Casa > Clássicos > Ficção > Literatura > David Copperfield Reveja

David Copperfield

Por Charles Dickens Jeremy Tambling,
Avaliações: 29 | Classificação geral: Boa
Excelente
18
Boa
7
Média
1
Mau
2
Horrível
1
David Copperfield é a história das aventuras de um jovem em sua jornada desde uma infância infeliz e empobrecida até a descoberta de sua vocação como romancista de sucesso. Entre o elenco gloriosamente vívido de personagens que ele encontra, está seu padrasto tirânico, Sr. Murdstone; seu brilhante, mas finalmente indigno amigo da escola, James Steerforth; sua tia formidável,

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Shepherd Auber

DAVID COPPERFIELD: MASTER VILLAIN

oh você arquiteto da desgraça!

sua passividade desonesta e ingenuidade voluntária não conhecem fronteiras!
seus crimes são muitos!

sua pobre mãe amorosa - apressada para uma sepultura precoce, e você não faz nada!
você retribui as tentativas de melhoria dos Murdstones com intransigência e uma mordida selvagem!
você devolve a mão guia do Sr. Creakle com preguiça e desprezo!
você não faz nada, pois seu ídolo Steerforth humilha o Sr. Mell!
você foge do trabalho honesto em uma fábrica! você deve ser bom demais para isso!
você impõe à sua pobre e querida tia Betsy Trotwood!
você imediatamente desconta o pobre Uriah Heep! como ousa condescender com ele!
você não diz nada, pois Rosa Dartle difama boas pessoas honestas! durante o jantar!
você apresenta a atroz cobra Steerforth àquelas pessoas boas e honestas!
você aterroriza sua pobre senhoria!
suas travessuras bêbadas com Steerforth são revoltantes! a boa Agnes sem dúvida ficou secretamente chocada!
você adverte Traddles para evitar generosidade com Micawber! cuide da sua vida, Iago!
você persegue a filha do seu chefe! apenas Jip reconhece sua vilania!
você enreda a pobre Julia Mills em suas conspirações!
você tenta extrair dinheiro do seu local de trabalho - mas, felizmente, o Sr. Spenlow e seu parceiro são sábios em suas jogadas!
você continua perseguindo a pobre e inocente Dora - mesmo após a morte prematura do pai! e sem dúvida sua vilania foi a causa disso!
você liga Dora a você! os pobres condenados naturais! você coloca os servos contra ela! você a faz segurar suas canetas, seu tirano!
você ajuda Uriah Heep a causar um bom médico, muito estresse! você lança aspersões sobre a esposa do doutor! seu primo! o casamento deles!
você bate no pobre Uriah Heep pela cara! um golpe retumbante!
seu monstro - repreendendo e "melhorando" Dora para um túmulo cedo! o pobre natural, a inocente esposa-filho! até Jip morre aos seus pés!
você humilha e afasta o pobre humilde Uriah Heep!
você permite que o pobre e honesto Ham mergulhe no mar - até a morte!
você falha em salvar seu amigo Steerforth de sua própria morte aquática!
você permite que Rosa Dartle ameace a mãe enlutada!
você ri exila duas famílias para a Austrália criminosa!
você se regozija e zomba secretamente enquanto testemunha o muito apropriado Sr. Lattimer e o pobre Uriah Heep atrás das grades!
sua ação mais covarde: amarrar a boa Agnes - por décadas! e, finalmente, você a liga a você em uma trama de casamento de longa duração! eu temo pela segurança dela!

oh diabólico Doady!

oh seu vilão monstruoso, David Copperfield!
Comentário deixado em 05/18/2020
Vivian Delaurentis

Leia como parte de O desafio da leitura da variedade infinita, baseado na Big Read Poll de 2003 da BBC.

Charles Dickens não pode errar, exceto, talvez, manter cerca de 100 páginas de tangentes bastante irrelevantes neste livro.

Era uma potência tão poderosa de caracterização e construção do mundo que mal sei por onde começar. Todos os personagens eram totalmente divinos, até o detestável Uriah Heep e a incrivelmente patética Dora, e principalmente o maravilhoso ícone feminista inicial que é Betsy Trotwood. Muitas vezes tenho dúvidas sobre a narrativa em primeira pessoa, mas Dickens é um dos poucos que consegue fazê-lo tão bem sem perder muitas das grandes vantagens de ler com um narrador onipotente. David Copperfield não é confiável em muitos campos - principalmente seu ponto cego por se apaixonar -, mas ele está em sintonia com o ambiente e pode expressar o que sente que outros personagens ao seu redor estão sentindo tão adequadamente que não importa que estamos vendo o filme. mundo apenas por seus olhos jovens.

O mundo era fantástico: eu sempre sou transportado imediatamente para esses lugares quando leio ficção do século XIX e isso não foi exceção. A luta dos pobres e a decadência dos ricos indiferentes se entrelaçam aqui como fumaça subindo ao oxigênio puro. Havia tantos cantos e recantos a serem explorados que levei um tempo para ler este livro de quase 19 páginas, mas valeu a pena.

Além de uma ou duas tangentes, o que significava que o enredo parou um pouco, fluiu magnificamente e não me lembro de rir tanto de um livro que não era um romance de humor direto. Dickens tem uma maneira de escrever com tanto carinho sobre seus personagens e sociedade, mas também os separa ao mesmo tempo. Foi um passeio bonito pelo interior da Inglaterra e uma corrida agradável pelas ruas pesadas de Londres e não acho que Thackeray estivesse errado quando disse: "Bravo Dickens".



Blog | Instagram | Twitter | Pinterest | Loja | Etsy
Comentário deixado em 05/18/2020
Willock Geiss

898. David Copperfield, Charles Dickens
David Copperfield é o oitavo romance de Charles Dickens. O título completo do romance é A história pessoal, aventuras, experiência e observação de David Copperfield, o mais novo do cemitério de Blunderstone (que ele nunca quis publicar em nenhuma conta). Foi publicado pela primeira vez como serial em 1849 a 50 e como livro em 1850. Muitos elementos do romance acompanham os eventos da vida de Dickens, e costuma ser considerada sua autobiografia velada. Era o favorito de Dickens entre seus próprios romances. No prefácio da edição de 1867, Dickens escreveu: "Como muitos pais apaixonados, tenho em meu coração um filho favorito. E o nome dele é David Copperfield".
عنوان: دیوید کاپرفیلد ؛ نویسنده: چارلز دیکنز ؛ تاریخ نخستین خوانش: روز نخست ماه نوامبر سال 1971 میلا
مترجم: مسعود رجب نیا; تهران, امیرکبیر, 1342, در سه جلد, کتابهای پرستو, چاپ ششم, 1367 در 665 ص, چاپ امیرکبیر, 1384, 1030 در ص; موضوع: داستانهای نویسندگان انگلیسی - سده 19 م
مترجم: رضا همراه ، انتشارات اشراقی ، 1353
مترجم: محمدرضا جعفری, تهران ، امیرکبیر, ،تابهای طلایی 19 ، در 43 ص ، مصور
Pontos: فرینوش ایرانبدی - خلاصه داستان ؛ تلخیص: میشل وست ؛ تهران و توسن ، 1363 117 در XNUMX ص
Pontos: ثریا نظمی - خلاصه داستان, تهران, دادجو ، 1365 160 در XNUMX ص
مترجم: علیرضا نعمتی, تهران ، افشار ، 1365 ، در 175 ص
مترجم: خسرو شایسته, تهران, سپیده ، 1369 174 در XNUMX ص
مترجم: احمد پناهی خراسانی, مشهد, بنگاه کتاب ، 1369 150 در XNUMX ص
Pontos: امیر صادقی ؛ تهران ، ارغوان ، 1372 144 در XNUMX ص
مترجم: فریده نونهال, تهران, جانزاده ، 1375 ، در 120 ص
Pontos: ناصر ایراندوست, تهران ، اردیبهشت (1377), 159 ص
مترجم: علی فاطمیان تهران وزارت ارشاد - نشر رشم انداز ، 1379 236 در XNUMX ص
مترجم: مهدی سحابی, تهران, کتاب مریم, مرکز ، ،اپ چهارم برای نوجوانان 1385 120 ص
مترجم: مهسا یزدانی, تهران, بهجت ، 1388 ، بدون شماره ص
مترجم: محسن سلیمانی - متن کوتاه شده, تهران ، افق ، 1388 679 در XNUMX ص
مترجم: امیر باهور, تهران ، امیرکبیر کتابهای جیبی ، 1389 211 در XNUMX ص
مترجم: مریم سلحشور, قم, رخ مهتاب, 1391 e 242 ص
مترجم: حسن زمانی - تلخیص, تهران, همشهری ، 1391 118 در XNUMX ص
Pontos: لیلا سبحانی, تهران, ثالث ، 1392 ، در 208 ص
مترجم: رمین هدایتی, تهران, ،ارسه 1393 ، در 243 ص
مترجم: نعیمه ظاهری, قزوین سایه گستر ، 1393 مصور در 48 ص
همین کتاب با عنوانهای: «سرگذشت دیوید کاپرفیلد» e «داوید کاپرفیلد» نیز چاپ شده است
دیوید کاپرفیلد نام رمانی نوشتهٔ «چارلز دیکنز» ، نویسندهٔ انگلیسی ، و نیز نام شخصیت اصلی همین داست. این کتاب برای نخستین بار در سال 1850 میلادی منتشر شد. «دیکنز» این کتاب را از سایر کتابهای خود برتر میدانستند, شاید از اینروی که رخدادهای هیجانانگیز, و بسیاری از عناصر داستان, برگرفته از رخدادهای زندگی خود ایشان بوده است, و میتوان گفت: بیش از دیگر رمانهایش, قالب اتوبیوگرافی دارد. شخصیت اصلی این داستان ، «دیوید کاپرفیلد» ، کودک مورد علاقه خود «دیکنز» نیز می‌باشد. «دیوید کاپرفیلد» به دوران پختگی ، و کمال هنری «دیکنز» تعلق دارد. حجم انتقاد صریح اجتماعی ، در این رمان کمتر از نوشته‌ های دیگر ایشان است. در این داستان, توجه نویسنده, بیشتر به ماجراهای خانگی ، و روحانی است ، تا بیدادهای اجتماعی. هرچند با توجه به زندگی خود نویسنده همچنان در این رمان به مسائل روانشناختی ، از دید اجتماعیه،. خفت‌های شخصیت «پیپ» در این رمان فرازجویی‌هایش ، بزرگ منشی‌های به خود سته‌ اش ، و نیز ترقیی ا،تالممالممات بالی ، ن ه ، ه ه ه هنهن ، یهه ، تنمه ، ینمه ، ینم ، تنمه، ینه ه ی ه هن ن ه ه ه ه ه ه ه ه هن ن ن ی ه ه ه ه ه ه ه ه ه هنه طرح کلی داستان: در داستان «دیوید» اول شخص است. در فصلهایننسست ، «دیوید» را همراه مادر جوانش می‌بینیم ، مادری معبود «دیوید” «پگاتی» موجودی عجیب, غریب, که رفتارش تند e خشن, ولی دلش سرشار از مهر, و عطوفت است نیناا سرنکنال،رات سلام). رشته این زندگی آمیخته به عشق و محبت, با ازدواج بیوه ی جوان, با آقای «موردستون» مردی سنگدل, که در پس نقاب متانت مردانه پنهان شده, گسسته میشود; این مرد, به تحریک خواهرش, سرانجام باعث مرگ پیشرس همسر جوان و ساده دل خود میشود. «دیکنز» تأثرات این کودک را, که نمی‌تواند با محیط تازه سازگار شود و در لاک خود فرو میرود ‌ستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ‌هستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ،ستاردد ،ستاردد ،ستاردد ،ستاردد ‌ستاردد ‌هستاردد ‌هستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ،ستاردد ‌ستاردد ‌ستاردد ،ستاردان،. ناپدری ،ودک عاصی را ، به مدرسهمیفرستد, تا بدرفتاریهای آقای «کریکل ​​ظالم» را تحمل کند. وی در مدرسه نسبت به یکی از رفیقان خود به نام «استیرفورث» ، حس ستایش بی‌حدی پیدا میکند. او جوانکی استفریبنده, که بعداً باعس سرخوردگی دوستش میشود ، و کودک با «ترادلز» مهربان و خو ا ا اسککک ک وکککک ک و ا ا اککک ک وک اککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککککک ک او او او ک ک ا و و او اککک و ا ا ا ا ا ا ا ا ا ا ا ا - ، ناپدری «دیوید», پس از آن, او را به کارهایی پست, در فروشگاه «موردستون و گرینبی», در «لندن» محکوم میسازد; وی در این ایام در نهایت رنج و محنت, به سر میبرد, و این خود, بارتاب روزهایی است «»ه« دیکنز »در کودکی ، در کارگاه کفش گذرانده بود. خوشبختانه دوستی با آقای «میکابر» e خانواده اش ، جان تازه ای به او میبخشد. آقای «میکابر» یکی از آفریده های فناناپذیر «دیکنز» است. و ... ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Sams Oehm

