Casa > Ficção > Suspense > Mistério > O advogado de rua Reveja

O advogado de rua

The Street Lawyer
Por John Grisham
Avaliações: 29 | Classificação geral: média
Excelente
11
Boa
8
Média
6
Mau
0
Horrível
4
Michael estava com pressa. Ele estava subindo a escada na Drake & Sweeney, um gigantesco escritório de advocacia de DC com oitocentos advogados. O dinheiro estava bom e melhorando; uma parceria estava a três anos de distância. Ele era uma estrela em ascensão, sem tempo a perder, sem tempo para parar, sem tempo para jogar algumas moedas nas xícaras de mendigos. Não há tempo para uma consciência, mas um encontro violento

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Baiss Deemer

“Você gasta mais em café chique do que eu em refeições. Por que você não pode ajudar os pobres, os doentes, os sem-teto? ”
- John Grisham, advogado de rua



Este livro foi muito bom. Eu sou um grande fã de Grisham, mas certos livros são melhores que outros, e este foi quase perfeito.

Eu gostei muito do personagem principal, Michael, e amei o enredo. É uma mudança de página do começo ao fim e eu adorei que o ângulo dos sem-teto estivesse perfeitamente inserido na história.

Algumas coisas nunca mudam ... alguns bandidos, um escritório de advocacia desagradável. Mas o ritmo deste é excelente e você não pode deixar o livro de lado. Está lá em cima, junto com The Firm, Runaway Jury, A Time to Kill e The Rain Maker como um dos seus melhores.
Comentário deixado em 05/18/2020
Stultz Abeyta


Um thriller divertido de John Grisham. Também uma excelente introdução à situação dos sem-teto nas ruas de DC
Comentário deixado em 05/18/2020
Maro Anguilar

O advogado de rua, John Grisham
The Street Lawyer é um romance policial legal de John Grisham. Foi o nono romance de Grisham. O livro foi lançado nos Estados Unidos em 1 de janeiro de 1998, publicado pela Bantam Books, e em 30 de março de 1998 no Reino Unido, publicado pela Century. Um homem sem-teto, identificando-se apenas como "senhor", entra nos escritórios do poderoso escritório de advocacia Drake & Sweeney, em Washington DC, e faz com que muitos advogados sejam reféns, exigindo, com raiva, informações sobre algum tipo de despejo que ocorreu. Embora ele seja baleado e morto por um atirador de elite da polícia e os reféns libertados, um dos reféns, um advogado antitruste chamado Michael Brock, está preocupado com o que aprendeu e se sente obrigado a investigar mais. ...
تاریخ نخستین خوانش: روز دوم ماه اکتبر سال 1999 میلادی
عنوان: وکیل خیابانی, نویسنده: جان گریشام, مترجم: هادی عادل پور, تهران, کوشش, چاپ 1377; در 496 ص; شابک: 9646326390; موضوع: داستانهای نویسندگان امریکایی - سده 20 م
Nome do navio: ونل خیابانی, نویسنده: جان گریشام, مترجم: فریده مهدوی, دامغانی, تهران, پیکان ، چاپ 1377 ؛ ؛د
Nome do navio: کی1379 :395:: :9646905072
کتابی که خواندم تایپ شده پی.دی.اف شده بود با حق تکثیر و از منبع تابخانه: نودوهشتیا. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Mariandi Weemes

Pessoas prósperas devem se sentir culpadas porque há pessoas sem-teto em nossas cidades. Essa é a principal mensagem neste romance de Grisham.

No livro, há pessoas perfeitamente normais que ficam desabrigadas porque estão com pouca sorte. Estranhamente, nenhuma menção é feita às principais fontes de desabrigados: drogas e doenças mentais. Não, de acordo com o The Street Lawyer, o problema da falta de moradia é causado pela prosperidade egoísta de nosso país.

Além da pregação enganosa da história, também é bastante chato.
Comentário deixado em 05/18/2020
Jaworski Piercey

Um dos romances mais inspiradores de Grisham, e um dos que me transformaram em fã de Grisham.

É claro que o autor ficou perturbado com a situação dos sem-teto e decidiu que escreveria um veículo fictício para aumentar a conscientização sobre esse problema. O que torna a história mais impressionante é o contraste apresentado pela riqueza do próprio protagonista e o preço que ele deve manter para mantê-la.

A história começa com um estrondo, literalmente, um evento tão traumático que o personagem principal, Michael Brock, é forçado a refletir sobre sua vida e sobre a de outros muito menos afortunados.

Em termos de escrita, o estilo é envolvente, a narração em primeira pessoa sincera, a história animada e emocionante. No entanto, existem dois riscos que Grisham assumiu ao escrever este romance.

