Casa > Ciência > Não-ficção > Física > Uma breve História do Tempo Reveja

Uma breve História do Tempo

A Brief History of Time
Por Stephen Hawking
Avaliações: 29 | Classificação geral: média
Excelente
12
Boa
8
Média
3
Mau
4
Horrível
2
Nos dez anos desde sua publicação em 1988, o trabalho clássico de Stephen Hawking tornou-se um volume marcante na escrita científica, com mais de nove milhões de cópias em quarenta idiomas vendidos em todo o mundo. Essa edição estava na vanguarda do que se sabia sobre as origens e a natureza do universo. Mas os anos seguintes viram avanços extraordinários no

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Cord Moynahan

Este livro me lembra a história de como um teórico dos números de Harvard, devido a algum mau funcionamento do computador de programação, foi designado para ministrar um curso introdutório de pré-cálculo. Sendo um daqueles indivíduos para quem a matemática era tão fácil que eles não conseguiam entender o quão difícil os outros a achavam, o professor não tinha ideia do que abordar em um curso desse tipo.

Então, ele foi ao presidente do departamento, que lhe disse: "Você deseja começar com a linha numérica real e depois avançar para as desigualdades; a partir daí, passar para as equações quadráticas, depois para a trigonometria e a função de empacotamento, Sistemas de coordenadas cartesianas e polares e, se o tempo permitir, seções cônicas. "

O professor agradeceu ao presidente e saiu para se encontrar com sua primeira turma. Na próxima semana, ele estava de volta.

"O que devo ensiná-los agora?" ele disse.

Uma breve História do Tempo é assim - o professor Hawking parece não perceber quando seu tratamento progride do óbvio para o arcano, terminando com seu conceito de "tempo imaginário" (quase incompreensível nessa breve apresentação).

Divertido, no entanto.
Comentário deixado em 05/18/2020
Coughlin Salkeld

Não está claro para mim quem está no público-alvo deste livro. Às vezes, tenta explicar conceitos básicos da física moderna em linguagem simples e, outras vezes, assume uma familiaridade com o mesmo assunto. Pela primeira vez, acho que "entendo" por que o tempo absoluto não é consistente com a teoria da relatividade ou que a curvatura do espaço-tempo suplanta a noção de gravidade e, por isso, agradeço ao autor. Acredito que tenho algumas outras coisas que vislumbrei ter finalmente enfiado o livro.
Por outro lado, há muitos lugares onde ele escreve como se estivesse claro o que ele está falando, mesmo que isso exigisse uma boa dose de conhecimento prévio. Para dar apenas um exemplo, ele começa a falar sobre resumir possíveis histórias mundiais (não consigo localizar a citação) sem explicar o que isso significaria. Treinado em estatística, tenho alguma idéia de que ele esteja falando sobre expectativa matemática no contexto da mecânica quântica, mas não sei como outro leitor pode entender isso (e certamente não tenho mais do que uma noção vaga). )
Existem práticas de escrita irritantes que poderiam ter usado alguma edição, por exemplo, o uso do adjetivo pronominal nu "this" quando no meio de uma densa explicação de um conceito abstruso (por exemplo, "Isso teve sérias implicações para o destino final de textos maciços"). estrelas ").
Minhas maiores queixas, no entanto, são sobre suas opiniões filosóficas. Obviamente, ele tem o direito de pensar como deseja sobre as questões definitivas, mas sua afirmação de que sua hipótese de um mundo finito sem começo nem fim não deixaria lugar para Deus parece fora de questão. A divisão clássica não mudou: algumas pessoas olham em volta e dizem que as coisas são, e outras dizem que há um poder por trás das coisas que tem pelo menos tanto para isso quanto nós. Esse argumento não mudou com suas teorias. Em um ponto do livro, ele afirma que o falecido João Paulo II disse a cientistas reunidos que não deveriam investigar o Big Bang, porque esse era o território de Deus. Eu apostaria com quem lê este comentário que tal afirmação é simplesmente falsa. JPII era um mortal falho, com certeza, mas ele não era narcótico; certamente me soa como alguém ouvindo o que ele acha que o papa diria. (E as piadas de Galileu são muito estúpidas - alguém acha que o JPII, que pediu desculpas pelo embaraçoso fiasco de Galileu, iria atrás desse cara? Deve ser toda a influência que o Vaticano teve na Grã-Bretanha nos últimos 400 anos que o tem. assustado.)
Outras queixas filosóficas envolvem o uso da entropia (ele a define primeiro em sistemas fechados e depois a usa para explicar por que a "flecha termodinâmica do tempo" e a "flecha pessoal do tempo" devem correr na mesma direção - pulando de uma caixa de moléculas para todo o universo!), seu dronar sobre como são os buracos negros quando ele não sabe ao certo se existem, suas afirmações sobre "aleatório" e ter 95% de certeza de que uma teoria é verdadeira (isso significa cerca de 95 de 100 teorias como essa são verdadeiras ??). Suas opiniões podem ser muito ricas, profundas, embora provocadoras, mas como eu (ou a maioria dos leitores em geral) saberia? Você não pode realmente avaliar um julgamento a menos que saiba algo no campo.
E é por isso que finalmente não posso recomendar este livro: se você conhece física por dentro e por fora, pode achar as opiniões dele interessantes. Caso contrário, você pode apenas andar por aí imitando o que ele diz sobre buracos negros, como se você tivesse uma ideia do que estava falando. O que todos realmente precisamos é de um curso corretivo em física!
Comentário deixado em 05/18/2020
Rie Westhoff

Não é incrível que uma pessoa possa ler um livro como Uma breve História do Tempo por Stephen Hawking e sair sentindo-se mais esperto e mais burro do que antes de começar? Em que universo vivemos!

É bastante curto e geralmente é uma leitura rápida. Nem todas as páginas são preenchidas com teorias alucinantes / entorpecentes e equações impressionantes. Parte disso é apenas história, digamos em Newton e tal. No entanto, havia algumas páginas no valor de passagens em que meu cérebro pequenino parecia estar sendo sugado para um buraco negro ... principalmente durante o segmento do buraco negro.

Eu esqueci muito desde que saí da escola e, como a escola era há muito tempo, parte do que foi ensinado na época está desatualizada, foi bom ler este lembrete / limpador.

Eu vim com uma melhor compreensão da teoria do Big Bang e por que ela é plausível (não o programa de TV. Sua existência não é plausível). Estou tentando resolver a questão da quantificação de tempo / espaço. Isso vai exigir uma releitura ... e provavelmente um estudo mais aprofundado em outro lugar.

Surpreendentemente, também saí com a ideia de que Deus e a ciência podem coexistir. Eu não esperava isso. Imaginei que alguém como Hawking seria como, "Deus? Pssh, tanto faz." Mas essa não é a sua opinião, ou pelo menos essa não foi a impressão que este livro me deixou.

