Casa > Ficção > Ficção histórica > Mistério > O Jardim Esquecido Reveja

O Jardim Esquecido

The Forgotten Garden
Por Kate Morton
Avaliações: 27 | Classificação geral: média
Excelente
12
Boa
5
Média
2
Mau
5
Horrível
3
Uma fundição, um livro antigo de contos de fadas sombrios, um jardim secreto, uma família aristocrática, um amor negado e um mistério. The Forgotten Garden é uma história cativante, atmosférica e compulsivamente legível do passado, segredos, família e memória da autora best-seller internacional Kate Morton.Cassandra está perdida, sozinha e em luto. Sua avó muito amada, Nell, tem

Avaliações

Comentário deixado em 05/18/2020
Feinstein Fecteau

* Kat olha para o jardim esquecido *

* Kat olha para a pilha de outros livros para ler *

* Kat olha para as primeiras 33 páginas do Jardim Esquecido *

* Kat geme *

Então basicamente há essa mulher. Vamos chamá-la de idiota porque eu não ligo o suficiente para lembrar o nome dela. Ela descobre em sua festa de 21 anos que sua família amorosa e adorada não é sua família biológica. Eles a encontraram como uma criança muito pequena e se importaram o suficiente para levá-la e dar-lhe um lar maravilhoso, cheio de pessoas que a amavam e a adoravam.

Então ela termina com sua noiva perfeita, casa-se com um idiota, tem um filho, é uma mãe terrível, distancia-se de todos os que a amaram, estraga a vida de seu filho para que seu filho estrague sua vida de filhas ...

Então eu não li. Não li porque este livro é baseado em um idiota e tenho um pavio curto no que diz respeito a idiotas. Digamos apenas que não os sofro de ânimo leve.

Tenho certeza de que este livro, se eu ler mais adiante, pode se tornar uma história fantástica e maravilhosamente tocante, com um grande mistério que atualmente está sugerindo como uma stripper seminua, com olhos tristes e um fio dental cujo elástico é tão flexível que não se encaixa mais. No entanto, agora é apenas uma bagunça nervosa e dolorosamente chata. Eu sei que é provavelmente realista, afinal há muitos idiotas no mundo. No entanto, como tenho tantos idiotas em tamanho natural sempre que preciso deles, não sinto que precise ler um livro sobre eles.

A vida é muito curta.
Comentário deixado em 05/18/2020
Vinna Friedman

5 estrelas para Kate Morton's O Jardim Esquecido. O enredo é fascinante e as histórias da avó e da neta são incomparáveis. Morton pula de um período para outro, de país para país, de personagem para personagem de maneira impecável.

As imagens são surpreendentes. Os relacionamentos são bem planejados. Morton mantém você adivinhando como tudo está conectado com o jardim na frente e no centro durante todo o percurso.

Apreciei profundamente a jornada que este livro leva você. Estou muito feliz com o final!
Comentário deixado em 05/18/2020
Jaime Rosenow

A autora australiana Kate Morton habilmente conseguiu apertar quase todos os meus botões de leitura com seu adorável livro, O Jardim Esquecido:

1. Mulher não tão jovem com passado assombrado - confira
2. Avó não tão fada que deixa a mulher dizer uma casa velha com uma história misteriosa - confira
3. A antiga e misteriosa casa é na verdade uma cabana na selvagem costa da Cornualha, com um jardim escondido, um vizinho bonito e a sugestão mais fraca do sobrenatural - confira
4. Disse que a mulher embarca em uma busca para descobrir seus segredos familiares e se curar --- jogo, cenário, partida

Cada capítulo do Jardim Esquecido é contado através das vozes de três mulheres: Eliza, Nell e Cassandra, e abrange vários períodos diferentes ao longo do século XX e início do século XXI. Conhecemos Eliza, Nell e Cassandra intimamente, e através deles outros personagens que desempenham um papel importante na história que se desenrola: Rose, Nathaniel, Adeline e Linus. Não é um livro para ser guardado por alguns dias e retomado mais tarde. O Jardim Esquecido precisa ser saboreado em longos trechos, para que o leitor possa se conectar totalmente a cada personagem e sua história de fundo. Os personagens que saltam continuamente e os períodos de tempo podem ficar confusos e perturbadores às vezes, o que me impede de classificar esta história com 3 estrelas sólidas. Caso contrário, esse conto é feito sob medida para os meus gostos de leitura, com frases, como as seguintes, que falam comigo:
"Ela abriu a porta da frente e entrou. A casa parecia estar ouvindo, esperando para ver o que ela faria. Ela passou a mão levemente pela parede interna." Minha casa ", ela disse suavemente," Esta é minha casa. - As palavras pressionaram-se contra as paredes. Que estranho, que inesperado. Ela vagou pela cozinha, passou pela roda giratória e entrou na pequena sala de estar na frente. A casa parecia diferente agora que ela estava sozinha. , como um lugar que ela visitou há muito tempo. "

Simples e reconfortante. Meu tipo de livro.
Comentário deixado em 05/18/2020
Pros Erebia

Embora este seja ostensivamente um romance de segredos de quatro gerações, a maioria dos "segredos" é bastante óbvia. Fiquei esperando o golpe cair - assassinato? incesto? Tesouro enterrado?? Infelizmente, não. A narração muda entre histórias diferentes, mas relacionadas, todas as quais, para ser justo, achei intrigante: em 1913, uma criança que não lembra o nome dela aparece em uma doca australiana carregando um livro de contos de fadas; em 2005, sua neta tenta descobrir os mistérios de um jardim escondido na Cornualha; na Inglaterra vitoriana, uma jovem rica foge de sua família. . . apenas para ter sua filha órfã encontrada e levada de volta para eles. Em cada caso, eu queria descobrir a história toda, mas imaginei que eles se encaixariam com mais força. Onde estavam os segredos sombrios dentro de um segredo? Onde estavam as revelações em voz alta? Eu sei que nem sempre vamos conseguir Darth Vader respirando: "Eu sou seu pai!" mas alguns grandes choques teriam sido legais.

