camille ou Senhora das Camilias é uma história de amor que pode ser comparada à trágica história de Shakespeare dos amantes de estrelas cruzadas, Romeu e Julieta.
É um vislumbre autobiográfico do caso de Dumas com a bela cortesã Marie Duplessis, escrita quatro meses após sua morte em 1847. Ao longo da história, pode-se avaliar facilmente a pesada culpa que pesa na consciência do famoso autor.

Pode não ser o seu trabalho habitual de aventura, mas ainda assim é um sabor esplêndido do lado romântico de Alexandre Dumas, fils. Pode ser encontrado gratuitamente, impresso na íntegra em: http://www.gutenberg.org/files/1608/1...
Comentário deixado em 05/18/2020
Kalvn Lenke

Simples e curto. Este livro é referido como uma história de amor. Para mim não havia romance, nem paixão, nem amor. É um livro sobre uma mulher de má reputação que usou homens em seu proveito, monetariamente e em posição social.

Eu gostei muito Alexandre Dumas filhoestá escrevendo e é por isso que estou classificando com quatro estrelas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Philana Relph

La Dame aux Camélias é um belo romance sobre o personagem trágico de Marguerite, inspirado em mulheres que Alexandre Dumas filho sabia na vida real e sua própria tragédia de perder sua mãe muito jovem. Ele era filho ilegítimo de Marie-Laure-Catherine Labay e do romancista Alexandre Dumas. Seu pai o levou muito jovem de sua mãe porque a lei permitia isso, o que o inspirou a escrever sobre personagens femininas trágicas.

Marguerite é uma personagem trágica, vulnerável e heróica que seguimos por sua vida em Paris, onde trabalha como cortesã, seu amor pelo personagem principal, (ver spoiler)[e, eventualmente, sua agonia e morte por tuberculose. (ocultar spoiler)]

Marguerite era a personagem que eu realmente amava e achava muito profunda e realista e eu podia entendê-la em seu sofrimento muito bem. No começo, ela estava de coração fechado para o amor dos homens, por causa da consciência dos motivos mais ocultos e da complexidade do egoísmo dos homens. Ela era muito inteligente e sabia ler muito bem as intenções dos outros, conhecia o coração do homem e se recusava a mentir para si mesma de qualquer maneira. Eu acho sua visão clara bastante refrescante, especialmente no mundo hipócrita, enganador e hipócrita.

“Então”, continuou Marguerite, “você era a única pessoa diante de quem me pareceu, desde o início, que eu conseguia pensar e falar livremente. Todos os que surgem com mulheres como eu têm interesse em calcular suas menores palavras, em pensar nas consequências de suas ações mais insignificantes. Naturalmente, não temos amigos. Temos amantes egoístas que gastam suas fortunas, se revoltam conosco, como eles dizem, mas por sua própria vaidade. Para essas pessoas, temos que ser alegres quando são alegres, bem, quando querem sup, céticos como eles. Não temos permissão de ter corações, sob pena de sermos vaiados e arruinar nosso crédito. ”

Na superfície, ela parece vaidosa e anseia por coisas materialistas, mas um romance com Armand revela sua natureza oculta idealista e altruísta e sede de empatia e intimidade.

“Porque quando você me viu cuspindo sangue, pegou minha mão; porque você chorou; porque você é o único ser humano que já teve pena de mim. Vou lhe dizer uma coisa louca: uma vez tive um cachorrinho que me olhou com um olhar triste quando tossi; essa é a única criatura que eu já amei. Quando ele morreu, chorei mais do que quando minha mãe morreu. É verdade que durante doze anos de sua vida ela costumava me derrotar. Bem, eu amei todos vocês de uma vez, tanto quanto o meu cachorro. Se os homens soubessem o que podem ter por uma lágrima, eles seriam mais amados e deveríamos ser menos ruinosos para eles. ”


Na primeira conversa real com Armand, Marguerite mostra sua opinião sobre o amor dos homens com base em suas experiências passadas e o que ela procura em seu amante que é muito difícil de encontrar.