Uma breve História do Tempo foi escrito com a acessibilidade em mente, sabendo que idiotas completos como eu não comprariam, leriam ou recomendariam se fosse impossivelmente denso. O senso de humor de Hawking chega até à ocasião, o que é sempre apreciado nessas coisinhas científicas. Então, provavelmente vou passar para o História Briefer ... próximo e eu estaria muito disposto a ler os outros também!
Comentário deixado em 05/18/2020
Malinda Snide

Uma breve História do Tempo: Do Big Bang aos Buracos Negros
O que nossos olhos fazem que podem afetar as coisas? Stephen Hawking
Uma Breve História do Tempo: Do ​​Big Bang aos Buracos Negros, é um livro de ciência popular sobre cosmologia (o estudo do universo) do físico britânico Stephen Hawking. Foi publicado pela primeira vez em 1988. Hawking escreveu o livro para leitores não especializados, sem conhecimento prévio de teorias científicas.

تاریخ نخستین خوانش: روز چهارم ماه مارس سال 1996 میلادی
عنوان: تاریخچه زمان: از انفجار بزرگ تا سیاهچالها; نوشته: استیون هاوکینگ; مترجم: محمدرضا محجوب; نشر: تهران, انتشار, چاپ نخست 1369, مشخصات ظاهری: 231 ص, مصور, نمودار, چاپ سوم: زمستان 1369; چاپ پنجم : 1375 ؛اپ ششم: 1378 چاپ هفتم: 1380 ؛شابک: ایکس -964573519 ؛

این کتاب به عنوان پرخوانشگرترین کتاب «کیهان شناسی» شهرت یافته, و به بیش از سی و سه زبان دنیا تا سال 1993 میلادی, ترجمه و چاپ شده است. «هاوکینگ» در این کتاب با زبانی ساده به بازگویی داستان جهان پرداخته است. ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Cressy Zurek

Stephen Hawking escreve de uma maneira muito simples e acessível. Na superfície, o livro foi escrito para o homem comum, para quem tem pouco conhecimento de física teórica.

Hawking usa terminologia básica e tenta não sobrecarregar sua escrita com explicações e despejos de informações, mas às vezes é muito claro que o leitor precisa de um certo nível de conhecimento para entender do que está falando. Como tal, Hawking faz certas suposições ao mudar de conceito para conceito, o que me deixou um pouco confuso. Coisas que não parecem relacionadas estão relacionadas e isso me fez questionar quem os leitores pretendidos realmente estava.

Eu acredito que este é um livro que todo leitor deve tentar porque é importante, cheio de discussões e idéias que realmente podem abrir sua mente. Mas eu recomendaria que você estivesse preparado, embora isso pareça uma leitura leve, muito disso pode passar por sua cabeça.

Abordagem com cautela.
Comentário deixado em 05/18/2020
Zacharie Sieve

Coisas que aprendi com Stephen Hawking
11 de outubro de 2014

Desde que comecei a física no 11º ano, tive um caso de amor com o assunto, o que é estranho desde que comecei a estudar artes / direito (mas isso provavelmente tinha algo a ver com o fato de que eu não teria tido o poder de permanecer toda a minha energia para ajudar o conhecimento humano a avançar no sentido de estabelecer uma teoria unificada). Ainda me pergunto onde acabei recebendo este livro, e ele estava na minha prateleira há um bom tempo (provavelmente porque estava muito ocupado ouvindo as pessoas me dizerem por que não deveria ler este livro), mas não estava. até John Lennox disse que era o livro mais inacabado (ou seja, as pessoas começam a lê-lo, mas não têm o poder de permanecer até o fim) já escrito (tenho certeza de que existem outros livros que venceram este livro). Existem algumas coisas que eu descobri ao ler este livro, e é essas descobertas que desejo compartilhar com você:

1) Este não é um livro anti-Deus
Uma das impressões que recebi de certas pessoas foi que este era um livro que um ateu escreveu para tentar argumentar que Deus não existe, da mesma maneira que Richard Dawkins faz em seus livros. No entanto, essa afirmação não poderia estar mais longe da verdade. De fato, ao longo do livro, a questão da existência de Deus permanece perpetuamente em segundo plano. É verdade que Hawkings sugere que, se o conceito de um universo infinito delimitado (não pergunte) for verdadeiro, isso prejudicaria a existência de Deus, no entanto, ele realmente não diz que esse pode ser o caso. De fato, sua sentença final neste livro é que a razão pela qual estudamos física e tentamos encontrar uma teoria unificada é porque nós, como raça, procuramos entender a mente de Deus.

2) Stephen Hawkings é realmente um bom escritor
Provavelmente isso não é preciso dizer, especialmente porque a capa do meu livro diz que é um "best-seller de recordes". Enquanto ele está envolvido em uma pesquisa muito séria e complicada, ele é capaz de escrever de uma maneira que muitos de nós, que provavelmente estudamos física até um nível de doze anos (que é o fim do ensino médio), podem entender. Ok, eu provavelmente tenho uma vantagem sobre a maioria das outras pessoas, já que meu pai é um físico teórico de que temos conversas regulares sobre alguns desses conceitos de alto nível (como ter mais de três dimensões causaria o colapso das órbitas dos planetas) , mas eu ainda achei que ele era muito fácil de seguir e ele explicou muitos desses conceitos de alto nível de uma maneira que muitos de nós pudemos entender.

3) Os cientistas têm uma maneira estranha de ver o universo
Muitos de nós estariam familiarizados com esse cara:

Doutor Sheldon Cooper

mas, depois de ler este livro, cheguei à conclusão de que muitos físicos teóricos parecem viver no mesmo mundo que ele. Ok, eles provavelmente não passam seu tempo na loja de quadrinhos, ou discutindo se Babylon Five é melhor que Star Trek (na verdade, um dos meus amigos da escola primária é um físico teórico, e tínhamos esse argumento), mas eles parecem ver o mundo de uma maneira que nós, pessoas comuns, consideraríamos estranha.

Por exemplo, vemos o espaço como plano, o que significa que, se olharmos para uma estrela, na nossa opinião, a estrela está nessa direção. No entanto, os físicos vêem o espaço como sendo curvado e que uma linha reta não é necessariamente reta. Veríamos uma parede de tijolos como um objeto sólido e que a idéia de atravessá-la resultaria em um nariz dolorido. No entanto, os físicos vêem isso como sendo composto principalmente de espaço, e a única razão pela qual não podemos atravessá-lo é porque as forças nucleares (forças que existem dentro de um átomo, não a força que pode nivelar uma cidade inteira) nos impedem de fazer isso. tão. Depois, há o conceito de dimensões: para nós, existem apenas três dimensões, porém alguns cientistas (e Hawking não é um deles) veem que, de fato, existem dez ou mais dimensões.

4) Por que tantos cientistas ateus
Enquanto lia este livro, não pude deixar de entender o quão complexo é esse universo e me fez pensar por que ele é, com a precisão matemática do universo e a complexidade que está nele, que tantos cientistas parecem argumentar que tudo aconteceu. por acaso. Até Hawking argumenta, usando a segunda lei da termodinâmica, que o universo não pode passar de um estado de desordem para um estado de ordem - um prato quebrado simplesmente não pode se consertar. No entanto, o argumento também diz que, com a teoria do Big Bang (não o programa de televisão), que o universo começou em um estado de desordem e mudou-se para um estado de ordem, no entanto, as leis da física parecem sugerir o contrário, porque o que o big bang fez foi enviada uma série de leis que fizeram com que o universo chegasse ao que temos no momento. No entanto, entrar em detalhes exigiria uma física teórica intensa, algo que desejo aprofundar no momento.