Talvez se o romance fosse apresentado de maneira um pouco diferente - como uma saga familiar, não como uma história misteriosa -, eu não ficaria desapontado. É realmente uma história de várias mulheres e os efeitos de longo alcance que suas decisões têm por conta própria e da vida uma da outra. Tecidos por toda parte são contos de fadas da misteriosa autora; é difícil perder o significado temático, às vezes alegórico. Eles conectam as gerações através de temas de fundamentos, sacrifícios e os perigos de querer o que você não pode ter. Se você gosta de contos de fadas, isso seria uma vantagem, mas eu poderia ter feito sem eles.

Kate Morton é um pouco pesada em suas caracterizações e, como acontece com A casa em Riverton, há um relacionamento bizarramente dedicado, semelhante a uma irmã, que envolve extremo auto-sacrifício em uma das partes e egoísmo inconsciente na outra. Embora muitos relacionamentos sejam assim (por exemplo, sou abnegado e meus irmãos ignoram), eles não são divertidos de ler. E com apenas uma exceção, os personagens realmente nefastos - eles são como vilões de um romance de Dickens, mas sem o talento - meio que desaparecem. Queria a satisfação de vê-los cair de um penhasco e serem comidos por tubarões, ou serem empalados em grades pontiagudas, não apenas morrerem sozinhos ou desaparecerem da história. Eu teria gostado de menos descrição de fundo e mais resolução.
Comentário deixado em 05/18/2020
Serrell Mender

Às vezes, quando as pessoas continuam recomendando um livro, você deve ouvir e ler esse livro. O Jardim Esquecido é um livro. Você finalmente leu e acabou se perguntando por que diabos esperou tanto tempo. Kate Morton fornece as complexas camadas de diferentes épocas e lugares de maneira magistral, presenteando o leitor com uma história que captura a imaginação e o coração completamente. Nell, como a criança perdida, é o personagem central em torno do qual todos os mistérios e ações giram. Um conto que começa na Inglaterra e viaja por muitos quilômetros até a Austrália, volta para casa na Inglaterra para desfazer mais de cem anos de segredos. Como as trepadeiras entrelaçadas do jardim, a história gira e gira, fazendo o caminho parecer intransitável, mas a tenacidade é recompensada com clareza.
Comentário deixado em 05/18/2020
Jacy Leesman

Oh, isso foi uma delícia de ler! Eu não acho que uma história sobre um mistério de família possa ser tão divertida o tempo todo, mantendo-me realista e sem exagerar.
Kate Morton apenas tem o melhor estilo de escrita absoluta para histórias desse tipo. Ela tem uma maneira de prendê-lo completamente na história que está contando, para que você se perca nela e simplesmente não encontre uma saída. E isso é algo altamente positivo! Este é apenas o segundo livro dela que já li, mas já tenho certeza de que me divertirei muito só de ler sua lista de compras.

Este romance consiste em mais de 50 capítulos, cada um deles contado sob um ponto de vista diferente e ocorrendo em um período de tempo diferente. Parece que vai ser confuso, certo? Bem, a Sra. Morton fez sua mágica mais uma vez e conseguiu não ser confusa. Eu não tenho idéia de como ela fez isso, mas eu sempre fui capaz de imaginar tudo o que aconteceu perfeitamente e cada personagem tinha uma voz distinta, o que tornou mais fácil diferenciá-los.

Se eu tivesse que descrever o enredo em uma palavra, usaria "mágico". Tinha tantas camadas, todas muito bem pensadas e interessantes. Existem muitos pequenos detalhes que são mencionados por toda parte. Alguns podem considerar esses detalhes desnecessários, redundantes ou muito elaborados, mas como alguém que ama livros longos com atenção a coisas menores, foi uma alegria absoluta ler um trabalho tão bom.

Devo dizer que fiquei bastante surpreso com alguns dos temas sombrios que desempenharam um papel. Isso diz respeito especialmente ao final, eu realmente não esperava essa revelação. Foi (surpreendentemente) apropriado, e fico feliz que o autor não tenha se esquivado de seguir esse caminho.
Por fim, também sinto a necessidade de expressar minha apreciação pelos contos de fadas incluídos por Eliza Makepeace. Eu adoraria ler mais deles; eles me deram uma sensação realmente confortável, quente e confusa e me lembraram minha infância. Apenas adorável!
Comentário deixado em 05/18/2020
Cloris Valenzula

Gostei muito deste livro. É uma leitura fácil, e ainda me deu espaço para fazer uma pausa quando parei para pensar. Gosto de livros que me permitem fazer isso sem me esmagar no caminho. Suspeito que o livro possa atrair mais mulheres do que homens e seria uma boa escolha para vários dos círculos de leitura que conheço.

Meu único arrependimento: o livro de contos de fadas de Eliza não é um livro real.

Coisas que gosto de saber antes de comprar um livro: nenhuma profanação que notei. Referência respeitosa e específica da história ao sexo. Questões emocionais tratadas com bom gosto e saúde.

Vou ler mais deste autor.
Comentário deixado em 05/18/2020
Terris Dermody

Eu li 549 páginas e essa foi a revelação? Realmente?

Deus, eu estava entediado. Eu só o destaquei porque achei que o livro tinha que estar acumulando alguma coisa. E suponho que tecnicamente era. Apenas nada particularmente interessante ou que valha a pena esperar. Entendi, todo mundo no livro tem problemas de abandono de mãe / filho.

Eu acho que esse livro realmente queria ser A Décima Terceira História, mas não teve coragem (se você perdoa a expressão imprecisa, qual é o grau de feminilidade dos dois títulos). Agora aquele O livro tinha um segredo de família profundamente enterrado, sobre o qual vale a pena ler.

A escrita não foi terrível, e como eu pude ler todas as 549 páginas (CINCO CINCO E QUARENTA E NOVE) páginas, essa aqui recebe uma estrela extra. Não era ruim, era apenas blá.