“Mas eu te aviso que devo ser livre para fazer o que quiser, sem lhe dar os mínimos detalhes do que faço. Há muito que desejo um jovem amante, que deve ser jovem e não voluntarioso, amar sem desconfiança, amar sem reivindicar o direito a isso. Eu nunca encontrei um. Os homens, em vez de ficarem satisfeitos em obter por um longo tempo o que mal esperavam obter uma vez, extraem de suas amantes um relato completo do presente, do passado e até do futuro. À medida que se acostumam com ela, querem dominá-la, e quanto mais alguém lhes dá, mais exigentes se tornam. Se eu decidir agora tomar um novo amante, ele deve ter três qualidades muito raras: ele deve ser confidencial, submisso e discreto.


O contraste do amor de Marguerite por Amando era o amor dele por ela, que podemos até debater chamando de amor, em vez de paixão e obsessão egoísta. Normalmente, não aceito opiniões estereotipadas sobre as principais diferenças entre homens e mulheres em tópicos de amor e sexualidade, mas essa história pode iniciar uma grande conversa sobre os problemas de imaturidade de alguns homens quando se trata de romance. Na verdade, Marguerite mostrou uma maturidade incomensuravelmente maior que Armando.

"Você está certa", eu disse, deixando minha cabeça afundar nos joelhos dela; "Mas eu te amo loucamente."
“Bem, meu amigo, você deve me amar um pouco menos ou me entender um pouco melhor. "


Algumas pessoas podem pensar que esta é uma história sobre amor impossível por causa de circunstâncias externas, mas a história nos mostra que grandes amores não são mortos por situações externas e outras pessoas, mas compram questões internas de egoísmo, falta de compreensão e comunicação. Um grande amor de Armand se transformou em ódio quando ele pensou que não era mais correspondido e mostrou que seu ego era mais importante para ele que Marguerite. Ele ficou obcecado com a vingança e magoou o maurgerita de todas as formas possíveis. Em sua culpa e redenção posteriores, ele admite:

"Oh, quão mesquinho e vil é o homem quando ele é ferido em uma de suas estreitas paixões!"

Alguns poderiam dizer que o sofrimento que ela sofreu foi seu caminho de redenção para ela, enquanto a sociedade encarava a vida imoral, mas, para mim, essa história descobre idéias maiores. De alguém de fora da vida, podemos ver o que é verdadeiramente importante e que é o coração da pessoa. Como podemos ver na história de alguém com falhas, pecados e maneiras erradas não determinam nem diminuem sua bondade ou sua capacidade de amar de todo coração, como Marguerite. No estado em que ela é continuamente ferida, zombada e humilhada por Armand, seu amor permanece forte como uma rocha.

"Você é bom, sua alma tem generosidade desconhecida para muitas mulheres que talvez o desprezem e sejam menos dignas que você."

Eu realmente gosto da idéia de abrir nossos olhos e corações para todas as pessoas, apesar de suas escolhas morais com as quais não precisamos concordar em respeitá-las e amá-las, porque no final as verdadeiras virtudes estão profundamente escondidas e, muitas vezes, as pessoas são muito mais do que eles parecem. Gostaria de terminar com esta citação que resume o espírito principal por trás deste livro que me fez amar tanto.

“Aqui está o cristianismo, com sua maravilhosa parábola do filho pródigo, para nos ensinar indulgência e perdão. Jesus estava cheio de amor pelas almas feridas pelas paixões dos homens; ele adorava amarrar suas feridas e encontrar nessas mesmas feridas o bálsamo que deveria curá-las. Assim, ele disse a Madalena: "Muito te será perdoado, porque você amou muito", uma sublimidade do perdão que só pode ter despertado uma fé sublime.