1) Uma posição política é adotada dentro de uma obra projetada para entretenimento. Isso alienará aqueles que não concordam com as opiniões que a história está expressando claramente.
2) Exacerbando o primeiro ponto, é que os eventos se revezam ao longo da história, tanto que se perde alguma credibilidade. Mas sempre existe um certo grau de "suspensão da descrença" ao ler ficção, a quantidade depende do gênero e da reputação do autor. Grisham pode ter chegado perto do limite neste.

Ainda assim, eu o parabenizo por assumir esses riscos e, é claro, como um autor internacional que vende milhões e milhões de pessoas, pode-se dizer que ele poderia pagar. Mas, novamente, quem mais pode, mesmo que muitos em sua posição nunca o façam.

Eu dei 5 estrelas e reconheço que esta classificação é baseada em um julgamento muito pessoal e subjetivo. Este livro me comoveu.

Comentário deixado em 05/18/2020
Camden Phillip

Estou relendo alguns livros antigos de John Grisham que gostei da primeira vez para ver se minhas perspectivas mudaram em 10 a 15 anos ...

O advogado de rua era um favorito no passado. Conta a história de Michael, um advogado rico subindo as escadas de uma empresa próspera, Drake e Sweeney. Seu casamento está com problemas, mas ele se envolve com o trabalho, competindo com sua futura ex-esposa. Quem é o mais ambicioso e quem ganhará mais dinheiro? Mas em uma reviravolta dramática nos acontecimentos, Michael se vê refém de um sem-teto que sua empresa havia envolvido na expulsão de um "local de invasores". Vida intacta, Michael vê o vazio de todas as coisas que ele estava procurando e começa a fazer algumas mudanças ...

Acho que nunca poderei dar um livro de Grisham com menos de três estrelas, pois sempre os aprecio apenas pela história. No entanto, este livro me fez pensar em um nível diferente desta vez. O que Grisham está apresentando aqui é basicamente um chamado à ação para ajudar os sem-teto ou o que os cristãos podem chamar de Evangelho social, mas sem o Evangelho. Isso seria bom para um autor secular, mas Grisham afirma que ele é um cristão com uma profunda fé privada.

Grisham sugere através de seu romance que atender às necessidades físicas de uma pessoa as satisfará completamente. Que as pessoas que alimentam, vestem e abrigam devem ser o objetivo de todos os que estão em posição de ajudar financeiramente e dando tempo. Jesus nos diz para ajudar os necessitados e ele tinha um coração especial pelos pobres. Deus condena aqueles que negligenciam ou abusam dos pobres e exige imparcialidade e justiça. Mas isso não basta e não chega ao coração dos problemas de uma pessoa na vida. Não será o cumprimento que eles estão procurando, se também não lhes for contada a verdade sobre Jesus.

Sinto-me profundamente com esse problema, pois muitos estão fornecendo ajuda sem esperança em todo o mundo. Um foco em assuntos terrestres não prepara alguém para a eternidade. Esse romance, que ainda virou a página, me deixou vazia na segunda leitura - não há menção a Deus ao contrário de outros livros de Grisham. Também lutei com a forma como o casamento do personagem principal se dissolveu como se fosse inevitável.

O romance destaca a falta de sentido da riqueza e a falta de propósito de subir a escada corporativa. Há um pouco de linguagem ruim, nenhum conteúdo sexual e violência limitada. Os fãs de Grisham vão gostar deste livro, mas talvez os cristãos devam ter uma perspectiva diferente. Para uma discussão mais aprofundada sobre ajuda sem esperança, veja meus posts abaixo:

http://christianmissionaryuk.blogspot...
http://christianmissionaryuk.blogspot...

Confira minha prateleira John Grisham!
Comentário deixado em 05/18/2020
Maltzman Macer

Muito mais do que o thriller legal médio, O advogado de rua lança luz não apenas sobre o estigma da doença mental, mas também sobre a corrupção da lei e da justiça.
Comentário deixado em 05/18/2020
Tristis Penna

As pessoas aqui alegando que um advogado branco da classe alta (de Yale se lembra) nos anos 1990 são racistas porque ele (Michael Brock, o personagem se lembra, não o autor John Grisham) observou como o basquete era popular e as prisões e júris de Washington DC seriam majoritariamente negros, precisam ter seus cartões SJW revogados e descer do cavalo alto e das caixas de sabão.

Continua a me surpreender a incompetência dos leitores e a falta de discernimento e nuances.