"Esta narrativa é minha memória escrita", declara David Copperfield na última seção deste romance elefantino, uma frase que implica fortemente uma impressão autobiográfica do autor na criação de seu famoso herói da classe média. Mas esse aspecto é o que mais valorizo ​​neste trabalho?
Longe disso.
Esse volume espesso é uma jornada bastante ambiciosa: em parte uma história em quadrinhos, que muitas vezes se aproxima de um conto para crianças, e em parte um livro picaresco com uma intenção dramática distinta que flutua nas calamidades e clímax cíclicos que influenciam uma longa lista de personagens memoráveis e adiante na maré da narrativa fluente de Dickens.
Casamento, amizade, traição, formas variadas de paternidade e a eterna batalha entre o bem e o mal são os eixos em torno dos quais o crescimento pessoal de Davi ingênuo e quase seráfico irá girar.

Enquanto eu seguia David da infância à idade adulta e todas as tragédias e presentes inesperados que a vida traz em seu caminho, comecei a me perguntar sobre seu real papel na história.
Davi é o "Protagonista real"?
Ou ele é um mero espectador, uma testemunha passiva que narra os eventos que se desenrolam ao seu redor sem agir neles?
Talvez os verdadeiros protagonistas sejam a variedade heterogênea de personagens, tão ricos em descrição e reconhecíveis pelas expressões idiomáticas repetitivas que identificam suas excentricidades e fraquezas que os tornam únicos ... insubstituíveis.
O amor da mãe de Peggotty, apesar de não ter filhos, a humilde humildade de Uriah Heep, as abundantes expressões do Sr. Micawer, o sempre disposto Barkis, a inteligência inocente do Sr. Dick, o lamento repetitivo da sra. Gummidge "Sou um solitário cretista e tudo vai contra mim", O capricho infantil de Dora, a sabedoria paciente de Agnes, o enorme coração do Sr. Peggotty ...
Esse extenso elenco de personagens pinta a tela da humanidade intrincada no semblante silêncio de David, transfigurando-o em um espelho que reflete a natureza do próprio leitor olhando de volta em seus olhos, com todos os seus vícios e virtudes brilhando com luz renovada. David não avança no ritmo da narrativa, ele é o ponto em que tudo se move; enredo, personagens, essência; converge.

Mas para esse leitor em particular, David Copperfield vai além do domínio da ficção literária; ele conquistou um lugar permanente em minha jornada pessoal em direção à totalidade. Ele é um modelo para se admirar. Seu olhar atento indica compaixão obstinada e fé cega (nem sempre a cegueira é má!) Na humanidade, no círculo virtuoso da boa vontade e na boa intenção, no poder da atitude positiva diante da adversidade.
Não há um pingo de sentimentalismo barato nas inúmeras páginas deste conto épico, mas encontraremos uma overdose de ternura e humor inteligente que brilha com inteligência e alma, que ousa abordar a vida e suas estruturas arquetípicas de outras perspectivas, que abraça aqueles que são diferentes como vida querida.
O conceito de família expandiu-se drasticamente e alcançou um nível superior para mim. A família é agora um “vale desconhecido”, com o sol da tarde brilhando nas alturas remotas da neve, que o fecham como nuvens eternas ”, uma porta aberta que acolhe o futuro, onde quer que ele me leve.
Comentário deixado em 05/18/2020
Damiani Mardirosian

Chame isso de heresia, mas estou abandonando isso. Cheguei à página 600, o que significa que tenho apenas mais 150 páginas, mas perdi completamente o interesse. Os personagens são unidimensionais e você pode ver a trama como se estivesse pintada com tinta de marcação de estrada. Eu li todos os romances de Dickens, exceto os primeiros, e os amei principalmente, com exceção de Tale of two Cities, e a razão pela qual eu nunca li isso foi que, por engano, era outro. No entanto, parece um começo, então eu não estava completamente enganado. Com isso, quero dizer, está ensopado de sentimentalismo.

Foi o favorito de Dickens em seus romances que acho estranho e não diz muito sobre suas faculdades críticas, mas me explica por que ele nunca tirou a tensão sentimental de seus escritos: ele simplesmente não conseguia vê-la. Porque o sentimentalismo é como um cheiro doce e doentio em praticamente todas as páginas deste romance. Talvez por sua natureza autobiográfica ele tenha gostado muito de escrever isso. Quando um autor se empolga com as delícias de sua própria história, talvez o editor interno fique em suspenso.

Não começa bem. David como personagem me lembrou a IA no filme de Stephen Spielberg com o mesmo nome, exceto que, diferentemente da IA, sua programação como criança irrepreensível nunca falha. Somos apresentados a um universo moral de absolutos. Não há nuances. Mr e Miss Murdstone são bandidos de pantomima, tão carentes de sutileza quanto o próprio nome sugere; Peggoty, sua enfermeira, é um modelo de virtude. David, quando criança, não é nenhum tipo de criança que reconheço. Ele nunca é travesso ou indisciplinado. A crueldade não tem efeito significativo sobre seu personagem. Ele nunca é capaz de uma resposta irracional - afinal, as pessoas boas ainda podem ser altamente irritantes e as pessoas más, fascinantes e especialmente autoritárias. Mas apenas pessoas boas têm autoridade para Davi, o que basicamente significa que ele nunca se desenvolverá tanto como personagem, o que não acontece. David é uma pedra de toque moral à prova de falhas e castrada. O romance tem um sistema moral binário de pantomima. Um personagem, com uma ou duas exceções, é totalmente bom ou totalmente ruim. Então, as primeiras 100 páginas foram um pouco difíceis para mim. Achei Peggoty e os malignos Murdstones bastante previsíveis. Foi, portanto, um grande alívio quando o Steerforth moralmente ambíguo chega ao local. Finalmente, sentimos que Davi pode evoluir de uma flor de plástico em vaso para uma enraizada no solo e sujeita ao clima. Finalmente, vemos que seus julgamentos morais estão sujeitos a erros. Finalmente, vemos a possibilidade de ele ser influenciado por algo que não seja virtude inalterada. Infelizmente, embora Dickens logo repita o modelo inicial de absolutos morais com um novo conjunto de caracteres. E Steerforth, o único personagem capaz de mexer com a previsibilidade programada de David, desaparece do romance.

Não há desenvolvimento de personagem neste romance. Mesmo quando adulto, David ainda parece ter dez anos. Não é de surpreender que ele se apaixone por uma contraparte feminina - uma mulher adulta de dez anos. Antes de ler isso, eu teria indicado Dorothea e Casaubon em Middlemarch se alguém me perguntasse qual casal da história da literatura eu achava mais difícil imaginar fazer sexo juntos. No entanto, David e Dora agora recebem esse prêmio. De fato, o sexo, como tudo o que acontece com ele, não tem efeito notável em seu caráter. A luz moral deste romance é flagrante; isso machuca os olhos. Não surpreende, portanto, que a carga escura imprevisível do sexo seja hostil ao seu sistema de iluminação regulado e, portanto, ignorada.