Por que nos tornamos mais rigorosos que Cristo? Por que, mantendo obstinadamente as opiniões do mundo, que se endurecem a fim de poderem ser consideradas fortes, rejeitamos, como rejeita, almas que sangram em feridas pelas quais, como o sangue ruim de um doente, o mal de seu passado pode ser curada, se apenas uma mão amiga for estendida para lavá-los e colocá-los na convalescença do coração? ”
Comentário deixado em 05/18/2020
Riggall Bullion

Eu amo Camille e não posso recomendar o suficiente. Tornou-se um dos meus livros favoritos. Eu tinha visto a versão do filme Greta Garbo de Camille e posso dizer honestamente que o romance é mais comovente. A escrita de Alexandre Dumas fils foi excelente e sua história de amor frustrado é atemporal.

Camille é definido na década de 1840 em Paris. Uma jovem cortesã, Marguerite Gautier, morreu e, embora já tenha sido a cortesã mais procurada em Paris, morreu de consumo sem nenhum de seus amigos ou benfeitores ricos ao seu lado. Parece que todo mundo esqueceu Marguerite, exceto Armand Duval, um jovem que recebeu inúmeras camélias enviadas para seu túmulo. O romance remonta a quando Armand e Marguerite estavam apaixonados e dispostos a arriscar tudo para ficarem juntos. O destino atrapalhou e levou a bela cortesã a morrer sozinha.

O estilo de escrever foi interessante e muito bem feito. Muito parecido em Wuthering Heights e O Grande Gatsby, o narrador era um personagem menor que desempenhou pouco papel na ação. De fato, o narrador de Camille nem sequer tinha um nome. Também como Wuthering Heights, a narração muda de mão quando Armand conta a história dele e de Marguerite. Ainda outra parte do romance é contada da perspectiva de Margeurite. Dumas teceu essas histórias entre histórias com tanta habilidade que as diferentes vozes nunca se sentiram forçadas. Camille é um clássico que você definitivamente deveria ler. Basta estar preparado com uma caixa de lenços de papel.
Comentário deixado em 05/18/2020
Onofredo Bacy

How do you suppose the kept women in Paris could live in the style they do, if they had not three or four lovers at once?
É muito fácil ver como este livro se traduz tão perfeitamente em ópera (La Traviata), pois toda emoção é intensificada: os amantes choram, ficam obcecados, fazem ataques sibilantes dramáticos, desmaiam e, finalmente, morrem lindamente.

Ao longo do caminho, porém, Dumas filho ancora toda a emoção através dos relatos desapaixonados da economia de uma cortesã: aprendemos precisamente quanto Marguerite precisa para viver seu estilo de vida luxuoso, exatamente qual é a renda de Armand e quanto outros homens estão dispostos a pagar. Cada elemento se equilibra com o outro, de modo que as paixões precipitadas sejam compensadas pelas realidades financeiras - tanto no mercado de carne quanto de amor, a pobre Marguerite simplesmente não pode vencer.
Comentário deixado em 05/18/2020
Isador Sainky

Que livro! Realmente gostei de cada parte. É um clássico atemporal que você deve ler. Eu conhecia a história que vi Moulin Rouge! inúmeras vezes, mas ainda assim era tão diferente. É engraçado no começo, eu pensei que amava mais Armand e a julguei desde que ela era ... bem, você sabe o que ela era, mas mais progresso nos livros. Eu não gostava mais de Armand e comecei a amá-la e admirá-la. Marguerite é um personagem forte e independente duas vezes mais forte que Armand. No geral, o estilo de escrita bonito é estável e não é patético. Eu gosto disso.
------------------------------------------------
Kakva knjiga! Baš sam uživala. Vanvremenki klasik koji bi trebalo de pročitate. Priča mi jeste bila poznata zbog "Mulan ruća" meututim u is vreme bila je potpuno drugačije. ironično je, početku sam bila sigurna of ći Armanda više voleti. Nju sam odmah osudila jer je..pa bila je para što jeste. Međutim kako je knjiga odmicala njega sam počela de ne volim a njoj da se divim. Ona je zaista jak lik koji ne zavisi od bilo kog muškarca dva puta jača od njega. Generalno prelepo napisana knjiga, stile veoma dobar nema patetike. Dopala mi se.
Comentário deixado em 05/18/2020
Henriette Kleintop