Se você não consegue lidar com os fatos ainda hoje em seu mundo das flocos de neve, é melhor não ler nada antes de 2020 que não esteja escrito, mas um fluido de gênero marxista certificado e peludo.

É por isso que não podemos ter coisas boas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Buschi Campusano

Chato. Pregador. De partir o coração. Repugnante.

O que foi particularmente nojento foi o racismo do protagonista. Houve comentários sobre um júri composto por "12 rostos negros" (porque não pode haver pessoas brancas na capital, certo?) E o pensamento incrédulo "um belo garoto branco jogado no poço!" e "os sapatos em questão eram tênis antigos da Nike. Eles não eram tênis de basquete e não deveriam ter apelado para ele" (porque TODOS os negros jogam basquete, certo?) Ugh.

Michael Brock pode ter desenvolvido uma consciência por acidente, mas ele não conseguiu desenvolver uma personalidade. Ele era um personagem chato e chato que balbuciava e choramingava sem parar. Eu deveria sentir pena dele? Eu não fiz. Nem por um segundo.

Sou fã de Grisham - ou pelo menos era uma vez - mas não recomendo este livro para pessoas que procuram um thriller. Os fatos sobre a falta de moradia são de partir o coração, e as lutas da Clínica Jurídica da 14th Street inspiram simpatia, mas, além disso, não vale a pena ler.
Comentário deixado em 05/18/2020
Schroer Chuong

Pessoalmente, eu me tornei um fã recente do livro de John Grisham e, para qualquer um desses fãs, este é um livro que não irá decepcioná-lo. Mesmo para quem não é fã de John Grisham, este livro é uma leitura obrigatória. Grisham captura a vida dos pobres e necessitados no centro de DC e mostra como a lei trata os diferentes modos de classe. Este livro não é apenas um virador de página, mas um virador de página rápido. Às vezes me via correndo, ansioso para ler e descobrir mais sobre esse caso misterioso e perigoso no qual Brock estava trabalhando. Grisham usa um estilo narrativo que permite ao leitor pensar nos personagens principais e ajudar o leitor a descobrir os próprios traços dos personagens e como ele é afetado pelos eventos ao seu redor. Grisham usou a linguagem descritiva lindamente neste livro e senti que as palavras estavam pulando da página para eu vê-las sendo exibidas bem na minha frente.
Este livro não é apenas atraente e empolgante, mas está defendendo aqueles que não têm voz. Grisham usa o microfone que ele tem fornecido através de páginas e palavras para ilustrar a necessidade de nosso país e as situações de muitas pessoas carentes em nosso município. Uma coisa que eu sempre gostei e tenho certeza que os outros também gostam são os temas e lições morais que Grisham sempre tem em seus romances e como todos eles têm uma qualidade redentora. No geral, acho que este livro foi extremamente bem feito e é um dos melhores de Grisham. Eu recomendo este livro a todos os leitores. Grisham, como sempre, me cativou com suas tramas emocionantes e uma descrição profunda, tornando este um dos melhores livros que já li. Se você tiver a oportunidade, dê uma chance ao Street Lawyer, você não se arrependerá.

Comentário deixado em 05/18/2020
Trainor Freiling

Este livro não parecia o seu típico drama de tribunal de Grisham, apenas tinha uma sensação diferente, mas de um jeito bom.

O advogado de rua acontece em Washington DC, Michael Brock está trabalhando para um grande escritório de advocacia que paga muito dinheiro. Até que um dia um morador de rua entra na empresa e leva Brock e muitos outros advogados como reféns. A polícia mata o suspeito, mas Michael, do posfácio, descobre algo acontecendo na mesma empresa em que ele está trabalhando. Então Brock mudou de idéia, ele deixa a empresa e sai às ruas, agora trabalhando para uma empresa mais baixa que ajuda pessoas sem-teto e não paga a Michael tanto dinheiro.

Ao ler isso, parti meu coração quando foi apresentado à vida de pessoas sem-teto, mesmo que o livro fosse ficção, mas esse é o tipo de coisa que você vê todos os dias.

Outro vencedor de Grisham!
Comentário deixado em 05/18/2020
Trstram Chojnowski

Este é um dos meus livros favoritos de todos os tempos. Não apenas um dos personagens mais admiráveis ​​que eu já encontrei, como também uma lição moral significativa que é trazida em boa medida.
Comentário deixado em 05/18/2020
Ormsby Rosiak

“Pessoas privilegiadas não marcham e protestam; seu mundo é seguro, limpo e governado por leis projetadas para mantê-los felizes. ”
--J. Grisham, The Street Lawywer

Este foi o primeiro livro de John Grisham que li. E ISTO ESTÁ NO TOPO DA MINHA LISTA DE LIVROS MAIS IMPRESSIONANTE DE JOHN GRISHAM.