Claro que nem tudo é ruim. A escrita da frase é consistentemente brilhante. E, como sempre, Dickens cria seus personagens com a maravilha surpreendida de uma criança de olhos arregalados - sempre têm uma vivacidade detalhada quase alucinada, maior que a qualidade de vida, um único traço definidor do estranho, com o qual tendemos a ver adultos quando crianças. Ampliamos um detalhe que representa a pessoa em questão. Provavelmente, esse foi o traço mais inspirado, a capacidade de ver o mundo através dos olhos de uma criança, mas narrar suas descobertas com a eloqüência de um adulto. Dickens nunca foi um grande psicólogo; ele não tem muito a dizer sobre a vida interior; seu terreno é geralmente superfícies. A superfície deste romance me lembrou um cartão de aniversário vistoso com corações rosa em relevo e fitas espalhadas por todo o lado. Para mim, Dickens é o principal fornecedor do romance como entretenimento leve. Mas isso era mais novela do que romance.
Comentário deixado em 05/18/2020
Bernt Bushfield

Relatório de Status: Capítulos 1 - 8

eu tinha esquecido o quanto eu amo Dickens. o homem é um mestre na experiência imersiva. é realmente fácil para mim ser sugado para o mundo que ele está construindo com tanto cuidado, para me divertir com todos os extensos detalhes, com a descrição exuberante e com a imaginação quase exagerada no trabalho. sua força na criação de uma ampla variedade de cenários totalmente vividos (breves instantâneos de lugares em lugares de passagem e lugares cruciais como a casa e a escola de David) é igualada por sua habilidade ainda mais famosa de desenhar os personagens - muitas vezes, mas nem sempre, caricaturas - que vivem e respiram em seu mundo. esse é o tipo de experiência profunda que eu adoro ter quando viajo, de avião, ônibus ou em alguma praça, um segundo mundo para viver e fazer uma pausa para explorar o mundo imediato à minha volta.

Eu não posso ajudar, mas também lembro quantas pessoas não gostam de Dickens. Lembro-me de um ex que me disse que ele era seu autor menos favorito, e como o ressentimento de ser forçado a lê-lo no ensino médio quase a impediu de ler por prazer em geral. é difícil conciliar uma aversão tão forte por Dickens com meu próprio prazer em desfrutar de seus romances. minha reação automática é que o leitor que não se encanta com ele ou não gosta do estilo de escrever ou é simplesmente o tipo de idiota que deveria ficar lendo o facebook. bem, eu não namoro com idiotas, então suponho que a reação dela seja baseada no estilo de escrever. talvez essa seja a lógica básica para a maioria das pessoas que não se importam com ele.

ou talvez seja baseado em outra coisa. há is algo que eu acho desconcertante sobre David Copperfield, pelo menos até agora. a saber, o comportamento incrivelmente passivo e ingênuo do próprio David (e de sua mãe, é claro). é mais do que apenas minha aversão automática por ler sobre vítimas, embora isso certamente faça parte disso. Às vezes, parece que Dickens está empilhando um pouco o convés, tornando situações miseráveis ​​ainda mais potencialmente infelizes, fazendo com que seu protagonista (e essa mãe miserável, é claro) seja quase incapacitado pelo desenvolvimento em sua incapacidade de entender até coisas básicas sobre o mundo ao seu redor. isso meio que me leva até a parede.

bem, com a queixa de lado, esse ainda foi um momento maravilhoso. Em primeiro lugar, ainda mais do que os personagens mundiais e suculentos, eu amo o humor seco e sardônico que está constantemente trabalhando duas vezes. não apenas cria uma certa distância entre o leitor e o livro, no que diz respeito aos vários horrores visitados pelo jovem David ... é hilário!

partes favoritas até agora:

- aquele brilhante capítulo de abertura "Nasci"

- a casa de barco Peggotty e o calor daquela família maravilhosa. Eu gostaria de viver lá!

- Steerforth. ugh! que monstro encantador.

- a tragédia nota tristemente menor do Sr. Mell



Relatório de Status: Capítulos 9 - 26

acho que estava esperando um pouco mais mal dos Murdstones. a maneira como eles tratam David é certamente cruel, mas acho que seria muito mais brutal. isso não é uma reclamação! se alguma coisa, eu aprecio o fato de Dickens tornar a situação de David muito mais realista. os Murdstones são pessoas frias, frias. e eles certamente levam a mãe tediosa de David a uma sepultura precoce (não derramei lágrimas nela). mas fiquei surpreso que a ação principal deles seja simplesmente enviar David para um trabalho chato, que nenhum filho da idade dele deveria ter (e aqui estou vendo a narrativa através da minha lente do século XXI). uma decisão insensível, mas não cruel. Davi é apenas uma irritação que eles querem dispensar, em vez de prejudicar. interessante.

esse breve segmento certamente foi animado pela representação do maravilhosamente pateta Mr. Micawber & Family. e por um fascinante olhar para a vida na prisão de um devedor. Presumo que este seja o clássico Poor House?

mas então ... boa sorte, o pobre David Copperfield passa pelo inferno para escapar dessa vida de tédio. muitas emoções da minha parte, todas centradas na idéia de uma crueldade casual em relação a um fugitivo. trouxe de volta algumas lembranças perturbadoras do meu breve período como conselheiro de jovens sem-teto.

e então - finalmente! - alguma decência. melhor ainda, excêntrico ao invés de decência mawkish. Tia Betsey e Mr. Dick são mais duas maravilhosas criações de Dickens. especialmente aquela velha e dura tia Betsey - cada uma de suas aparições é uma delícia. Quando David finalmente chega à segurança da casa de sua tia, senti muita tensão sair de mim. é como se a história dele estivesse realmente prestes a começar, agora que os horrores góticos cortam pedaços negligenciados da infância que estão fora do caminho.

- uma introdução do melhor personagem de todos os tempos: Uriah Heep! esse é o papel que Crispin Glover nasceu para desempenhar. que pequeno vilão maravilhosamente assustador e perfeitamente realizado. tudo isso suplicante, tudo isso contorcendo! coisas brilhantes.

- interessante: David raramente é chamado pelo seu nome real. mais dois apelidos são adicionados à lista: Trotwood e Daisy. Davi é um tabula rasa de um personagem.

- o relacionamento entre Wickfield e Agnes não é comovente. é absolutamente assustador.

e agora a tensão aumenta novamente, mas de uma maneira que não me faz meio que me contorcer de desconforto (histórias de negligência infantil - um bom momento para mim). três conjuntos de circunstâncias cada vez mais terríveis ...

(1) Lil 'Em'ly e o vilão desprezível Steerforth
(2) Agnes e o vilão desprezível Uriah Heep
(3) Tia Betsey e um misterioso, chantageando vilão desprezível desconhecido

Davi será capaz de interceder em alguma dessas situações perturbadoras? Eu sou duvidoso, mas também esperançoso. vai David, vai!



Relatório de Status: Capítulos 27 - final

emocionante, maravilhoso, incrível, etc, etc. todas as boas palavras. eu ri (muito), chorei (apenas um pouco e de uma maneira viril), não mudaria ou subtrairia uma única palavra. perfeito!



Relatório Final

ok, isso será menos um relatório final e mais uma coleção de pensamentos finais, como eu penso no romance e consulte os vários tópicos em Serials Serials - o grupo que me começou a ler este romance.

primeiro, a divisão no romance. o primeiro terço, mais ou menos, tudo sobre o jovem Davi e suas terríveis dores: vivas e poderosas. o restante do romance, tudo sobre David em sua juventude e após o crescimento de todas aquelas sementes narrativas plantadas naquele primeiro terço fértil; um excesso de detalhes que se repetem repetidamente, e assim o livro se torna menos um conto gótico assustador e mais uma variedade de mistérios de queima lenta (e muitos, muitos exemplos de pura comédia): menos vívidos e talvez menos poderosos. olhando para trás, devo dizer que sou minoria e preferi os últimos dois terços. não apenas a tensão de situações potenciais envolvendo abuso e negligência de crianças desapareceu (um bugaboo pessoal meu que rapidamente transformará quase qualquer experiência literária ou cinematográfica em algo extremamente desconfortável e desagradável) ... mas, de alguma forma, tudo parecia mais real para mim. o primeiro terço era visceral, mas quase caricatural, enquanto o resto do romance parecia como se eu estivesse realmente vivendo no romance. essa era a extensão dos detalhes e o efeito de seguir esses personagens à medida que eles se moviam por muitas situações e mudanças diferentes em suas vidas.

"caricatural". ou melhor ainda, "dickensiano". O que isso realmente significa? uma versão peculiarmente estilizada da caricatura? Eu entendo o representante que Dickens tem com seus personagens. eles são estilizados, obviamente. mas muito poucos deles continuaram caricaturas para mim. no final, a maioria acabou se sentindo muito real e fiquei impressionado com a capacidade de Dickens de fornecer várias dimensões aos seus personagens - embora ele faça isso de uma maneira bastante sutil. seus heróis não recebem fortes críticas e seus vilões não recebem momentos agradáveis ​​da humanidade. e ainda está lá. David Copperfield é gentil e bom, mas também é um sujeito passivo e ingênuo, cuja bondade e ingenuidade geralmente não fazem nada além de piorar as situações - especialmente em quase todos os casos que envolvem seu relacionamento com Steerforth. Agnes também é gentil e boa, mas sua passividade a faz funcionar como uma espécie de facilitadora para seu pai. Steerforth é um vilão insensível e irresponsável, mas tem momentos de genuíno calor e bondade. Rosa Dartle é uma megera insensível - mas olha a vida inteira daquela pobre cadela com Steerforth e a mãe - eu também me tornei uma megera insensível nessa situação. Uriah Heep é um idiota, pegajoso e esfaqueado nas costas ... mas veja de onde ele vem, seu contexto, o tipo de pessoa que seu pai era e os ideais que ele foi criado para adorar. e, é claro, Micawber, que seria puro pathos, mas quem Dickens trata com uma quantidade extraordinária de afeto. Dickens não é necessariamente um autor "imparcial", mas é um que está claramente ciente do contexto.

existem alguns comentários no tópico desta revisão sobre mulheres em Dickens - comentários com os quais eu inicialmente concordei. mas em retrospecto, eu realmente não concordo. olhando para trás neste romance, as mulheres costumam ser tão cheias de vida quanto os homens. talvez as pessoas pensem principalmente na Agnes bastante anêmica. mas agora - quando penso na fraca Dora, na cruel Rosa e na tia Betsey, na trágica Emily, na adorável e Peggotty e no maudlin Sra. Gummidge, na patética Martha e na excêntrica "dois passarinhos" (tias de Dora) e na pretensiosa Julia Miles e digna de ser amada. pressão Sra. Strong e hilariamente fiel à culpa Sra. Micawber - penso em personagens que pulam da página e ficam para viver em minha mente. então, não, não critico como as mulheres são retratadas em Dickens.

exceto, talvez, Dora. ela é certamente uma das personagens mais bizarramente estúpidas já criadas na literatura clássica. quando ela fala pela primeira vez sobre o apelido de David "Doady", eu praticamente queria vomitar. ela é tão estúpida que muitas vezes me vi pensando que ela não é estúpida - ela é deficiente mental! minha nossa! e então me senti mal com meu desprezo e comecei a ter sentimentos confusos sobre David estar com ela. parecia de alguma forma Wrongs. também há algo tão sem sexo na personagem dela - era impossível para mim imaginá-la capaz de qualquer tipo de intimidade genuína. mas eu tenho que dar a Dickens - ele não a apresenta como ideal (ao contrário de David), ele a satiriza impiedosamente cena após cena e, no final, investe tanto o casamento quanto a morte com uma emoção genuína e palpável que me tornei genuinamente palpável. a cena do casamento dela (praticamente todos os parágrafos que começam com "Of") foi uma das passagens mais sonhadoras que já li. e sua morte - não explicitamente descrita, mas paralela à morte de Jip - uau. cena incrível.

as cenas de morte combinadas do corajoso Ham e do horrível Steerforth eram quase igualmente emocionantes. a última linha que descreve Steerforth em seu descanso final: excelente.