Eu realmente gostei da maneira como essa história foi escrita, através de memórias e cartas, realmente deu a ela uma atmosfera específica. Eu pensei que era uma história muito triste, mas poética. (3.5)
Comentário deixado em 05/18/2020
Willumsen Valintine

Votei no livro por engano (e, portanto, tive que lê-lo), mas não foi uma decepção, me fez pensar em poucos assuntos e essa é uma qualidade dos livros que procuro.
* Uma das coisas eram os padrões duplos que a sociedade mantinha com tanto orgulho. Os cortesãos foram criticados por seu estilo de vida (e não me importo com isso), mas, por outro lado, era comum (e frequentemente bem-vindo) que um homem se apaixonasse. O pai de Armand disse exatamente isso quando ele viajou para Paris para confrontar seu filho. Em nível público, as pessoas não aprovam esses assuntos que vemos no comentário de que esse tipo de mulher não deve ser enterrado entre outros cidadãos, ou pelo fato de que estava em questão se casar com ela e dar-lhe um nome, mas a pergunta que deveria ser feita não era realmente levantada, se havia dinheiro suficiente e a pessoa era discreta o suficiente ... era tolerável.
* Como em muitos romances clássicos, há muito exagero quando as emoções estão envolvidas, mas mesmo com relação a isso, eu diria que o que Marguerite e Armand compartilharam foi paixão e não amor. O mesmo erro é frequentemente cometido na literatura atual, suponho que as pessoas frequentemente confundam uma com a outra, por isso.
* Mas o tópico do livro ainda é atual, de alguma outra forma. Dizem que hoje existe tanta escravidão sexual (o número é muito maior do que nos tempos de escravos) e mau uso relacionado. Talvez não julguemos o livro, mas somos melhores nisso?
* E, finalmente, Marguerite, como a maioria das mulheres de nosso tempo, ansiava por amor e pertencimento e, em todo o seu sofrimento, se apegou ao que sabia até o fim, tanto reconhecimento que merece.
O que me deixou nervoso foi a falta de comunicação honesta ... o que também é muito comum e não apenas nos livros, mas tantas lágrimas não seriam derramadas se eles tivessem assumido menos e falassem um pouco mais.

Nisam assinou o termo bi na lista de mojoj "za pročitati" ali kako sam greškom glasala za nju u jednoj čitalačkoj grupi, e je. Nije me razočarala jer kao i većina novela klasične književnosti ima nivo, moralni osvrt iu prviplan stavlja karakter.
Ljubavna priča me je, naravno, nervirala :) (oni koji me poznaju nasmešiće baš kao i ja sama;)) Strast bukti, vrcaju varnice como ljubavi, como ljubomore, como nesigurnosti ... pa kulja bes, pa se liju suze ... ah ...
Na mene je jači utisak ostavilo licemerje društva koje nije osuđivalo strast koja se gaji prema ženama koje Marguerite predstavlja ali jeste ljubav i privrženost. Gospodin Duval salvou e salvou o mundo da forma que você nunca viu antes e depois voli ai em drogas mestiçais favoráveis ​​ao je sasvim prirodno de mladi muškarci imaju ljubavnice; ipak nije u redu to the ljubavnice budu sahranjene među "pristojnim" svetom, primer.
Naše vreme ne karakteriše se takvom vrstom dvoličnosti ali nije ništa iskrenije niti bolje. Marguerita é uma das sextas-feiras da web XXX e uma delas é: bliskost, poštovanje, pripadnost all takav život je circulus viciosus.
Comentário deixado em 05/18/2020
Leopoldeen Drews

Um livro realmente muito bom sobre uma história de amor linda, mas fugaz. Ele tem o sentimento (mas não tão enjoativo como outros romances que li) que eu sempre adoro ver em um romance, mas ainda assim, o pensamento racional de alguns personagens serviu como um grande equilíbrio para esse sentimento. .