O romance é muito idealista, trata-se de um advogado rico tentando encontrar o objetivo de seu trabalho - como advogado.
Descreve a vida de um ADVOGADO RICO COM CONSCIÊNCIA.

EU AMO ESTE LIVRO.
É sempre meu sonho ser advogado e este livro foi útil para mim porque estabeleceu meu caráter e crença como futuro advogado - que "DINHEIRO NÃO É TUDO E DINHEIRO NÃO DEFINA O QUE UM ADVOGADO FAZ";)


Comentário deixado em 05/18/2020
Maggs Vitorino

Eu acho que Grisham deve sempre escrever em primeira pessoa. Suas histórias são mais animadas e mais realistas da perspectiva da primeira pessoa. Este romance está em algum lugar no meio de suas obras, e mostra sinais de se tornar uma fórmula, mas ainda parece relativamente novo. A única razão pela qual dou três estrelas e não quatro é que não apreciei o racismo implícito nas idéias sobre falta de moradia em Washington DC. Obviamente, fatos são fatos, mas há uma maneira de lidar com eles sem ficar de lado. .
No entanto, eu realmente gosto de Michael Brock, o personagem principal de cuja perspectiva a história é contada. Gosto de Mordecai Green, o advogado de rua de quem Michael aprende, e aprecio o óbvio respeito de Grisham pelos "verdadeiros verdes de Mordecai", como ele os chama em agradecimentos. O livro é divertido, mas também educacional e de abrir os olhos. Trabalhando em uma biblioteca pública localizada no centro de uma cidade suburbana, encontro frequentemente pessoas sem-teto e pobres. Eu me familiarizei com alguns de seus caminhos e lutas. Eu simpatizo e simpatizo. Tenho certeza, porém, que a maioria dos leitores de Grisham, como ele, nunca soube muito, nem entendeu muito, nem se importou muito com os sem-teto. Este livro é uma maneira de mostrar às pessoas a verdade sobre as dificuldades dos sem-teto em todo o país, começando pela capital do país.
Eu recomendo este livro aos fãs de Grisham, aos leitores que gostam de livros sobre advogados e a qualquer pessoa interessada em aprender mais sobre os sem-teto e as pessoas que trabalham para eles e com eles.
Comentário deixado em 05/18/2020
Tresa Woodby

Sendo este um romance de John Grisham, eu tinha melhores expectativas. O desenvolvimento foi lento e se moveu meio lento e metodicamente para mim. O final veio rápido, mas terminou com uma boa mensagem e um final de bem-estar.
Comentário deixado em 05/18/2020
Kipper Rooth

Outra obra-prima da JG .... Às vezes tensa, às vezes comovente, sempre um virador de página. O cenário é Washington DC (o distrito), com foco em um escritório de advocacia antigo e muito grande, de prestígio. Um dos funcionários, o jovem advogado Michael Brock, é responsável pelo mau comportamento da empresa e faz algumas investigações por conta própria. Suas ações não são sem consequências potencialmente graves também. Michael, que em breve passará por seu próprio divórcio, procura aconselhamento no escritório local de advogados 'sem-teto'.
Sua vida está prestes a mudar dramaticamente.

Como sempre, muitas reviravoltas, altos e baixos e outra leitura incrível.
Comentário deixado em 05/18/2020
Tricia Laakkonen

3 estrelas desprezíveis em comparação com o que poderia ter sido.

************

Primeiro, acho que esse seria um ótimo livro, não tão bom como em "um dia clássico" ou "uma estante de livros deve ter", mas também como "uma verificação abrupta da realidade de perto e pessoal". Mas não foi. O que me assustou foi:

1. Aparente racismo de Michael que Candice, um colega revisor do goodreads, havia dito:

O que foi particularmente nojento foi o racismo do protagonista. Houve comentários sobre um júri composto por "12 rostos negros" (porque não pode haver pessoas brancas na capital, certo?) E o pensamento incrédulo "um belo garoto branco jogado no poço!" e "os sapatos em questão eram tênis antigos da Nike. Eles não eram tênis de basquete e não deveriam ter apelado para ele" (porque TODOS os negros jogam basquete, certo?) Ugh.