Ok, eu acho que estou gasto. esse é um daqueles romances que eu provavelmente posso falar repetidamente, então eu deveria me fazer parar. Termino dizendo que o romance é, em uma palavra, brilhante. adorei a linguagem, o humor, o capricho, o drama; os personagens estavam maravilhosamente vivos; a narrativa surpreendentemente sutil e emocionantemente maior que a vida. tantas cenas eram indeléveis - muitas para contar.

David Copperfield é um dos meus romances favoritos.



David Copperfield: uma perspectiva alternativa
Comentário deixado em 05/18/2020
Sharp Krebel

"Eu tenho em meu coração um filho favorito. E o nome dele é DAVID COPPERFIELD"
Eu também tenho um autor favorito e seu nome é Charles Dickens.

Este romance é poesia. Para apreciar verdadeiramente a beleza da língua inglesa, é preciso ler David Copperfield. Este livro não pode ser classificado. É uma história de amor, um drama e uma comédia. Tem elementos de horror e suspense. Eu ri histericamente, chorei incontrolavelmente e joguei contra uma parede em um acesso de raiva. Isso me irritou, aborreceu e me prendeu.
Os personagens deste romance são como pessoas reais para mim e sinto por eles como por seres vivos. Detesto o Sr. Murdstone, adoro David, quero dar um tapa na mãe dele, cuspiria em Dora, rir com Peggotty, torcer por Emily, sentir pena de Uriah Heep e simpatizar com sua tia Betsy Trotwood. Foi uma experiência tão memorável que, mais de 15 anos depois, ainda me lembro de certas cenas como se fossem parte da minha memória real.

Tudo o que é bom neste mundo (inocência, justiça, verdade) pode ser encontrado nessas páginas. Não posso recomendá-lo o suficiente.

Mas tenho uma sugestão útil: não a leia sem o caderno e o papel na mão para acompanhar os caracteres. Eles são introduzidos com indiferença apenas para reaparecer mais tarde como centrais para o enredo.
Comentário deixado em 05/18/2020
Cleo Dumues

Meu primeiro Dickens, este livro foi altamente recomendado para mim e depois de pular esse assunto por quase três anos, finalmente consegui lê-lo desta vez. Este livro também foi uma grande conquista para mim em termos de clássicos no ano passado. Comecei três clássicos, interrompendo-os para outros livros em momentos diferentes. Este é o único tomo (clássico) que terminei. Então, sim, foi uma grande conquista para mim, principalmente porque eu adorei.

Portanto, não vou escrever aqui sobre o que é este livro, pois quase todos devem estar cientes de seu conteúdo aqui. Em vez disso, vou colocar em poucas linhas o que eu gosto sobre isso:

Eu amava aquela criança assustada, que amava sua mãe do fundo do coração que, apesar de todos os seus esforços, não podia salvá-lo dos Murdstones. Meu coração disparou por esse garoto com medo e gaguejando. E talvez esse comportamento difícil o tenha transformado em algo forte que o sustentou nos tempos difíceis, o inspirou a continuar e nunca parar.

Se a crueldade de Murdstones o fortaleceu, sua tia Betse Trotwood e sua enfermeira Peggotty lhe mostraram como amar, confiar e ter esperança. Era tão bonito vê-los transformá-lo em um homem bom.

Quando ele se tornou um homem, amigos, como Micawber e Traddles, o ensinaram a sorrir e fizeram dele um homem honesto.

Mas Agnes colocou alma nesse homem duro, forte e amoroso. Ela o inspirou a continuar fazendo boas ações. Ela o acalmou, apesar de passar pelo inferno. Assim como David, fiquei admirado com essa garota / mulher ao longo do livro.

Este livro me deixou agridoce. Amargo porque ainda não estava pronto para me despedir desses personagens e doce, porque terminou em alta. Soltei um grande suspiro de alívio depois de ver minhas pessoas favoritas recebendo o que mereciam.

Um livro tão simples, mas absolutamente lindo.
Comentário deixado em 05/18/2020
Franzen Altwies

David Copperfield é um romance estranho de Charles Dickens. Segue David Copperfield, um homem gay no início do século 19 na Inglaterra, enquanto ele tenta seduzir e desposar outro homem gay, James Steerforth. Copperfield primeiro coloca os olhos em Steerforth na Salem House, onde ambos devem subjugar seu amor um pelo outro, dando a diferença de idade e a sociedade da época. No entanto, à medida que o romance avança, Copperfield e Steerforth vivem abertamente como um casal homossexual.

O relacionamento deles fica em perigo quando Dora Spenlow, uma bruxa ciumenta, se recusa a continuar vivendo como a barba de Copperfield e o obriga a se casar com ela. Assim, Copperfield e Steerforth se separam. Tudo parece perdido até Copperfield ser amigo de Tommy Traddles, outro garoto que ele conhecera na Salem House. Eles participam de um caso de amor salubre, no qual Dickens canta várias centenas de páginas de ação húmida de homem com homem. No entanto, mais uma vez, esse relacionamento é posto em perigo pela velha e amarga rainha Uriah Heep.

Uriah Heep é um gay malvado e o epítome da cultura masc4masc. Heep vê Copperfield como uma jovem lontra em forma e tenta matar Traddles jogando pérolas sob seus pés à la Showgirls. No entanto, seu plano é estragado depois que seu pai, Micawber (o homem que jogou o primeiro tijolo em Stonewall), recuperou suas pérolas porque Heep se recusa a enviar-lhe mais daguerreótipos de seus pés.

Ou, em outras palavras:

David Copperfield é mais o mesmo de Dickens. Mais direto do que alguns de seus romances anteriores, Dickens confia mais na verossimilhança do que no ridículo para contar essa história. É uma pena que quanto mais ultrajante Dickens seja, mais eu o aprecio. No entanto, apesar deste romance receber apenas três estrelas minhas, ainda é melhor do que a maioria dos romances já escritos. É apenas "três estrelas" na própria bibliografia de Dickens e não o cânone ocidental maior. Provavelmente teria sido quatro estrelas se ele tivesse incluído mais capítulos com a senhorita Mowcher.
Comentário deixado em 05/18/2020
Wallis Adelstein

Bravo, Dickens!

Devo dizer que, copiando Thackaray pela milionésima vez, provavelmente. Que diferença ler o original, comparado às versões diluídas que eu conhecia desde a infância. Levei muito tempo para entrar no rico fluxo de palavras, nas belas alusões e no humor seco, mas depois fiquei viciado. Minha família sempre se lembrará das férias de Natal quando eu estava furioso com Uriah Heep, incapaz de conter minha raiva, compartilhando minha frustração em voz alta!

Mas não era apenas um aborrecimento com a flagrante hipocrisia, vulgaridade e oportunismo, é claro. Eu me apaixonei pelos personagens secundários, como costumo ler Dickens. E apenas seguir seus caminhos, caminhar pela Londres do século 19, é uma delícia!

Update:

Meu filho mais velho também terminou agora, e, curiosamente, ele estava mais irritado com a ingenuidade de David do que com a hipocrisia de Urias e as atividades criminosas.

Por estar plenamente familiarizado com o universo de Copperfield, ele leu um comentário no The Economist e começou a rir do político notoriamente autopromotor, auto-indulgente e enganoso de nossos dias, que alegava ser "muito humilde de fato - as pessoas não queriam". Não acredito realmente como sou humilde! "

"Ele é tão humilde quanto Urias?" meu filho perguntou, rindo de lágrimas. Bem, Uriah acabou fazendo seus truques na prisão ... O 'canalha humilde citado no The Economist mais tarde se mudou para o Bleak House, eh ... desculpe, é um erro, é a Casa Negra. Errado de novo? Bem, em um mundo virado de cabeça para baixo, é um prazer ler Dickens e saber que seus personagens têm o destino que merecem, e que a justiça poética virá, após uma longa aventura de roer unhas, originalmente divulgada nos jornais apenas como política global do dia-a-dia!

Então, Urias! Eu apreciaria se você pudesse apenas umbly permanecer um personagem fictício!
Comentário deixado em 05/18/2020
Jonme Stafford

O que se pode dizer de David Copperfield que não foi dito antes? David Copperfield é o sargento de Charles Dickens, alguns podem dizer da literatura inglesa. Disseram-me que o livro é engraçado. Mas acho que o livro é tão engraçado quanto o Super-Homem. Se os comediantes de pé basearem seu material em David Copperfield, eles não ganhariam a vida.

Por ser volumoso, o livro avança bastante. Quando Davi é atingido pela dor quando adulto, ele se afasta e escreve muito e se torna famoso. Como eu não sei. Eu acho que o autor queria se referir a si mesmo.