(Dito isto, tenho certeza de que leria um livro sobre Georgiana, a mãe perdida original, mas é claro que essa foi a história que não foi realmente contada em detalhes longos, chatos e prolongados. Ela parecia divertida. )
Comentário deixado em 05/18/2020
Hennessy Gavalas

Se você está procurando uma boa história para escapar por um tempo, não procure mais. O Jardim Esquecido tece um conto emaranhado de segredos de família, mantido escondido por gerações. Kate Morton faz um excelente trabalho ao criar mistério e intriga que se estende por gerações, enquanto uma mulher procura sua verdadeira identidade e encontra sua família em um lugar inesperado ao longo do caminho. Coisa boa!

Comentário deixado em 05/18/2020
Gram Tody

*** Adicionado mais tarde:

Meu resumo deste livro teria que ser o seguinte: é um livro de trama estranha sobre pessoas muito estúpidas, escritas em linguagem adorável.

Mas oh, os personagens idiotas. Honestamente. Por que Nell seria tão idiota com o noivo e a família adotiva? Por que diabos Eliza agia como ela? Desculpa; não compre.

-----------------------

Descobriu o que "aconteceu" (o mistério da menininha no barco) mais cedo e examinou grande parte do resto. Não achou o comportamento dos personagens convincente. Por que mulheres supostamente fortes (é assim que os personagens eram desenhados) faziam coisas absurdas que não estavam no personagem?

Boa ideia com movimento através de gerações, mas. . .

-Não acreditava que Nell se comportaria como em relação à família "adotiva" - e no noivo supostamente amado - quando contada a verdade sobre como ela entrou na família. Não clica em nada.

-Não acreditava que Eliza fizesse o que ela fazia com as contingências impostas a ela - e mesmo que tivesse, qual o sentido de ficar, afastada de todos, sem contato com ninguém - achava isso absurdo. Ela parecia uma personagem sã e forte até então.

-O romance abordado para a personagem atual (uma personagem tão desinteressante que não consigo me lembrar do nome dela) no final parecia um pouco mais estranho. Também não acredite nisso.

-Só uma mulher no grupo podia sentir a vida sólida e valiosa sem um homem, um filho ou ambos, mas ninguém era feliz, mesmo que conseguisse o que queria ou pensava que queria.

Por que tantas histórias sobre mulheres têm todo esse ciúme e a visão de mundo de que existe uma torta e se uma mulher ganha um pedaço (vida feliz), outra mulher, portanto, perde? Achei isso irritante.

Também irritado em nome de FHBurnette e seu jardim secreto. Isso não foi homenagem, foi uma imitação.
Comentário deixado em 05/18/2020
Dorie Lantier

Fiquei bastante encantado com esse conto e realmente amei os contos de fadas escuros entrelaçados que acrescentaram mais dimensões a este romance. Foi um mistério que me fez adivinhar várias vezes. Toda vez que eu entendia tudo, uma nova fenda era adicionada à cadeia de pistas. Eu acho que o estilo de escrever foi feito de maneira soberba, nem sempre posso dizer isso. Adorei a maneira como cada capítulo me transportou para outra época e um ponto de vista diferente, abrangendo a geração de mulheres na família. Eu encontrei novos vilões do mal que eu queria ver esmagados e queimados. Tais truques egoístas e gananciosos que eles criaram para cada um tinham suas próprias agendas e eram tão de coração frio.

Sinceramente, eu gostaria de ter lido mais sobre os novos começos de Cassandra e como sua vida mudou depois de revelar tantos segredos perdidos "apenas um pouco mais perto". É por isso que hesitaria em dar 5 estrelas. Fiquei um pouco chateado por não ter entendido mais a história dela. Eu acho que o encontro final foi agradável e me fez sentir que a paz foi restaurada para Nell e a adorável Eliza, as personagens mais altruístas que eu já li. Me fez realmente querer ter ou criar um jardim secreto intocado, com raízes no meu próprio passado. Todos nós não queremos um lugar de solidão para ficar longe de tudo e sentar com um livro enquanto fantasmas ancestrais jogam sua magia de pó de fada em nossas vidas para aliviar o estresse diário e nos garantir que somos amados? Realmente fiz uma olhada nas gerações passadas de mulheres da minha família e me pergunto todas as impressões que elas naturalmente deixaram sobre mim para compartilhar com meus filhos e os filhos deles. Hora de registrar mais, com certeza, porque estou com o polegar verde quebrado!
Comentário deixado em 05/18/2020
Idel Ozella

Estou quebrando o silêncio aqui para falar sobre Kate Morton. Sua ficção é cuidadosamente pesquisada e trabalhada, e a própria escrita é luminosa. O Jardim Esquecido se desenrola como um conto de fadas, lentamente se enrolando no carretel onde pessoas ambiguamente benéficas o feriram. Passamos de um lado para outro entre a Austrália atual, onde uma jovem chora a avó misteriosa que a inspirou quando criança, para a Inglaterra na virada do século passado, onde uma família abastada em uma pequena cidade costeira conspira para conceber e depois enterra , um tremendo segredo, um cujas ondas de choque alcançarão gerações e oceanos. No coração da trama da Inglaterra, encontramos uma amizade entre dois aparentes opostos - um, a filha doentia e protegida da família rica; um, o moleque aventureiro de espírito livre - e um segredo que os separa mesmo quando os une. E no coração de aquele, encontramos uma das forças reais de Morton: sua capacidade de capturar a lógica muitas vezes amarga do comportamento humano, as maneiras pelas quais a confiança e o ressentimento se unem para formar uma idade adulta mancante, rica com o ardor das traições da infância.

Outro dos dons de Morton é especialmente predominante neste romance: seu intenso foco nos escritores e nos mundos imaginários que eles esculpem das palavras, especialmente escritores de histórias infantis. As histórias das crianças, segundo este romance, mantêm suas próprias sabedorias antigas sobre responsabilidade, confiança e traição, e suas verdades - embora longe de palatáveis ​​- são muito preferíveis às fábulas de gossamer que os adultos dizem uns aos outros e a si mesmos para tornar a vida mais agradável. Morton alterna entre capítulos narrativos sobre a Austrália atual e a Inglaterra do início do século XX, pontuada com inserções de contos de fadas de um livro mágico dentro do livro. À medida que a história se desenrola, o leitor começa a ver traços da narrativa da vida real nas imagens e metáforas dos contos de fadas. E, no final do romance, cabe ao leitor determinar se o inverso também não é verdadeiro - a erupção da lógica dos contos de fadas no quadro estável da vida real.