A química entre os dois personagens principais estava lá, mas o que eu mais amei, e pensei ser o ponto mais importante que esse romance trouxe para o gênero romance, é que ele não retratava o amor simplesmente em uma situação perfeita, onde havia final feliz, que o casal viveu feliz para sempre. Não, retratou o amor no tempo em que o dinheiro governava (bem, e ainda hoje governa ...), quando os casais não podiam livremente viver juntos em paz e felicidade, porque ainda havia muitas responsabilidades e papéis sociais para eles. cumprir, quando um relacionamento entre duas pessoas poderia afetar o futuro de outras pessoas ...

Isso foi triste, quando o amor entre os dois personagens principais não conseguiu romper essa triste realidade, mas ainda assim, era uma linda história de amor, e Marguerite mostrou imensa maturidade além da idade e profissão, especialmente quando se tratava de amor. A maneira como Alexandre Dumas-fils criou essa história, esse personagem e a maneira como ele a colocou nas barreiras da vida real, pensei, foram as coisas que tornam este livro icônico nos romances em particular, e nos romances clássicos em geral.

Havia algumas partes em que as frases eram longas demais e alguns pontos eram difíceis de compreender (acho que desde que este livro foi escrito há muito tempo, e a maneira como as pessoas pensavam naquela época não é exatamente como o que pensamos hoje em dia) que diminuiu um pouco a minha diversão, então 4 estrelas é a classificação máxima que posso atribuir a este livro.
Comentário deixado em 05/18/2020
Terena Matroni

Com licença, meu coração ficou pesado agora.

Marguerite Gautier e Armand Duval: dois amantes na Paris do século XIX. Uma história lamentável de aflição. Uma das inúmeras tragédias em que os envolvidos sucumbem às circunstâncias dos tempos em que vivem. Por mais vagamente inspirada na amante da vida real de Dumas, a cortesã Marie Duplessis.

Certamente posso acreditar que Dumas escreveu isso em menos de um mês [! de acordo com a introdução nesta edição em particular], porque realmente parece que foi rabiscado com fervor. Um sincero elogio meu. Foi assim que eu também li, completamente envolvida nesse turbilhão febril de um romance condenado entre os amantes. É impregnada de tanta graça, como a aparência de Marguerite em público, mas ao mesmo tempo, deliciosamente desenfreada em suas emoções, espelhando a paixão que quase não está contida nessas páginas. Gostei particularmente do equilíbrio de ter o diálogo condescendente dos homens e ouvir as mulheres, a maior clareza na maneira como eles tiveram que viver com os cartões com os quais foram tratados na vida.

Eu nunca saberia disso se não fosse por uma exibição perdida do desempenho da atual temporada Bolshoi. Fiquei intrigado com a idéia de esse romance ter sido adaptado a um balé, feito para Chopin (um dos meus compositores favoritos, pois sou um romântico sem esperança). e um coração romântico), então a história está em minha mente desde então! Eu não tinha ideia de que essa era a inspiração para tantos trabalhos, e é uma pena que eu não estivesse ciente disso até recentemente. Em breve, procurarei um desempenho mais antigo por qualquer empresa, estou determinado a vê-lo de qualquer maneira possível.
Comentário deixado em 05/18/2020
Jarrad Flatau

O narrador compra o livro antigo de uma cortesã por um capricho. Algum tempo depois, o homem que lhe deu o livro vem procurá-lo e compartilha com o narrador sua história de amor e tristeza. Eles tinham apenas alguns meses juntos antes que as dívidas dela e a necessidade de sua família de manter sua reputação aparecessem entre eles. Eu não tinha percebido o quão perto o filme Moulin Rouge estava baseado nisso - os contornos amplos e muitos dos detalhes visuais (como a cortesã visitando seu verdadeiro amor pela última vez, pálido e ceroso sob seu véu preto) são os mesmos. Dito isto, o personagem de Ewan McGregor era muito menos frustrante (não, odioso!) Do que Armand Duval, o "herói" desse conto. Mas a cortesã deste conto é ainda mais comovente do que no filme bombástico. Eu estava chorando desesperadamente perto do fim, perturbado com a coragem de Marguerite e com o pouco que ela esperava (em vão, como se vê).