Eu li capítulos inteiros (ok, capítulo 35) sem entender um pouco do que estava sendo dito. Eu temo o que aconteceria se este livro aparecesse na minha aula de inglês. Talvez eu devesse ter recorrido à experiência do grupo que é muito apaixonado por Dickens. Você sabe quem você é...


E, no final, os detalhes de alguns acontecimentos já estão começando a desaparecer. Devo dizer que as mortes neste livro são diferentes das de Nicholas Nicklesby e também das de Martin Chuzzlewit. Eu compararia o Sr. Pecksniff com Uriah Heep, mas há pouca semelhança entre eles, na verdade. Sou tão corajoso a ponto de ler mais sobre Dickens ou ainda mais corajoso ao reler David Copperfield? O tempo vai dizer. Minha classificação deste livro é baseada no meu prazer, acredite ou não. Até mais, Sr. Dickens.

PS - Chegou ao meu conhecimento que não elogiei muito o livro. Eu acho maravilhoso. Só fui pego em dizer por que não classifiquei 5 estrelas. O livro é ótimo. Leia-o como quiser.

Se você quiser ler uma resenha muito melhor que a minha, clique no link abaixo:

https://www.goodreads.com/review/show...
Comentário deixado em 05/18/2020
Chloette Graminski

Como sempre, depois de ler essa densidade, é um pouco de um amigo deixado na estrada. O próprio Dickens admitirá ter tido dificuldade em deixar David Copperfield após uma longa intimidade!
Esse romance é, ele diz no prefácio, o seu favorito, e quando ele tem que ler um trecho na frente de uma platéia, alguns anos depois, a escolha desse extrato é angustiante porque esse romance é um todo, um conjunto de emaranhados. narrativas uma na outra que não podem ser separadas sem romper o tecido da obra.
Também é que esse romance é muito pessoal e que Dickens colocou muito disso nesse personagem! Nesse ponto, as notas são cativantes.
Mas quando digo que acabei de deixar um amigo aqui ou devo especificar "um monte de amigos", que é especialmente o guardião de altos e baixos de Copperfield.
David Copperfield, com cerca de 40 anos, volta-se para o seu passado, um rio longo e tranquilo no momento em que conhece o Peggoty, irmão e irmã Murdstone, Emily, Steerforth, sua tia Agnes, o Micawber e, finalmente, Dora, da qual ele irá tornar-se amante louco.
Para enumerar os personagens que seguirão David em sua jornada - bom, ruim, às vezes os dois - refiro na cabeça o fio da história e digo para mim mesmo: que caminho foi feito!
Dickens é um bom contador de histórias que não tem medo de jogar de vez em quando algumas informações sobre o futuro do narrador, mantendo-nos em suspense pelas, no entanto, setecentas páginas que se seguem, sem hesitar em acrescentar uma boa dose de humor a algumas cenas dramáticas e um amor terno quando a morte está envolvida.
Foi o pequeno David, o órfão, que mais me comoveu, mas dou meu carinho ao Sr. Peggoty, a Agnes e, é claro, à tia de David, que mudará completamente quando abrir a porta para uma criança vagabunda e pobre.
É também um retrato às vezes patético da Inglaterra industrial e, finalmente, uma obra quase cinematográfica que inspirou o maior dos anos que se seguiram à sua publicação.
Adeus David!
Comentário deixado em 05/18/2020
Fairman Woodfork

"Tudo o que tentei fazer na vida, tentei de todo o coração fazê-lo bem; seja lá o que me dediquei, me dediquei completamente; em grandes objetivos e em pequenos, sempre fui muito sincero".
Charles Dickens, David Copperfield

Quando comecei minha jornada com David Copperfield, Eu dificilmente poderia ter esperado a emoção que este livro iria torcer de mim.

A história começa logo antes do nascimento de Davi e progride ao longo de sua vida. Eu ri junto com ele e sua cuidadora, Peggotty, enquanto eles brincavam juntos. Eu me acomodei junto ao fogo com David e sua mãe viúva e infantil para relaxar no calor da família deles e, à medida que o Mestre Copperfield crescia, meu amor por ele aumentava. Mas esse conto não é só sol e pirulitos - longe disso! Quando percebi o que havia pela frente, eu estava enredado demais para voltar. Meu coração estava despedaçado tantas vezes que tive que abaixar o fogo e ir embora porque não agüentava outro momento de dor. Eu sempre voltava porque não podia deixar o garoto querido sozinho.

Eu amaldiçoei aqueles que machucaram meu tesouro, mas David permaneceu sempre esperançoso e brilhante, mesmo diante de probabilidades impossíveis. Ele compartilhou essa fé comigo, junto com risos, amor e esperança de um dia mais glorioso por vir.

David Copperfield , a partir de hoje, será um dos meus livros favoritos. A escrita de Dickens, é claro, é ouro puro com uma deliciosa prosa amanteigada enfeitando todas as páginas. Esse romance pode ter quebrado meu coração e o arrastado pela lama, mas no final, Charles Dickens colocou tudo certo, e eu sou o melhor para lê-lo!

Um grande obrigado por você Martha. Sua crítica apaixonada me convenceu a acrescentar isso!


"Na hora marcada, estávamos à porta - a porta da casa onde eu estivera, há alguns dias, tão feliz; onde minha confiança juvenil e calor do coração haviam cedido tão livremente; que estava fechada contra doravante, que agora era um desperdício, uma ruína ".

"Que, a essa vista, a sra. Markleham largou o jornal e olhou mais como uma figura de proa destinada a um navio chamado The Astonishment, do que qualquer outra coisa que eu possa pensar."

"Quão bem eu me lembro do passeio de inverno! As partículas de gelo congeladas, escovadas das lâminas de grama pelo vento e carregavam meu rosto; o barulho duro dos cascos do cavalo, batendo uma melodia no chão; o solo duro; solo; o monte de neve, levemente agitado no poço de giz enquanto a brisa o agitava; o time de fumantes com a carroça de feno velho, parando para respirar no topo da colina e sacudindo musicalmente os sinos; as encostas e varreduras embranquecidas de Down terra contra o céu escuro, como se estivessem desenhados em uma enorme lousa! "
Comentário deixado em 05/18/2020
Ilse Auffrey

Leia a maior parte disso ao longo de 4 dias nevado em menos de 2 pés de nevasca e a repetição circular do dia de escuridão da luz da neve, em uma casa nova, muitas vezes em quase silêncio, apenas pontuada por robins de inverno cantando do lado de fora, fazendo panelas de neve. café e organizar meus livros, música e móveis. Posso pensar em mais alguns estados deliciosos para absorver esse clássico Bildungsroman, que parece ser um desse gênero de livro chamado Perfect Novel. Devo ler mais Dickens? Vou ler todos eles.
Comentário deixado em 05/18/2020
Erika Disla

"Eu tenho em meu coração um filho favorito, e o nome dele é David Copperfield" Charles Dickens.
Como um ENORME fã de Sir Charles Dickens, não posso dizer que este é um livro normal. Este é o mais pessoal dele, segundo ele mesmo.
Por que 4 de 5 estrelas? Como era difícil digerir um pouco, eu tive que ler algumas páginas mais de uma vez e tentar obter a origem de alguns personagens, mas a maioria deles está na minha cabeça agora. É fácil se apaixonar por eles, e a história em si é meio que inesquecível misturando um garoto órfão, aventuras adoráveis, provações interessantes, entre outras. Se eu fosse um vilão algum dia (espero que não), gostaria de ser como Uriah Heep.
Um livro muito nostálgico, um total devo da Literatura Clássica, vou reler totalmente assim que puder.
Estou muito orgulhoso de meu nome ser "Charles" na versão em espanhol, mesmo que por coincidência.
Recomendado? Absolutamente! É um Clássico! e você pode aprender muitos dos mais importantes escritores de todos os tempos: Charles Dickens.
Comentário deixado em 05/18/2020
Suneya Radle

Na sua vida de leitura, você encontra todo tipo de livro; livros que você gosta; livros que você ama; e livros, talvez você deseje não aparecer no seu caminho. Em raras ocasiões, você encontra um livro que se sente privilegiado por ter lido. David Copperfield, sem dúvida, se enquadra nessa categoria rara.

O livro não precisa de elogios por mim. É apenas mais uma adição aos milhões de leitores que adoraram e apreciaram este grande trabalho desde a primeira publicação. O próprio Charles Dickens havia dito que David Copperfield era seu "filho favorito (literário)". Tudo isso é prova do valor e da grandeza do livro.

Charles Dickens escreveu tantos ótimos livros. Não há argumento sobre isso. Mas se ele alguma vez escreveu um livro com todo o seu coração e alma, é David Copperfield. Mesmo não tendo lido todos os livros dele, posso garantir que é assim. Admito que estou desmaiado, mas minha convicção é coerente; pois como poderia ser de outro modo, quando é quase autobiográfico do autor? Dickens é conhecido por sua escrita inteligente e espirituosa, suas observações satíricas sobre a sociedade inglesa. Mas se Dickens é conhecido por uma escrita bonita, apaixonada e sincera, o crédito recai sobre David Copperfield.

A vida de David se assemelha à de Dickens em muitos aspectos. Como David, Dicken teve uma infância conturbada; e, como David, Dickens teve que deixar a escola para trabalhar em tenra idade para apoiá-lo (e no caso de Dickens, sua família também como seu pai foi preso por suas responsabilidades pecuniárias). A experiência que David obtém em uma idade muito jovem o ajuda a aprender sobre a vida e a necessidade de trabalhar duro com consistência e devoção para obter sucesso na vida. Esse também era o lema de Charles Dicken. Ele era um homem feito por si mesmo, cujo desejo por conhecimento e aprendizado o tornou bem-sucedido, apesar das dificuldades que cercaram sua infância. Como David, Dickens era um repórter parlamentar antes de se entregar completamente à autoria. Em resumo, David é sua apresentação literária de si mesmo, mais ou menos.