Não posso dizer muito mais sobre o enredo sem revelá-lo. É um romance brilhantemente estruturado e realizado, que não pude deixar de escrever (para esclarecer: comecei o romance no aeroporto de Louisiana a caminho da França. Terminei quando o avião pousou em Paris. "a vida é muito curta, você pode dormir quando estiver morto" (escola de pensamento).
Comentário deixado em 05/18/2020
Mirna Rost

O Jardim Esquecido, Kate Morton
The Forgotten Garden é um romance de 2008 escrito pela autora australiana Kate Morton, impulsionado pelo mistério de por que uma criança de 4 anos é encontrada abandonada em um cais australiano em 1913. Na alegre festa de 21 anos de Nell, seu mundo desmorona quando seu pai diz a ela que ela foi adotada aos 4 anos de idade em 1913, aparentemente abandonada em um cais australiano e incapaz de lembrar seu nome. O conhecimento destrói sua auto-imagem e muda o curso de sua vida. Em 1975, as únicas pistas sobreviventes do passado de Nell são dadas a ela após a morte de seu pai; as memórias que desencadeiam a levam a viajar para a Inglaterra para desvendar o quebra-cabeça, parte do qual está ligado ao autor de um livro raro de contos de fadas em seu poder. Ela descobre sua verdadeira identidade, apesar de ter sido considerada morta por mais de 60 anos, e encontra seu caminho para Tregenna, e Blackhurst Manor, na costa da Cornualha. No entanto, seus planos para completar a missão são interrompidos quando sua neta Cassandra chega para ficar "temporariamente", uma estadia que se torna permanente. No final, é Cassandra, assombrada por suas próprias mágoas, que em 2005 segue os passos de Nell para terminar a jornada da descoberta e juntar todas as peças que faltam.

تاریخ نخستین خوانش: روز چهاردهم ماه جولای سال 2015 میلادی
عنوان: باغ فراموش شده; نویسنده: کیت مورتون; مترجم: الگا کیایی; تهران: افق دور, 1393; در 681 ص; شابک: 9786006903187; موضوع: داستانهای نویسندگان استرالیلیی - سده 21 م

رمان «باغفراموش شده» داستانیدلانگیز ، جذاب و بسیار خواندنی ، درباره گذشته ،اسرار خانواده. «کاساندرا» ، تنها، غمگین و سردرگم است. مادربزرگ عزیزش «نل», به تازگی درگذشته, و او که همچنان, از حادثه ی رانندگی تراژیک ده سال پیش, در شوک قرار دارد, حس میکند, همه ی چیزهای باارزش زندگیش را, از دست داده است. اما ارثی غیرمنتظره, و اسرارآمیز از سوی «نل», زندگی «کاساندرا» را زیر و رو کرده, و تمام دانسته های او, از خود و خانواده اش را, به چالش میکشد. یک کتاب داستانهای افسانه ای تاریک و جذاب, نوشته ی «الیزا میکپیس (نویسنده ی دوره ی ویکتوریا که در اوایل سده ی بیستم میلادی به شکل رازآلودی ناپدید شد)», به «کاساندرا» ارث رسیده است. Clique aqui para obter mais informações. Clique aqui para obter mais informações. Clique aqui ا. شربیانی
Comentário deixado em 05/18/2020
Edmunda Headley

O jardim esquecido por Kate Morton é uma publicação 2009 Atria.


Eu só descobri esse autor recentemente, depois de ler seu último lançamento, "The Lake House", e adorei. Naturalmente, eu queria mais!

O Jardim Esquecido é exatamente o tipo de romance em que posso me perder. Adoro segredos de família em um cenário histórico que se estende por gerações.

A história começa com uma garotinha encontrada sozinha em 1913, acolhida por um casal desesperado por crianças, criando-a como sua e nomeando-a "Nell". Depois que Nell descobre a verdade, ela é abalada pelas revelações e sabota todos os planos que tem para o futuro. Anos mais tarde, ela tem a chance de aprender mais sobre sua verdadeira herança, mas não foi até sua neta herdar o patrimônio de Nell que a verdade é lentamente desenterrada.

A prosa de Kate Morton é fascinante, hipnotizante e fascinante. Gostei de ver o mistério se desenrolar devido à persistência de Cassandra, e com a ajuda daqueles que estavam ansiosos para ajudá-la a obter respostas que sua avó nunca teve a chance.

De certa forma, a história é sórdida, até controversa, com pessoas fazendo escolhas que afetam gerações de pessoas. Alguns eram egoístas, outros eram altruístas e os resultados eram muitas vezes confusos. Na verdade, existem três histórias aqui, entrelaçadas, cuidadosamente construídas para manter o leitor em suspense quase insuportável, até que todos os segredos chocantes do jardim esquecido sejam finalmente revelados, finalmente liberando a dor e o coração partido de tantos e abrindo um novo portal de paz e compreensão.

Enquanto muitas áreas desta história são deprimentes, e pode-se argumentar que é uma tragédia, também é uma espécie de história de amor, e termina com uma nota tão animadora, senti uma enorme sensação de paz. Eu amei os contos de fadas de Eliza e a maneira como eles se aproximaram dos eventos reais, na história. Eu pude deixar de sentir Eliza, mas também a admirava, muitas vezes fiquei perplexo com as escolhas de Nell, mas Cassandra é uma jóia e acho que ela garantirá que o legado de sua verdadeira herança seja honrado e respeitado. .

estrelas 4.5
Comentário deixado em 05/18/2020
Abrahan Newmyer

Revisão resumida em duas palavras: OVERBLOWN & UNDERWHELMING.