5) Os cientistas assumem que a velocidade da luz é uma constante
A verdade é que não é. Tudo bem, se a luz estava viajando através de um vácuo, onde não há forças externas agindo sobre ela, então é uma constante, mas esse raramente é o caso. Tomemos, por exemplo, este fenômeno:

Refratando a luz através de um prisma

A razão pela qual a luz se comporta é que, quando atinge o prisma, diminui e quando diminui a velocidade refrata. Assim, meu argumento é comprovado: a velocidade da luz é apenas uma constante quando não há forças externas agindo sobre ela.

Então, que forças externas podem agir sobre a luz no espaço. Bem, antes de tudo, existem buracos negros. Quando a luz atinge um buraco negro, a força da gravidade é tão forte que impede a luz de escapar. Assim, a gravidade é uma força que afeta a luz e a retarda. Depois, há o conceito de matéria escura, que são nuvens de matéria que não emitem luz e flutuam entre os sistemas estelares. Ok, sabemos muito pouco sobre o material (e também é uma teoria, portanto não foi comprovada), mas minha hipótese é que, se esse material existe, não teria efeito sobre a luz, ou seja, diminuindo a velocidade, o que significa que existe a possibilidade de que nossos cálculos quanto à distância das estrelas ao nosso próprio Sol possam estar errados?

6) Os cientistas não sabem tanto quanto pensamos que sabem
Uma das coisas que Hawking enfatiza neste livro é que as teorias não são realmente comprovadas. Uma teoria é uma ideia que tem alguma base baseada em cálculos matemáticos e evidências empíricas. Ai que fica o problema. Grande parte de nossa compreensão do universo é baseada em cálculos matemáticos, e parece que, se ocorrer um evento que cause esse cálculo matemático, eles imediatamente partirão para tentar encontrar outra equação matemática para tapar o buraco.

Veja a luz, por exemplo. Durante anos, acreditamos que a luz agia como uma onda e, de repente, foi descoberto que ela também se comporta como uma partícula (uma partícula de luz é chamada fóton). O mesmo acontece com a matéria - durante anos acreditamos que eram partículas quando, de repente, descobrimos que elas também podem se comportar como ondas. Como tal, nossa compreensão do universo se quebra repentinamente (o que significa que não somos necessariamente constituídos por átomos, mas também temos propriedades semelhantes a ondas).

As equações matemáticas têm sido muito destrutivas no mundo moderno. Veja a crise financeira global, por exemplo. Muitas pessoas aparentemente realmente inteligentes criam equações matemáticas complexas para determinar quando comprar e vender ações e como ganhar bilhões de dólares. No entanto, o que essas equações não levaram em consideração foi o fato de que as pessoas não poderiam simplesmente continuar acumulando dívidas sem ter que pagá-las e quando as pessoas começaram a deixar de pagar seus empréstimos, todo o conceito foi quebrado e fomos levados à beira do abismo. do armageddon financeiro.

Outro ponto remonta à Grécia Antiga. Aqui temos a teoria de Demócrito, a saber, que a matéria não era infinitamente indivisível (a menor parte da matéria é um átomo) e, em seguida, a teoria de Aristóteles, ou seja, que a matéria é infinitamente divisível. Os cientistas preferiram a teoria de Demócrito, mas logo descobriram que era possível decompor o átomo em prótons e nêutrons, e até em quarks. Então, talvez Aristóteles estivesse certo, afinal.

7) Aceitamos suas teorias porque nossos aparelhos funcionam
Escusado será dizer que suas pesquisas e descobertas levaram ao computador em que estou escrevendo, a energia que alimenta nossos dispositivos e as bombas que podem nivelar cidades inteiras. Sabemos como fabricar uma bomba nuclear, assim como um telefone inteligente, para não questionarmos o que eles dizem, porque obviamente funciona. No entanto, como um amigo meu disse uma vez, ainda é tudo baseado na teoria, e apenas porque algo funciona não significa necessariamente que a teoria esteja correta. Lembre-se de que a penicilina foi descoberta por acaso.

8) Os prêmios Nobel são simplesmente enfeites brilhantes que não têm mérito
Ok, talvez as pessoas que ganham esses prêmios sejam realmente muito inteligentes, mas, novamente, os caras que montaram Gerenciamento de capital a longo prazo também ganhou um prêmio Nobel, o que prova meu ponto de vista.

9) Ninguém realmente sabe como a gravidade funciona
A gravidade é uma daquelas forças estranhas que parecem não se conectar com nenhuma das outras forças do nosso universo. Como Hawking aponta, há quatro forças que foram identificadas: eletromagnética, nuclear forte, nuclear fraca e gravidade. Dessas quatro forças (cinco se você dividir elétrica e magnética, mas como a eletricidade criará uma força magnética, elas serão efetivamente combinadas), apenas a gravidade se destaca. Provavelmente, é por isso que Hawking gasta tanto tempo falando sobre buracos negros, porque é onde a atração gravitacional é tão forte que nem mesmo a luz pode escapar de seu alcance. A outra coisa é que a gravidade, pelo menos em nosso conhecimento, não tem uma força oposta. A gravidade basicamente é péssima, e isso é tudo o que faz - ela não repele como as outras forças.

É interessante que em alguns textos que eu li (talvez seja ficção científica especulativa, mas eu simplesmente não consigo me lembrar de nada) algumas pessoas sugeriram que a gravidade é realmente uma força de outro universo que afeta nosso universo e o que efetivamente, está sugando nosso universo para o universo deles. No entanto, como já disse, isso é incrivelmente especulativo e, como não sou um físico teórico, não posso mais falar sobre o assunto.

10) O Deus das lacunas é uma imitação
A idéia do Deus das lacunas é que, onde existem lacunas em nosso conhecimento, simplesmente dizemos 'oh, Deus fez isso' e não pensamos mais nisso. Isso remonta aos dias do paganismo (e da Europa Medieval), onde todas as forças desconhecidas, como o clima, foram atribuídas a Deus (ou aos deuses) e não podíamos saber nada além desse fato. No entanto, eu estou argumentando que é um policial. Os cientistas da criação que recorrem a esse argumento são, na melhor das hipóteses, preguiçosos e, na pior, perigosos. A razão pela qual digo isso é que desencoraja a pesquisa em áreas que não entendemos. Tudo bem, talvez nunca consigamos controlar o clima ou prever terremotos, mas isso não significa que devemos jogar as mãos para o ar e dizer 'isso é muito difícil'.