Não sei dizer se Grisham pretendia que seu sujeito fosse tão idiota, embora eu duvide. E se ele acabou de declarar o que fez (consulte a citação acima) para fins descritivos, porque mais tarde ele faz amizade com um advogado de cor que há anos defende apaixonadamente pessoas que não podem ter muita representação. Por outro lado, ele, Grisham, deveria ser esse escritor de ação na sala dos tribunais e agora acha que deveria ser um especialista nesse tipo de manobra literária. Ou o fato é que ele pode não ser tão chutador, afinal, mas ainda não posso julgar, porque este seria o segundo livro dele que li até agora.

2. e falta de desenvolvimento do personagem e Candice mais uma vez parecia ter lido meus pensamentos:

Michael Brock pode ter desenvolvido uma consciência por acidente após o incidente em seu escritório, mas ele não conseguiu desenvolver uma personalidade. Ele era um personagem chato e chato que balbuciava e choramingava sem parar. Eu deveria sentir pena dele? Eu não fiz. Nem por um segundo.


Ok, talvez eu tenha sentido um pouco de pena de Michael, mas é insignificante. Fico feliz que ele tenha acordado daquele ciclo maluco de advogados que funcionam quase como hamsters de terno e cortes de cabelo caros. Também sobre a 'consciência acidental', caso contrário, não teríamos uma história e ele realmente avançou como um bom ser humano. Sim, Mikey.

Algo que suspeito que Grisham tenha acertado quase foi a pobreza, os vislumbres da vida das pessoas de rua vistas através dos olhos de Michael. A corrupção. Os lucros que estão sendo arrecadados às custas dos menos afortunados cujas vozes são deixadas ao vento. Michael se tornou realmente não se tornou a voz porque ela já estava lá, o que ele fez foi adicionar a ela e torná-la mais forte e derrubar a mão da justiça. No final do dia, ele pode não estar ganhando muito como antes, mas vale a pena. Eu gostei mais dele por isso.

Eu não recomendaria isso para quem quer um suspense, porque não é, não chega nem perto, mas eu também não diria a ninguém para não ler, porque para mim se enquadrava na categoria 'ok'.
Comentário deixado em 05/18/2020
Loring Treusdell

Um dos meus autores favoritos é John Grisham. Seus livros são uma das razões pelas quais eu decidi estudar Direito para minha graduação. Embora seu retrato da lei e o trabalho que a acompanha sejam levemente exagerados e intensos, acredito que há verdade por trás de seus romances. Ele é um advogado americano especializado em direito penal. Isso é evidente em seus romances, pois ele é mais conhecido por seus thrillers legais. Li a maioria de seus livros e, de todos eles, The Street Lawyer foi de longe a minha leitura favorita.

The Street Lawyer é a história de um advogado rico e bem-sucedido em Washington DC, Michael Brock. Um dia de trabalho no escritório de advocacia Drake e Sweeney, eles são desafiados por um velho sem-teto que entra armado no escritório. O velho é baleado pela polícia e Michael, chocado com isso, investiga e logo percebe que seu escritório de advocacia deixou o velho sem-teto. Com seu casamento terminando em sua vida pessoal e os problemas que o cercam em sua carreira profissional, ele decide que não pode mais trabalhar para o escritório de advocacia. Ele conhece Mordecai Green, que administra um escritório de advocacia que ajuda os sem-teto e decide se juntar a ele. Michael vai contra seu escritório de advocacia e rouba provas deles, o que prova que a empresa despejou o velho e outros inquilinos. Michael deixa sua esposa e começa a trabalhar em um abrigo para os sem-teto. Sua empresa percebe que ele sabe a verdade e faz todo o possível para tentar impedi-lo de revelar seus segredos sombrios, resultando em sua prisão. O livro baseia-se no caso em que Mordecai Green o defende.

O livro é emocionante no sentido de que você não sabe o que a empresa fará a seguir. Eles estão tão desesperados para manter seus segredos escondidos e é assustador ler até que ponto eles estão preparados para ir parar Michael, seu ex-colega de trabalho e amigo. O aspecto mais atraente do livro para mim não é apenas o sistema de leis e as corrupções que o cercam, mas também a história dos sem-teto. Na realidade, um número crescente de pessoas nas grandes cidades está desabrigado. Alguns perdem o emprego e não podem se dar ao luxo de viver; alguns saem de casa ou são forçados a sair de casa para evitar violência e abuso doméstico. Seja qual for o motivo, a triste verdade é que os governos locais têm abrigos, mas geralmente estão lotados. As instituições de caridade administram albergues e cozinhas de sopa onde eles oferecem comida quente, mas mesmo eles estão lotados e, infelizmente, alguns acabam nas ruas e sobrevivem implorando. Os jovens tendem a achar divertido ver alguém nas ruas um pouco divertido, e eu acho que a razão disso é que eles não são educados por trás das razões do que pode colocar uma pessoa nessa posição. Os sistemas para fornecer abrigo são extenuados por papelada e tradições antiquadas, deixando os desabrigados desamparados e perdidos. Infelizmente, isso acontece mais do que nós, como sociedade, gostamos de reconhecer e é fácil esquecer. Então, eu gosto deste livro porque ele amplia sua mente sobre as ocorrências da vida cotidiana e mostra a verdade feia que a sociedade tenta evitar.