Em mais um pouco: esta é uma história lindamente escrita, mas absolutamente idiota, onde a infinidade de loucura dos personagens apenas faz você querer bater com a cabeça na parede repetidamente.

Durante todo o tempo que estava lutando para terminar o livro, tive a sensação de que algo estava "fora".
A voz do autor e o estilo de escrever eram bastante sedutores: eles me fizeram querer acreditar que era as terríveis garras do destino cego, cruel e indomável os personagens estavam se contorcendo impotente, mas ao mesmo tempo não pude deixar de perceber que era apenas uma maneira artística de disfarçar a estupidez e tentar apresentá-la como "DRAMA".

Este foi o segundo e último livro para mim de Kate Morton. Claramente, nós simplesmente não nos damos bem.
Comentário deixado em 05/18/2020
Gereron Wolven

Eu sei que essa minha classificação será altamente impopular porque este livro específico parece ter encantado muitas pessoas. Ele tem uma classificação média de 4.17 estrelas aqui em Goodreads, e enquanto eu estava lendo, as pessoas continuavam compartilhando seu amor por este livro e por esse autor.
"The Forgotten Garden" foi meu primeiro livro de Kate Morton, e acho que também será meu último. Isso porque sinto que depois de ler um dos livros dela, você sabe como são as histórias e o estilo de escrita dela. Não é nada ruim, mas lembra muitos outros autores e livros que li que parecem previsíveis e sem graça para mim e realmente não deixam muita impressão.
Definitivamente, este romance será um daqueles romances que permanecerão comigo por algum tempo, porque, pensando bem, havia alguns pontos e alguns personagens que eu apreciei e que me fizeram continuar lendo. No entanto, minha leitura real deste livro me deixou totalmente entediado durante a maior parte dele, e fiquei tentado a desistir em vários momentos.
O fato é que este é um livro de 646 páginas e está estruturado de uma maneira que faz você perceber como tudo vai acontecer, desde o início. É um romance de família misteriosa que vai e volta no tempo, deixando você com dicas e partes de toda a história. Portanto, você sabe desde o início que precisará ler todas as 600 páginas antes de obter a imagem completa - e qual é a emoção disso?
Muitos dos personagens eram previsíveis e caricaturados na minha opinião. Temos a neta amorosa, a mãe elegante, o pai misterioso etc. Mais uma vez, os personagens não me deram muita emoção. No entanto, o que me fez continuar lendo foram duas meninas jovens que não encontramos até a metade do livro. Aquelas garotas eram encantadoras, e a maneira como seus destinos se entrelaçavam com conhecidos contos de fadas era linda.
Eu sei que isso pode ser um choque para muitas pessoas, mas isso foi uma decepção. Enquanto eu vejo por que algumas pessoas podem achar isso cativante, simplesmente não fui de compartilhar essa opinião.
Comentário deixado em 05/18/2020
Berrie Dvorak

Este livro é meu segundo romance de Kate Morton, e fico feliz em dizer que ela não me deixou decepcionada. De fato, encomendei outro de seus romances on-line, imediatamente após terminar este. Qualquer um que me conheça bem o suficiente saberá que adoro passear por belas casas e jardins imponentes que têm um apelo gótico para eles. Essa também é uma razão pela qual sou um membro dedicado do National Trust. Posso passar muitas horas felizes em seus locais apenas explorando os maravilhosos jardins e casas que eles cuidaram e cuidaram por muitos anos. É por isso que tenho tanto amor por esse tipo de leitura. O Jardim Esquecido é sobre um jardim escondido e, sem falar muito sobre o enredo, há um segredo que é descoberto com base nesse jardim. Pode parecer meio twee ou chato, mas prometo que certamente não é.
Eu acho que realmente gostei disso mais do que "A casa em Riverton". Eu senti que este estava fluindo suavemente, e houve muitas voltas e mais voltas que me pegaram totalmente de surpresa.
No entanto, por mais que eu goste da narração, também não gostei. Havia partes que eram bastante confusas, saltando do passado para os dias atuais. Embora compreenda totalmente por que Morton fez isso, acho que algumas partes deixaram o leitor bastante perplexo quanto ao que estava acontecendo. Essa é a minha razão para derrubar uma estrela, caso contrário, essa certamente foi uma leitura de cinco estrelas para mim.
O desenvolvimento do personagem neste livro foi criativo, interessante e bastante assustador. Em partes deste livro havia uma sensação estranha, e as descrições da Mansão Blackhurst e dos jardins eram tão detalhadas e reais que eu sentia como se realmente estivesse lá. Para que isso aconteça comigo, é preciso talento e Kate Morton definitivamente tem isso. Estou muito triste por ter terminado este livro, na verdade.
Mal posso esperar para ler mais deste autor!
Comentário deixado em 05/18/2020
Pyne Marroguin

Isso parece com a Casa do Lago, mas eu gosto mais desse final. Não foi tão conveniente, se você entendeu o meu desvio. Ela pode realmente mantê-lo adivinhando. Eu pensei que tinha tudo resolvido, então muda. Foi muito agradável de ler.
Comentário deixado em 05/18/2020
West Schlipf

eu amei cada página deste livro, incluindo o material hokey.
Definitivamente, essa é uma leitura de conforto, mas não é acesa nem simplificada demais. Tinha complexidade de enredo suficiente para manter minha mente adulta envolvida. Ao mesmo tempo, havia encantamento e mistério suficientes para atrair a menininha que eu era antes. Fiquei feliz ao descobrir que a menina ainda está lá, e ela ainda acredita em jardins mágicos e estranhas coincidências.