Embora eu possa dar uma olhada nos cientistas da criação aqui, eu também daria uma olhada nos ateus que afirmam que Deus não existe. A razão pela qual digo isso é porque parece haver um medo dentro da comunidade científica que sugere que talvez não possamos saber tudo ou que nossa compreensão do universo possa estar errada. O problema que surge é que, se jogarmos a idéia de Deus pela janela e alegarmos que o universo surgiu por acaso, negaremos o fato de que vivemos em um universo incrivelmente ordenado que podemos aprender e entender através do desenvolvimento de fórmulas matemáticas. Se as fórmulas estiverem erradas, isso não significa que o universo entrará em colapso - não acontecerá - significa apenas que precisamos voltar à prancheta e começar do zero.

11) Por que os cientistas da criação são tão dogmáticos
Por que alguns membros da comunidade científica insistem em que devemos levar a Bíblia literalmente? A Bíblia não é um texto científico e nunca foi concebido para ser um texto científico. É um texto teológico que nos diz como devemos viver uns com os outros e como devemos ver Deus. A ciência existe além da Bíblia, e nenhuma contradiz a outra. Ok, é verdade que Deus interveio neste mundo e fez coisas que violam as leis da ciência, mas ele não tem o direito de fazer isso - ele criou o universo? No entanto, o que a Bíblia nos diz é que Deus é um deus da ordem, e se ele é um deus da ordem, então não faz sentido que o universo que ele criou seja um universo ordenado?

Então, talvez você esteja procurando uma conclusão sobre minha exposição deste livro, mas tudo o que posso dizer é que o que escrevi acima resume muito bem o que aprendi com este livro. Em poucas palavras (ei, sou eu em poucas palavras), tudo o que posso dizer é que o que aprendi neste livro é que o mundo é um lugar incrivelmente ordenado em que vivemos, e, agora que concluí este livro, sou apenas tão comprometido com a minha fé cristã como eu sempre fui. No entanto, se a física teórica o fascina, certamente este é um livro que você deve ler (embora você provavelmente já tenha feito isso).

Esta revisão também aparece no meu blog. Também comentei este livro na minha resenha sobre Interestelar.
Comentário deixado em 05/18/2020
Barram Sicinski

Este é um livro absolutamente mágico, tanto objetivamente quanto especificamente para mim. Eu li pela primeira vez quando tinha 9 ou 10 anos e, desde que assumi que não entendi nada, li-a como um orgulho infantil. Avanço rápido por quase vinte anos, com diploma de doutorado em física e decidi fazer uma leitura adequada. Para minha surpresa, descobri que o livro permeava meu cérebro! Lembrei-me de um grande número de explicações, e o livro ressoou com a maneira como pensei sobre física em toda a minha carreira acadêmica - acho que recebi muito mais do que pensava!

Como uma cartilha para a física (eu diria a física moderna, mas o livro está um pouco desatualizado), você realmente não podia pedir nada melhor do que isso. Especialmente quando se trata de cosmologia, este é possivelmente o melhor livro de física popular que eu já li. É realmente um clássico por uma razão. É uma introdução tão concisa e compreensível ao campo que estou determinado a convencer minha namorada (uma lingüista sem real interesse em física) a lê-la. Não apenas porque acho que ela vai entender, mas porque acho que ela vai gostar!

Uma peculiaridade do texto é Hawking voltando ao conceito de Deus (com G maiúsculo) repetidamente. De certa forma, isso parece um texto de transição, marcando a passagem da geração pública para quem a igreja determinou a ordem de todas as coisas e a vinda da atual geração secular. Ao contrário de outros autores (olhando para você, Dawkins), Hawking sempre o faz de uma maneira que se sente respeitosa, ao mesmo tempo em que declara com força seu caso científico. É uma façanha de escrever, bem como o resto do trabalho.

Você realmente deveria ler isso, é fantástico.
Comentário deixado em 05/18/2020
Clauddetta Sliger

Aparentemente, este livro está no topo da lista mundial de "comprados, mas não lidos", o que pode explicar por que é tão universalmente aclamado como um trabalho de gênio. Se você sabe algo sobre relatividade ou cosmologia, aparece como um aquecedor de panela, reconhecidamente bem escrito, com uma grande frase final. Não fiquei impressionado.

Mas ... sem ele, nunca teríamos MC Hawking. Se você não o encontrou, comece com a letra de "E = MC Hawking". Então compre Uma Breve História da Rima.
Comentário deixado em 05/18/2020
Darees Esslinger

A principal idéia a ser retirada deste livro é que o tempo tem uma direção clara. Entropia é a ideia de que o universo se move de estados altamente ordenados para estados menos ordenados. Se você tirar a tampa de um frasco de perfume e deixá-lo por alguns dias, o perfume deixará de ser altamente solicitado (tudo no frasco) para altamente desordenado (em toda a sala).

Hawking usa essa idéia para explicar por que é impossível viajar de volta no tempo. Requer muito pouca energia para derrubar um copo e esmagá-lo - mas pense em quanta energia seria necessária para fazer com que o vidro voltasse ao lugar - todos os bits perfeitamente atrás de onde estavam antes da quebra do vidro. Seria impossível - e essa impossibilidade é o que dá ao tempo sua direção clara.

Filosoficamente, costumo achar que o livro faz muito do Princípio da Incerteza. Mas isso é outra história.

Este não é o livro mais fácil de ler no mundo e provavelmente é o livro de ciências mais comprado de todos os tempos, sendo também o mais provável que tenha desistido de um ou dois capítulos - mas é uma leitura fascinante.
Comentário deixado em 05/18/2020
Tullus Baile

Hawking é um físico brilhante e um verdadeiro especialista em explicar aspectos altamente complexos de nosso universo físico em termos que podem ser entendidos pela maioria dos leigos.

Onde Hawking falha, na minha opinião, é sua arrogância. Ele prossegue no campo da metafísica e da religião em várias partes deste livro. Por exemplo, em seu capítulo sobre a "flecha do tempo", ele afirma que, essencialmente, o universo só pode se mover em uma direção do tempo. Não pode voltar atrás. Ele também afirma que isso limita os poderes do próprio Deus. Agora, Hawking nunca qualifica essas declarações definindo "Deus". No entanto, se ele está falando sobre o Deus bíblico, como você pode honestamente pensar que é tão inteligente a ponto de colocar limites em um ser sem limites? Se Deus é tão poderoso que criou o universo e todas as leis físicas, por que ele não seria poderoso o suficiente para mudar essas leis a qualquer momento que escolher? É o mesmo conceito que um cientista que cria uma simulação de computador do universo. O cientista pode, a qualquer momento durante a simulação, alterar a estrutura subjacente da simulação, alterando efetivamente as leis físicas sob as quais o universo simulado opera.

Agora, acreditando ou não em Deus, o simples fato de Hawking ter a audácia de pensar que ele pode atribuir limites a um ser sem limites deve lhe causar alguma preocupação. Hawking, por causa de sua fama e brilho, é um homem que as pessoas ouvem quando ele fala. Isso lhe dá imenso poder sobre as mentes de seus leitores. Ele deveria ter mais cuidado ao escolher suas palavras.

Quando Hawking mantém seus pontos fortes, no entanto, o livro é inigualável. Hawking realmente tem o dom de explicar as forças poderosas que moldam nossas vidas de maneira que qualquer pessoa possa entender.