Eu diria que este livro é apropriado para ler a partir dos 11 anos de idade. Eu mesmo li esse livro muito cedo e realmente me agradece aos meus professores, que possibilitaram a leitura. O advogado de rua sempre me lembra que a educação é um instrumento poderoso que pode fazer a diferença no seu desenvolvimento, tanto acadêmica quanto socialmente. A leitura não apenas desenvolve sua imaginação, mas também pode mudar você como pessoa. Se a leitura madura puder ser instilada em um indivíduo desde tenra idade, ela terá um efeito positivo em suas aspirações futuras.

Acredito que este livro possa ser usado para fazer com que os alunos mais velhos discutam atitudes em relação aos pobres e sem-teto, desenvolvendo suas habilidades de consciência social. O livro ensina a ajudar os necessitados e a olhar além da superfície do rosto das situações. Também pode ser usado para que os alunos comecem a pensar em suas aspirações futuras e, talvez, se desejam realizar uma carreira em direito ou qualquer outra coisa. Os alunos também podem ser convidados a realizar atividades de dramatização de papéis em relação à conversa entre os personagens do livro. Isso envolverá o trabalho conjunto em pares ou em grupo, com o objetivo de criar uma cena a partir de sua própria interpretação e compreensão do livro. Há certa ênfase na mídia dentro do livro, para que o livro possa ser usado para promover o interesse em uma das poderosas fontes da sociedade que atua como uma mudança social. Os alunos podem ser divididos em grupos para falar sobre a mídia, concentrando-se no poder da mídia e em como sua intervenção mudou o curso dos eventos. Isso pode levar a discussões intelectuais e também pode levar os jovens a se envolver em conversas sobre os eventos do dia-a-dia e como eles são retratados nas notícias e nos jornais de hoje. Este livro pode ser usado com jovens para muitas atividades. A leitura deste livro pode ser vista como relaxante e divertida, mas ao mesmo tempo educacional. É perspicaz, interessante e emocionante, tudo ao mesmo tempo.
Comentário deixado em 05/18/2020
Peppy Connally

Partes iguais, sóbrias e iluminadas, O advogado de rua foi minha primeira introdução a Grisham. (Costumo evitar nomes de família; logo abaixo do mainstream é onde me sinto mais em casa.) No entanto, fiquei impressionado com esse romance de meados da carreira dele (1998) e com as preocupações sociais que ele suscita.

A história, ambientada em DC, segue Michael Brock, advogado de uma grande empresa que se encontra no lugar certo na hora errada. Ele e seus colegas são feitos reféns em sua própria suíte de escritório por um sem-teto enlouquecido que se vinga. O atirador é despachado e, quando a fumaça assenta, a empresa fica imaginando o que tudo isso significava. Antes que Brock possa livrar-se de seu arbusto estreito com a morte e retornar à normalidade, ele vazou uma série de informações que incriminam sua própria empresa. Ele logo descobre que o atirador que partiu e dezenas de outros homens, mulheres e famílias desfavorecidos foram vítimas de um despejo por Drake & Sweeney que resultou em várias mortes prematuras.

Ao lidar com a crise dos sem-teto na cidade e com toda a extensão do envolvimento de sua empresa, a desilusão se instala e Brock é obrigado a corrigir o curso, tanto em sua carreira quanto em sua vida. Ele se afasta de seu salário de seis dígitos e Lexus para se juntar a um dos mais fortes defensores da justiça social e dos direitos dos sem-teto. Na busca de respostas e culpados, ele brinca com a lei, complicando o confronto inevitável com seus ex-empregadores. Brock e seu novo co-litigante preparam uma ação importante, acompanhada oportunamente por um tumulto da atenção da mídia que cobre a situação dos oprimidos da sociedade e as ações insensíveis dos réus. Com sua reputação excepcional em jogo, Drake e Sweeney se recusam a cair sem brigar, perseguindo Brock implacavelmente em um esforço para encobrir seus erros.