A história principal de David Copperfield é a jornada de vida de David Copperfield desde o nascimento até a velhice, cheia de perdas, dificuldades, luta, aventura, sucesso e felicidade; e é narrado por ele. A história também é sobre o desenvolvimento moral e pessoal de David desde a infância até a juventude e a idade adulta; como ele cresce a partir de suas fantasias de infância e impressões equivocadas, sacudindo sua vaidade, auto-importância e erros do coração indisciplinado e aprendendo o verdadeiro significado e valor da vida.
Além disso, estão incluídas as histórias dos personagens principais, que estão intimamente relacionados aos dele. Essas histórias permitem ao leitor obter uma percepção ampla da sociedade então inglesa, as diferenças de pessoas de acordo com suas classes, a superioridade vã dos ricos, as dificuldades e lutas de homens e mulheres comuns e a vida trágica de jovens inocentes que tornam-se vítimas de homens perversos e lascivos. Uma área mais ampla da vida, do relacionamento entre pais e filhos, esposo e esposa, da moral e dos princípios, da vida trágica de "mulheres caídas" (por falta de culpa delas), da sociedade, é abordada nessas histórias, tornando-a um trabalho completo.

David Copperfield é realmente um ótimo livro. Na minha vida de leitor, encontrei muitos que me afetaram emocionalmente; mas apenas um punhado foi capaz de puxar minhas cordas do coração. David Copperfield é certamente um, e talvez no topo de todos eles. Houve muitos casos em que eu estava chorando, meus lábios tremendo e meu coração chorando; e que eu não poderia continuar. As histórias, os personagens, eram todos tão verdadeiros e reais. Se alguém pensa em ler apenas um livro de Dickens, deve, sem dúvida, ser David Copperfield.

À declaração de abertura do livro de que "se eu me tornarei o herói da minha própria vida, ou se essa estação será ocupada por mais alguém, essas páginas devem saber", tenho isso a dizer como leitor. David é o herói de sua vida por causa do amor incondicional e apoio de duas heroínas: sua tia Betsy e Agnes.
Comentário deixado em 05/18/2020
Fair Cody

Peguei este livro em uma livraria (se é que você pode acreditar), sem pensar em comprar uma pilha tão grande de páginas no inglês clássico, imaginando que isso me aborreceria demais.

Eu li a primeira página.

Depois fui ao balcão e comprei.

Este é o começo da minha história de amor com "David Copperfield", um favorito absoluto. Leva uma mentalidade específica para lê-la, acho que demorei um pouco para terminar, combinando meus momentos de leitura com essa mentalidade, tanto quanto possível. Você precisa de um lado romântico e precisa ser capaz de entrar em contato com ele para apreciar este livro, mas se você der uma chance a esse conto, ele nutrirá esse lado sensível e fará com que você receba lágrimas de alegria.

Este livro é uma biografia de uma pessoa maravilhosa e semi-ficcional, David Copperfield, cujas provações e aventuras são baseadas naquelas vividas por Charles Dickens. Os pensamentos de David são generosos e, como este livro foi escrito sob a perspectiva dele, tudo o que ele descreve ao seu redor é retratado da melhor maneira possível. O mundo é um lugar tão bonito por seus olhos, mesmo nas situações mais tristes de pobreza, abandono e morte de entes queridos. Muitas canções de felicidade e amor são cantadas neste livro, mas, como em toda vida, não há apenas isso. Tristeza, morte, perda, mágoa tornam-se belas por causa de sua pureza e núcleo de calor, um calor tão bem expresso neste livro. Traição e ciúme se tornam ainda mais feios quando colocados ao lado dos sentimentos mais puros.

Nem sempre foi uma leitura fácil. Algumas passagens são bastante lentas e alguns raros segmentos que deveriam ser engraçados de alguma forma perderam a vantagem (as situações mais cômicas ainda mantêm seu poder sobre os cantos da boca e a barriga inabalável. No entanto, elas cederão, eu garanto!). Os dialetos locais em que alguns dos protagonistas falam às vezes tornam muito difícil entender para um falante de inglês não nativo como eu.

Li este livro com um caderninho ao meu lado para anotar as citações mais memoráveis. Era difícil não simplesmente copiar páginas inteiras às vezes. Aqui estão algumas das minhas citações favoritas - que são realmente histórias em si - que mostram o humor atemporal e a grande caneta de um autor que mostrou que a coisa mais ingênua a ser é ser qualquer coisa, menos continuamente maravilhada com as maravilhas ao seu redor :

“Seja grato por mim, se você tiver um coração amável, como eu acho que você tem, que, embora eu saiba bem o que sou, posso ser alegre e suportar tudo isso. Sou grato por mim mesmo, de qualquer forma, por encontrar meu caminho minúsculo pelo mundo, sem estar presente em ninguém; e que, em troca de tudo o que é jogado em mim, em loucura ou vaidade, à medida que avança, posso jogar bolhas de volta. ”

"Muito admirada, de fato, a jovem era. O que com seu vestido; o que com o ar e o sol; o que está sendo tão provocado; o que com isso, aquilo e outro; seus méritos realmente atraíram a atenção geral".

"Este país que eu vim conquistar! Você tem honras? Você tem riquezas? Você tem algum artigo pecuniário lucrativo? Que eles sejam trazidos à frente. Eles são meus!"

"Oh, o rio! Sei que é como eu! Sei que pertenço a ele. Sei que é a companhia natural de quem sou! Vem de lugares rurais, onde não havia nenhum dano - e se arrasta as ruas sombrias, sujas e miseráveis ​​- e desaparecem, como a minha vida, para um grande mar que está sempre perturbado e sinto que devo segui-lo. "

"Se, em qualquer manhã ensolarada, ela tivesse aberto um pequeno par de asas e voado diante dos meus olhos, não espero que eu deva ter considerado isso muito mais do que tinha motivos para esperar."

"E se alguma vez, na minha vida, tive um vazio no meu coração, tive um naquele dia."

"Jamais esquecerei o despertar da manhã seguinte; o ser alegre e renovado pelo primeiro momento, e depois o peso da opressão obsoleta e triste da lembrança."

"Não seria um prazer para um comerciante de Londres vender qualquer coisa que fosse o que ele fingia que era".

"... e que ela desejou seus elogios, o que foi uma ficção educada da minha parte."

"Quando acordei na manhã seguinte, decidi declarar minha paixão por Dora e conhecer meu destino. Felicidade ou miséria agora eram a questão. Não havia outra pergunta que eu soubesse no mundo, e apenas Dora poderia dar a resposta. para ele ".

"O amor deve sofrer neste mundo austero; sempre foi assim, sempre seria assim. Não importa. Corações confinados por teias de aranha finalmente irromperiam, e então o amor seria vingado."


Se você ama o amor, com o grande L, você amará este livro.
Comentário deixado em 05/18/2020
Zicarelli Hribar

David Copperfield é um Bildungsroman convulsivamente grotesco e sombriamente satírico.
Primeiro de tudo, David Copperfield é uma coleção colorida de personagens inimitáveis. E passamos por esta assembléia florida como pela galeria de imagens tiradas das telas de Hieronymus Bosch…
The gloomy taint that was in the Murdstone blood, darkened the Murdstone religion, which was austere and wrathful. I have thought, since, that its assuming that character was a necessary consequence of Mr. Murdstone’s firmness, which wouldn’t allow him to let anybody off from the utmost weight of the severest penalties he could find any excuse for. Be this as it may, I well remember the tremendous visages with which we used to go to church, and the changed air of the place. Again the dreaded Sunday comes round, and I file into the old pew first, like a guarded captive brought to a condemned service.
Edward Murdstone é como um pedaço de fanatismo cego e é um epítome da crueldade e maldade humana.
As I came back, I saw Uriah Heep shutting up the office; and, feeling friendly towards everybody, went in and spoke to him, and at parting, gave him my hand. But oh, what a clammy hand his was! as ghostly to the touch as to the sight! I rubbed mine afterwards, to warm it, and to rub his off.
It was such an uncomfortable hand, that, when I went to my room, it was still cold and wet upon my memory. Leaning out of window, and seeing one of the faces on the beam-ends looking at me sideways, I fancied it was Uriah Heep got up there somehow, and shut him out in a hurry.
Urias Heep é a criatura mais magra que eu já conheci na literatura ou em qualquer outro lugar.
E David Copperfield passa por esse conjunto de personagens como um mártir por uma série de provações inevitáveis ​​e angustiantes.
Como um pedaço de minério deve passar pelo forno para se tornar um metal, um menino deve passar pelo processo de atingir a maioridade para se tornar um homem.
Comentário deixado em 05/18/2020
Whall Nacisse

Encontrei este livro em uma pilha de lixo em uma loja vizinha. Eu já fui queimado por Dickens antes (Conto de duas cidades). Eu jurei que nunca mais sofreria com outro livro de Dickens. Quando vi esta bela cópia vintage de David Copperfield, em perfeito estado de menta, não resisti. Era grátis e parecia uma pena deixá-lo lá. Estava nevado e úmido e eu sabia que se alguém não o resgatasse, seria arruinado pecaminosamente. Eu sabia que, se levasse para casa, me forçaria a lê-lo mais cedo ou mais tarde, de um jeito ou de outro. Então, pegá-lo e levá-lo para casa foi um compromisso inevitável. O livro tem 881 páginas. Quando começo a ler, vou até o fim. Eu tenho uma regra de não abandono, mas essa quase me levou a mudar essa regra. Tudo começou muito bem, no começo eu não conseguia acreditar que era o mesmo escritor que escreveu A Tale of Two Cities. Para mim, ler um Conto de duas cidades foi como tentar ler sânscrito. Inicialmente, fiquei feliz por ter tentado Dickens uma segunda tentativa, porque, de outra forma, teria perdido sua diversidade literária ... foi o que pensei primeiro ... Então, em 250 páginas, percebi que estava sendo sugado novamente !! Gorgeously escrito, mas incrivelmente e dolorosamente chato. David Copperfield me irritou muito. Não havia nada de romântico ou digno de nota em toda a sua história. Era como ser forçado a assistir vídeos caseiros de outra pessoa. Faltava maturidade. Parecia que ele nunca havia crescido para ser homem, e permaneceu um beijador de bunda rosado e com tapinhas nas costas. Então você tem que amar como Dickens convenientemente mata sua esposa Dora para que ele possa ter a oportunidade de se casar com seu verdadeiro e verdadeiro amor, Agnes, a quem ele nunca soube que amava. Como romantico. Exatamente o que toda mulher sonha em ser ... segundos desleixados. Nem vale a pena entrar no restante das razões pelas quais eu não gostei da história, então vou encerrar dizendo:
Se alguma vez estou vasculhando outra pilha de livros inúteis, e me deparo com outro Dickens, não me importo se a luz de Deus está brilhando, são raios dourados, e dentro dele há um mapa que me leva a um tesouro de sem punhados de diamantes, nunca mais levarei outro Dickens para casa.