Se este livro tivesse sido editado melhor, ele teria recebido mais algumas estrelas de mim, mas não posso recompensar o orgulho científico obstinado que resulta em suposições falsas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Mauve Manusyants

Manny diz que este livro está na categoria "comprado, mas não lido" para a maioria das pessoas. Bem, tenho orgulho de dizer que comprei e li, também em quase uma sessão - nos meus dias de nerd, quando eu costumava ter uma alta sexual só de resolver um quebra-cabeça difícil de matemática.

Infelizmente, não me lembro de muito disso (hora de reler!), Mas lembro de tirar a ideia de que o tempo é uma esfera. Sendo indiano, adorei isso - porque somos fortes campeões do tempo cíclico. Além disso, se o tempo e o espaço são curvos, cria a possibilidade de saltar de um lugar e do tempo para outro; o que é simplesmente delicioso.

(Comprei uma edição pirata deste livro por 25 rúpias na beira da estrada em Connaught Place, em Nova Délhi. O vendedor pediu 50, eu disse 25, e a negociação estava apenas começando quando ele viu um policial se aproximando - então ele me deixou para o que eu estava oferecendo! "O tempo" estava do meu lado.)
Comentário deixado em 05/18/2020
Nogas Olveira

Sem dúvida uma obra-prima!
É simplesmente incrível como Hawking nos explica os segredos e conceitos complexos e surpreendentes da física e do nosso universo, com incrível inteligência, clareza e simplicidade.
As perguntas que todos fazíamos a nós mesmos e aos nossos pais, sobre Deus, sobre o tempo, a vida e seu significado, o céu, as estrelas, sobre quem criou o nosso universo e sobre o seu início, sobre o nosso destino ...
tivemos essa qualidade única chamada curiosidade quando éramos crianças, mas, à medida que crescemos, perdemos a capacidade de perguntar e questionar, não sentíamos mais a mesma sede de conhecimento e uma compreensão mais profunda das coisas quando chegamos à idade adulta, essas perguntas que abandonamos quando nossas vidas ocupadas estavam no nosso caminho ..
Mas existem muitas pessoas, cuja curiosidade e desejo de descobrir mais, de explorar as verdades deste vasto universo, nunca morrem. Eles estão sempre sempre à procura de respostas para perguntas que não podem ser respondidas e, em seguida, fazem novas perguntas, uma por uma, preenchem a lacuna entre nós e a verdade e tornam nossa compreensão desse universo e seus segredos um pouco mais claros e mais profundos ,
Stephen Hawking é um desses gênios abençoados!
Neste livro, Hawking nos familiariza com o possível começo do universo ou espaço-tempo, chamado de Big Bang Singularity, os Buracos Negros com força gravitacional extremamente forte, para que nem a luz possa escapar dela, as razões pelas quais estão neste momento e espaço do universo [isso pode ser porque a condição atual, o universo (se houver outros universos) e as dimensões são a única configuração que permite a existência de seres inteligentes como nós, que podem observar e fazer essas perguntas ], a longa busca por uma teoria da grande unificação (que explicará todo o universo completamente) que ainda continua, e muitas outras coisas fascinantes e incríveis.
O estilo de escrever é muito agradável, Hawking é um ótimo professor e um escritor maravilhoso, sua inteligência e escrita envolvente me fazem esquecer que estou lendo um livro científico!
Altamente recomendado para todos que querem conhecer um pouco mais sobre esse universo e seus segredos.
5 estrelas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Bela Litke

Se você gosta de coisas assim, você pode ler a resenha completa.



Em moscas: "Uma breve história do tempo", de Stephen Hawking




(Revisão original, 1987)



Ter lido o livro de Hawking me ajudará a entender como uma mosca-de-cavalo "agarra" a flecha do tempo?
Para começar, sou ótimo em matar moscas à mão. Devo pegar um pijama preto e uma balaclava e me tornar um ninja? E havia eu pensando que a visão geral da mosca e o curto caminho dos nervos tinham algo a ver com a velocidade de reação. Sendo um ninja de matar moscas, para que preciso do livro de Hawking? Afaste-se Hawking!
Comentário deixado em 05/18/2020
Horatius Lanoie

stephen hawking sempre foi minha pessoa favorita neste planeta e sua recente passagem finalmente me inspirou - depois de anos e anos de adiamento - a começar seu trabalho mais famoso. Estou animado para aprender mais sobre o espaço, o amor da minha vida.

Descanse em paz, Stephen Hawking. Que honra ter vivido no mesmo lugar e tempo que você. ?
Comentário deixado em 05/18/2020
Tiff Vascocu

Um texto clássico em que o incrível Stephen Hawking explica a teoria das cordas e a mecânica quântica "para manequins". Altamente legível e até cômico, é uma leitura excelente. Eu preciso voltar e ler este novamente eu mesmo!
Comentário deixado em 05/18/2020
Corena Bochenski

O livro de Stephen Hawking é fácil de ler, mas mais difícil de compreender. Em todos os capítulos, chegou um ponto em que meu cérebro não suportava outra permutação de uma teoria e, à medida que o livro progredia, acabei adotando a mesma abordagem usada na leitura de uma saga nórdica pela primeira vez. Com as sagas, acabei de ler, mesmo que meu cérebro pareça não reter todas as informações sobre quem está relacionado a quem e o que eles chamaram de cavalo. Inevitavelmente, no final, eu tenho uma compreensão básica razoável da saga e, em seguida, tenho que lê-la novamente para ajustar mais informações a essa compreensão básica.

Não sei se o mesmo se aplica aqui, mas é uma boa esperança.
Comentário deixado em 05/18/2020
Warchaw Mcaskill

Eu li este livro duas vezes e, por um breve instante, ao ler sobre os horizontes de eventos, entendi. Mas não me peça para explicar agora.
O livro explica em termos leigos o que há várias décadas atrás só foi entendido por um punhado de pessoas. Surpreendentemente, não é desprovido de humor e é realmente muito legível. O autor notável leva o leitor a uma jornada desde as primeiras premissas dos antigos astrônomos até buracos negros e anãs brancas e as últimas reflexões sobre o futuro do universo. Ele parece ter escapado dos vastos egos que levaram Isaac Newton a desacreditar seus rivais, e dá crédito ao trabalho de outros, quando devidos. No momento em que mais informações estão disponíveis para mais pessoas do que nunca, a leitura de um livro como esse lembra que o entendimento ainda exige esforço e que o acesso passivo às informações tem apenas um valor relativo por si só. Impagável.
Comentário deixado em 05/18/2020
Fay Wilbourn

Ah, esse é definitivamente um dos meus livros de ciência favoritos e meu favorito de Stephen Hawking. Adoro o modo como Hawking explica conceitos tão abstratos e difíceis de entender como tempo ou buracos negros. É um livro de ciências para o público em geral; você não precisa saber matemática ou física para entender os incríveis conceitos sobre o universo que ele tenta nos explicar. Eu recomendo totalmente Uma Breve História do Tempo para todos, não apenas para os amantes da ciência.