Esta é uma história longa e adorável sobre uma mulher que tomou a decisão errada pela razão certa, com consequências que ecoam através das gerações. Nell, Cassandra e Eliza são separadas pelo tempo, mas unidas por suas experiências individuais de perda e desejo - e pelos mistérios que os unem, o que não vou contar! Segredos de família suculentos e contos de fadas e uma pitada de fantasma tornam a leitura realmente divertida.
Comentário deixado em 05/18/2020
Tamarah Kossack

Sinto-me um pouco em conflito com a classificação atribuída a este livro. Por um lado, amei e devorei as últimas trezentas páginas deste livro. Encontrei Cassandra, Nell e Eliza como personagens convincentes e fiquei apegado a cada um deles individualmente. A escrita é realmente bonita, até poética em partes, e eu amei a trama dos contos de fadas de Eliza por toda parte. Eu também gostei muito da configuração do livro, com as três mulheres narrando e a maneira como Morton teceu tudo tão bem, até repetindo seções da narração no final para mostrar continuidade. Por outro lado, levei mais de 200 páginas para realmente agarrá-lo, o que, na minha opinião, é um pouco demais. Na verdade, eu estava prestes a abandonar o livro na página 200, quando houve uma reviravolta repentina. Além disso, partes da história anterior, principalmente as de Eliza, embora necessárias, deveriam ter sido reduzidas. Além disso, a reviravolta final da história provavelmente não foi reviravolta para muitos leitores - se você está prestando atenção, é bastante óbvio. Por fim, senti que isso lembrava demais o Jardim Secreto. Morton conscientemente presta homenagem a Hodgeson Burnett, e até a inclui na história, mas ainda assim, senti que estava um pouco exagerado.

Em suma, se você quiser escolher um épico familiar para descobrir a história de alguém, essa é uma ótima escolha, embora haja algumas falhas. Se você está procurando um mistério, eu sugiro que você procure em outro lugar.
Comentário deixado em 05/18/2020
Sherrie Sadabrij

Um livro tão bom !!! Eu avalio isso 4.5 estrelas. Uma maravilhosa jornada 'épica' com personagens 'não' a ​​serem esquecidos. É uma história envolvente rica e gratificante.
Dada a extensão deste livro (mais de 500 páginas) - é incrível como é fácil manter todos os detalhes e todos os novos personagens que são apresentados (devem dar crédito ao escritor).

Este livro apenas 'flui'. É o tipo de livro que eu adoraria ler no inverno - enrolado em alguns dias frios e frios -, leia sem parar .... (mas não tive o prazer de ler muito rápido - mas nunca esqueci nada, mesmo quando deixo de lado por um dia (ocupado fazendo outra coisa) -


Eu me vi compartilhando todos os detalhes dessa história com meu marido - à medida que avançava - (eu me envolvi muito)

Eu acho que 'talvez' a única parte do livro (para mim) em que o escritor (ou a edição) possa ter feito uma correção seja no final. (não o conteúdo) - A história era perfeita ---, mas a escrita começou a parecer apressada - (ainda era a hora de terminá-la) -
Não sei como eu teria feito uma coisa melhor - [eu não sou escritor].

Eu acho que o livro precisava de uma edição um pouco melhor no final '--- (parecia apressado - e às vezes parecia que estava demorando' muito '- --- ao mesmo tempo) ---
O que eu sei?
A maioria: adorei o livro ---

Ah ... E .... quando eu estava prestes a começar a ler "O Jardim Esquecido", estava "brigando" gostando ... Eu estava "procurando" por falhas, pois havia votado no 'outro' livro para ler, (nosso clube do livro o escolheu) --- Eu tinha certeza de que seria um livro longo para meninas - que nem sequer tinha 'razões' históricas para ser longo ... ( Observei meus pensamentos "já" negativos - depois continuei lendo ...
Devo dizer .... eu estava errado ....

Este livro foi "encantador" --- "encantador" --- mágico --- sincero - * maravilhoso *!

É outro desses livros - onde você adoraria ver a mudança acontecer. (sabendo, é claro, que o livro será melhor) --- mas pelo menos passamos a fazer parte dessa história novamente).

Bela autor por sinal. --Gee --- você pode ficar muito mais bonita? (e talentoso)! Parabéns a ela!

Eu muuuitoooooooooo admiro esses autores e o que eles fazem!

:)


Comentário deixado em 05/18/2020
Savadove Dessaure

"O Jardim Esquecido" foi bastante decepcionante, pois eu tinha certeza de que adoraria este livro. Segredos, mistério, um jardim escondido ... esses são ingredientes que eu amo. Apenas não é o uso mais afortunado para eles nesta trama.

Por um lado, este livro deveria ter metade do seu comprimento - tantas e não particularmente belas descrições, renderização detalhada de gestos sem importância e conversas desnecessárias. E os segredos não eram realmente segredos, pude vislumbrar várias possibilidades, uma das quais acabou sendo verdadeira no final. Se o mistério fosse mais profundo, a escrita mais alerta, seria uma leitura fácil e perfeita. Mas lembrei-me de ler rapidamente, pois não podia perder muito tempo com este livro, pois não me agradou da maneira que um bom livro deveria.

Algumas partes da história são realmente cativantes, o cenário da propriedade de Blackhurst é incrível (embora eu tenha feito pouco uso do mapa em anexo), mas alguns dos personagens e eventos não são totalmente críveis. Nell, por um lado, se comportou de maneira estúpida; não importa as tentativas da autora de explicar seu comportamento, eu simplesmente não conseguia me relacionar com suas escolhas. Além disso, eu não gostava de nenhum personagem em particular neste romance, porque eles não eram fáceis de gostar.

Se você fez um resumo deste livro, a história resultante seria interessante o suficiente, mas as 500 páginas não valem o tempo gasto em sua empresa, se você estiver procurando por um romance emocionante e rápido.
Comentário deixado em 05/18/2020
LeCroy Matakonis

http://www.bookcrossing.com/journal/6...