Eu recomendaria este livro a todos e a todos. Grisham conseguiu compor uma narrativa emocionante que ilumina uma parte da sociedade na qual a maioria prefere não ver ou pensar sem ser excessivamente pregadora ou histriônica. A fala do advogado é mantida no mínimo e os personagens envolvidos são fáceis de se conectar. Estou ansioso para aprofundar o corpus de Grisham.
Comentário deixado em 05/18/2020
Hetty Tasleem

O livro é ótimo e vai para o primeiro par de capítulos ... E então cai de um penhasco e permanece velho e chato. Este livro tinha potencial e, embora exagerado sobre os pecados das pessoas ricas, a mensagem ainda poderia ter sido um bom livro. O problema era que eu não me importava com nenhuma das pessoas. O personagem principal é lamentável e desagradável, então é difícil se preocupar com a suposta transformação que ele está passando para se tornar uma "pessoa melhor". Se você acredita que a definição de pessoa melhor dos livros é verdadeira ou não, é difícil se preocupar com o personagem quando você apenas quer que ele cale a boca.
Além disso, o livro gasta uma quantidade excessiva de tempo nos personagens fracassando no casamento e nos problemas com sua sempre encantadora esposa (não que ele também seja um anjo), mas no final das contas toda a trama é inútil. Apenas mais dele choramingando e eles nem voltam a ficar juntos. Eu entendo que é suposto mostrar o estresse adicional que ele está sofrendo, mas isso diminuiu completamente e desviou a atenção da retórica da pregação, que deveria ser o objetivo do livro.
Por fim, se você é liberal e deseja ler um livro e se ferrar com pessoas ricas, ou se você é uma pessoa rica que se deprecia e quer se sentir culpada por não fazer um trabalho de caridade suficiente, esse livro é para você. Se não, então você provavelmente se odiará pelas horas da sua vida, gastando essa caminhada de 400 páginas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Dick Svedine

Comecei a gostar deste livro, porque é divertido ver as pessoas escolherem estradas menos percorridas, lutando por algo verdadeiramente valioso e encontrando a si mesmas, seu verdadeiro chamado.

No entanto, este livro foi um pouco desgastante.
Comentário deixado em 05/18/2020
Bencion Coblentz

Se eu tivesse que descrever "The Street Lawyer" em uma palavra, a palavra que eu escolheria é propaganda.

Conta a história de um advogado yuppie chamado Michael Brock que reordena suas prioridades na vida depois que ele é mantido refém por um mendigo por uma tarde. Ele deixa o emprego bem remunerado, mesmo tendo apenas dois anos de fazer parceria - e vai trabalhar para uma clínica legal gratuita que ajuda os sem-teto. Ele acha que sua antiga empresa foi parcialmente responsável pela morte de uma família sem-teto, então comete um crime no caminho para fora da porta que o ajudará a descobrir. E assim, o resto do livro é ele tentando adquirir sua antiga firma antes que eles a adquiram.

Não foi realmente um passeio emocionante. Acho que Grisham só queria escrever um livro sobre pessoas sem-teto.

**** ALERTA DO SPOILER! ****

A resolução do conflito é que eles resolvem fora dos tribunais. Uau! Que clímax!

**** ALERTA FINAL DO SPOILER ****

Houve uma subtrama em que o casamento de Michael com sua esposa yuppie está chegando ao fim. Ela continua aparecendo na história aqui e ali e eu meio que esperava que eles se reconciliassem, mas isso chega ao ponto em que ela não é mais mencionada. Uma espécie de decepção. Em vez disso, ele gosta desse outro cruzado sem-teto que tem cerca de uma linha no livro inteiro.

Eu não gostei do personagem principal. Ele era um coelho burro da liga principal. Eu não gostava dele quando ele era um advogado rico e não gostava dele quando ele era um advogado ruim.

O livro estava bem. Realmente não se enquadrava no gênero "suspense legal" de Grisham. Nada emocionante aconteceu - era como "A Câmara" a esse respeito. No final, eu fiquei tipo, "Passei quantas horas lendo para isso?"

Em conclusão, devemos cuidar dos sem-teto. Caso contrário, eles se voltarão contra nós. Eu acho que esse foi o ponto que ele estava tentando entender neste livro.
Comentário deixado em 05/18/2020
Marvel Malacara