Versão espanhola:
Este é um dos meus livros favoritos da ciencia e o favorito de Stephen Hawking. Mude a maneira como o Hawking explica os conceitos abstratos e difíceis de compreender, como o tempo ou os negros. É um livro de divulgação científica para todos os públicos, em que não há falta de conhecimento matemático ou físico para incluir os incríveis conceitos que estão no universo. Se você está recomendando para todo o mundo, não é só para os amantes da ciência.
Comentário deixado em 05/18/2020
Wahl Haneef

Stephen Hawking reafirmou meu entendimento de que a terra fica na concha de uma tartaruga e que são, de fato, tartarugas por todo o caminho.

Bom show, porém!
Comentário deixado em 05/18/2020
Alexandria Dimassimo

Descanse em paz, Sr. Hawking, e obrigado

Durante meu tempo com este texto, fiz um comentário juntamente com a atualização percentual que tenho dos livros que estou lendo sobre goodreads. Eu disse que era uma experiência estranha ler um livro importante e muito querido, apenas para que o autor falecesse durante o tempo da leitura. Para acrescentar a isso, na verdade, recebi este livro anos atrás por alguém próximo, e nunca o comecei completamente até agora. Então, foi tão triste quanto surreal quando acordei em 14 de março de 2018 para ouvir que Steven Hawking havia morrido. Olhei imediatamente para minha cópia de Uma breve História do Tempo e decidiu terminá-lo o mais rápido possível (havia demorado até então).

Embora pretenda ser honesto sobre a minha experiência com este título, na verdade, quero fazer uma declaração separada sobre se o processo de tomada de decisão das pessoas comuns deve se inclinar mais para o lado positivo do espectro ao considerar este livro. Tendo acabado Uma breve História do TempoPessoalmente, acredito que é dever de todos pegar este texto, interagir com ele e continuar com ele até a última página.

Vindo da posição de um leigo sem formação em ciências (a menos que você inclua um trabalho de equipe de angariação de fundos no Instituto de Pesquisa do Câncer por dois meses ... eu pessoalmente acho que isso está atrapalhando) ou psíquicos, achei difícil compreendido em alguns lugares. De fato, o capítulo sobre partículas elementares me matou. Tanto que minha leitura realmente desacelerou no final do livro, mesmo depois de saber da morte do Sr. Hawkings. Não apenas isso, mas apenas conceituar alguns dos tópicos explicados foi um pesadelo para mim às vezes. Acredite, você não percebe o quanto depende da capacidade acima para levar você a um livro, até encontrar um que exige que você abandone completamente a capacidade e apenas 'atue' com o tópico em questão, sabendo muito bem você está completamente fora da sua liga de processamento de imaginação.

No entanto, apesar do exposto, simplesmente não posso diminuir meu alto nível de recomendação em relação a este livro. Eu gostaria de ler quando era mais jovem, pois fornece algumas das bases mais importantes para entender o nosso universo e, como o Sr. Hawkings menciona no capítulo final, a ciência se move tão rápido que é quase impossível para muitos indivíduos não iniciados, como eu, para entender o que há de novo. Portanto, ter livros como esse que realmente tentam tornar os fundamentos básicos desses tópicos enormes compreensíveis é um presente.

Por isso, sou imensamente grato ao autor e espero apresentar isso ao meu filho quando ele tiver idade suficiente para compreender esses conceitos (quero dizer, não é realmente como qualquer um de nós possa, mas eu venci ' não diga isso a ele).

Em uma nota lateral, há momentos em que as idéias abordadas neste livro podem mexer com sua cabeça.

Caso e argumento: às vezes me vi olhando profundamente em minhas mãos - seguido por meu livro - em várias ocasiões, tentando compreender que, enquanto olhava para dois objetos completamente diferentes, eles eram ultimatley compostos das mesmas coisas (em o nível micro, é claro). Isso causou alguns olhares estranhos no tubo mais de uma vez. Especialmente quando meus olhos se arregalavam com o pensamento, eu também poderia estar encarando uma dimensão diferente que simplesmente não consigo compreender ou ver.

Algo que tenho certeza de que você inevitavelmente fará tão bem se você realmente beber o auxílio quântico do kool.
Comentário deixado em 05/18/2020
Allred Lorenzini

Apenas Hawkings poderia escrever este livro - simples, direto ao ponto e extremamente engenhoso. A cosmologia não é um assunto fácil, nem todos podem entender suas profundas conotações. Hawkings tornou compreensível nos termos mais leigos possíveis.
Comentário deixado em 05/18/2020
Allx Galapon

Um dos livros mais famosos e bem escritos sobre Física. Recomendado para os entusiastas da ciência.
Comentário deixado em 05/18/2020
Meijer Willibrand

Uau, que livro! Tão abrangente, mas escrito em termos de laymens e ampliando as informações técnicas a cada capítulo, para que você não se sinta completamente perdido. Quando você alcança a mecânica quântica e a teoria das cordas, quase sente que sabe o que está acontecendo. Ok, então você ainda não tem idéia de como isso funciona, mas está tudo bem.

Eu nunca me senti obrigado a ler isso. Um livro sobre espaço e física não é meu material de leitura e tudo soa bem na minha cabeça. No entanto, é um clássico científico tão conhecido que acho que muitas pessoas ainda o têm em sua lista tbr. Um para depois.

Eu gostaria de ler isso antes e não tinha tanto medo da ciência. Era facilmente digerível, dividido em pequenos capítulos e frequentemente recapitulava os tópicos anteriores, para ajudá-los a realmente se interessar. Ainda não entendo como os buracos negros funcionam, ou como o universo foi criado, mas ninguém com certeza. Estou feliz que os outros façam o trabalho duro para tentar descobrir.
Comentário deixado em 05/18/2020
Nepean Apodaca

Tudo o que posso dizer com certeza é que "Uma Breve História do Tempo" é muito organizada logicamente, mas, como cada capítulo descreveu uma série de descobertas vinculadas e o que tudo isso significava, infelizmente ainda era opaco para mim.

Os tópicos são introduzidos logicamente, como Stephen Hawking descreve em inglês simples as descobertas dos cientistas. Ele geralmente começa com fenômenos observáveis ​​que levaram à matemática verificada (não realmente detalhada) demonstrando muito provavelmente como o Universo, e presumivelmente o Tempo com ele, existiram. Hawking não detalha a matemática em "Uma Breve História do Tempo", mas tenta explicar o significado das observações.

O Universo opera de uma maneira que pode ser prevista quando as fórmulas matemáticas são eliminadas dos objetos observados, ou pelo menos o efeito colateral de um ato invisível pode ser observado. Cada descoberta se baseia em descobertas mais antigas, o que leva a mais conhecimento.

Percebo que compreendi apenas a superfície de como cada descoberta levou a uma compreensão mais holística de muitas idéias separadas e de várias partes separadas. Compreendo os ossos da descrição de um experimento ou observação de Hawking e vejo vagamente como os cientistas finalmente o encaixaram na narrativa da astrofísica.