Para todas as pessoas que deram isso 5 estrelas ..

você mente.


Comentário deixado em 05/18/2020
Nonna Dutrow

Dickens publicou seus romances em periódicos por vários meses, então eu amo ler seu trabalho de maneira semelhante.

Eu li um capítulo disso por dia, todos os dias. Estou muito longe de terminar isso, apesar de parecer que há muita história em cada capítulo.

Eu sinto que vou me divertir muito aqui.

(Revisão para vir)

Facebook| Twitter| Insta| Academia
Comentário deixado em 05/18/2020
Dilan Sausser

Acabado. Tendo dificuldade em girar superlativos para esta revisão. É mais ou menos estabelecido que eu gosto, ou amo apaixonadamente, todos os romances de Dickens que li, por que não colocar um distintivo de cinco estrelas nesta obra-prima e descer até o café da Bev para um hambúrguer vegetariano, insinuação sexual gratuita a cada compra, uma voar em cada milk-shake e um desconto de 50p em todas as omeletes cozidas pela metade? Bem. Alguns destaques. Melhorias na caracterização. Notavelmente, os vilões. A amizade de David com Steerforth cega parcialmente o leitor às suas tendências desagradáveis, até que ele esvoaça com a doce Emily. A contorção e a humildade de Uriah Heep enganam o leitor até que suas tendências grosseiras sejam desmascaradas (embora David o exclua como um animal desde o início). O narrador em primeira pessoa abre portas de eloqüência na prosa de Dickens até então fechada na onisciência topográfica de obras anteriores. Como sempre, um elenco memorável de excêntricos, estoicos, fodas adoráveis ​​e escaladores sociais. Sem parcelas secundárias de flacidez como em Dombey e filho. Passagens profundamente profundas sobre o passar do tempo, a memória, a penitência, a amizade e o amor ingênuo (Dora é uma mulher Peter Pan). Comédia de alta classe. Uma experiência enriquecedora. Sua alma brilha lendo isso. Quer mais de um livro? Fora daqui. Hora do hambúrguer vegetariano. Abra até nove e nunca ultrapasse a capacidade (como fazer o GR GR).
Comentário deixado em 05/18/2020
Tiena Amogne

Oh, como eu amo a escrita de Charles Dickens; que gênio! Não há dúvida de que David Copperfield é um clássico. Todo pensamento é tão inteligente, sereno e bem-humorado. Fui transportada para outro lugar e hora e senti um calor e conforto como afundar profundamente em uma cama cheia de plumas toda vez que peguei este livro para ler um capítulo ou dois. Você fala sobre escapismo - foi isso para mim completamente. Charles Dickens se diverte com suas muitas histórias há séculos e continuará por muito mais por vir. "A Christmas Carol", "Oliver Twist" e "David Copperfield" são apenas alguns dos meus favoritos! Li David Copperfield quando era jovem e adorei, mas lendo novamente como adulto, posso apreciar todas as nuances muito mais. Existem insinuações que fazem você rir por toda parte; socos muito sutis que, se você piscar, você pode sentir falta deles. Dickens cria cenas com suas palavras em que você sente cada passo que David dá. O ar frio soprando e o cheiro de folhas molhadas Oh, ele coloca você ali mesmo, com David atravessando Canterbury, Londres e Blunderstone.

Nos dois prefácios (uma versão original e uma atualizada) da minha edição, Charles Dickens afirma o quanto ele adorava escrever este romance; o quanto ele não queria largar a caneta - "Talvez interessasse pouco ao leitor saber quão dolorosamente a caneta é colocada ao final de uma tarefa imaginativa de dois anos".

Ele também escreve: “De todos os meus livros, eu gosto mais disso. É fácil acreditar que sou um pai apaixonado por todos os meus filhos, e que ninguém pode amar essa família tanto quanto eu. Mas, como muitos pais afeiçoados, tenho em meu coração um filho favorito. E o nome dele é David Copperfield.

Esses sentimentos me fizeram apaixonar-me pelo livro antes mesmo de começar a relê-lo. Agora, depois de terminar esta obra-prima, entendo exatamente por que ele disse que era difícil largar a caneta. É triste terminar este romance porque você nunca quer que ele termine. A escrita de Charles Dickens é tão suave, tão fácil de ler, tão romântica e, sim, muito engraçada. Todos os grandes personagens que ele nos apresenta são perfeitamente retratados. Você sente as palmas das mãos suadas e suadas de Uriah Heep; você vê os lindos olhos e ouve a linda voz de Dora; e as mãos maravilhosamente calejadas e trabalhadas de Peggotty - ah, que personagens existem nesse épico; esses personagens se tornam uma família para você também.

David Copperfield passa por muita coisa em sua jovem vida e essa história oferece todos os tipos de começos e surpresas onde você ofega; há romance e você suspira; há tristeza e você chora. Eu tinha lágrimas escorrendo pelo meu rosto algumas vezes enquanto lia essa linda história. Há histórias que se entrelaçam e se repetem com muitas reviravoltas interessantes. Dickens é assim com descrições de pessoas; ou você se apega muito ou despreza o que não é maravilhoso.

Então, o que mais se pode dizer sobre uma obra-prima como essa? Não há espaço suficiente para imprimir todos os elogios aqui no Goodreads. Insuficiente. Este foi um cinco estrelas quando o li pela primeira vez e dez depois da minha releitura (se houver essa classificação). Eu recomendo que todos ponham isso em um "top ten para ler em breve", você não vai se arrepender.
Comentário deixado em 05/18/2020
Underwood Bustad

Acabei de ler David Copperfield no Kindle alguns dias atrás.

Eu não sou formado em inglês e não pretendo ser um. Não vou discutir em quais temas o livro aborda, em que categoria ele se encaixa ou em geral dissecá-lo ao ponto em que é mais monótono do que divertido.

Eu li o livro porque queria, não porque tinha que escrever um artigo sobre isso.

Devo dizer, antes de tudo, que esse deve ser um dos melhores livros que já li. As descrições vívidas dos personagens eram divertidas de ler. Um homem particularmente manso foi descrito assim: "Ele era tão extremamente conciliador que parecia pedir desculpas ao próprio jornal por ter tido a liberdade de lê-lo".

Algumas das cenas do romance são incrivelmente vivas e memoráveis. A cena hilariante e tensa no final em que um dos principais vilões é derrotado era uma, e é claro que quase todas as cenas envolvendo a tia de David também são.

Dickens é um mestre do suspense. Ele faz isso através de premonições sutis no livro. Você pode até nem notá-los enquanto lê. Mas com certeza teve um efeito em mim: tive problemas para largar o livro e fiquei acordado mais tarde do que deveria em mais de uma noite para continuar lendo outro capítulo ou três.

Como qualquer bom livro, este me fez pensar, mesmo depois de terminar de ler, e me deixou querendo lê-lo novamente. Agora mesmo.

No entanto, existem algumas desvantagens práticas. Foi escrito na década de 1850, e algumas das discussões jurídicas, comerciais e monetárias britânicas são estranhas para um público americano moderno e casual. No entanto, com a exceção do Sr. Micawber, particularmente detalhado, você provavelmente pode fazer isso sem um dicionário, embora um seja útil. Eu li no Kindle, que integra um dicionário e facilita a busca de palavras. Aprendi que um nosegay é um buquê de flores vistosas. E que Micawber gostava de usar palavras obsoletas desde o século XVII, de acordo com o Kindle. Se você se lembrar de que “emolumentos pecuniários” se referem a um salário, você estará bem.

A outra coisa que ocasionalmente me incomodava era que o narrador (David) comentava algum tipo de gesto, ou comentário que não era muito direto, e então dizia algo como: “Mas ela não precisava ser mais explícita, porque Eu entendi o significado perfeitamente. Bem, às vezes não. Embora eu geralmente descobrisse isso depois de um tempo. Eu nunca tinha certeza se Dickens estava intencionalmente falando com o leitor, ou se um leitor britânico da década de 1850 teria descoberto o significado perfeitamente. Mas isso foi parte da diversão, eu acho.

Esta avaliação também postou no meu blog em http://changelog.complete.org/archive...
Comentário deixado em 05/18/2020
Sly Pelle

David Copperfield é um dos meus livros favoritos de Dickens, e eu gosto muito de Dickens. De qualquer forma, não é um livro perfeito e, nessa leitura, notei que ele ficava no meio. (De repente, achei muito mais difícil captar e me distraí mais facilmente com as novelas gráficas que são os materiais de leitura do banheiro de meu marido.)

Nota: O restante desta revisão foi retirado devido às alterações recentes na política e na aplicação da Goodreads. Você pode ler por que cheguei a essa decisão aqui.

Enquanto isso, você pode ler a resenha completa em Smorgasbook
Comentário deixado em 05/18/2020
Knowle Panke

Então, Dickens, o autor inglês mais amado desde Shakespeare. Quão bom ele é? Ele é tão bom quanto Tolstoi? Não, ele não é tão bom quanto Tolstoi. Tão bom quanto Dumas? Não. Hugo? Vamos chamar de gravata. E os outros britânicos? Bem, ele não está nem perto de George Eliot. Ele é tão bom quanto Thomas Hardy.

Ele tem uma idéia melhor de como é ser pobre do que a maioria desses autores, e isso é uma grande vantagem para ele; mesmo que você não goste de pessoas pobres, a disposição de Dickens de mergulhar nos becos faz uma boa mudança em relação a todos aqueles salões vitorianos. Seus personagens são frequentemente caricaturas, mas são eficazes e memoráveis. Sua compreensão da natureza humana vem com um sarcasmo agudo e um suprimento sem fundo de simpatia. Ele ama os azarados. Ele não ama judeus. Ele parece ter algumas idéias estranhas sobre as mulheres - veja Betsey Trotwood e, claro, Miss Havisham.