Achei isso tão cativante quanto sua estréia, que li no início deste ano. Desta vez, Kate Morton escreveu um mistério intrigante que começou nos anos 1900 e não é totalmente desvendado até 2005. É contada como três histórias que abrangem três gerações que se combinam para nos dar pistas ao longo do caminho.
Talvez o final tenha sido um pouco previsível, mas eu certamente não adivinhei todas as respostas para os mistérios ao longo do caminho.
O protagonista é Nell, em torno de quem todo o mistério é centrado. A história começa em Londres, quando Nell, quando menina, se vê inesperadamente viajando de navio para a Austrália sozinha. A senhora que ela chama de autoria desapareceu misteriosamente em vez de cuidar dela, como prometido. Chegando na Austrália como órfã, ela recebe uma casa de Hugh, um trabalhador das docas que a encontra sozinha na doca em sua chegada a Maryborough. É apenas no seu aniversário de 21 anos que ela descobre sua misteriosa chegada à Austrália, um segredo que muda sua vida drasticamente.
Muitos anos depois, em 1975, ela inicia uma busca pela verdade sobre seu nascimento e seus primeiros anos. Atraído para a Cornualha pelas informações que descobriu, ela se vê comprando uma casa de campo nos terrenos de Blackhurst Manor, que pertenceu à família Mountrachet. Ela planeja voltar à Inglaterra para morar em seu novo chalé depois de resolver seus casos na Austrália. No entanto, a vida interveio e Nell nunca voltou para a Cornualha, a propriedade da cabana permaneceu em segredo.
Em sua morte, em 2005, Nell deixa a casa como uma herança surpresa para sua neta Cassandra. É durante uma visita à sua herança que Cassandra finalmente descobre os segredos que cercam a família Mountrachet, Linus, sua esposa Adeline, a filha Rose e a prima Eliza, filha da irmã de Linus, Georgiana.
Como a família está envolvida no desaparecimento daquela menininha há quase cem anos?
Obviamente, não vou revelar isso e estragar o mistério!

Eu acho que o autor pode ser um fã de The Secret Garden, de Frances Hodgson Burnett, além de The Forgotten Garden não me lembrar de algumas maneiras esse romance clássico, mas seu autor faz uma aparição na história!
Eu li isso rápido demais para um romance de quase 650 páginas. Levou apenas dois dias. Ok, o tempo estava muito quente e eu não estava com muita vontade de fazer muito mais, mas, para ser sincero, não consegui largar!
Comentário deixado em 05/18/2020
Ileane Boies

Oh, pelo amor de Deus.

Eu sei que estou indo contra a corrente aqui, como muitas pessoas avaliaram este livro tão bem, mas certamente não posso ser o único tão decepcionado com isso?

Eu geralmente amo os livros de Kate Morton, mas este apenas arrastou e arrastou enquanto refaz a mesma história. No começo, pensei que fosse porque estava ouvindo a versão audível, mas depois lembrei que também ouvira 'The Distant Hours' e realmente gostei.

A história sugeria segredos profundos e sombrios, mas não havia realmente nenhum. Eu tinha adivinhado o mistério de quem a mãe de Nell era muito cedo e era tão óbvio que não consigo imaginar que o autor não quis dizer o que é bizarro. Havia alguma estranheza sugerida sobre um tio que nunca se materializou e o romance padrão entre dois personagens pintados por números que era simples e pouco inspirador. A maioria dos protagonistas era antipática ou tão tola que você não se importava com o destino deles. O epílogo foi banal.

Sinto muito, Kate Morton, geralmente gosto de seus livros, mas depois de 21 horas ouvindo isso, sinto-me um pouco roubada do meu tempo. Sinto-me muito mal por esta resenha, mas espero que ela direcione os leitores para os outros livros dela, que são muito superiores em minha opinião.

2.5 estrelas.
Comentário deixado em 05/18/2020
Karli Maymi

"A memória é uma amante cruel com quem todos devemos aprender a dançar."

Levei um tempo para me apaixonar por este livro, mas eu fiz. Sou um otário por histórias em que passado e presente se entrelaçam, especialmente quando o suspense está no auge. Este livro teve as reviravoltas certas, embora alguns deles fossem previsíveis, e terminou em um bom lugar, sem prolongamentos desnecessários.

Uma criança é abandonada em um navio para a Austrália em 1913. Nell, a criança perdida, é o personagem central em todos os mistérios e ações. Este conto começa na Inglaterra e viaja por todo o mundo para a Austrália, chega em casa novamente à Inglaterra para descobrir cem anos de segredos. Na segunda linha do tempo, uma mulher foge de sua família aristocrática e vive uma vida de pobreza com seus filhos. Quando ela morre, a filha é acolhida pela mesma família que sua mãe escapou. Na terceira linha do tempo, uma mulher é abandonada por sua mãe e criada por sua avó. Todas essas histórias estão conectadas. Conhecemos Eliza, Nell e Cassandra intimamente, eles são os principais narradores, mas também podemos ver dentro das cabeças de Rose, Nathaniel, Adeline e Linus. Eu adoro o quão distorcida a família Montrachet é.

"E ele me ama, mamãe, ele me disse." O coração de Adeline se apertou de medo. Menina querida, cega por pensamentos tolos de amor. Como dizer a ela que o coração dos homens não era tão facilmente conquistado. Se ganho, raramente mantido. "Você verá", disse Rose. "Vou viver feliz para sempre."

Prever é um movimento realmente cruel.

Esta história é cheia de mistério e fascínio. Há suspense desde o início, com segredos dentro de segredos e novos enigmas se acumulando várias vezes. O enigma o atrairá e os personagens o manterão lá. Eu gostei da volta e do presente entre o passado e o presente. Até os detalhes mais simples existem por um motivo. A história gira e revira, fazendo os segredos parecerem insolúveis. Basicamente, esta é uma história sobre uma mulher que tomou a decisão errada pelas razões certas, com consequências que caçaram gerações. A história passa de pessoa para pessoa, jogando os pontos de vista de outros personagens, o que pode irritá-lo se você preferir menos pontos de vista. Existem alguns personagens desagradáveis ​​e perturbadores, como Linus e Adeline, e algumas decisões fundamentalmente erradas, feitas por personagens que de outra forma são agradáveis, como Rose e Eliza. Embora o enredo seja previsível em algumas partes, ainda o mantém adivinhando até o final.