Li alguns dos primeiros livros de Grisham anos atrás (A empresa, um tempo para matar) e pensaram que eram, na maior parte, ficção legal formulada. Normalmente, eu não teria escolhido outro romance, mas anos atrás eu li um pequeno artigo que ele escreveu para uma revista do ensino médio sobre como ele pesquisava. O advogado de rua, e fiquei intrigado. Finalmente peguei o livro na semana passada e o li no fim de semana. Tarifa padrão de um romance de Grisham: um jovem advogado enfrentando um escritório de advocacia corrupto e poderoso, onde atos obscuros foram cometidos às custas do rapaz. O que fez O advogado de rua interessante foi a maneira como o autor lidou com os sem-teto em Washington, DC. É notável pensar que, no país mais poderoso e rico que a história já viu, nossa capital está absolutamente cheia de negros pobres. Quase 20% de todas as pessoas que vivem no Distrito de Columbia são pobres (e isso usa os números do Census Bureau, que são notoriamente imprecisos). Tendo estado em DC muitas vezes, posso dizer-lhe que a diferença entre a capital e alguns dos bairros vizinhos é grande. Assim, o autor faz um bom trabalho justapondo a elite rica e poderosa de Washington com o refúgio humano sem esperança, sem-teto e viciado em drogas que tende a aparecer nos degraus da frente dos poderosos. Foi uma história convincente e de virar a página, mesmo sabendo que isso acabaria em um tenso impasse no tribunal durante as últimas vinte páginas, com um resultado que nunca havia dúvidas.

Se você está procurando uma leitura rápida e surpreendentemente atenciosa, esta é para você. Diversão, coisas leves com uma alma.
Comentário deixado em 05/18/2020
Lombard Yokely

Um advogado com consciência? Um mendigo com uma mensagem? Um escritório de advocacia detido para resgatar? Tanto drama e tão efetivamente contado. Somos levados brutalmente ao mundo desconfortável, convincente e feio da falta de moradia que, por várias razões, existe em números cada vez maiores nas cidades de todo o mundo. Michael Brock é um homem de caráter; um homem que descobre que não pode viver com quem ele pensava que era, depois de um susto assustador em seu escritório. Ele testemunha o medo, descrença e horror de seus colegas de Drake e Sweeney durante essa situação estressante, mas a aparente facilidade com que eles retomaram a normalidade (pós-trauma) o escapa.
Ele desiste muito de sua busca para fazer as pazes com sua alma, e não foi fácil convencer Mordecai (diretor da Clínica Jurídica da 14th Street e defensor dos sem-teto) de que ele estava nele a longo prazo. O casamento de Michael está com problemas. Claire está intrigada com a mudança que está ocorrendo em seu marido, sem saber se gosta do novo Michael melhor que ele com quem se casou. Como leitor, eu realmente queria que as coisas funcionassem para eles; sentindo grande empatia por esse homem que se tornara energizado com nova paixão e visão. Mas, como qualquer leitor ávido lhe dirá, nossos desejos nem sempre se tornam realidade. Quem se contentaria com a previsibilidade de qualquer maneira? Eu não!
Comentário deixado em 05/18/2020
Fabrienne Soberanis

UAU! Adorei esse livro !! Mas por mais razões do que a própria história. Publicado em 1998, antes do atual colapso financeiro, Grisham baseou essa história em torno dos sem-teto. Se a população de rua era ruim, então só posso imaginar o que é atualmente. As pessoas em geral consideram os sem-teto como preguiçosos e sem instrução, não dignos de seu tempo ou dinheiro. Nada poderia estar mais longe do que a verdade. O governo conversa bem, mas gasta mais dinheiro combatendo a questão, em vez de ajudar.

Eu amei Michael Brock - que grande homem ele se tornou. E precisamos de mais Hectors e Megans. E, como Grisham escreveu em suas Notas do autor, obrigado a todos os mardoqueses por aí.

Este é um ótimo livro para ler se você já se perguntou como as pessoas ficaram desabrigadas. Que abridor de olhos. A história me manteve encantado. Eu não queria largar isso.
Comentário deixado em 05/18/2020
Burnside Nishimori

Um jovem advogado figurão que deixou para trás uma fortuna infernal - de um advogado antitruste de um milhão de dólares a um advogado de rua de apenas mil dólares - para lutar pela melhoria dos sem-teto. A história não poderia ser melhor!

Incontestável.
Comentário deixado em 05/18/2020
Ogdon Losa

Uma leitura convincente, mas gravação lenta. Este livro começa com tanta intensidade e depois diminui um pouco. Adorei os personagens e a história - um advogado altamente prolífico de um grande escritório de advocacia em Washington DC, cuja firma é mantida refém por um sem-teto, incluindo todas as consequências. Maior proposta: dinheiro não é tudo.
Comentário deixado em 05/18/2020
Alithea Dolio

Eu amei este livro. Fui fisgado desde o início e li o primeiro 1/3 da primeira vez.
Este livro fala sobre alguns dos problemas dos sem-teto e fornece muito para você pensar.
Recomendo a leitura para todos

Deixe um comentário para O advogado de rua