Para mim, parece que cada cientista estava projetando figurativamente um padrão de malha pessoal para um quadrado afegão (observação, experimento e matemática), que é finalmente tentado se encaixar em um afegão maior, mas incompleto, de muitos outros quadrados anteriormente díspares, colocando onde, para o melhor julgamento dos cientistas, a praça parece funcionar (ou às vezes não, e às vezes a peça incompatível deve ser desfeita e redesenhada, ou movida para outro lugar). Mas tenho dificuldade em entender alguns dos projetos individuais das peças, e às vezes não sei por que os cientistas decidiram que essa peça deve caber ali naquele local; no entanto, entendo a descrição final das conclusões alcançadas, que foram o resultado do encaixe das peças.

Eu posso ver que a Astronomia é onde tudo que aprendemos desde os gregos antigos, mas especialmente a partir das descobertas de Galileu Galilei, Isaac Newton e Albert Einstein, foi como adicionar carros a um motor de trem, oferecendo cada vez mais conhecimento sobre o tamanho do universo, sua idade, sua química e seus elementos, e como as estrelas e galáxias surgiram de uma variedade de pequenas partículas elementares que respondem a forças; todos os quais se comportam de maneira chocante de uma maneira que pode ser matematicamente descrita e reproduzida.

Infelizmente, entendi apenas metade do livro, apesar de ler o livro de capa a capa e estudar as ilustrações incluídas, referindo-me repetidamente ao glossário e índice incluídos no verso. Brincando!

Não, não Na verdade eu não estou brincando. Ler isso não fez meu cérebro fracassar, ou jizz. (Dê-me uma pausa, senhores leitores e outros revisores da Goodreads! Este livro deu a alguns de vocês as mesmas emoções mentais, citações, “hard ons”!?!? Realmente. REALMENTE? E aqui estou eu, meu cérebro sendo espremido em imagens de tricô quadrados afegãos! Perdi algo enorme no meu entendimento, com certeza.)

Em vez disso, para mim, pensar no material era como estar em um estado de embriaguez e trabalhar duro para conectar sentenças a uma comunicação coerente, mas valeu a pena a leitura de alguma forma, pois preencheu alguns espaços em branco muito mais claramente do que eu já vi antes!

Hawking tem um humor gentil por toda parte, especialmente em incluir a ausência de Deus após o enrolamento de relógios e universos. Mas acho que, sem ter estudado ciências e matemática significativamente no ensino médio, ou melhor ainda, na faculdade, este livro não é simples ou completo o suficiente. É uma espécie de introdução parcial à astronomia, e discute alguns conceitos da física - os bits que levam a uma discussão sobre gravidade, o Big Bang, buracos negros, dimensões, viagens no tempo, buracos de minhoca, a 'flecha do tempo' que é também sobre fronteiras e a forma do Universo (eu me perdi no conceito teórico de uma superfície redonda de uma bola moldando a direção do Tempo como a lua orbitando a Terra) e unificando as duas principais ciências da física (clássica e quântica) através teorias de cordas - de modo que o livro estava muitas vezes na minha cabeça ao descrever conceitos e descobertas astrofísicas. Eu sei que não poderia escolher quais conceitos deveriam descrever formas ou processos físicos reais a partir de conceitos de pensamento imaginários, mas impossíveis de reproduzir na forma física. Por exemplo, a discussão sobre o tempo - o tempo não é algo que qualquer humano possa ver, por isso não entendo a discussão da seta do tempo no livro. O tempo é possivelmente algum tipo de força em círculo, talvez, ou talvez não, dependendo do que é, em última análise, o 'limite' do Universo? Francamente, eu estava completamente perdido neste capítulo!

Estimo que entendi 70 páginas de 200, leitor gentil.
Comentário deixado em 05/18/2020
Octavla Congdon

Eu sempre gostei de ciência. Mas nunca foi tão fácil distinguir minha matéria favorita, como eu realmente gosto de todas, de modo que a ciência está a par da história e da matemática e da literatura para mim.


Mas, depois de ler este livro e as obras de Brian Greene, bem como vários outros livros populares sobre física, vi a ciência sob uma luz totalmente diferente.

Se as pessoas ainda pudessem produzir livros inteligentes como este, então nosso mundo poderia ser bastante agradável. Não estou dizendo que somos todos gênios e que podemos criar nossos próprios teoremas matemáticos, mas devemos ter uma compreensão bastante boa das idéias científicas.

Este livro, em resumo, analisa várias posições no tempo ao longo da história científica, variando da idéia de tempo e espaço absolutos de Aristóteles e Newton à teoria geral da relatividade de Einstein.

É uma leitura um pouco densa, então você terá que ler com atenção.
Comentário deixado em 05/18/2020
Hesper Duponte

Foi ao ler isso que finalmente tive um momento "aha" sobre o motivo pelo qual a observação pode mudar o que você está tentando observar. Eu sempre fiquei meio cético em relação a isso, porque estava me perguntando "o que nossos olhos fazem que podem afetar as coisas?" Stephen Hawking me esclareceu: é o minúsculo ponto de luz que você tem que atirar no que está tentando observar que afeta. A lâmpada está acesa!

Tenho interesse em física e li muitos livros para o leigo sobre física e cosmologia recentes - teoria das cordas, big bang, hiperespaço. Então, eu não tinha certeza se acabaria aprendendo algo novo quando finalmente tivesse a chance de ler isso. Mas estava cheio de momentos de lâmpadas como o acima - coisas sobre as quais eu estava pensando, mas nunca haviam sido descritas de uma maneira concreta e de baixo nível que faria sentido para mim.

O estilo de escrita de Hawking fez deste livro uma experiência maravilhosa, com um tom amigável e interessado que traz o leitor e também expressa sua própria empolgação sobre os tópicos. É uma boa mistura de notas históricas, explicações sobre o que exatamente aconteceu no trabalho experimental da ciência e também quais são as implicações desses desenvolvimentos no panorama geral - não apenas no panorama geral da física e da ciência, mas que desenvolvimentos na física significa para nós como seres humanos e nossa compreensão do mundo ao nosso redor.

A única parte fraca deste livro, que me deixou coçando a cabeça e incapaz de visualizar em vez de visualizá-la e obtê-la pela primeira vez, foram os capítulos sobre partículas subatômicas. Conceitos como spin e o que exatamente as antipartículas são em sentido concreto (e como eles interagem com as partículas com as quais estamos familiarizados) ainda estão além de mim depois deste livro, mas não tenho certeza se isso é uma fraqueza no grande poder de explicação de Hawking , ou se é inerente a essas próprias idéias ser difícil!

Eu recomendaria este livro para absolutamente todos os interessados ​​no mundo - você não precisa ser um especialista em ciências (com certeza não sou) ou ter uma inclinação matemática para segui-lo, e está cheio de idéias que farão você pensar (e também entendem muito mais do que as pessoas estão falando quando fazem referência a cientistas e conceitos do passado).
Comentário deixado em 05/18/2020
Gamaliel Boyette

Finalmente conseguiu terminar isso; Eu acho que ter um espaço de leitura bastante silencioso ajudou. Aqui, Hawking fala sobre coisas como o início dos tempos, buracos negros, teorias de cordas, dimensões, buracos de minhoca e viagens no tempo - coisas do universo e para onde as coisas estão indo. Não há introdução de Carl Sagan na minha versão, mas há algumas coisas mais recentes incluídas que não estavam no original, mas foram 'encontradas' desde então, como um sabor de quark (no topo) e novas descobertas na teoria das cordas, que são fáceis de perceber por causa do tempo mencionado.