Eu não era uma grande fã de Nell nem gostava particularmente de seus pontos de vista, embora eles tivessem muitas informações úteis. Ela levou uma vida tão solitária de propósito e parecia que ela se puniu por algo que ela não podia nem ser responsável. Além disso, ela era rude, frígida e hostil e, por isso, era difícil a princípio se apaixonar por este livro.

"Você faz uma vida com o que tem, não com o que está perdendo."

E suas mentiras, o maior erro que Nell cometeu. Ela nunca viveu completamente sua vida, constantemente perseguia o que pensava estar perdendo e esquecia que estava cercada por pessoas que realmente a amavam por quem ela é. E ela apenas os afastou. Ela se preocupava constantemente com seus próprios sentimentos, mas nunca considerou as emoções dos outros.

Cassandra estava bem, mas não tinha profundidade real, exceto aquele evento trágico, então eu não era tão consumida em sua vida. Ela cresceu comigo no final, no entanto. Ela é uma mulher ainda lutando com o TEPT quase 10 anos depois e com a morte da avó, parece que ela não vai se recuperar tão cedo.

Eliza teve uma infância tão trágica. Eu nem sei como ela sobreviveu e permaneceu sã. Bem, meio são. Ela tem um bom coração e significa bem, mas todo mundo a punia pela independência de sua mãe. Porém, esses eram tempos diferentes, mas ainda nem todos eram muito julgadores.

"Uma garota que espera resgate nunca aprende a se salvar."

A lição Eliza nunca aprendeu muito. Ela confiava demais nas pessoas e tinha muita fé de que elas cuidariam dela. Ela também tinha muito amor em seu coração, mas ninguém para amar. Seu destino é o mais trágico e ela certamente não o merece. É por isso que a história dela foi a mais árdua de se ler.

Meus sentimentos sobre Rose são tão contraditórios. Enquanto ela crescia, eu gostava dela e achava que ela era forte e não desistia facilmente, mas quando ela se tornou jovem, tudo o que ela era era uma criança egoísta e insensata. Ela literalmente se importava com ninguém além de si mesma e muitas pessoas ficaram feridas por causa de sua ausência de tato.

A mente de Linus estava tão distorcida. Não pude deixar de sentir que, se tivesse a chance, ele teria feito algo eternamente perturbador. Ele era ainda pior que Adeline, porque continuava esperando sua chance de machucar alguém. Felizmente, essa chance nunca chegou - ou porque ele era covarde ou porque estava com preguiça de fazer qualquer coisa com sua vida.

Adeline é claramente uma pessoa horrível. Espero nunca encontrar alguém como ela, porque provavelmente não vou me impedir de ensinar-lhes uma lição. Ela é tão infeliz, obsessiva, tacanha, cheia de preconceitos, egocêntrica e cheia de energia negativa. Literalmente, ninguém conseguia respirar em sua companhia.

Nathaniel era um artista perdido que não tinha coragem de tomar decisões por si mesmo e, em vez disso, deixou sua sogra fazer todo o trabalho duro por ele. Como conseqüência, ele se sentiu preso em uma vida monótona como se estivesse vivendo em uma prisão. Eu senti muito por ele, mas ainda acredito que ele é responsável pela vida vazia que ele levou.

Rose era muito egoísta para ver o que estava fazendo com Eliza. Eliza amava Rose incondicionalmente e Rose se aproveitou disso. Rose era como sua mãe no final. Estou com tanta raiva dela. Eliza literalmente amava Rose mais do que ela mesma, mas para Rose ela era apenas um trunfo para obter sua própria versão da felicidade.

Cassandra e Nell tinham um vínculo estranho, mas funcional. Nell levantou Cassandra e ela levantou a direita. Ambos estavam abandonados e em constante busca por sua identidade, o que significa que eles eram um consolo um do outro. Nell salvou a alma de Cassandra quando ela literalmente não tinha mais vontade de viver.

“Você vai vencer isso. Eu sei que não parece, mas você vai. Você é um sobrevivente. - Não quero sobreviver. - Eu também sei - disse Nell. - E é justo. Mas às vezes não temos escolha.

É bem possível que alguém possa salvá-lo em vez de você se salvar.

De uma olhada no meu blog!
Comentário deixado em 05/18/2020
Amalita Hayducka

Eu amo esse tipo de história. Este é um conto maravilhoso, intricadamente tecido através de gerações de vozes diferentes. Eu amo o jeito que a saga se desenrola suavemente, revelando pedaços de cada vez.



5 estrelas - uma leitura obrigatória
Comentário deixado em 05/18/2020
Hegarty Goo

Boa: 3 ½ estrelas. Primeiro, se você é fã de Kate Morton, vai adorar. Definitivamente, seus pontos mais fortes foram a tecelagem de contos de fadas ao estilo de Grimm e um jardim escondido na história; Eu sou um otário para ambos. Suas caracterizações são fortes; Eliza Makepeace foi ótima, definitivamente a mais memorável do grupo. Outros destaques incluem a simpatia da Rose & Adeline, sua psicopata social escalada como mãe. Ambos eram tão estranhos que eu os achei fascinantes.
não tão bom: O salto constante entre diferentes períodos de tempo e personagens era irritante. Usada com moderação, acrescenta suspense, quando exagerada (e vamos ser honestos, ela fez isso até a morte) arruina o fluxo de uma história. Capítulos mais longos teriam ajudado. Este livro brilha como uma peça de época, tem um ótimo sabor eduardiano, tons de Rebecca. A inclusão do período de 2005 foi realmente necessária?… Então, eu já tinha mais de metade do caminho antes de ser fisgado e levei mais de duas semanas para ler um livro que eu normalmente teria tirado em três dias.
linha de fundo: Este é apenas o seu segundo romance, a senhora pode escrever ... eu recomendaria a qualquer pessoa que goste de longos mistérios góticos atmosféricos. Esta foi a minha primeira chance de ler Kate Morton - não será a minha última.

“Lua cheia significava que o quarto não estava completamente escuro. Um filme prateado se espalhou por todas as superfícies, suave e opaco como cera que esfriou ”

Deixe um comentário para O Jardim Esquecido