"...I am tired out with seeing people who always want the same thing; who pay me for it, and then think they are quit of me. If those who are going to go in for our hateful business only knew what it really was they would sooner be chambermaids. But no, vanity, the desire of having dresses and carriages and diamonds carries us away; one believes what one hears, for here, as elsewhere, there is such a thing as belief, and one uses up one's heart, one's body, one's beauty, little by little; one is feared like a beast of prey, scorned like a pariah, surrounded by people who always take more than they give; and one fine day one dies like a dog in a ditch, after having ruined others and ruined one's self."
Comentário deixado em 05/18/2020
Hubie Parco

Fiquei surpreso com o envolvimento deste romance. Tendo visto o filme dos anos 1930 baseado neste livro com Marlene Dietrich (Maguerite) e um muito jovem Robert Taylor (Armand), sem mencionar a familiaridade com La Traviata, de Verdi, que também foi baseada neste livro, achei que sabia o que havia entre essas capas. Não tão. Algumas delas eram um pouco exageradas (afinal de contas é francesa), mas a maioria era crível e emocionalmente honesta. O mais difícil foi deixar para trás meus preconceitos do filme e da ópera e me concentrar na história. É ambientado em meados dos anos 1800, em Paris, e um jovem que terminou seus estudos, mas que prefere um pouco mais do que se dedicar ao advocacia, conhece uma jovem bela e cuidada. Ele está extasiado. Depois de um pouco de brincadeira, ela decide que também gosta dele. Na verdade, ela passa por um grande problema pessoal para garantir que não seja um fardo para ele financeiramente e depois eles deixam Paris para o país ficar juntos. Armand a convence a deixar sua vida glamorosa e muitas pessoas parisiense para trás e eles têm pouco tempo para serem um jovem casal apaixonado. Então o pop de Armand fica sabendo das travessuras.
Comentário deixado em 05/18/2020
Xylon Mcthune

Não posso fazer melhor do que citar o livro, que me fez chorar - e que também me obrigou a visitar Bougival.
"Tudo foi acreditado, exceto a verdade."
"Por que mantemos obstinadamente as opiniões do mundo, que se endurecem para que possam ser consideradas fortes".
"A tristeza aguça as sensações."
"É muita sorte que a imaginação empreste tanta poesia aos sentidos e que os desejos do corpo façam tanta concessão aos sonhos da alma".
"Ser realmente amado por uma cortesã: isso é uma vitória de infinitamente grande dificuldade."
"Sempre se teve uma infância, o que quer que se torne."
"As mulheres às vezes permitem que você seja infiel ao amor delas; elas nunca permitem que você prejudique a auto-estima delas."
"Não temos permissão de ter corações, sob pena de sermos vaiados".
"Devemos ter feito algo muito iníquo antes de nascermos, ou então seremos muito felizes quando estivermos mortos por Deus deixar que esta vida tenha todas as torturas de expiação e todas as tristezas de uma provação".
Revisão: Camille
Comentário deixado em 05/18/2020
Aurel Willig


"'Minha querida Prudence, seu protegido não é muito educado. Alguém pensa nessas cartas, mas não as escreve."

"'Bem, minha querida, você deveria me amar um pouco menos ou me entender um pouco melhor.'"

"'Então eu te conheci, jovem, ardente, feliz, e tentei transformá-lo no homem que eu clamava no meio da minha barulhenta solidão. Eu amei em você não o homem que encontrei, mas o homem que eu queria encontrar. '"

"'A vaidade do homem! Ela se apresenta de todas as formas possíveis.'"