(O que há com Deus aparecendo aqui e ali? 8))
Por toda parte, existem algumas figuras úteis, embora algumas se beneficiem por serem um pouco mais nítidas (mais legíveis). E, no final, há um glossário, além de três breves biografias (Einstein, Newton, Galilei - aprendemos algo novo sobre cada uma delas).

Este tem sido um grande vendedor de livros, e eu posso ver o porquê. É dito em uma linguagem bastante compreensível para muitas pessoas comuns entenderem, embora sem dúvida algumas possam passar por cima da cabeça, pelo menos para alguém com nível médio de inteligência, como eu (haha). Mas sinto que tirei mais proveito do que quando o iniciei (deixando inacabado até o momento).

Parte disso me lembrou o filme "Interestelar" (gostei, então ...), e sinto vontade de assistir de novo. Eu aprendi muitas coisas interessantes com a minha leitura, deixei alguns passarem pela minha cabeça e considero isso uma boa aventura de leitura.
Comentário deixado em 05/18/2020
Renaldo Mulvihill

Esta é uma revisão de um leitor não técnico.

Uma introdução muito legível e divertida aos desenvolvimentos recentes em física e cosmologia, Hawking tenta lidar com questões que incomodavam a comunidade da física cósmica há 20 anos:

O universo é finito ou infinito em extensão e conteúdo? É eterno ou tem um começo? Foi criado? Se não, de onde veio? ? O que governa as leis e constantes da física? Por que o universo é do jeito que é? etc.


Ao encobrir os principais aspectos da física quântica e da relatividade, o eminente físico conseguiu abordar graciosamente os conceitos de gravidade, buracos negros, Big Bang, buracos de minhoca, a natureza do tempo e a busca dos físicos por uma grande teoria unificadora, a teoria-M. Suas explicações são simples, precisas, bem ilustradas e salpicadas de humor e idéias pontilhadas.

Escusado será dizer que Stephen Hawking é um dos maiores cientistas da história. No entanto, quando Hawking deixa de ser um cientista, eu devo ter algumas áreas de discordância; o livro leva em consideração provocações e irracionais tanto na filosofia quanto na religião, na minha opinião. pela simples razão de que a ciência, por sua própria natureza, nunca é capaz de provar a inexistência de nada.
E Hawking nunca pode afirmar com precisão que a ciência provou que Deus não existe (ou existe), isso é um uso indevido da disciplina, e sua opinião permanece injustificada. E, a menos que o argumento seja puramente filosófico, sua conclusão acabará indo a lugar nenhum.

Hawking não acredita que o universo realmente tenha surgido do nada desde que a gravidade estava lá para criar, mas de onde veio a gravidade ?!

Parece que Hawking simplesmente substitui uma causa transcendente (Deus) por outra (gravidade)!

E se o universo surgisse espontaneamente do nada, poderia ter qualquer tipo de configuração espaço-temporal concebível, uma vez que o nada não possui propriedades ou restrições e não é governado por leis físicas ?! Essa criação espontânea muito particular é a razão de haver algo mais do que nada, nem a gravidade nem qualquer outra lei da física fornece um mecanismo pelo qual o universo possa ser criado espontaneamente. A pergunta que Hawking nunca respondeu foi por que existem essas leis da física ?!

“Enquanto o universo tivesse um começo, poderíamos supor que ele tivesse um criador. mas se o universo é realmente completamente independente, sem limites ou limites, não teria começo nem fim: seria simplesmente. Que lugar, então, para um criador? ”

“[Permitindo] a possibilidade de que o espaço-tempo fosse finito, mas não tivesse limites, o que significa que não tinha começo, nem momento de criação ... Se a proposta de não haver limites é correta, [Deus] não tinha liberdade para escolher as condições iniciais "


Hawking simplesmente falha em entender o ponto em que ele acha que a falta de criação tem algum efeito sobre a existência de Deus. Mesmo que o universo não tenha começo nem fim "não tenha limites e seja totalmente autônomo", ele ainda falha em explicar como surgiu. Quem está inventando histórias agora?


(ver spoiler)[Alguns cientistas (incluindo Hawking) definem o leque de perguntas que a ciência pode fazer de tal maneira que Deus é excluído desde o início, e depois afirmam que Deus é desnecessário e não existe pela simples razão de que suas a ciência não pode responder a essa pergunta.

Parece-me que grande parte da lógica de Hawking está na idéia de um conflito profundo entre ciência e religião. Mas minha verdade é que ciência, filosofia e espiritualidade, em vez de abordar um terreno semelhante, falam com domínios muito diferentes da experiência humana e têm o potencial de coexistir em paz, complementando em vez de lutar constantemente entre si. (ocultar spoiler)]

E com relação a "Deus não ter livre-arbítrio" na escolha das condições iniciais, Hawking claramente descarta o fato de que, se Deus é quem criou as regras, é ilógico afirmar que ele está confinado a um certo limite. Pode-se observar um universo em que parece que Deus é limitado por certas condições, e ainda assim percebemos que é esse o caso porque Deus instituiu essas condições específicas.



Nossa compreensão da física não é realmente suficiente para concluir que sabemos tudo o que é necessário para explicar a existência de tudo!
Comentário deixado em 05/18/2020
Sethi Eschrich

Isenção de responsabilidade: Eu amo matemática, física e livros que me fazem sentir estúpido, pois são inteligentes. Foi um aprendizado interessante sobre o desenvolvimento da ciência, pois se refere à maneira como pensamos sobre o universo e como as descobertas científicas foram influenciadas e influenciam a maneira como as pessoas pensam sobre Deus. Minha seção favorita foi a discussão sobre buracos negros e antimatéria.

Às vezes Hawking me perdia. Ele quer explicar a teoria para as massas, mas ao se aproximar de sua própria teoria, ele se empolgou e se afastou, esquecendo que nós simplórios não memorizamos as dez teorias sobre as quais ele se baseia e que nos deu uma breve visão geral. Quando eu tive que ouvir uma teoria algumas vezes ou tentar lembrar exatamente qual é o princípio da incerteza ou a seta termodinâmica do tempo, era mais difícil fazer uma pausa mental em forma de áudio, mas se eu estivesse lendo um livro físico, adormeceu a cada poucos minutos. É um livro para fazer seu cérebro doer, talvez menos, se você fez recentemente uma aula de física avançada.

No entanto, foi fascinante e oferece muito a você refletir, especialmente sobre o quão pouco o homem sabe sobre as leis que governam o universo, quando ele só pode observar efeitos e descrevê-los. Quanto mais teorias se desenvolvem, mais me resta questionar os dados que recebem de outras teorias.

Deixe um comentário para Uma breve História do Tempo