Seus personagens principais geralmente desaparecem - nunca mais do que em David Copperfield, onde muitos personagens não podem se incomodar em lembrar o nome do protagonista, se eles se lembram dele. DC é chamado de Trot, Daisy e - por sua terrível esposa - Doadie. Seus personagens coadjuvantes são melhores e seus vilões são melhores. Uriah Heep basicamente se afasta com David Copperfield.

Seus enredos dependem fortemente do tipo de coincidência peculiar escritores do século 19, e eles geralmente são telegrafados a uma milha de distância, o que não os impede de serem enormemente divertidos e satisfatórios. Ele tem uma tendência a falar besteira legal a um nível bastante atraente.

Sua prosa é geralmente despretensiosa e eficaz, com breves surtos de incrível habilidade e beleza. Ele gosta de descrever o clima, como no abertura virtuosa of Casa desolada. Isso e a vertiginosa abertura de Tale of Two Cities ("Foi o melhor dos tempos ..." e depois continua, como sempre) são coisas audaciosas.

Ele é muito sentimental. Você provavelmente já ouviu a citação de Oscar Wilde, "É preciso ter um coração de pedra para ler a morte de [personagem de outro livro] sem se dissolver em lágrimas de riso". É melhor apenas folhear passagens envolvendo morte ou amor; eles são indecorosamente brega.

Ele é um autor muito bom. David Copperfield é um livro muito bom, mas é lido como prática para Grandes Expectativas, que lida com um enredo e temas semelhantes de maneira melhor e muito mais concisa. Great Expectations é o melhor Dickens que eu já li. Isso é bom e Dickens é muito bom. Eu me pego sem precisar pensar nele com tanta frequência.

Apêndice: influências de Dickens
Se você estiver interessado: a certa altura, David Copperfield exibe uma lista de seus personagens literários favoritos. Aqui estão os livros aos quais ele se refere:
- Aventuras de Roderick Random (1748), Tobias Smollett
- Aventuras de Picles Peregrinos (1751), Tobias Smollett
- Expedição de Humphry Clinker (1771), Tobias Smollett (Chuck gostava de Smollett, hein? Este deveria ser o seu melhor.)
- Tom Jones, Henry Fielding (1749)
- Vigário de Wakefield (1762), Oliver Goldsmith
- Gil Blas, Alain-René Lesage (1715 - 1735), "a última obra-prima do gênero picaresco"
- Robinson Crusoe, Daniel Defoe (1719)
Comentário deixado em 05/18/2020
Oriole Rampy

Que história adorável! Estou sempre interessado na maneira como Dickens descreve tão magistralmente a grande diferença entre as condições de vida dos ricos e dos pobres! Isso me lembra que eu deveria ser mais compassivo com as pessoas ao meu redor!
Comentário deixado em 05/18/2020
Augustus Ganska

“It was as true,” said Mr. Barkis, “as turnips is. It was as true,” Mr. Barkis said, nodding his nightcap, which was his only means of emphasis, “as taxes is. And nothing’s truer than them.”
Gostei muito deste livro. Da primeira página à última, eu estava me divertindo muito. Eu até me incomodei várias vezes entre amigos e familiares, imitando meus personagens favoritos, apenas para receber olhares em branco e sorrisos educados, pois percebi que nenhum deles havia lido esse livro maravilhoso.

Parte do motivo pelo qual gostei tanto deste livro foi o fato de ouvir uma versão do audiolivro. Se você ainda não experimentou o Dickens, recomendo; o que é monótono, seco e sombrio na página se torna lírico e animado quando escutado. Dickens tinha um ótimo ouvido para o diálogo, e você merece ouvi-lo.

E o livro? Receio não ter nada terrivelmente original para dizer. O que me impressionou, e o que impressionou quase todo mundo, foi a incrível capacidade de caricatura de Dickens - de conjurar, em apenas algumas linhas de descrição, figuras caricaturistas e hiperbólicas que permanecem sem esforço na imaginação. Algumas pessoas reclamam que seus personagens são exagerados; mas, para mim, é como reclamar que James Brown gritou demais - esse é o ponto. E, assim como James Brown podia transformar um latido em arte, Dickens também transformava a arte humilde da caricatura em literatura de classe mundial. É quase como se, soprando certos traços de personalidade fora de proporção, Dickens pudesse transcender o silêncio da página escrita, inflando suas criações em carne e osso, como um palhaço soprando um balão. Em vez de sentir que está lendo um livro, você sente como se estivesse ouvindo uma conversa na outra sala.

E que conversa adorável de ouvir! Dickens tem uma tremenda, quase sobrenatural, capacidade de criar personagens. Todo personagem - mesmo que extremamente pequeno - tem muito cuidado; eles têm seus próprios modos de falar, pensar, gesticular, andar, rir. Se Dickens está escrevendo sobre ricos ou pobres, ele não decepciona; e vários que eu achei absolutamente cativantes. (O Sr. Barkis e Betsy Trotwood eram os meus favoritos.) O único lugar em que Dickens falha é nas caracterizações de mulheres jovens. Dora era uma boneca e Agnes um anjo; eles eram, ambos, desinteressantes. Ainda assim, pensei que o retrato de Dickens do casamento de Copperfield com Dora - marcado por ternura e frustração - era extremamente comovente; tinha muito mais verossimilhança e interesse do que o casamento posterior de David.

Como outro revisor apontou, este livro tem um lado mais silencioso. Sob os gigantes impetuosos e descarados, que se arrastam e se arrastam por essas páginas, circula uma corrente calma de nostalgia melancólica. Na verdade, Dickens quase sempre se aproxima de uma espécie de humor proustiano, pois Copperfield desembaraça suas memórias. Particularmente quando David está descrevendo sua infância, com sua mãe boba e serva atenciosa, ou quando está descrevendo os estragos dos Murdstones, ou seus momentos difíceis e difíceis na escola, o tom é freqüentemente terno e delicado, assim como quando Proust O narrador descreve a ansiedade de querer que sua mãe lhe dê um beijo de boa noite. A justaposição desses dois modos, de caricatura e lembrança, é o que torna este livro um dos mais fortes de Dickens.

Gostaria de acrescentar, como uma espécie de reflexão perversa, que um freudiano poderia ter um festival analisando este livro. Eu próprio não sou discípulo desse excêntrico austríaco; mas acho interessante que Davi nasça sem pai e tenha um padrasto que lhe causa tantos problemas; que os dois interesses amorosos de David são, como se refletidos por um espelho, meninas sem mães. E não é preciso um psicanalista para notar a semelhança entre Dora e a mãe de David; nem é preciso um psicanalista para achar estranho que David se case com uma garota que ele chamou, ao longo de todo o livro, de "irmã". O que fazer com tudo isso, não posso dizer; mas achei que vale a pena incluir.

De qualquer forma, saí deste livro com um estoque agradável de lembranças e um novo respeito e interesse pelos bons Dickens. O que é tão maravilhoso em Dickens, eu acho, é que ele é tão brilhante e, no entanto, tão legível. Não posso deixar de agrupar Dickens e Shakespeare e os Beatles, como um artista capaz de manter os estudiosos ocupados e o público rindo. Essa, para mim, é a marca do mais alto gênio.
Comentário deixado em 05/18/2020
Brainard Elem

As dez principais dicas para jovens senhoras em idade de casar Charles Charlesens

10. Rir muito. Seja inocente, estúpido e bobo. Namorar com um rival e corar encantador.
9. Tenha um cão de colo irritante.
8. Tenha um melhor amigo que atuará como intermediário. Pais impecunos e superprotetores devem ser evitados, mas as tias indulgentes devem ser bem-vindas.
7. Certifique-se de que o homem que está cortejando você tenha a capacidade de prover você e sua futura família. Se necessário, mude para a Austrália.
6. Fique longe, principalmente, dos caçadores de fortunas. Caçadores de fortunas com irmãs más devem ser evitados como uma praga.
5. Afaste-se, especialmente, dos ricos nobres. Nobres ricos com primos maus devem ser evitados como uma praga.
4. Evite ser jovem e bobo, mas aprenda a apoiar seu futuro marido nos esforços dele.
3. Seja bonita.
2. Sofrer em silêncio. Mantenha seus sentimentos para si mesmo e sorria docemente e com amor para todos, nunca pensando em si mesmo.

E a DICA NÚMERO UM de acordo com o Sr. Dickens é

1. Faça companhia quando criança com um menino que o considerará uma irmã mais próxima e, eventualmente, crescerá para adorar e casar com você.

Comentário deixado em 05/18/2020
Cora Wanner

Umble somos, humildes temos sido, humildes seremos sempre ...
Minha história favorita pessoal de todos os tempos


"Se eu me tornarei o herói da minha própria vida, ou se essa estação será ocupada por mais alguém, essas páginas devem aparecer."

Assim, abre a melhor história de todos os tempos da jornada de um jovem até a idade adulta e o amor. Quase 20 anos depois de escrever David Copperfield, Dickens disse: "Como muitos pais afeiçoados, tenho em meu coração um filho favorito. E o nome dele é David Copperfield".

O mais colorido conjunto de personagens e nomes de personagens de Dickens inclui: Peggotty, a criada de infância de David e amiga de toda a vida; o padrasto do mal Murdstone; Wilkins Micawber, seu senhorio melodramático; James Steerforth, o cad de um amigo de escola; O amor de David, Dora ("Os amantes já haviam amado antes, e os amantes amariam novamente; mas nenhum amante jamais amou, poderia, poderia, amaria ou deveria amar como eu amava Dora. "); e, o personagem mais desprezivelmente untuoso de toda a literatura, Uriah Heep.

Como na maioria de seus romances, Dickens iluminou um mal social - aqui, as condições de trabalho dos menores, como David tinha (8 ou 9) quando seu padrasto o tirou da escola (depois que a mãe de David morreu) e o enviou para trabalhar em Londres. “I know enough of the world now to have almost lost the capacity of being much surprised by anything.” Não posso descrever adequadamente a conexão e identificação que tive com este romance. Embora eu não ache que seja a melhor novela de todos os tempos (estrutura, conflitos, desenvolvimento de personagens e todo esse jazz - IMO, isso é Anna Karenina*), Charles Dickens David Copperfield é a minha escolha como a melhor história de toda a literatura moderna. Se você não o leu ou já faz algum tempo, deve buscá-lo.


________
* Tolstoi amava David Copperfield.

Deixe um comentário para David Copperfield