"'Lembre-se de que a vida às vezes impõe necessidades que são muito cruéis para o coração, mas às quais se deve submeter.'"
Comentário deixado em 05/18/2020
Rostand Zeier

Este é um livro maravilhoso e estou muito satisfeito por ver que continua sendo tão popular! Isso apenas reafirma meus pensamentos sobre o que é um super país, a França e essa cultura.
Comentário deixado em 05/18/2020
Kimberli Manash

A senhora com camélias é o conto clássico de uma prostituta que se apaixona e decide deixar seu passado para trás, para ficar com o único homem que ela ama de verdade, mesmo que tudo pareça estar contra essa história de amor.
Escrito por Alexandre Dumas filho durante o século XIX, diz-se que este possui alguns elementos autobiográficos. E garoto, se esse é realmente o caso, sinto muito pelo autor e pela mulher por quem ele se apaixonou.

Para ser honesto, eu meio que esperava aproveitar isso mais do que apreciei, já que todos adoram e um dos meus filmes favoritos (Moulin Rouge) é baseado nisso.

Mas veja, eu também não chamaria isso de ruim. A história em si é interessante e os personagens, às vezes, parecem complexos.

Mas, como esperado, houve partes que eu não gostei.
Eu não era fã do diálogo, que parecia formal demais para mim. Eu também não era fã do protagonista, dizendo-nos repetidamente como ele e Marguerite estavam apaixonados, mas não o mostraram. Além disso, a maneira como ele tratou Marguerite depois que eles terminaram foi indesculpável.

Outra coisa que eu não gostei, tinha a ver com os personagens de Pridance e o pai de Arman não ser reconhecido como manipulador. Bem, a orientação realmente era, mas a última não. Ele se esforçou ao máximo para separar o par e eu não ligo quantas vezes Marguerite disse que ele é um bom homem, eu tenho minhas razões para discordar.

Eu também não sei como me sentir sobre a maneira como o autor fala sobre prostitutas, porque ele parece ir e vir para defendê-las, porque a maioria delas foi forçada a entrar nesse modo de vida e vilipendiá-las chamando-as de imorais e ingratas. ...

No geral, meus sentimentos em relação a este livro são um pouco mornos, mas obviamente não tenho motivos para me desculpar, pois essa é minha opinião e apenas minha opinião.

Se você chegou até aqui, parabéns! Escrever este comentário foi um pouco estranho. Sinto que minhas habilidades de escrita ficaram um pouco enferrujadas e parece que faz muito tempo desde a última vez que publiquei uma resenha de livro ...
Como sempre, até a próxima vez, tome cuidado :) :) :)
Comentário deixado em 05/18/2020
Beaulieu Strimback

"La dame aux camelias" é um clássico tropical de Alexandre Dumas fils que se aprofunda na vida e no destino das cortesãs na França durante o século XIX. Muitos detalhes me deixaram doente, e eu tive que descansar algumas vezes, mas a história de amor dos protagonistas principais me fez continuar, e Dumas foi uma maneira inteligente de escrever. Eu tinha visto a adaptação cinematográfica "Camille", de 19, estrelada por Greta e Robert, que eu adorei muito, tanto que decidi ler o livro também.

Nunca li nada de Dumas, apesar de seu pai Alexandre Dumas ser o autor favorito de meu pai, e de eu gostar das adaptações cinematográficas de seus "Os Três Mosqueteiros" desde a infância. Dumas tem uma maneira moderna de escrever, apesar de seu tempo. Ele escreve de forma honesta e explora as alegrias e a infelicidade da vida sem ter vergonha disso. Ao ler a tradução sueca, entendi que Ele classifica suas palavras com um sentido métrico de uma maneira muito fácil para nós, leitores, entendermos.

Marguerite Gautier é uma das almas mais bonitas que eu já li no mundo da Literatura Clássica, e a alma despreocupada e jovem de Armand Duval é o único homem que lhe dá algo que nenhum outro homem jamais fez. Ele é o único homem que se importa e chora pelo seu bem-estar, tem uma paixão que nunca morrerá ... e lhe dará o presente do amor verdadeiro que se torna sua própria ruína. Ele se recusou a abandoná-la, ela se recusou a ficar com ele.

Marguerite e Armand provaram amar-se desinteressadamente, e Alexander Dumas sabe (que a paz esteja com ele) em que estado ele ainda tem seus leitores até o fim: em lágrimas completas.

Deixe um comentário para La Dame aux Camélias